segunda-feira, 26 de setembro de 2016

GALO E JUVENTUDE TEM UMA LONGA HISTÓRIA DE CONFRONTOS


Em toda a história, Atlético e Juventude já se enfrentaram 17 vezes. Um dos duelos mais memoráveis foi disputado no Campeonato Brasileiro de 2003, quando o Galo venceu por 2 a 1, com um gol marcado pelo goleiro Eduardo aos 46ms do segundo tempo. Assim como acontecerá no confronto pelas quartas de final da Copa do Brasil de 2016, Marcelo Oliveira era o treinador do time alvinegro naquele j
Naquele momento, alguém também podia pensar que poderíamos ganhar o jogo sem complicação no Mineirão, diante da torcida. Foi um jogo duríssimo até o final. Não só foi um gol de goleiro, mas foi no último minuto. Foi uma vitória muito festejada por todas essas circunstâncias" destacou o técnico Marcelo Pacote Oliveira.

Neste jogo, o Atlético fez 1 a 0 com o volante Marcelo Silva, enquanto Geuffer empatou para o Juventude. Já nos acréscimos do segundo tempo, o goleiro Eduardo foi pra área adversária num escanteio e cabeceou pras redes, assegurando o triunfo do Galo em jogo ainda do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

Agora, Atlético e Juventude se reencontrarão em confronto pelas quartas de final da Copa do Brasil. Enquanto o Galo briga pelo título da Série A, o time gaúcho luta pelo acesso à Série B. Embora o adversário dispute a Terceira Divisão do futebol nacional, Marcelo Oliveira faz um alerta para seus comandados.

O Atlético abrirá o duelo com o Juventude nesta quarta-feira, às 19h30. Com expectativa de grande público, a diretoria optou por utilizar o Mineirão, em decisão que foi apoiada por Pacote.
 “No estágio em que está a Copa do Brasil, é possível que vá um grande público, e o Mineirão será interessante. O Atlético tem de se impor como campeão em qualquer estádio. Nesse jogo que tem uma ideia de um público maior, é sempre melhor no Mineirão”, analisou.

O vencedor dos confrontos entre Atlético e Juventude enfrentará nas semifinais a equipe classificada no duelo disputado por Santos e Internacional. Do outro lado da chave, as quartas de final terão Cruzeiro x Corinthians e Palmeiras x Grêmio.

À frente do Atlético, Marcelo Oliveira tenta chegar à final da Copa do Brasil pela quinta vez em seis anos. Todavia, ele busca também seu terceiro título do Campeonato Brasileiro. Por enquanto, o treinador evita priorizar e quer o time alvinegro na briga pelo título das duas competições nacionais.


TITE CHAMA CARIOCA E DESFALCA GALO


Contra o Corinthians, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro dia 5 de outubro, o Atlético já sabe que terá outro desfalque importante, totalizando quatro: Lucas Pratto, Erazo e Cazares, e Rafael Carioca convocado por Tite pro lugar de Casemiro. lesionado.

A convocação de Carioca foi anunciada pela CBF nesta segunda-feira. O volante foi chamado pra  vaga de Casemiro, do Real Madrid, que tem uma fissura da fíbula da perna esquerda. Outro jogador do Real Madrid cortado por lesão foi o lateral-esquerdo Marcelo. Pra seu lugar, Tite convocou Wendel, do Bayer Leverkusen.

A Seleção  enfrentará a Bolívia, em Natal, no dia 6 de outubro. Na véspera dessa partida, o Atlético enfrentará o Corinthians, em São Paulo.
O compromisso seguinte do Galo pelo Campeonato Brasileiro, contra o América, será em 13 de outubro, dois dias depois de o Brasil enfrentar a Venezuela em Mérida-VEN. Assim, há a possibilidade de Rafael Carioca retornar a tempo pra defender o time alvinegro. 

FRED MARCA DE NOVO

                               O trio Robinho, Pratto e Fred estão com a macaca

Pela décima vez seguida como mandante no Campeonato Brasileiro, o Atlético deixa o Independência vitorioso. Diante de mais de 20 mil pessoas, o time comandado por Marcelo Oliveira derrotou o Internacional, por 3 a 1. Fred, Clayton e Pratto marcaram para o Galo, enquanto Gustavo Ferrareis anotou o único tento do Colorado.

O triunfo manteve o Atlético a cinco pontos do líder Palmeiras, que havia derrotado o Coritiba nesse sábado. Em terceiro, o time alvinegro está a quatro pontos do Flamengo. Neste domingo, o Rubro-negro venceu o Cruzeiro, por 2 a 1, de virada. Já o Internacional permanece na 18ª colocação, a quatro pontos do Figueirense, primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Agora, os comandados por Marcelo Oliveira voltam a entrar em campo pela Copa do Brasil. Na quarta-feira, às 19h30, o Atlético receberá o Juventude no Mineirão, no primeiro jogo do confronto pelas quartas de final. O próximo compromisso pelo Campeonato Brasileiro será no sábado, diante da Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli.


 BARRA SUJA

0 argentino Ábila estava lá no céu, como ídolo do Cruzeiro. Perdeu gols feitos contra Atlético,e Flamengo e foi parar no purgatório. Se não der um jeito na vida e ajudar o Cruzeiro a sair da Z-L vai pro inferno. 
 
POR CAUSA DO FIM DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS ESCOLAS, FAUSTÃO ARREGAÇA O GOVERNO TEMER






Não gosto do programa Domingão do Faustão, porém a crítica que ele fez ao Presidente Michel Temer, cuja equipe de seis pessoas, apresentou projeto de reforma da educação, excluindo a Educação Física, matéria elementar e de grande aproveito na educação de nossos filhos. Eu mesmo tenho dois filhos - Juliana e Santelmo, este coordenador de Educação Física e professor de Basquete no Colégio Santo Agostinho e a minha caçula tem uma escola de balé em Caratinga e preferiu esquecer a Educação Física.
Vamos nos juntar à revolta de Faustão na sua luta contra a extinção da Educação Física nas escolas, porque isso me parece coisa de mafiosos. Querem acabar com EF nas escolas para abrirem centros particulares de treinamento e os bandidos de sempre encherem os cofres de grana.

