domingo, 23 de julho de 2017

ESTE BRASILEIRO ESTÁ UMA CONFUSÃO; 13 TÉCNICOS JÁ FORAM DISPENSADOS EM 15 RODADAS

LOUCURA ESSA DANÇA DE TREINADORES NO BRASILEIRÃO: 13 JÁ FORAM DEMITIDOS

Tem sido como num pomar apinhado de jabuticabas maduras, que, quando se balança forte o galho mais carregado, despenca aquela quantidade irresistível da frutinha negra e branca por dentro, de sabor doce e suave como o balançar aconchegante de uma rede instalada na varanda da casa à beira praia.

Não sei exatamente quem balançou a jabuticabeira carregada; quem  teve a mão tão enorme e pesada pra tal estrago. Talvez o destino, motivado pelo (vento forte, ou derrotas).

Ou os deuses do futebol cansados do futebol sem arte e valorizando as tais táticas enfermas que os treinadores chamam de 4-4-2, ou 4-3-3, ou 4-3-2-1, na verdade plenas todas de espírito embaralhado e misturado, horizontais, que por si só fecham a entrada das áreas, como se fosse bicos de funil.

Deixam ambas as beiradas vazias e sem vez. Por ali se entra qualquer jogador defensivo, ou deita e dorme qualquer ofensivo.

Quem não se lembra de 1982 com Jô Soares,em seus vários personagens, fazia na época do Mestre Telê Santana que abdicava dos ponteiros:

Gritava -  "Bota ponta Telê, bota ponta!"

 Sem ponta, Telê não ganhou títulos, mas imortalizou a Seleção.

0s coachs de hoje, jogam sem pontas, e enchem os times de volantes, meias e falsos centroavantes por que correm mais, seja pra frente ou pros lados. De futebol nada vistoso e que pouco entusiasma os torcedores e a crítica pela lentidão e excesso de troca de passes, na maioria das vezes, nem tão precisos, no meio-campo, pedem a saída do treinador.

E o que tem caído de profissionais do ramo é coisa preta. Pra eles e seus defensores culpa da cultura brasileira que não protege os treinadores de futebol, deixando-os à mercê dos cartolas que, por seu turno, estão no batalhão de fuzilamento das torcidas organizadas. 

A Série A do Campeonato Brasileiro entra na 16ª rodada - faltam mais três pra terminar o primeiro turno - e 13 técnicos já foram demitidos. Nesta sexta-feira: quatro deles caíram após a 15ª rodada, disputada na quarta-feira (19) e na quinta-feira (20) desta semana: Roger Machado, do Atlético Mineiro; Pachequinho, do Coritiba; Alexandre Gallo, do Vitória; e Doriva, do Atlético Goianiense.

Na minha bola de cristal vejo que depois da 16ª rodada, o número de demissões de treinadores brasileiros poderá aumentar, em caso de derrota ou até mesmo empate.

COMO SERÁ A 16ª RODADA?

 

Os jogos programados são:

Neste sábado: Vitória x Chapecoense e Flamengo x Coritiba;

domingo: Santos x Bahia; Fluminense x Corinthians; Sport x Palmeiras; Avaí x Cruzeiro; Galo  x Vasco; Atlético Paranaense x Ponte Preta e Atlético Goianiense x Botafogo. Segunda-feira tem São Paulo x Grêmio.

O líder da Série A é o Corinthians, com 37 pontos ganhos, seguindo do Grêmio, com 31; Santos, 27; e Flamengo, com 25. Na zona de rebaixamento estão São Paulo, 15 pontos; Avaí, 14; Vitória, 12; e Atlético Goianiense, com oito pontos ganhos.

 

GALO RENOVA FORA DO GRAMADO TAMBÉM:MICALE, MEDALHA DE OURO, É O NOVO TREINADOR.

 

Depois da demissão do técnico Roger Machado, o Atlético agiu rápido e anunciou a contratação de Rogério Micale, que deve ser apresentado na próxima segunda-feira. Micale vai assinar com o Galo até o fim da temporada 2017.
Até o noticiário do Atlético, no Superesportes, cometeu falta de sintonia com a lógica ao informar, opinativamente, sobre o perfil e currículo do novo treinador atleticano, o seguinte: "Título de maior relevância: Ouro Olímpico com o Brasil no futebol masculino em 2016.

TRINCHEIRA --   Aí estranhei: o Brasil disputou tantas olimpíadas e nunca teve medalha de ouro no futebol. Foram vários treinadores atrás desta medalha e nenhum conseguiu botá-la no peito. Este título inédito, os brasileiros devem grande parte dele a Rogério Micale. Inegavelmente, é seu título mais importante, mas a relevância terá de ser estabelecida por ele e não pelos pitaqueiros perigosos da mídia.

A missão de Micale será acertar o oscilante Galo e garantir a sequência do time na Copa do Brasil e na Copa Libertadores. Embora possa ser sonho da diretoria, o Campeonato Brasileiro está cada vez mais distante, já que o Alvinegro ocupa a 11ª posição, com 20 pontos.

Superesportes informou, nessa quinta-feira, na "Coluna Jogo Rápido", que o Atlético já 
avaliava a contratação de Micale antes mesmo de o clube anunciar a demissão de Roger Machado.

Micale é velho conhecido da diretoria atleticana. Ele ficou na base do clube de 2009 a 2010 e de 2011 a 2015. No Galo, foi campeão das Taças BH de Futebol Júnior de 2009 e 2011, dos Campeonatos Mineiros Júnior de 2010 e 2012 e dos Torneios ICGT de 2011 e 2012. Os dados são do Galo Digital.

Em 2015, Micale deixou o Atlético para assumir a Seleção Brasileira Sub-20. No time da CBF, conquistou o inédito ouro olímpico do futebol masculino, em agosto, no Rio de Janeiro. Micale foi demitido em fevereiro após a frustrante quinta colocação no Sul-Americano Sub-20. Desde então, estava desempregado.

Por conhecer o clube, ter bons relacionamentos e trabalhar com garotos, Micale foi a saída da diretoria para trabalhar até dezembro no comando do Atlético. O Galo será o segundo time profissional de Micale, que também já dirigiu o Grêmio Prudente em 2011.

Em enquete realizada pelo Superesportes ("Quem você gostaria de ver no comando do Atlético?"), Micale foi o segundo mais votado (17%). Apenas Reinaldo Rueda, ex-Atlético Nacional, teve aprovação maior (23%).

Na próxima quarta-feira, às 19h30, o Galo decide sua vida na Copa do Brasil contra o Botafogo. Uma semana depois, o Alvinegro receberá o Jorge Wilstermann para definir o futuro na Copa Libertadores.

A CASA DE DAVI PRESENTE DE DEUS A CARATINGA

 Casa de Davi fica localizada na MG-425, na estrada de acesso a Entre Folhas, no local funcionava o "Parque Bem-te-vi". Há cerca de dois anos o proprietário Gustavo Rocha Gonçalves Sobreira, abraçou a causa junto da pastora Aline Canguçu, que já realizava trabalho social com moradores de rua viciados em álcool e drogas.

