quinta-feira, 20 de agosto de 2009

ACREDITO NO PRESIDENTE KALIL

Mas até certo ponto. Quando ele diz que teve várias propostas milionárias da Europa pra negociar Diego Tardelli, acredito. Porém, ao reafirmar que não venderá o craque até o fim do ano, prefiro esperar a janela de transferência da Fifa se fechar no cabo de agosto. Acredito que Kalil faça qualquer loucura pelo Galo, menos queimar dinheiro.

O filho de Elias deve se lembrar que o pai não vendeu Reinaldo Lima para o Paris Saint Germain por U$ l milhão (dinheiro pacas na época) e ficou sem ele e o dinheiro pouco tempo depois.

Jogar pra torcida no momento também motiva. A Massa tem correspondido a campanha da equipe e morre de amores por Diego Tardelli, o ídolo que lhe faltava nos últimos anos.

Não há porque não acreditar que Kalil esteja alucinado, como tem afirmado, pra que essa janela se encerre logo; e que o título vale qualquer sacrifício. Sem dúvida. Mas 9 milhões de euros, Urso Bravo?

Este silêncio de Kalil, que tem falado apenas por meio dessa nova mania (Twitter-um blog curto e grosso) e negativa em vender Tardelli por 9 milhões de euros, deixa a impressão que o presidente queimou de vez os neurônios.

Imagino que nem o fato de o Galo ter saído da zona da Libertadores incentiva Kalil a passar Tardelli nos cobres europeus. Diz claro: “tenho confiança e ambição de chegar ao título”. Talvez, de consolo, à Libertadores. Arre égua!

PITACO: “Tenho compromisso com a torcida de segurar Diego Tardelli e vou cumprir” de Alexandre Kalil. E a Massa canta: “ei, ei, ei, Kalil é nosso rei...”

Jonathan Píriz, 22 anos, 1,85m, 70kg, reserva do Peñarol, tem tudo pra “reforçar” o Atlético no returno e na Sul Americana. Alguém conhece?

Critério, ou falta de, é o que se imagina nessa história de Guerrón. Alguém anunciou que se o nome do equatoriano saísse no BID da CBF ele enfrentaria o Flamengo. Foi publicado e Guerrón caiu na relação de Adilson Batista.

O técnico alegou que o Dinamite, pra ter o estopim aceso, precisa de entrar em forma. Ficou 10 dias em Quito tratando da transferência. Mas o Gil, beque que veio de Goiânia, não chegou num dia e jogou no outro?

No Mercado Central a gente se informa de tudo: na política, na vida social e no futebol. O passarinho que me contava as coisas alvinegras na época de Ziza Valadares, agora revela as fofocas cruzeirenses.

Essa ouvi lá, enquanto comprava minhas castanhas do Pará: falta pouco e pouco mesmo pra Juan Pablo Sorin retornar à Toca. O argentino deu dois passos à frente e Adilson, também. Perrela aprova tudo. Só falta agora convencer a dona Sol, bela esposa do craque.

Sol brilha em Beagá que nem as manhãs ensolaradas da cidade do doutor Lacerda. Ela ficou magoada com o tratamento dado ao marido. Partiu dela a ideia de Sorin encerrar a carreira. Um amigo comum tem tentado aparar todas as arestas.

O turno começou eletrizante. Sem contar os jogos da quinta-feira à noite, quando o Galo enfrentou o Avaí, a rodada agitou: o Corinthians chegou mais pra perto do G-4, e derrubou o Inter, 33 pontos, no Gigante da Beira Rio.

O Coritiba colaborou ao vencer o Palmeiras. O São Paulo de Ricardo Gomes completou nove jogos sem derrota ao bater no pobre do Fluminense. Foi outro que encostou.

O Barueri sobe, e põe o Sport pra descer; o Santo André complica a vida do Botafogo lá no Engenhão. Leão e Fogão estão atolados. E como não era noite de gaúchos, o Peixe botou o Grêmio pra descer mais ainda.

Interessante é o bolo no início do returno. Sem contar as três partidas de ontem à noite, a gangorra mostra pequenas diferenças entre Palmeiras, (37) São Paulo (36), Goiás (35), Inter (33), Galo (32) Corinthians (31) Barueri (31), Avaí ( 30) e Grêmio (28). Será que os pequenos vão aguentar o pique do returno? Duvido.

ACESSE MEU BLOG E MANDE SEUS PITACOS. www.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com

2 comentários:

  1. caro flavio anselmo, te acompanho ha muito tempo ( mais de 20 anos), gosto muito de seus coerentes comentarios e gostaria de saber como e onde posso adquirir seu novo livro para minha coleção.
    desde ja agradeço,
    um abraço flavio de oliveira

    ResponderExcluir
  2. Caro Flávio, quando Marcelo Ramos foi demitido do Atlético este ano, tive e mantenho uma sensação que está se confirmando: Alexandre Kalil cometeu uma injustiça. Aliás, isso é típico do CAM. Para citar alguns que foram igualmente injustiçados, cito Humberto Ramos e Procópio. Os três profissionais, Humberto Ramos, Procópio e Marcelo Oliveira, assumiram o comando do Atlético em situações em que esse estava 'capenga', no fundo do poço e o resgataram, devolveram ao clube o brio e o ânimo. Porém, pelo que acompanho ao longo de minha vida, é o que se diz, 'aqui se faz, aqui se paga'. A atual derrocada do Atlético no Brasileirão, para mim, não é nada menos que a confirmação da sensação que tive e mantenho, o CAM (leia-se comandantes do mesmo) e por conseguinte sua torcida -que nada tem a ver com o fato, estão pagando pela injustiça cometida aos profissionais. Além disso, sabemos que todos procuramos um 'cristo'. Edson, o cristo da vez, não é o único culpado pela má fase do time. Tenho forte convicção que o Atlético sequer ficará na zona da Sul Americana e não será surpresa alguma, para mim, se for rebaixado. Grande abraço, ilustre jornalista. Felicidades e que o Senhor lhe abençoe.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.