ELEIÇÕES VIOLENTAS

Seria já conveniente que a Justiça de Caratinga pedisse auxílio ao Exército para garantir a paz nas eleições municipais da cidade. Os acontecimentos do distrito de São Candidato a vereador atirou contra a multidão que fazia uma caminhada pacífica ao lado do prefeito Marco Antônio Junqueira, dentista, moço educado e bom, na busca de reeleição, demonstram o pé de guerra existente. Três pessoas foram feridas: uma mulher e dois homens. Segundo informações, o atentado visava matar o jovem prefeito, que, graças a Deus, saiu ileso. Mas pelo bem e pela história de minha Santa Terrinha a coisa não pode ficar assim.


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

MINEIROS PRECISAM UM DO OUTRO E DE VITÓRIAS NESTA 27ª RODADA DO BRASILEIRÃO

Registrou pra história nacional, o escritor das Geraes, Otto Lara Resende, que "o mineiro só é solidário no câncer." Pode ser que sim, como dizia Nelson Rodrigues, amigo e divulgador das obras de Otto, "porém é mais sensato afirmar que não passa de metáfora do discutível jornalista, famoso por suas tiradas desencabeçadas, cujos objetivos eram criar clima de animosidade e discussão entre os meios da cultura tupiniquim."

Certo ou errado, pode-se escrever que neste final de semana quando for disputada a 27ª rodada do Campeonato Brasileiro os nossos três times da Divisão A têm de entrar em campo com um motivador especial em favor do outro. Penso apenas que o América estará sozinho na empreitada, visto que uma vitória sua sobre o Botafogo, no sábado, terá importância vital pra ele, lanterna da competição; meia boca pro Atlético, terceiro colocado, com oito pontos a mais que o time carioca; e boca inteira pro Cruzeiro, 15º colocado, com 30 pontos, e na beira de voltar à Z-4 do Mal. O América segurar o Fogão seria ótimo pra ele, principalmente se os azuis vencerem o Flamengo, em Cariacica.

Neste caso, a equipe de Mano Meneses faria um bem danado pra si próprio e, indiretamente, para o Galo, pois o Flamengo é o segundo colocado, pouco abaixo do Palmeiras, com 50 pontos, ou seja,quatro a mais que o Atlético que enfrenta o Internacional, no Independência e, com certeza, vencerá. Então, irá pra 49 pontos, mantém o Colorado na Z-4 do Mal, impedindo que ele siga o Cruzeiro de perto. E estará a apenas um do vice Flamengo. É uma conta complicada de se fazer, mas fácil de acontecer.

FUTEBOL SEM SANGUE NOS OLHOS

De sã consciência é possível que a gente exclua o América dos jogos ruins vistos no meio da semana. Na quarta-feira, o Coelho venceu o Internacional que tem uma campanha indigna. Debaixo de chuva forte, o confronto foi fraco tecnicamente, o que abaixou a qualidade do espetáculo. Mas, seja dito: não faltou vontade.
As duas equipes correram muito e disputaram a partida cheios de vontade, com sangue nos olhos.

Teve cheiro de clássico, onde tudo acontece, inclusive gols como aquele de Mychel. Ele entrou no meio do segundo tempo, sem a confiança da torcida, pois há meses recupera-se de uma lesão séria. Justo ele que merecia sair como herói. Aos 46m do tempo extra da fase final, Jonas chegou pela ponta-direita e cruzou na área. Mychel3 ganhou dos beques e cabeceou meio de ombro, mandando a bola no ângulo, onde a coruja dorme, do goleiro gaúcho. A vitória por 1 a 0 ajudou ao Cruzeiro que não foi ultrapassado pelo Inter e nem caiu pra Z-4 do Mal.  

ZÉ CHICO PEDE AO SEU PAI DE SANTO PRA ÁBILA VOLTAR A SER GOLEADOR


Abila terá ajuda espiritual agora de um pai-de-santo
Na rua Santa Cruz, antiga rua das Baratas, lá em Caratinga, no meus tempos de adolescente, quando, ainda, jogava futebol no juvenil do EC Caratinga, havia uma série de benzedeiras, nas quais dona Geralda e Sodico confiavam muito. Tanto que me mandavam pra uma delas quando me lesionava. Aqui na Capital, o uso dos pais de santo era costume dos cartolas. Cada qual tinha um de sua preferência e corria pra ele quando a coisa ficava preta no gramado. Não me lembro de mais nenhum deles.
Outro dia, recebi email interessante de uma leitora, Zelita, informando  que seu marido Zé Chico já descobriu como acabar com o jejum de três jogos do goleador argentino Ábila que tem perdido o cartaz com alguns torcedores da China Azul. Zé Chico a informou que seu pai-de-santo prometeu trabalho que fará Ábila marcar duas vezes já contra o Flamengo,domingo, em Cariacica.
Ábila marcou pela última vez no dia 8 de setembro, na vitória por 2 a 0 sobre o América, no Independência, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Contra o Atlético, aos 42min da etapa inicial, quando o alvinegro vencia por 1 a 0, ele perdeu uma oportunidade incrível ao errar, numa finalização de dentro da pequena área, do goleiro Victor. Para o técnico Mano Menezes, esse foi o único equívoco do gringo, que continua com números positivos pelo Cruzeiro: nove gols em 14 jogos.
No primeiro semestre de 2016, Ábila marcou 16 gols em 24 jogos pelo Huracán. Um detalhe curioso é que Wanchope ficou por cinco partidas sem deixar sua marca, sendo duas no Campeonato Argentino e três na Copa Libertadores. O jejum de quase um mês (09/04 a 03/05) foi quebrado justamente com o belíssimo gol de voleio na derrota do El Globo para o Atlético Nacional (COL) por 4 a 2, pelas oitavas de final do torneio continental.