O primeiro passo foi resgatar moradores de rua de Caratinga e levar pra nova casa. Segundo Aline, mais de 500 recuperando já passaram pelo projeto que tem apenas dois anos.

Mais que resgatar a autoestima, a espiritualidade e libertar dos vícios, o projeto vai além e trabalha a reinserção dos recuperando no mercado de trabalho. O objetivo do projeto é gerar novas oportunidades de se construir nova história.

Foram entregues diplomas a três recuperando que participaram do curso de barista avançado, com técnicas de manutenção e preparo de café expresso. O curso foi aplicado por barista especializada de São Paulo e teve a duração de 90 dias. Os recuperandos agradeceram a oportunidade e já têm emprego garantido em cafeteria da cidade.

Cruzeiro pode ir de Mistão contra Avaí neste domingo.

 

O técnico Mano Menezes não deu dica do time do Cruzeiro que irá a campo neste domingo, às 16h, na Ressacada, pra encarar o Avaí pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Mano não contará com o lateral-direito Ezequiel, suspenso (levou cartão amarelo no banco de reservas), e com o atacante Alisson, poupado por causa de desgaste muscular. Por sua vez, o lateral-esquerdo Fabrício também foi liberado a fim de acertar a sua transferência pro Atlético- Furacão.

 

Como o Cruzeiro tem jogo decisivo com o Palmeiras, na quarta-feira, em Belo Horizonte, valendo vaga nas semifinais da Copa do Brasil, a tendência é que Mano Menezes dê descanso a alguns titulares contra o Avaí.

0 Uruguaio De Arrascaeta está cotado pra voltar,, ainda que no decorrer da partida

Entre as opções pra encarar o Avaí estão o zagueiro Manoel, recuperado de fratura no dedo do pé esquerdo, o meia De Arrascaeta, de volta após superar uma torção no joelho direito, e o atacante Rafael Sobis, livre de suspensão cumprida contra o Fluminense.

Os três treinaram normalmente com a delegação na sexta, no Rio de Janeiro, e neste sábado, em Palhoça. Mano só anunciará a escalação uma hora antes da partida na Ressacada.

Para a lateral direita, o treinador terá que improvisar, já que nenhum especialista foi convocado. Tudo indica que o volante Lucas Romero ocupará a posição novamente.

CORAÇÃO MACHUCADO

 

Certa dia, sentia eu incomodo enorme do lado esquerdo do peito, saindo de cima e indo até à virilha esquerda. O incomodo correspondia a mal estar que logo imaginei fosse algo que havia comido e me fizera mal. Às 15h, não havia passado e resolvi ir ao meu gastro, bem ligado com os problemas de meu estômago. Marquei a consulta e ele, na hora, me disse: "Corre aqui, estou vazio e dou olhada no problema". Peguei o carro e fui na Rua Paraíba, onde fica seu consultório.

Mal cheguei, relatei o que sentia, ele me mandou deitar numa maca e apertou a minha barriga. Depois, calmamente, esclareceu: "Você não tem nada no estômago. Você está com problema cardíaco. Corra atrás de seu cardiologista".

 Achei melhor ligar e Dr. Carlos Ornelas me atendeu no celular e recomendou: -"Vá ao Hospital Madre Tereza e procure o Dr. Fernando em meu nome."

 

Fiz o recomendado: "diagnóstico, em precisava de outro stend no peito. Já tinha dois". Segundo ele a coisa tinha que ser com certa rapidez, porque eu não estava bem. Da sala dele fui direto pro setor da cirurgia cardíaca.

Ao fazer os exames finais, o doutor viu os dois stends que eu havia colocado dois anos antes estavam entupidos e eu perto do AVC. -"Vamos ter que operar e colocar duas pontes". O céu caiu sobre mim. Fiz a operação no Hospital Villa da Serra, onde parte do ano passado e deste ano fiquei 400 dias com a cabeça rachada e operado, à espera da morte. Fiz a cirurgia do coração, e conforme previra Dr. Carlos Ornelas eu sairia em quatro dias.

 Deu Zebra: peguei infecção no braço esquerdo e fiquei mais 15 dias entre morre e não morre.

 Agora de coração machucado, depressivo, porque não me recupero do acidente do ano passado. Recentemente, me internaram no Vera Cruz onde estive 10 dias, por causa de infecção urinária. Estou confuso e medroso. Deus me deu duas chances de vida e eu vou atrás de outra.

Até quando ficarei com este coração machucado, maltratado e correndo riscos?

 

 

 

 

terça-feira, 18 de julho de 2017

MENINADA CELESTE APARECE ENTRE OS PROFISSIONAIS E ENTUSIASMA 0 TREINADOR MANO MENESES.

  

O volante Nonoca, de 19 anos, passou a ser opção do técnico Mano Menezes nas últimas partidas do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Ele entrou na vaga de Lucas Silva nos jogos contra Atlético-PR e Flamengo, sempre com personalidade. Apesar disso, o jovem da base ainda é desconhecido para muitos cruzeirenses. 

Em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira na Toca da Raposa II, o mineiro de Leopoldina se apresentou, explicou o apelido (Nonoca), disse ser fã do astro Cristiano Ronaldo e comemorou a chance de jogar.  

"Fico feliz de ser lembrando pelo Mano. É uma felicidade. Mano tem dado bastante oportunidade para quem subiu, eu, o Murilo, o Raniel. Fico feliz. É continuar trabalhando e ganhar o espaço devagarzinho ", comentou Nonoca, ainda tímido diante dos microfones.

Mas por que Nonoca? Lucas de Souza Ventura, nome do jogador, não lembra em nada o apelido. O volante explica:

"Nonoca é apelido do meu pai. Cidade pequena tem muito disso do filho pegar o apelido do pai.  E comigo não foi diferente. Tenho esse apelido de Nonoca, que peguei na base e mantive no profissional; eu prefiro Nonoca pra homenagear o meu pai", afirmou.

O pai de Nonoca, que também foi jogador, morreu quando o volante do Cruzeiro ainda era criança. "Meu pai faleceu muito novo e não lembro muito dele, bem pouco. Espero que ele esteja feliz lá em cima", disse.

Antes dessa sequência no Brasileiro, Nonoca já tinha jogado contra o Democrata, pela 11ª rodada do Campeonato Mineiro. Mas foi nos últimos dias que ele chamou a atenção do torcedor. Contra o Furacão, participou do segundo gol ao iniciar a jogada, que terminou com a conclusão de Rafael Marques. Diante do Flamengo, demonstrou firmeza na marcação. Ele comentou suas características em campo.

"Pegada não falta, né!" - disse - "Sou marcação e quando der também apareço na frente, como fiz contra o Atlético-PR, mas meu principal é a marcação". Observou o jogador, que disse ter a confiança dos mais experientes.

"Nosso grupo tem bastante qualidade. Jogar ao lado de Ariel (Cabral), Henrique, Thiago (Neves), Sobis, grandes jogadores, é mais fácil. Eles passam tranquilidade para a gente".