Com relação ao Cruzeiro, o retorno de Ramón Ábila às redes será de extrema importância para ajudar o grupo na luta contra o rebaixamento à Série B. Passadas 26 rodadas, o time azul e branco ocupa a incômoda 15ª posição, com 30 pontos, a dois do 17º colocado Figueirense, que abre o Z4.

SACANAGEM DO ANO, CORINTHIANS FEZ COM CRISTOVÃO

Cristóvão Borges sobreviveu apenas a 18 partidas à frente de um Corinthians em remontagem. A missão não era fácil. Ele teve de substituir o multicampeão Tite justamente no ano em que o presidente Roberto de Andrade foi mais firme em sua política de corte de gastos, negociando vários jogadores e trazendo reposições mais modestas. 
Demitido após três meses, o treinador recebeu o GloboEsporte.com no apartamento alugado onde mora com a esposa, na Zona Leste de São Paulo, dias antes de devolver as chaves ao proprietário. Frustrado por não ter dado certo no cargo, ele lamentou a perda de jogadores como Elias e Bruno Henrique, reconheceu que cometeu alguns erros durante o processo de remontagem e concluiu que o torcedor do Timão ficou mal acostumado com os anos de bonança com Tite e não se preparou para a escassez. 
– É um preço muito alto que o presidente paga e que o treinador também paga. Ninguém valoriza essa coisa do correto, do pagar em dia. Todo mundo quer título e, às vezes, não importa a que preço. Mas pelo o que clube tem de solidez, ainda vai se manter em uma posição boa. Daqui a pouco volta ao G-4. E, na Copa do Brasil, é possível brigar pela forma de disputa.

Em uma conversa de quase uma hora, o treinador de 57 anos, demitido após a derrota para o Palmeiras, por 2 a 0, no último sábado, disse que não guarda mágoas dos torcedores, viu como positiva a curta passagem pelo Timão e ficou emocionado ao falar das várias mensagens que recebeu dos jogadores da equipe após a sua saída.


terça-feira, 20 de setembro de 2016

DEBAIXO DE CHUVA, COELHO ESTEVE IMPOSSÍVEL E VENCE INTER


Pouco antes do jogo ter início, com os dois times no gramado batendo bola, caiu uma tempestade em Belo Horizonte e até ameaçou com a suspensão do jogo. Aos poucos, a chuva passou e não agrediu ao gramado do Independência. O árbitro encardido, paranaense Rafael Traci examinou o estado do campo, esperou uns 15m debaixo do toldo e chamou as duas equipes. O América já tinha perdido no aquecimento o goleiro titular João Ricardo, com problema no tornozelo e entrou com  o reserva imediato Fernando Leal; durante o primeiro tempo, ainda perdeu Osman com lesão muscular e colocou Michael no lugar dele.
Apesar da fase do Internacional de Celso Roth, enfiado no G-4 do Mal, mas acima do América, que é o lanterna, ninguém acreditava numa vitória do Coelho a não ser os poucos torcedores que compareceram ao Horto, ainda mais após a tempestade que favorecia o time pesado dos gaúchos.  Tudo encaminhava pro empate sem gols, quando aos 45m do segundo tempo, Jonas mandou bola aérea na marca do pênalti e Michael subiu sozinho e enfiou a cabeça e o ombro na bola fazendo o gol da vitória americana: 1 a 0.

COELHO AJUDA RAPOSA

Não foi uma vitória qualquer. O gol aos 45 minutos Michael, que havia acabado de entrar, completou de ombro o cruzamento de Jonas e marcou o único gol do triunfo sobre o Internacional, por 1 a 0, no Independência, em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O
 jogo não encheu os olhos de ninguém. Depois de um primeiro tempo bem morno, o América voltou melhor na etapa final. Sem sofrer com o adversário, o Coelho foi pra cima na reta final do segundo tempo, criou boas chances e foi premiado com o gol do atacante Michael. 

A
 vitória dá mais esperanças ao torcedor americano. Foi o primeiro passo que o Coelho deu em uma reação que precisa ser fantástica pra equipe não voltar à Série B. O América precisa de nove vitórias em 12 partidas se quiser escapar da queda. O clube segue sonhando.

Com a vitória, o Coelho chegou aos 18 pontos, cinco a menos que o vice-lanterna Santa Cruz. Pela segunda vez no Campeonato Brasileiro, o América fica três jogos consecutivos sem ser derrotado. Já o Internacional permanece na 18ª posição, com 27 pontos.
O América tentará dar sequência à reabilitação no sábado, às 21h, contra o Botafogo, no Independência. Já o Internacional voltará ao estádio do Horto, domingo, às 18h30, contra o Atlético.
TRINCHEIRA - Se não tivesse ganhado de 1 a 0 do Internacional, o Coelho permitiria ao time gaúcho sair da Z-4 do Mal e prá lá empurrado a Raposa. Portanto, o América fez com acerto o papel dele na competição e agora tem que buscar novas vitórias pra sair, ele sim, do buraco negro.

AGORA GALO PEGA MACACA PELA COPA DO BRASIL

   
                                                              Robinho, o artilheiro do Galo
A fim de avançar às quartas de final na Copa do Brasil, o Atlético terá que superar os bons números que a Ponte Preta tem jogando no Moisés Lucarelli. Já a Macaca encara histórico com poucas classificações à próxima fase do torneio. No duelo de ida, no Mineirão, os clubes ficaram no 1 a 1. Agora, pra bater o   rival paulista, o Galo precisa de um resultado positivo ou de um empate por dois ou mais gols, nesta quarta-feira, às 19h30, em Campinas. 

Nesta edição do torneio mata-mata, a Macaca já disputou três partidas em casa: venceu duas e empatou uma. Além disso, no Campeonato Brasileiro, os paulistas são donos da quinta melhor campanha como mandante, com 74,36% de aproveitamento. A última derrota da Ponte foi justamente contra uma equipe mineira, quando acabou goleada por 4 a 0 pelo Cruzeiro, no dia 22 de junho, na 10ª rodada. 

Já o Atlético ainda não foi desafiado fora de casa nesta edição. Por ter disputado a Libertadores deste ano, a equipe entrou na competição apenas nas oitavas de final. Porém, no Brasileirão, o Galo é o sexto melhor visitante, com três vitórias, quatro derrotas e seis empates.

Em toda a história, Galo e Ponte se enfrentaram 14 vezes em Campinas. Foram quatro vitórias para cada lado e seis empates. Desses confrontos, em cinco o resultado daria ao Atlético a classificação às quartas e outros dois levariam o duelo à disputa de penalidades máximas.

Nesta temporada, além do empate por 1 a 1 pela Copa do Brasil, as equipes duelaram pelo Brasileiro. No Mineirão, o Galo venceu a Ponte por 3 a 0, na nona rodada.

Na principal competição nacional, o Atlético está na briga pelo título, a cinco pontos do líder Palmeiras. Apesar disso, a Copa do Brasil é vista pelo elenco como um torneio importante para o clube. "A gente almeja muito o Brasileiro, são 45 anos sem o título. Mas ninguém vai deixar a Copa do Brasil de lado. Os 11 que jogarem vão fazer o melhor pela classificação

Na Copa do Brasil, a Ponte Preta só passou das oitavas de final em duas oportunidades: em 2001 e 2009, quando disputou as semifinais (contra o Corinthians) e as quartas de final (diante do Coritiba), respectivamente. 
TRINCHEIRA: Não sei como pensa Marcelo Pacote quanto à Copa do Brasil. Caso não a priorize nesta quarta-feira com time forte, vai se dar mal e com repercussão domingo contra o Internacional.

ROBINHO FALA DE JOGO TRAIÇOEIRO CONTRA BOTAFOGO



                                Robinho tem ajudado 

Robinho foi o primeiro jogador do Cruzeiro, ainda no fim de agosto, a destacar que o grande objetivo da temporada precisava ser o título da Copa do Brasil. Atual campeão da competição com o Palmeiras, o meio-campista conhece os atalhos pra ajudar o time celeste a buscar o pentacampeonato. Autor do gol no empate por 1 a 1 com o Atlético na Série A, nesse domingo, ele concedeu entrevista na reapresentação e ressaltou as dificuldades do jogo desta quarta-feira, contra o Botafogo, na volta das oitavas de final Copa do Brasil, no Mineirão – no primeiro duelo, o time de Mano goleou por 5 a 2, no Rio de Janeiro. 

“Jogo totalmente estranho, jogamos bem, e o Botafogo acabou fazendo os gols. Foi como o jogo da Copa do Brasil lá, jogo pegado e fizemos três gols rapidinho. Não se consegue explicar. Não tem um jogo fácil. Prova que o Brasileiro e a Copa do Brasil são jogos malucos”, complementou.

Depois de chegar ao Cruzeiro e sofrer duas lesões num curto período de tempo (edema na coxa direita e entorse no tornozelo), Robinho passou a ser titular inquestionável desde a chegada de Mano Menezes. Ele participou, como titular, dos onze jogos do comandante em sua segunda passagem pelo Cruzeiro.

Pro duelo contra o Botafogo, o técnico Mano Menezes não poderá contar com os laterais Ezequiel e Bryan, além do goleiro Elisson. Eles já defenderam outras equipes na competição. Se tem problemas no banco de reservas, o treinador celeste contará com uma novidade importante no time titular. Fora do jogo contra o Atlético, pela Série A, o zagueiro Manoel tá de volta ao setor defensivo. Ele participou normalmente da atividade no campo da Toca II, nesta segunda-feira.
GALO TEM REFORÇO DE DOIS


Marcelo Oliveira  poderá ter os reforços de Donizete e Dátolo na Copa do Brasil, mas perderá o atacante Fred. Donizete e Dátolo fizeram os trabalhos de recondicionamento físico e devem ser relacionados para o jogo em Campinas, contra a Macaca, nesta quarta-feira. O técnico revelou que conta com os jogadores pro confronto e que observará o aspecto físico dos atletas. Fred não pode atuar na competição porque  já  jogou pelo Fluminense, na competição..

O Galo precisa da vitória ou de um empate por dois ou mais gols a fim de avançar diretamente à próxima fase. Caso haja nova igualdade por 1 a 1, a decisão da vaga sai nos pênaltis. Mesmo assumindo a dificuldade do objetivo, Marcelo garantiu que o Alvinegro irá em busca da classificação, ainda que o maior foco do clube seja no Brasileirão.
“Não dá para abandonar a Copa do Brasil. Vamos lá pra ganhar o jogo e classificar. Mas existe o foco maior no Brasileiro sim. Vou avaliar, quem vem de maior desgaste, quem se desgastou no jogo, porque correram muito, marcando o Cruzeiro. Se tiver que fazer modificações, vou fazer. Mas vamos lá pra ganhar. Mas é claro que o Brasileiro é o maior foco do Atlético”, definiu.


sábado, 17 de setembro de 2016

DOMINGO É DIA DE CLÁSSICO QUE PODE MUDAR A HISTÓRIA DO FUTEBOL MINEIRO NA CLASSIFICAÇÃO GERAL DO BRASILEIRO.

   Comemoração do gol de Urso mostrou que o time está unido.