E não falta festa da família e dos amigos pelo momento do garoto. "Me mandam bastante mensagem, todo mundo feliz. Minha mãe, inclusive, quando tem jogo fica gritando demais lá, os vizinhos ficam doidos com ela. Estou bastante feliz. Vim de uma cidade pequena e estou jogando em grande clube como o Cruzeiro", celebrou.

FÃ DE CR-7


Engana-se quem pensa que Nonoca se inspira em Pirlo, Pogba, Kross, Vidal, ou algum outro volante. O garoto é fã do astro português Cristiano Ronaldo. "Bom, no futebol, gosto bastante do Cristiano Ronaldo, mas não tem nada a ver (com meu futebol). Eu me inspiro bastante no meu pai também. Ele jogou futebol e me inspiro nele".

CÁSSIO ARREGUY

TRINCHEIRA: A família Etienne Arreguy orgulha todos que são seus conterrâneos, que conviveram, ou não com a parte de não deixou a Santa Terrinha de São João do Caratinga.  Convivi com boa parte dela, fazendo amigos e me educando.

Cássio é o ramo desta família que vim conhecer aqui. Moço inteligente e bom de serviço. Jornalista linha de frente como vários de seus primos e primas. Vou usar este pitaco dele, sobre certa entrevista de Alexandre Kalil, para o jornal argentino "El País", que causou muita polêmica e que desconheço, pois não a li."

KALIL E SUAS POLÊMICAS

-"Sobre a entrevista do Alexandre Kalil para El Pais, que tanta polêmica tem gerado, creio que há de se ter menos reações antipáticas e demagógicas por parte de alguns, notadamente na imprensa, quando opta pela opinião sem informação.

-" Infelizmente o futebol hoje no Brasil é extremamente caro. Elencos, estádios, custos tão elevados que não há mais condições de se praticar preços mais módicos, salvo um jogo ou outro. Não se trata de opção, capricho ou falta de sensibilidade. ".

-"É fácil demais criticar quando não se tem noção de como as coisas funcionam. A discussão e o debate são necessários, pois há muitas questões para se resolver. É óbvio que se fosse fácil e possível, os ingressos não teriam preços altos. Mas demagogia barata, maniqueísmo e desconhecimento não podem se sobrepor ao pragmatismo e à sobriedade".

 

PARADA GAY

 

O evento fez enorme sucesso em Beagá, tanto que o prefeito Alexandre Kalil prometeu repetí-lo com mais ênfase ano que vem. Cidade preconceituosa e conservadora, Beagá apresentou alguma contestação sobre as declarações de Kalil.

 

Pura bobagem. Kalil é grande administrador e sabe o que é melhor para a cidade que comanda.

 

Beagá nunca teve carnaval à altura, e com desfile de escolas de samba e blocos caricatos, festa popular na Praça da Estação, tudo bem mixuruca.

 

TRINCHEIRA: Espero que o Urso Bravo que não é de se assustar com críticas e tamanho dos eventos e homem de cumprir o que promete, repita a Parada Gay, o desfile e o esplendor da festa, como se fosse o Carnaval de Belo Horizonte. Saravá, minha gente!!!!!

 

Trincheira: QUE SE repitam os figurinos luxuosos e as maquiagens exuberantes, grandes destaques deste ano.

 

SASSA VIRA ATRAÇÃO

 

O que é isso, minha gente! Bastou um jogo e um gol, marcado com categoria, para o jovem Sassa, 20 anos, começar a subir os degraus da glória e a escrever sua história na bela história do Cruzeiro.

E quem chegou antes dele, mas não soube aproveitar a chance do cavalo que passou arriado, vai esperar. Até gente famosa, como Sóbis, mais esperado que Sassa, pode perder a vaga. Até o argentino Ábila.

 

GALO E BAHIA NO HORTO

 

Com 20 pontos ganhos em 14 rodadas, o Galo tem a chance de dar bom pulo na classificação geral caso vença o EC Bahia nesta quarta-feira, no Estádio Independência, às nove e quarenta e cinco da noite. Motivado pela vitória sobre o Atlético-GO no domingo, em  Goiânia, no curralzinho do estádio Pedro Ludovico, o técnico Roger Machado acredita que o time espantará esta noite o fantasma dos maus resultados em casa, onde sempre entrou como vencedor.

 

ÁBILA DEIXA CRUZEIRO E VAI JOGAR NO BOCA

 

Cruzeiro liberou Ramón Ábila pro Boca. Jogador fez 26 gols em 61 partidas pela Raposa.Para abrir mão de Ábila, o Cruzeiro receberá por empréstimo o meia Alexis Messidoro, de 20 anos – terá os direitos econômicos fixados ao término do contrato de um ano (até julho de 2018) –, e ficará livre da dívida de US$ 1,5 milhão com o Huracán.

 

Apesar de ser xodó da torcida cruzeirense, Ábila não tinha tanto prestígio com o técnico Mano Menezes, que até elogiava seu potencial como referência dentro da área, porém chamava a atenção para a falta de mobilidade. Em diversas coletivas, o treinador ressaltou que o atleta só renderia o esperado se os meias fizessem a bola chegar aos seus pés. Nos últimos compromissos do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro, o argentino foi terceira opção, atrás do titular Rafael Sobis e do reserva imediato Sassá.

Ábila disputou 61 partidas pelo Cruzeiro e marcou 26 gols, sendo o sétimo maior artilheiro estrangeiro da história do clube. A pouca habilidade para participar de lances plásticos, como dribles e condução de bola, foi compensada com muito esforço e dedicação.

 

REFORÇO JOVEM

 

Contrapeso na saída de Ábila, Alexis Messidoro fez apenas cinco jogos pelo time principal do Boca Juniors, todos na temporada 2016, e balançou a rede uma vez. Considerado um atleta de potencial, o jovem foi emprestado ao Sport Boys Warnes, da Bolívia. Na Copa Libertadores, Messidoro marcou dois gols em seis jogos – um no empate por 3 a 3 com o Libertad, em casa, e outro na derrota por 5 a 2 para o Atlético, no Independência.

 

CRUZEIRO BUSCA NOVO ZAGUEIRO NA ARÁBIA

O Cruzeiro tá bem próximo de oficializar a contratação do zagueiro Digão, ex-Fluminense. O jogador de 29 anos conseguiu a liberação do Al Sharjah, dos Emirados Árabes Unidos, e viajou ao Brasil pra concretizar a transferência.

 

A tendência é que o atleta firme um vínculo mais longo com o clube celeste, a exemplo de Thiago Neves, que também atuava nos Emirados (Al Jazira) e assinou acordo de três anos. Ambos os atletas são agenciados pelo empresário Leandro Lima.

 

Digão embarcou para o Rio de Janeiro em voo da companhia aérea Emirates por volta da meia-noite. O destino posterior é Belo Horizonte, onde o jogador chegará nesta quarta-feira para realizar exames médicos.