Quem faz uma análise imparcial do Brasileirão, em cima apenas dos números ganho e do número de vitórias e saldo de gols, ainda que não seja torcedor nem de Atlético, nem de Cruzeiro, arremata com convicção: o Galo será vencedor do jogão e a Raposa vai se atolar, ainda mais, na lama do descenso. Na distribuição geral da classificação, pode-se até fazer uma piadinha: o futebol mineiro tá no pescoço, com o Galo; quase nas partes genitais com o Cruzeiro e na bunda com o América, lanterna da competição.
Acontece que já se passou por situações idênticas em outros anos e o Cruzeiro venceu o clássico, que não perde há uns quatro jogos para o Atlético. Então, volta-se à estaca zero: clássico não tem favorito porque é um jogo de detalhes. Quem manda, tem maior volume de jogo, nem sempre vence.  O Atlético é terceiro colocado, com 45 pontos em 24 jogos, uma campanha irrepreensível, com 61% de aproveitamento; o Cruzeiro está em 15º lugar, com 29 pontos em24 jogos, prestes a chafurdar-se na lama do descenso. E o Coelho? É lanterna e até aparece pouco. 

CAZARES JOGA E TÁ PRONTO PRO CLÁSSICO.


                               Cazares voltou e o time melhorou

Foram 73 dias longe dos gramados. Foram 35m em campo no retorno, nesta quinta-feira, contra o Sport, no Independência. Cazares tentou se movimentar, pelo meio-campo, pelos lados. Procurou o jogo. O lance decisivo não apareceu, mas teve estrela. Na primeira jogada, tocou para Otero armar o ataque que resultou no gol da vitória do Atlético, marcado por Júnior Urso. 

Até sair o gol, o Galo penou. O placar em branco persistia. O Galo não se acertava. O Sport, com um a menos - o goleiro Magrão foi expulso ainda no primeiro tempo, complicava o jogo. Não foi surpresa a reação da torcida atleticana aos oito minutos da etapa final: "Cazares, Cazares, Cazares".
No minuto seguinte, o técnico Marcelo Oliveira conversou com o preparador físico Juvenilson de Souza e mandou chamar o meia equatoriano, que entrou, aos 11, no lugar de Clayton.

No primeiro lance, Cazares não foi decisivo, mas mostrou ter estrela. Iniciou no meio-campo a jogada que viria a sair o gol de Júnior Urso. A bola ainda passou por Otero, que driblou dois, antes de deixar para o volante chutar e abrir o placar aos 13 minutos.

Cazares, que havia jogada pela última vez no dia 3 de julho, contra o Figueirense, ficou afastado se tratando de estiramento muscular na coxa direita.Antes de se lesionar, o armador era o destaque do Atlético. Com seis gols e três assistências, em seis partidas, foi o responsável pela arrancada que colocou o time na briga pelo topo da tabela.

Contra o Sport, Cazares tentou 31 passes, acertando 29. Em um chute colocado, tentou surpreender o goleiro Agenor, que fez a defesa com tranquilidade. Tentou alguns dribles e deu trabalho aos marcadores.O jogador recebeu elogios do técnico Marcelo Oliveira, que ressaltou a necessidade de ter cuidado para não forçar demais e o jogador voltar a sentir e se lesionar.
Agora, o torcedor atleticano fica na expectativa para ver o equatoriano no clássico do próximo domingo, contra o Cruzeiro.

MANO SÓ ESPERA QUE TIME NÃO PERCA A CALMA

                        Cruzeiro perde outra e domingo como será?

A segunda derrota seguida do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro não causou espanto ao técnico Mano Menezes. Após o revés por 1 a 0 para o São Paulo, na noite desta quinta-feira, ele lamentou o primeiro tempo com falhas de marcação e as chances desperdiçadas numa segunda etapa em que o time teve poder de criação. Por outro lado, o comandante cruzeirense tratou a derrota como normal e pediu tranquilidade para que o trabalho realizado até aqui não seja desmanchado. 

U
m  dos destaques do Cruzeiro na partida contra o São Paulo foi o goleiro Rafael. Apesar da derrota por 1 a 0, nesta quinta-feira, no Morumbi - gol do volante Wesley em chute forte de longa distância -, o camisa 12 fez boas intervenções, sobretudo no primeiro tempo, e evitou um placar mais dilatado nos acréscimos da etapa final ao defender cobrança de pênalti do atacante argentino Andrés Chávez.

Foi a segunda penalidade máxima defendida por Rafael na temporada 2016 (oito partidas) e a terceira em 43 jogos como profissional do Cruzeiro. Em março, ele já havia vencido o duelo contra Nikão, do Atlético-PR, na vitória cruzeirense por 2 a 1, no Mineirão, pela fase de grupos da Primeira Liga.

“Nós fazemos todo esse trabalho de treinamento. O Robertinho faz muito trabalho de pênalti, de falta, isso é importante. Graças a Deus, com a ajuda de todos, consegui defender. Eu apareço defendendo o pênalti, mas tem muitas pessoas que ajudam no dia a dia”, comentou o goleiro, ao ser perguntado sobre o bom trabalho nos tiros de 11 metros.

Em 2011, Rafael defendeu seu primeiro pênalti pelo clube no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, no Pacaembu, em São Paulo. Na ocasião, ele impediu que a finalização do volante Marcos Assunção, exímio cobrador de bolas paradas, ganhasse as redes já aos 46min do segundo tempo. O confronto valeu pela 21ª rodada do Brasileiro.
Derrotado, o Cruzeiro encerrou a 25ª rodada em 15º lugar, com 29 pontos (um a mais que o 17º Figueirense), e terá de buscar a reação no clássico com o Atlético, domingo, às 16h, no Mineirão. Na ótica de Rafael, a confiança do clube não foi alterada mesmo com o tropeço em território paulista e a incômoda situação na tabela de classificação. “Sabemos que somos capazes e vamos para vencer no domingo, contando com o apoio do nosso torcedor”, encerrou o goleiro, que fez sua única partida diante do alvinegro justamente na fatídica vitória por 6 a 1, pela última rodada do Campeonato Brasileiro de 2011. O resultado livrou a Raposa da queda à Série B.

DUPLA DO BARULHO
Esta dupla fez falta quinta-feira contra o Botafogo. Como fazer gols sem os dois em campo?

                      Arrascaeta e Abila


QUE DEU NA CABEÇA DE MANOEL?

Não só a derrota por 1 a 0 para o São Paulo, na noite desta quinta-feira, no Morumbi, é problema para o Cruzeiro na sequência da temporada. Expulso aos 42’ do segundo tempo, o zagueiro Manoel poderá receber punição severa do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) depois do árbitro Diego Almeida Real relatar “um golpe com soco na barriga” desferido pelo camisa 27 da Raposa contra o atacante Andrés Chavez, do Tricolor.
Expulsei diretamente aos 42 minutos do segundo tempo de partida, por conduta violenta, o Sr. Manoel Messias Silva Carvalho, camisa número 27, do Cruzeiro EC, por golpear com um soco na barriga de seu adversário de número 9, Sr. Andres Eliseo Chavez, da equipe São Paulo FC, dentro da área penal, fora da disputa de bola e estando a bola em jogo. Devo relatar que o atleta agredido não necessitou atendimento médico (sic)”, escreveu o 
juiz
.

ROBINHO VOLTA NO CLASSICO

Robinho foi preservado pelo Atlético no jogo contra o Sport, nesta quinta-feira, no Independência, pelo Campeonato Brasileiro. O artilheiro do time sequer ficou no banco reservas.
Segundo o técnico Marcelo Oliveira, o atacante não tem nenhuma lesão. Mas uma avaliação médica apontou o risco de contusão. Além disso, Robinho, que vinha de 21 jogos seguidos, ganhou um descanso, já pensando no clássico de domingo com o Cruzeiro, às 16h, no Mineirão.

"Foi difícil, porque o Robinho vinha bem e é criativo. Poderia revezar com o Cazares, mas pela manhã, numa avaliação médica, avaliamos que poderia gerar uma lesão e ficar fora de alguns jogos. Foi uma prevenção e descansá-lo para o próximo jogo. Para o departamento médico, ele poderia se machucar", disse.

Se conseguiu evitar uma lesão em Robinho, o Atlético, por outro lado, lamentou uma nova contusão de Marcos Rocha. O lateral, que voltou ao time nesta quinta-feira após três semanas tratando de contusão na coxa direita, jogou por apenas 11 minutos e sentiu nova lesão.
Marcelo Oliveira lamentou
: "Foi uma surpresa, porque tivemos cuidados em sanar a lesão. A ideia era colocá-lo em um tempo. Fica por conta da fatalidade."

DRYWORLD DEIXA DIRETORIA DO GALO IRRITADA







Daniel Nepomuceno dá mais uma chance para Matt Weingart e Claudio Escobar, executivos da Dryworld




O presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, comentou os problemas enfrentados pelo clube com o fornecimento de material esportivo da Dryworld. Desde o início do ano, o Galo vem sofrendo com a distribuição dos uniformes, tanto para os jogadores como para a venda nas lojas do clube. Recentemente, segundo a Revista Encontro, o clube teve que jogar de branco por causa das falhas na entrega da camisa alvinegra.

O contrato com a Dryworld é o maior da história do Atlético. No entanto, a fornecedora canadense tem encontrado dificuldades para cumprir as suas metas, gerando questionamentos, inclusive internamente no clube.

Em entrevista ao programa Camarote PFC, do canal Premiere FC, Daniel Nepomuceno lamentou os erros da Dryworld, mas diz que ainda vai dar uma nova oportunidade à fornecedora, para que ela corrija os erros e garanta a entrega do material para ser revendido em lojas do clube e franquias. O presidente falou ainda sobre a difícil busca por zagueiros, o sonho do título do Campeonato Brasileiro neste ano e a dificuldade de promover jovens da base em um time recheado de grandes e renomados jogadores.

Passando pelo momento mais crítico de sua história, a Portuguesa definirá no próximo domingo se permanece na Série C do Campeonato Brasileiro ou se cai para a quarta divisão do futebol nacional. Com uma dívida em torno dos R$ 200 milhões, o clube, no entanto, não irá à falência mesmo com o eventual descenso, segundo o presidente José Luiz Ferreira de Almeida.

Penúltima colocada do Grupo B, a Lusa precisa derrotar o Tombense, em Minas Gerais, no próximo domingo, e contar com um tropeço do Macaé diante do Botafogo de Ribeirão Preto, no Rio de Janeiro, para ao menos se manter na Terceirona.

“Não fecha se cair para a Série D. Quantos times tiveram essas quedas e voltaram? Fechar, não fecha. Mas confio que não vamos cair, vamos ganhar no domingo”, disse o mandatário, durante entrevista coletiva concedida na última quinta-feira, no Canindé.

Penhorado por processos trabalhistas que se desenrolam desde o início dos anos 2000, o estádio, inclusive, deverá ir a leilão no dia 7 de novembro. Caso não consiga a impugnação, a Portuguesa não terá mais direitos sobre sua parte do terreno – 45% da área total (os outros 55% pertencem à Prefeitura de São Paulo) -, avaliada em R$ 154 milhões, quantia inferior à da avaliação do clube e insuficiente para saldar os débitos.
É um número que está sendo estudado ainda. É muito grande, vale muito mais que R$ 200 milhões”, assegurou.

Corpo do ator deve deixou Sergipe às 12h desta sexta-feira
Domingos Montagner foi sepultado neste sábado no Cemitério da Quarta Parada, na Zona Leste de São Paulo.

                       Domingos Montagner morre no seu melhor momento

 Montagner morreu afogado após um mergulho no rio São Francisco, na divisa entre Sergipe e Alagoas, nessa quinta-feira (15). O corpo do ator foi encontrado por volta das 18h, a 18 metros de profundidade e a 320 metros da prainha de Canindé do São Francisco, e a confirmação oficial da identidade foi feita momentos depois.