 

A comissão técnica entendeu que era necessário contratar mais uma peça para o setor defensivo, já que Dedé e Manoel estão fora há algum tempo em virtude de lesões e o equatoriano Caicedo não atravessa boa fase.

 

O novo reforço pra zaga cruzeirense passou apenas uma temporada no Al Sharjah, onde  disputou 26 partidas – todas como titular – e marcou um gol. Antes disso, destacou-se a serviço do Al Hilal, da Arábia Saudita, onde foi companheiro de Thiago Neves. Os dois ainda fizeram parceria no Fluminense, e ganharam juntos o Campeonato Carioca e o Campeonato Brasileiro em 2012.

 

 

 


sexta-feira, 14 de julho de 2017

PACOTE, DESEMPREGADO, SÓ VOLTA A TRABALHAR ANO QUE VEM.

PACOTE, DESEMPREGADO, SÓ VOLTA A TRABALHAR ANO QUE VEM.
Como anda agitado o mercado dos treinadores, com dispensa de 17 profissionais, numa tremenda falta de respeito dos clubes, o treinador do Galo, Roger Machado, abriu os olhos, pois tem recebido pressão enorme no clube, por causa das derrotas como a de 05/07, na Bolívia, para o Jorge Wilstermann (1 a 0) pela Libertadores e a por esta outra, em casa, para o Santos (2 a 0), no Independência. Duas seguidas.
Caso perca de novo, neste sábado, para o Atlético-G\0, no Serra Dourado, Roger deve cair.
Por isso, em defesa da classe vou abrir espaço pra publicar a entrevista de Marcelo Oliveira ao Estado de Minas/Superesportes sobre seu trabalho por onde passou e o seu futuro como técnico.
TRINCHEIRA: Sei não, mas após acompanhar a nova derrota do Atlético, a terceira neste Brasileiro, no Horto, mais aumenta minha sensação de que Marcelo Oliveira voltará a atuar em Minas, dirigindo o Galo e corrigindo a besteira de sua dispensa. Roger estaria com os dias contados, porque a diretoria está decepcionada com seu trabalho.
Pacote tem dois títulos brasileiros, com o Cruzeiro e uma Copa do Brasil pelo Palmeiras. O técnico Marcelo Oliveira ( o meu amigo Pacote) entrou para a galeria dos técnicos mais vencedores do país recentemente.
Apesar disso, o mineiro de 62 anos está longe do futebol há sete meses, desde que foi dispensado pelo Atlético antes da finalíssima da Copa do Brasil, contra o Grêmio.
Nesse período, teve propostas de clubes, mas não aceitou. Ele não descarta investir no mercado alternativo (Oriente Médio, China ou Japão) ou mesmo voltar a trabalhar no país.
-"O técnico não se pode dar ao luxo de escolher mercados. Vou trabalhar em algo que me chame a atenção, desperte a chance de fazer algo produtivo", afirmou Marcelo.
Que revelou, ainda, ter tido problemas com Dagoberto na Raposa, há três anos, e o afastou do grupo. O treinador também disse não ter mágoas pela demissão no Galo, clube do qual foi ídolo nos anos 1970 e 1980.
Na entrevista ao Estado de Minas/Superesportes, o treinador fala sobre as ambições para a continuidade da carreira e conta sobre os bastidores do sucesso no Cruzeiro.
Como estão sendo estes sete meses acompanhando o futebol mais à distância?
-"Tudo o que você faz que pode agregar ao trabalho feito é importante. Fiz três reuniões com minha comissão técnica para discutir nossos últimos trabalhos, o que foi bom e deu muito certo e o que pode ser melhorado.
"-Essa comissão trabalha comigo há seis anos, quando conquistamos muita coisa. É sempre possível agregar e melhorar o trabalho. Vejo e analiso muitos jogos, gosto também de ler. A princípio, tive o interesse de sair do país pra fazer cursos"
E continuou Pacote: .- "Mas, ou eu fazia curso curto, que não aproveitasse tanto, seria mais pra dizer que eu fiz, ou longo, que confrontaria com meus interesses no momento. Precisava de tempo com minha família, pra ficar mais em casa e fazer coisas que não fazia.
Qual será o Marcelo Oliveira que vai voltar ao mercado? Renovado, com novas visões, ideias, ou o mesmo que teve o auge?
-"Não terá diferenças substanciais, até porque esses seis últimos anos foram bons. Conquistamos seis títulos, fomos a seis finais de Copa do Brasil, sempre trabalhando na ponta com clubes diferentes, Coritiba, Cruzeiro, Palmeiras e finalmente o Atlético. Por tudo o que aconteceu, essa última passagem no Atlético criou a expectativa imensa em todos pra conquistar o título nacional, mas infelizmente não conseguimos por várias dificuldades."
 Marcelo foi bicampeão com o Cruzeiro