O ator 
teria evitado que a atriz Camila Pitanga - que estava com ele no momento - se afogasse no rio São Francisco momentos antes de morrer, de acordo com o coronel Ricardo Cruz. "As informações que me passaram seria que ele inclusive chegou a empurrá-la para um local mais seguro. Na hora em que ele estava afundando, ele empurrou a Camila para um local mais seguro", afirmou em entrevista ao Datena no Brasil Urgente. 





quarta-feira, 14 de setembro de 2016

GALO, RAPOSA E COELHO ESTARÃO EM CAMPO NA BUSCA DE VITÓRIAS A QUALQUER PREÇO.

  
O forte do Atlético nas competições em que se consagrou era sua defesa linear. No gol, o Victor inexpugnável, defensor de pênaltis; na frente deles, Léo Silva, atrapalhado nas bolas rasteiras, mas firme no jogo aéreo em qualquer das duas áreas; ao seu lado o talento do menino Jemerson, uma das mais gratas revelações do clube e vendido pra agrada os empresários. Na lateral esquerda, Richarlison, sério das disputas de pé de ferro, mas que não agradava aos torcedores por ser Borboleta.

O meio-campo era da melhor qualidade: a começar pelo brucutu Pierre, madeira de dar em doido, passando por Luan e chegando ao talento de Ronaldinho Gaúcho, Dátolo, Bernardo e Jó. Estes fomentavam a equipe de Cuca. Hoje o Atlético parece que tem plantel melhor, está bem colocado, porém não passa segurança. A torcida vive sobressaltada. Nesta quinta-feira enfrenta o Sport do Recife, cuja campanha é de altos e baixos, e cujo contra-ataque é respeitado. Convém a Massa ir ao Independência dar aquela força ao time de Marcelo Pacote Oliveira que vem da uma pancada na fronte por 4 a 2, diante do Fluminense,no Rio. É hora de levantar a crista.

NÚMEROS DA DEFESA ALVINEGRA

A defesa é um dos obstáculos na caminhada do Atlético na busca pelo título do Campeonato Brasileiro. Ela já sofreu 34 gols em 24 partidas. É a oitava mais vazada da competição, superada, por exemplo, pela do Figueirense, que luta contra o rebaixamento e levou 30 gols. Em 2016, o Galo tem os piores números defensivos do clube nos cinco últimos Brasileiros, após 24 rodadas.

Nesse mesmo período de jogos, o Atlético sofreu 22 gols em 2015, 26 em 2014, 25 em 2013 e 18 em 2012. Em todo o campeonato de 2012, quando foi vice-campeão, foram 37 gols, três a mais que na atual edição.
Na rodada passada, o Alvinegro perdeu por 4 a 2 para o Fluminense, no Rio de Janeiro, e viu a distância pro líder Palmeiras aumentar em cinco pontos. Os paulistas somam 47, seguidos de Flamengo (46) e Galo (42).

Contra o Fluminense, o poder de marcação decepcionou. Segundo o Footstats, foram 11 desarmes. Responsáveis pelo combate no meio-campo, os volantes Lucas Cândido e Rafael Carioca tiveram apenas dois desarmes, mesmo número do zagueiro Leonardo Silva, que evita tirar conclusões da defesa baseadas na atuação contra o Fluminense.

Não podemos tirar pelo jogo de hoje (segunda-feira), um jogo totalmente diferente. Eles fizeram três gols não em vacilo defensivo, mas em gol de falta, outro em contra-ataque. A equipe procurou se postar bem, estava bem no primeiro tempo, fizemos 1 a 0. Com a alteração, mesmo com três volantes, não conseguimos nos encaixar na marcação deles. Temos que corrigir. Mas o sistema defensivo, nos outros jogos, vinha bem.”

O rendimento da defesa nas 24 rodadas pode ser dividido em três fases. Nas oito rodadas iniciais do Brasileirão, quando sofreu com seguidos desfalques e ficou sete partidas sem vencer, a equipe levou 15 gols. O único titular frequente do sistema defensivo foi Marcos Rocha.

Encorpado com a volta de lesionados e de atletas que estavam disputando Eliminatórias, o time reagiu e a defesa foi importante na arrancada até as primeiras colocações. Em 11 rodadas, o Atlético teve a meta superada apenas 10 vezes.

Depois, o clube alternou bons e maus momentos. Nos últimos cinco jogos pelo Brasileiro, os desfalques voltaram a atormentar Marcelo Oliveira e o time sofreu nove gols, sendo os placares mais elásticos: Santos (3 a 0) e Fluminense (4 a 2
).

CRUZEIRO NO MORUMBI

Confesso que me exauriu a confiança que passei a ter numa recuperação do Cruzeiro após seis jogos em perder com o comando firme de Mano Meneses.  Já não estou mais assim, após a derrota vergonhosa por 2 a 0 diante do Botafogo no Mineirão. Primeiro, porque o jogo foi em casa, no estádio onde o Cruzeiro se propaga invencível. Segundo, porque outro dia mesmo enfiou 5 a 2 neste mesmo Botafogo lá no Rio, pela Copa do Brasil.
Como será agora diante do desarrumado São Paulo, que tem histórico que vir aqui no Mineirão ser campeão brasileiro ou de enfiar 5 a 0 nos azuis? Essa será uma quinta-feira tenebrosa, que tiver coração fraco que vá ao cinema, ao teatro ou a uma boate e espere apenas pelo resultado, que duvido seja favorável.

FIGUEIRA E COELHO JÁ JOGARAM

Escrevo esta Trincheira quarta-feira pela manhã e agora vocês já sabem o resultado de Figueirense x América, em Floripa. Se o Coelho arrancou ponto lá, ajudou bastante ao Cruzeiro desde que o time de Mano pelo menos empate com o Botafogo.

JOGO DA DECISÃO

Ontem teve, também, e só vou saber do resultado na quinta-feira cedo, o clássico Palmeiras x Flamengo, na Arena Palmeirense, e que a crítica apaixonada de São Paulo tem chamado do jogo decisivo do Campeonato, mesmo faltando tantas rodadas. O Verdão insiste em manter a liderança com 47 pontos e o Mengão vem atrás com 46. E o rubro-negro quando tem uma reação assim, realmente, é fogo de ser segurado.