-"Conseguimos o quarto lugar, que valia vaga na Libertadores, colocação que o Atlético não tem hoje. E também a decisão da Copa do Brasil. Claro que uma ou outra coisa a gente muda. A postura dos times que treinei sempre foi ofensiva, com times técnicos".
"- Conseguimos isso bem no Coritiba, Cruzeiro e em algum momento no Palmeiras. O time jogava pra a frente, dos melhores ataques do país. Em relação à postura profissional, seguirei honesto, correto, leal, intenso e tratando os jogadores com respeito e criando bons ambientes, porque isso é fator básico pra chegar às conquistas".
Atlético apresenta projeto de seu estádio pra 45 mil pessoas em agosto
O presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, fará a apresentação do projeto do estádio do Atlético ao Conselho Deliberativo no dia 7 de agosto.O próprio Nepomuceno quer apresentá-lo. Farei a convocação nos próximos dias, diz o presidente do conselho, Rodolfo Gropen.
Maquete do CAM Estádio para 45 mil pessoas
Neste primeiro momento, não haverá debate, apenas uma apresentação. Os conselheiros terão acesso ao plano de construção, com todos os detalhes arquitetônicos, e ao estudo financeiro para custear a obra.
Depois dessa etapa, segundo Gropen, ainda não há uma programação definida para a sequência de debates e votações acerca do estádio. A diretoria tem como objetivo começar as obras em 2018.
0 estádio terá preço final fechado, sem gastos extras que possam prejudicar a vida financeira do clube. Um fundo será criado especificamente para cuidar dos recursos da construção. Dessa forma, nem mesmo o presidente poderá transferir verbas para o futebol, por exemplo.
Com grandes parceiros, o Atlético conseguirá erguer sua casa sem investir recursos próprios. O custo total está orçado em R$ 450 milhões e será bancado, principalmente, pela MRV Engenharia, pelo Banco BMG e pela venda de cinco mil cadeiras cativas. Cada uma custará R$ 25 mil, com parcelamento em quatro anos. A receita com essa comercialização chegará a R$ 125 milhões.
A construtora dirigida pelo atleticano Rubens Menin comprou o terreno onde será construído o estádio, no Bairro Califórnia, na região Noroeste de Belo Horizonte, por R$ 60 milhões e vai adquirir os naming rights por R$ 40 milhões.
A casa do Galo, a ser construída em 28 meses, entre 2018 e 2020, nascerá com o nome MRV Arena. A empresa ainda usará o seu know-how na execução da obra e em negociações com fornecedores. Por conta disso, o custo por assento será o menor entre todos os estádios recém-construídos no país: R$ 10 mil.
O Banco BMG, do ex-presidente Ricardo Guimarães, será outro grande aliado no empreendimento. O clube trabalha mais parcerias para chegar ao valor total da obra.
NÚMEROS DA ARENA
Capacidade: 47 mil lugares
Estacionamento: 2.700 vagas
Distância do 1º assento ao gramado: 6 metros
Camarotes: 36
Áreas Vip: três categorias
Cadeiras cativas: 5 mil
Custo total: R$ 450 milhões
Parceiros fechados:
MRV Engenharia (R$ 100 milhões – terreno + naming rights)
Banco BMG
Torcida: cadeiras cativas (cerca de R$ 125 milhões)
TORCIDA APOIA TIME EMBALADO
Embalado pelas vitórias sobre Palmeiras (3 a 1) e Atlético-PR (2 a 0), o Cruzeiro espera bom público na partida contra Flamengo, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, domingo, às 16h, no Mineirão.
O clube celeste informou, nas redes sociais, que 20.084 ingressos já foram comprados para o confronto. A comercialização de entradas foi aberta na última segunda-feira para sócios e começa nesta sexta-feira nas bilheterias. Os tickets serão vendidos nas bilheterias do Ginásio do Barro Preto e do Gigante da Pampulha.
CLÁSSICO BRASILEIRO
Cruzeiro e Flamengo sempre fizeram clássicos importantes e empolgantes. Este agora de domingo, 16h no Mineirão, resulta na possibilidade de os celestes conseguiram a terceira vitória seguida no Brasileiro, marca importante, e o clube carioca, caso vença, voltar para o G-4. Lotação total é a previsão.
DIEGO ALVES TREINA EM RIBEIRÃO PRETO E ESPERA ACERTO DO FLAMENGO COM VALÊNCIA.
Diego Alves já deixou o Valência e treina no interior de São Paulo à espera do acerto entre Flamengo e o time espanhol.
A negociação entre Flamengo e o goleiro Diego Alves, do Valencia, empolgou o torcedor rubro-negro. Mas com o time na metade da temporada e quatro competições simultâneas no segundo semestre, fica a pergunta: como o goleiro está fisicamente? O último jogo oficial dele foi no dia 13 de junho, na vitória do Brasil por 4 a 0 sobre a Austrália, em Melbourne.
Leandro Franco, preparador de goleiros e treinador particular do jogador da Seleção, garante que Diego está em boa forma. Ele o acompanha há muito tempo e o treina diariamente em Ribeirão Preto, onde o jogador passa férias até definir o futuro.
O Flamengo, com negociações avançadas com Diego Alves, espera a definição do Valencia. Os empresários do jogador tentam a liberação dele na Espanha para que possam acertar com o Rubro-Negro

TROCA ENTRE BAYERN E REAL MADRI
O meia colombiano James Rodrigues que despontou na seleção de seu País, na Copa do Mundo do Brasil e em seguida foi negociado com o Real Madrid. Não é que agora, o Madrid perdeu interesse em ficar com o craque e James, reserva no time madrileno, interessou-se pela proposta do Bayern de Munique. Pediu pra ser trocado com o brasileiro Douglas Costa e os clubes chegaram num acordo por dois anos.

Comentários
Flavio Geraldo Anselmo
Escreva um comentário...



terça-feira, 11 de julho de 2017

O goleador Ábila ainda chuta o balde e exige mais chance de titular ao Mano


Há uns 10 dias o goleador Ramón Ábila que tem andado na prateleira da cozinha do Cruzeiro, encostado pelo técnico Mano Mendes, arrogante e da linha de Vanderlei Luxemburgo, o atacante teve reunião com a diretoria do Cruzeiro, a fim de expor suas mágoas e pedir mais oportunidades na equipe,  e suas reclamações repercutem até hoje na Toca da Raposa II. Mano preferiu não tratar a situação como uma reclamação do argentino.

"Sempre temos todos os assuntos conversados internamente. Ábila não reclamou. Ábila deu sua opinião, que ele tem todo o direito de dar", ressaltou Mano Menezes.
"O Ramón Ábila conversou com a diretoria, mas não consideramos isso como algo absurdo, muito pelo contrário. Ele manifestou a insatisfação por não estar jogando, o que é bom. Pior se fosse diferente disso. Mas a condição de jogar compete ao treinador.", ressaltou Klaus
Apesar do encontro com a diretoria, a tendência é que Ramón Ábila siga no banco de reservas. Isso porque no treinamento coletivo pro jogo contra o Palmeiras o argentino treinou entre os suplentes. Mesmo tendo marcado três gols no treinamento, o argentino não foi testado em momento nenhum entre os titulares. Rafael Sobis iniciou a atividade no comando de ataque e, depois, Mano optou por colocar Sassá na função.
Artilheiro do Cruzeiro na temporada, com 13 gols, Ramón Ábila ainda não teve uma sequência de quatro jogos entre os titulares em 2017. A maior série de partidas em que foi escalado entre os 11 aconteceu no mês de maio, quando atuou contra Nacional-PAR (eliminação na Copa do Sul-Americana, em 10/05); São Paulo (1ª rodada do Brasileirão, 1 a 0, em 14/05) e Sport (2ª rodada do Brasileirão, 1 a 1, em 21/05). O argentino tem 32 jogos neste ano, 14 como titular.
Contra o Atlético Furacão esta noite em Curitiba, o Cruzeiro terá aquele punhado de desfalques de sempre por lesões e agora somou mais um: o clube comunicou que o volante Hudson - outro canelinha de vidro -  sofreu lesão muscular no adutor da coxa direita e para em tratamento por quatro a seis semanas. O atleta se machucou na partida contra o Palmeiras, vencida pelo clube celeste ( 3 a 1), domingo, no Mineirão, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Hudson marcou o segundo gol cruzeirense nesse confronto.

No departamento médico, Hudson se junta a outros sete jogadores: Robinho (lesão grau 2 no músculo adutor da coxa esquerda), Rafinha (lesão grau 2 na parte posterior da coxa direita), Manoel (fratura no quinto metatarso do pé esquerdo), Arrascaeta (torção no joelho direito), Raniel (lesão no joelho direito), Dedé (edema ósseo no joelho esquerdo) e Judivan (lesão grave no ligamento cruzado posterior do joelho esquerdo). Dessa lista, Manoel, Raniel e Arrascaeta estão em fase de transição da fisioterapia para a preparação física.

Na foto de Alexandre Guzanche, o voltante Hudson reza pare passar a fase de contusões.



Sem Hudson, Mano Menezes escala Lucas Silva na partida contra o Atlético-PR,  na Arena da Baixada, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Como também perdeu Ariel Cabral, mas por suspensão, o treinador poderá utilizar Ezequiel, que, apesar de estar tratamento de problema crônico no púbis, treinou normalmente nesta terça e tende a ser relacionado. Assim, o argentino Lucas Romero, um dos curingas da equipe, deixaria a lateral direita e retornaria ao meio-campo.
A equipe celeste realizou na manhã desta terça a última atividade antes da viagem a Curitiba. Os trabalhos foram abertos para a imprensa. O provável time que encarará o Atlético-PR terá Fábio; Ezequiel, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Romero, Lucas Silva e Thiago Neves; Alisson e Rafael Sobis. Sétimo colocado no Brasileiro, com 17 pontos, o Cruzeiro quer retornar ao G6 – zona de qualificação para a Copa Libertadores. A sexta colocação é ocupada pelo Sport, com 18 pontos.

O Furacão EM CRISE
O cartola Petraglia criou nova crise no Furacão. Dispensou o técnico Batista e o diretor remunerado Paulo Autuori, além do meia Carlos Alberto. Bonitão e fanfarrão só ele, Petraglia, continua intocável.
Casares e Otero estarão firmes esta boite no Horto

domingo, 9 de julho de 2017

TRATOR REAPARECE COM FORÇA TOTAL E A LÍNGUA DESTRAVADA, PREVENDO QUE "TEMER VAI CAIR"




Este é o meu amigo Newton Cardoso, que conheci quando, ainda fazia sua primeira administração como prefeito de Contagem, e foi o único Governador com quem não briguei, pois atendeu meus pedidos, como prefeito, para as asfaltar as ruas em torno da sede campestre da AMCE - Associação Mineira de Cronistas Esportivos, que eu presidia, e depois como Governador atendeu minhas solicitações para asfaltar a estrada de Rio Casca até Caratinga, passando por Raul Soares, São Pedro dos Ferros e Bom Jesus do Galho.
Sempre me prestigiou, também, comparecendo aos eventos que o meu programa na Band-MG promovia e até foi almoçar comigo e amigos na sede campestre, a fim de receber o pedido de asfaltamento das ruas em volta da sede campestre, em Contagem.

Newtão estava sumido. A última vez que estive com ele foi num ajantarado em sua fazenda em Pitangui, num leilão de gado de raça. Também chegou lá Aguinaldo Timóteo, na época deputado federal pelo Rio de Janeiro, e homenageou ao Governador e  este seu conterrâneo com show especial sob a lona do leilão. Aliás, não foi viagem feliz para o maior cantor do Brasil: na hora de ir embora, seu violonista que o acompanhava há vários anos, foi colhido pela hélice traseira do helicóptero, no qual viajavam Aguinaldo, o governador carioca Moreira Franco e outras autoridades do Estado do Rio. O rapaz teve o tampo da cabeça arrancado e morreu na hora, sem tempo de atendimento.  

Newtão fez inveja no então presidente do Atlético, Alexandre Kalil, a quem chamo de Urso Bravo, pois some uns tempos, ou seja, enfia numa caverna pra hibernar e reaparece bravo e esfomeado. Ele me chama de Cão Zangado. Por que, hein?
 Newton Cardoso reapareceu agora com a língua solta: ele afirmou durante reunião da executiva estadual do PMDB que o presidente Michel Temer "é inimigo de Minas Gerais e vai cair, porque não nos respeitou; eu sou amigo(sic) de Temer há muitos anos,mas ele não vai suportar porque não tem apoio político para permanecer no governo. Ele está vivendo os últimos dias de Pompeia",

Newtão não perdoou, também, o ex-governador e senador Aécio Neves e o PT. -"Quem manda no PSDB é o canalha, ladrão e corrupto Aécio Neves que vai ser preso. O PT acabou não por causa do Pimentel, mas por causa da situação nacional.

TRINCHEIRA: Por mim, que já votei várias vezes em Newtão apesar das acusações que lhe fazem e das mentiras que espalham sobre ele, como político, torço por sua saúde por sua volta à política. Foi um trator realmente que asfaltou estradas e abriu outras ligando o território mineiro e quase todas as cidades à Capital com rodovias dignas.

PERRELA SERÁ DISPENSADO

Por outro lado, o senador Zezé Perrela está perto de sumir da fita política, sem deixar saudade. Segundo falam nos meios, Perrela será gentilmente convidado a deixar o PMDB. Filiou-se ao partido, após passagem pelo PSDB, em janeiro deste ano e por convite. Como tem mandato de senador teria que entrar no partido com apoio do colegiado. Entrou debaixo do pano, como sempre.
CONFUSÃO EM   ITAÚNA

Militar cruzeirense agride advogado que falava 


com amiga de nome Maria
Vítima denuncia que estava conversando com amiga de nome Maria, quando o policial achou que na verdade o advogado insultava chamando-o de Maria - xingamento comum de cruzeirenses no futebol e por causa dos xingamentos de futebol esses dois personagens se tornaram protagonistas de agressão numa casa de show e Itaúna, na região Centro-Oeste do Estado.
Um advogado de 24 anos que conversava com a amiga Maria, levou vários socos e cotoveladas no rosto, já que policial militar vestido com a camisa do Cruzeiro, confundiu a situação com xingamento para ele - já que é comum torcedores de times rivais chamarem os cruzeirenses, de forma pejorativa e misógina, de "Maria". 
GALO DEIXA DOIS PONTOS NO RIO E ESTACIONA FORA DO G-6.
FOI o jogo das voltas: no Galo, o lateral Marcos Rocha, depois de 40 dias no estaleiro, lesionado, voltou ao time e aguentou o puxado até o fim; na meta do Botafogo voltou Jefferson, após 14 meses se recuperando de grave lesão e parou o ataque atleticano, pegando até pênalti cobrado por Rafael Moura; A torcida carioca no estádio Nilton Santos gritou o nome de seu ídolo goleiro e creditou a ele o empate de 1 a 1. Foi partida movimentada e definida nos acréscimos de 05m. O treinador botafoguense fez
sua última mexida aos 45m do segundo tempo entrando com o ex-cruzeirense Marcos Vinicius. Dois minutos depois, ele tentou jogada individual e foi derrubado pela zaga. Pênalti. o artilheiro Roger bateu e Victor pegou, mas deu rebote que o mesmo Roger empurrou para as redes e empatou em l a 1 o confronto. O Galo com isso perdeu dois pontos

Estava tudo desenhado para o Atlético ter uma vitória no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, pelo Campeonato Brasileiro. O time saiu na frente do Botafogo e não permitiu que os cariocas chegassem com perigo durante a maior parte da partida. O Galo ainda desperdiçou um pênalti, cobrado por Rafael Moura e defendido por Jefferson, além de pelo menos três oportunidades claras no segundo tempo. Pagou caro por não "matar" o jogo.