CORAÇÃO FRACO tem que se enfiar numa toca mesmo é no domingo que vem, quando Atlético x Cruzeiro queimam seus gravetos.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

GALO CHEGOU PERTO DO LÍDER PALMEIRAS, MAS NÃO SEGUROU A BARRA: FLUMINENSE VIRA PLACAR E VENCE DE GOLEADA.


Sei lá como estas coisas acontecem: o melhor resultado, por incrível que pareça, da rodada do Campeonato Brasileiro encerrada nesta segunda feira com o jogo Fluminense 4 x 2 Atlético foi o empate que o lanterna América arrancou diante da Ponte Preta (1 a 1) em Campinas. O vexame maior foi do Cruzeiro, que perdeu em casa (2 a O) pro Botafogo e encerrou uma sequência invicta de seis partidas, retornando à porta do Z-4.
O amigo e jornalista Afonso Alberto Teixeira do Santos, no Facebook, postou comentário que considerei o mais legítimo possível e peço-lhe licença pra reproduzi-lo, - já reproduzindo-o - nesta minha Trincheira.

"Lamento profundamente os equívocos do Marcelo. O Atlético tem se mostrado uma equipe frágil, sem poder de fogo. É certo que os desfalques contam, mas não podem ser decisivos. Acho que o Marcelo tem sido infeliz ao escalar e mexer no time. Carlos Eduardo não justifica mais, Edcarlos também. Na saída de Maicosuel, colocar Jr. Urso, foi brincar com coisa séria, Vítor uma tragédia na saída de bola. Prato atravessa uma bola e dá o passe para o jogador do Fluminense fazer o gol, tudo errado. A coisa fugiu do controle do Galo infelizmente. Ainda é possível? É, mas acho que do jeito que as coisas andam, a vaga na Libertadores, já vai ser um presente dos céus. Também no Galo hoje, empregado manda, decide, faz o que quer. Alguém tem dúvida disto? Então olhem o Datolo. Emprego assim também quero, ficar no departamento médico ganhando uma fortuna sem fazer nada. Me ajuda aí. E o Carlinhos Neves , dizem ser o melhor preparador físico do Brasil, mas ele ganha como coordenador ou coisa que o valha no departamento de futebol? Está tudo errado. É a mesma coisa que o presidente Marco Polo Del Nero colocar o Tite como assessor de imprensa na seleção. Vão tomar banho na soda. Chega de sofrer."

 Atlético ensaiou uma aproximação ao Palmeiras, mas foi só: tomou o vira-vira do Fluminense no estádio Giulite Coutinho. O Galo abriu o placar com Robinho, que se isolou na artilharia da Série A, mas sofreu a virada, em gols de Douglas, Marquinho e Gustavo Scarpa. Otero ainda descontou, mas Maranhão marcou o quarto pro time carioca, decretando o triunfo por 4 a 2.

Com a
 primeira derrota depois de três rodadas, o Atlético segue com 42 pontos. O Palmeiras, que empatou nesse domingo com o Grêmio, foi a 47. Já o Flamengo alcançou 46 ao vencer o Vitória no sábado, em Salvador.

O
 time comandado por Marcelo Oliveira tentará manter a perseguição aos líderes na quinta-feira, quando receberá o Sport, no Independência. O primeiro protagonista da noite foi o árbitro. Eduardo Tomaz de Aquino Valadão foi alvo de reclamações de atleticanos e tricolores no início da partida, com pedidos de pênaltis sobre Maicosuel e Marcos Júnior.
Na primeira vez que chutou na direção da meta adversária, o Galo balançou as redes. Robinho aproveitou lançamento de Maicosuel, dominou e bateu com força no alto: 1 a 0.

Em vantagem no placar, o Atlético passou a ser pressionado pelo Fluminense. O Tricolor ameaçou, principalmente, em chutes de fora da área, com Gustavo Scarpa e Marcos Júnior. O time alvinegro ainda perdeu Maicosuel por lesão no primeiro tempo. O meia-atacante foi substituído pelo volante Júnior Urso (arre!). Já no intervalo, Marcelo Oliveira sacou Fred pra entrada de Otero. Por quê? Se por lesão, com uma perna só, Fred é melhor que o outro.

Assim como no fim do primeiro tempo, os minutos iniciais da etapa final tiveram o Fluminense mais presente no campo de ataque. Porém, dessa vez, o Galo não conseguiu suportar a pressão. O ex-atleticano Magno Alves cruzou rasteiro e Douglas empatou a partida: 1 a 1. Frangaço de Victor, por entre as pernas.,

No segundo tempo, Levir Culpi promoveu duas alterações, numa delas colocou Marquinho em campo.. Em seu primeiro toque na bola, Marquinho balançou as redes e virou a partida; 2 A 1. O Tricolor ainda ampliou em cobrança de falta cometida por Edcarlos, após falha de Victor na saída de bola. Gustavo Scarpa colocou com categoria sobre a barreira: 3 a 1.

Já nos minutos finais, o Galo descontou com Otero. Após cruzamento de Robinho, Pratto ajeitou de cabeça e o venezuelano, de carrinho, empurrou para as redes: 3 a 2. Nos acréscimos, Lucas Pratto errou virada de jogo, Maranhão arrancou e tocou na saída de Victor: 4 a 2.

AGORA QUE QUERO VER:

-Cruzeiro joga quinta-feira no Morumbi contra o São Paulo que parece estar em franca recuperação. Sem Ábila e Arrascaeta e se não tive Rafael Sóbis, Cruzeiro não vence e complica sua situação na complicação geral.
- O Galo pega o Sport do Recife, no Horto, e se não tiver uma escalação digna e não jogar como um galo vingador, toma ferro aqui e cai mais, talvez até fora do G-4.
- E o América? Só Deus sabe qualquer que seja o adversário.