Já nos acréscimos, o Botafogo teve pênalti a favor. Roger bateu, Victor defendeu, mas o atacante do Botafogo mandou, no rebote, para as redes, fechando o placar em 1 a 1.
Com o empate, o Atlético deixou de entrar no G-6. O clube permanece em oitavo lugar, agora com 17 pontos, podendo perder posição no fechamento da rodada, nesta segunda-feira, quando Coritiba e Sport se encaram no Paraná.
Reencontro marcado
Atlético e Botafogo voltam a se enfrentar ainda neste mês. Os clubes são rivais na Copa do Brasil. No dia 26, no Rio de Janeiro, fazem o jogo de volta pelas quartas de final. O primeiro duelo teve vitória mineira por 1 a 0. Pelo Brasileirão, o Galo volta a campo na próxima quarta-feira, quando recebe o Santos no Independência. No mesmo dia, o Botafogo faz o clássico com o Fluminense, no Maracanã.
Mano ressalta equilíbrio do Cruzeiro em vitória na vitória
A vitória do Cruzeiro sobre o Palmeiras (3 a 1), neste domingo, no Mineirão, tirou  grande peso das costas do técnico Mano Menezes, que estava pressionado no cargo. Aliviado com o triunfo do time celeste, o treinador aprovou a postura da equipe em campo e disse que o resultado resgata a confiança dos jogadores para a sequência da temporada.

Com o resultado, o Cruzeiro chegou aos 17 pontos e se aproximou da parte de cima da tabela. Para Mano, o time celeste pode evoluir se deixar de oscilar como fez em jogos contra Corinthians, Grêmio e Atlético, por exemplo, quando jogou bem em um tempo e foi mal em outro. Na vitória sobre o Palmeiras, a equipe se comportou de forma mais estável e soube administrar o resultado. O Cruzeiro abriu 2 a 0 no primeiro tempo, mas o Verdão diminuiu no início da etapa final. No fim do jogo, Elber marcou o terceiro para a Raposa.

O técnico Mano Menezes chamou para si a responsabilidade após a derrota do Cruzeiro para o Atlético (3 a 1), no último domingo. O treinador, até com certa arrogância, falou que o time não levaria três gols contra o Palmeiras. A promessa foi cumprida. A Raposa ganhou do clube paulista (3 a 1) e aliviou a pressão que ronda a Toca da Raposa.

Para Mano, era necessário se posicionar diante de tantos gols sofridos. Além do clássico, a zaga celeste tomou três gols contra Palmeiras, na Copa do Brasil, e Grêmio, no Brasileiro. "A promessa dos gols era necessária, não poderia passar mais um jogo daquele e não falar nada, e os três gols que conseguimos deixa claro que a nossa equipe tem capacidade ofensiva com qualquer formação. Todos os jogadores podem dar sua parcela para jogadas ofensivas, e o Cruzeiro equilibrado sempre será forte", disse Mano. 

No primeiro tempo, o Cruzeiro abriu 2 a 0 com gols de Hudson e Thiago Neves.

TRINCHEIRA: O imbecil do Mano Meneses criticou a imprensa antes do jogo ou seja pisou no rabo para falar dos outros. Fez as besteiras de sempre e quase levou novo empate após colocar 2 a 0 e se toma o empate tinha que sumir daqui, porque o pau ia comer sereno nas suas costas.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

RAPOSA MOSTRA CONTRA GALO QUE SUA CANTIGA NÃO MUDA: COMEÇA BEM E TERMINA DERROTADA E ENVERGONHADA.

A tão sonhada regularidade no decorrer dos jogos ainda parece distante do Cruzeiro. O time de Mano Menezes perdeu neste domingo o clássico 500 para o rival Atlético, no Independência, por 3 a 1,  e estacionou na parte de baixo da tabela do Campeonato Brasileiro. É o 13º colocado em 11 rodadas, com 14 pontos, 15 a menos que o líder Corinthians.


De novo, a oscilação ao longo dos 90 minutos e falhas do setor defensivo contribuíram para esse desequilíbrio. Foi a terceira vez, em cinco jogos, que o Cruzeiro sofreu três gols. Foi assim nos empates por 3 a 3 com Grêmio, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro, e com o Palmeiras, em São Paulo, pela Copa do Brasil – nesse último, o time chegou a estar vencendo por 3 a 0.

 

No clássico, o Cruzeiro teve início avassalador e abriu o placar logo aos cinco minutos, com Thiago Neves, depois de assistência de Alisson. O time se manteve superior ao Atlético e teve outras oportunidades reais de ampliar no Independência. Mas, a partir dos 25 minutos, o jogo mudou de figura. O Atlético começou a sufocar e conseguiu a virada com gols de Cazares, de falta, aos 47, e Fred, aos 49, após falhas de Leo e Caicedo.

 

Na etapa final, como era esperado, o Atlético recuou suas linhas e criou dificuldades para a criação do Cruzeiro, o que já havia ocorrido na decisão do Campeonato Brasileiro. O rival ainda ampliou para 3 a 1 em lance que mostrou novamente a insegurança da defesa. Cazares atacou pelo lado direito, passou facilmente por Leo e cruzou para Fred, que se posicionou de modo que não fosse atrapalhado por Caicedo e Ezequiel, e cabeceou no contrapé do goleiro Fábio. 

O técnico Mano Menezes admitiu, depois do revés no clássico, que o Cruzeiro precisa ser coletivamente mais firme quando for atacado. "Isso tem a ver com questões do jogo. Um adversário grande, como o Atlético, vai viver seus momentos de dificuldade, como viveu nos primeiros 25 minutos (do clássico). Mas isso não é a tônica em um jogo grande. Você tem seus momentos, mas eles também têm os deles. Na hora que eles têm os deles, você tem que ser mais firme do que fomos hoje. É atrás disso que vamos".

 

Nas últimas cinco apresentações, o time sofreu dez gols e chegou à alta média de dois negativos. 

 

Mano Menezes assumiu que algo está errado, mas não atribuiu o excesso de gols sofridos em tão pouco tempo exclusivamente aos zagueiros.

 

"Você sabe que a característica das minhas equipes, algo que se pode dizer sobre elas, que é marcante, é que elas sofrem poucos gols. Temos um fato diferente do que é e que está fugindo à lógica das coisas, e nós temos que achar o porque de isso está acontecendo. Não se deve só aos dois centrais, seria uma injustiça para com os dois centrais e dizer que a culpa é dos dois zagueiros. Sei que o gol passa ali no último momento, mas a gente perdeu um pouco o padrão de se defender".


De acordo com o comandante, algumas decisões tomadas em campo não estão de acordo com o que é treinado. Como o próximo desafio pelo Brasileiro será no domingo, às 16h, no Mineirão, contra o Palmeiras, ele prometeu que encontrará as soluções na semana de trabalho. "Como ela (defesa) quer fazer quando o adversário propõe uma situação diferente, uma entrada de um meia no meio dos seus laterais e centrais, como faz a cobertura com os seus volantes, e a gente começou a fazer ora de um jeito, ora de outro jeito. E nós vamos ter que retomar isso, teremos uma semana cheia agora, e certamente isso não vai acontecer mais".

 

GALO PREGUIÇOSO JOGA MAL E PERDE PARA BOLIVIANOS NA LIBERTADORES.

 

0 Atlético foi derrotado pelo medíocre Jorge Wilstermann da Bolívia, cidade de Cochabamba, a 2.500 metros de altitude, o que torna os times deste País muito perigosos pra se enfrentar lá, naquela caixa de fósforo que chamam de Estádio Felix Caprille.

 

O jogo foi o de ida na fase de grupos da Taça Libertadores e o resultado de 1 a 0 não foi dos piores, pois ao Galo basta uma vitória por dois gols de diferença e ele se classifica. Porém, os bolivianos têm o empate ao seu favor, com qualquer placar.Esta partida será disputada no início de agosto, será uma das 10 que o Atlético cumulou pra tal período.

 

O atacante Álvares fez o único gol do jogo, no período em que os mineiros estavam melhores porém não criaram nada. Paravam na zaga que tinha como destaque o brasileiro Alex Silva, ex-jogador do Cruzeiro, que rodou uma porção de clubes tupiniquins até resolver se transferir pras alturas da Bolívia, adequadas pra ele que tem 1,98 cm de altura.

 

A meninada do Galo, lançada por Roger Machado, foi o único departamento que funcionou bem, na defesa e no meio-campo. Os velhinhos não jogaram nada, exceto Victor. Fábio Santos, Rafael Carioca, Elias, depois Otero, Casares, Robinho, Fred  passearam e dormiram em campo. Valdívia que entrou no lugar de Robinho segue devendo e Rafael Moura pelo menos lutou 15m até cabeceou uma boa na trave.

 

TRINCHEIRA: os jogadores atleticanos reclamaram do gramado inexistente do acanhado estadinho e segundo o "capitão" Victor " não podemos botar a culpa pela derrota apenas no gramado ruim , e nos esquecemos da altitude que não é tão alta, todavia acabou nos prejudicando."

 

trincheira: Verdade, Victor, o time do Galo esteve mesmo uma piada de mau gosto, mole, assustado e longe daquele futebol mostrado dias antes contra o Cruzeiro, no Horto.

 

CRUZEIRO VIVE NO PORTÃO DA CRISE

 

A tão sonhada regularidade no decorrer dos jogos ainda parece distante do Cruzeiro. O time de Mano Menezes perdeu neste domingo o clássico 500 para o rival Atlético, no Independência, por 3 a 1,  e estacionou na parte de baixo da tabela do Campeonato Brasileiro. É o 13º colocado em 11 rodadas, com 14 pontos, 15 a menos que o líder Corinthians.

De novo, a oscilação ao longo dos 90 minutos e falhas do setor defensivo contribuíram para esse desequilíbrio. Foi a terceira vez, em cinco jogos, que o Cruzeiro sofreu três gols. Foi assim nos empates por 3 a 3 com Grêmio, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro, e com o Palmeiras, em São Paulo, pela Copa do Brasil – nesse último, o time chegou a estar vencendo por 3 a 0.

 

No clássico, o Cruzeiro teve início avassalador e abriu o placar logo aos cinco minutos, com Thiago Neves, depois de assistência de Alisson. O time se manteve superior ao Atlético e teve outras oportunidades reais de ampliar no Independência.

 

Mas, a partir dos 25 minutos, o jogo mudou de figura. O Atlético começou a sufocar e conseguiu a virada com gols de Cazares, de falta, aos 47, e Fred, aos 49, após falhas de Leo e Caicedo.

 

Na etapa final, como era esperado, o Atlético recuou suas linhas e criou dificuldades para a criação do Cruzeiro, o que já havia ocorrido na decisão do Campeonato Brasileiro. O rival ainda ampliou para 3 a 1 em lance que mostrou novamente a insegurança da defesa.

 

Cazares atacou pelo lado direito, passou facilmente por Leo e cruzou para Fred, que se posicionou de modo que não fosse atrapalhado por Caicedo e Ezequiel, e cabeceou no contrapé do goleiro Fábio. 

O técnico Mano Menezes admitiu, depois do revés no clássico, que o Cruzeiro precisa ser coletivamente mais firme quando for atacado.

 

"Isso tem a ver com questões do jogo. Um adversário grande, como o Atlético, vai viver seus momentos de dificuldade, como viveu nos primeiros 25 minutos (do clássico). Mas isso não é a tônica em um jogo grande. Você tem seus momentos, mas eles também têm os deles. Na hora que eles têm os deles, você tem que ser mais firme do que fomos hoje. É atrás disso que vamos".

 

Nas últimas cinco apresentações, o time sofreu dez gols e chegou à alta média de dois negativos. 

 

Mano Menezes assumiu que algo está errado, mas não atribuiu o excesso de gols sofridos em tão pouco tempo exclusivamente aos zagueiros:.

 

 "Vocês sabem que a característica das minhas equipes, algo que se pode dizer sobre elas, que é marcante, é que elas sofrem poucos gols. Temos um fato diferente do que é e que está fugindo à lógica das coisas, e nós temos que achar o porque de isso está acontecendo".

 

=" Não se deve só aos dois centrais, seria uma injustiça para com os dois centrais e dizer que a culpa é dos dois zagueiros. Sei que o gol passa ali no último momento, mas a gente perdeu um pouco o padrão de se defender".


De acordo com o comandante, algumas decisões tomadas em campo não estão de acordo com o que é treinado. Como o próximo desafio pelo Brasileiro será no domingo, às 16h, no Mineirão, contra o Palmeiras, ele prometeu que encontrará as soluções na semana de trabalho.

 

"Como ela (defesa) quer fazer quando o adversário propõe uma situação diferente, uma entrada de um meia no meio dos seus laterais e centrais, como faz a cobertura com os seus volantes, e a gente começou a fazer ora de um jeito, ora de outro jeito. E nós vamos ter que retomar isso, teremos uma semana cheia agora, e certamente isso não vai acontecer mais".

 

EDERSON MOREIRA DIZ NÃO À CHAPECOENSE E AMERICA RESPIRA EM PAZ

 

0 América recebe o Boa Esporte pela Série B do Brasileiro, no Independência, na próxima terça-feira abrindo uma maratona de quatro jogos, em apenas 11 dias. E o momento que atravessa encheu o time de moral e depois do Boa o Coelho joga contra o Guarani de Campinas, o ABC de Natal e o Figueirense, até o dia 21. Se vencer, o América consolida sua posição junto aos quatro times que formam o G-4 da Série B.

 

Após faltar com o respeito profissional com um ex-atleta que foi durante antes exemplo para o seu elenco e adorado por sua torcida, o São Paulo o dispensou seis meses depois de contratá-lo como treinador. Rogério Ceni foi embora e está desempregado na praça. Sua vaga já foi preenchida porque o São Paulo buscou Dorival Junior que há pouco tempo foi mandado embora, também, do Santos, substituído por Levir Culpi.