quarta-feira, 30 de setembro de 2009

BLATTER TEM OJERIZA DA PARADINHA

O suíço Joseph Blatter, presidente da Fifa, mostrou a cara do óbvio ao defender o fim da paradinha nas cobranças de pênaltis: os europeus, cinturas duras, não conseguirão nunca imitar os brasileiros e saber tirar proveito, também, desta malandragem. Garante por experiência própria, afinal Blatter se confessa ex-atacante de razoáveis qualidades.

Não creio: se ainda fosse o Michel Platini, presidente da Uefa, ou Franz Beckenbauer, cartola no Bayern de Munique, tudo bem. Mas o suíço Blatter? O futebol do seu país não tem DNA.

Concordo em parte, porém, com Blatter: tem havido exagero! Alguns cobradores dão 30 paradinhas antes de chegar à bola. Aquela insinuada rápida e o toque no outro canto, longe do alcance do arqueiro, é bonita. Não pode acabar. Os falsos malandros, entretanto, precisam ser punidos.

Dia 20 de outubro, a pedido do presidente da Fifa, os velhinhos da International Board se reunirão na Suíça pra decretar o fim da paradinha. Lamentável. Daqui uns tempos, outro Blatter virá ao terreiro tupiniquim e dirá que não gosta da ginga dos nossos craques. Pronto, fim do futebol/arte.

Pedalada, drible da vaca, lençol, chapéu, elástico, caneta, drible da foca serão tidos como imorais, passíveis de punição com cartão amarelo, quiças vermelho. E querem que eu volte aos estádios...

Você é a favor ou contra a paradinha: dê seu pitaco no meu blog. Acesse
www.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com Nossa enquete atual é sobre o silêncio de Kleber. Você acha certo ele ficar calado? Seu voto é importante.

Do jeito que Joseph Blatter afirmou no Rio de Janeiro, o Morumbi só terá jogos chulés no Mundial/2014. A não ser que até o início de 2011, antes de a Fifa anunciar oficialmente as sedes da abertura e do encerramento, o Morumbi torne-se estádio de verdade, nos padrões europeus. A abertura fica mais perto de Beagá, apesar de a concorrência de Brasília.

Não acreditem que Fred volte à Toca da Raposa ano que vem. São informações plantadas e de interesse do atleta e familiares. No momento, Fred não tem data nem pra voltar a jogar no Fluminense. Tá treinando, mas não enfrenta hoje o Alianza Atlético do Peru, pela Sul Americana e nem o Flamengo, domingo.

PITACO: Só se Zezé Perrela perdeu, de vez, todo juízo, aceitaria Fred e seus R$ 400 mil mensais de salários pro lugar de Kleber.

Não é loucura minha, mas vou botar o Adilson Batista pra pensar: a falta de um jogador nas características de Ramires tem feito terrível mal ao Cruzeiro. Agora, no entanto, o moço tá não mão. Precisará de um tempinho de adaptação mas joga tanto quanto Ramires; e é mais experiente. Leandro Lima é o nome da fera. .

Tomara que não seja outro Leandro, que nem o Domingues, pra atormentar a vida de Adilson. Quem sabe ele não seja testado já na partida contra o Avaí, domingo, em Florianópolis?

Adilson fez as contas a sonha, ainda, com o G-4; o Cruzeiro teria de fazer mais 29 pontos nessa reta final. Antes precisa pensar em tirar o Cruzeiro da 13ª colocação onde parece que adormeceu. Depois, mudar o jeito de jogar: dois volantes e dois meias valem a pena agora.

Ramon Salgado comentou no Jogada de Classe do Orlando Augusto, na TV Horizonte nesta terça-feira – um dos dias em que participo do programa, o outro é quinta-feira: “ Está pra nascer um treinador que não seja teimoso”. Concordo. Mas persistir na teimosia é marchar contra o bom-senso. Pra não falar outra coisa...

A propósito da liberação de Welton Felipe pelo DM do Galo alguém chegou a especular a volta dele ao time titular e a saída de Werley. Chutou por cima do gol! Este menino, enquanto o time ganhar não sai. E além disso, na boca tá o paraguaio Benitez. O burrinho já passou arriado pra Welton Felipe...

Este filho do Sodico não tem a mesma expectativa quanto a Carlos Alberto e Evandro. Penso que Coelho e Ricardinho não irão esperar muito. Celso Roth coça de vontade botar as camisas titulares nos dois antes do esperado. Penso que é pra já.

Uma verdade atual: Celso Roth, durante as partidas, olha pra trás em busca de mudanças e já não se arrepia de medo. Exemplo: o goleiro Aranha tá liberado pelo DM da Cidade do Galo, mas o titular agora é o uruguaio Carini. Aliás, na última partida o reserva nem foi Aranha, foi Bruno. Quem arrepiou foi o torcedor!

A Imprensa internacional considerou notável reforço em favor de Chicago a presença de Barack Osama em Copenhague, Dinamarca, na reunião que definirá qual cidade será eleita como sede da Olimpíada de 2016. O Rio de Janeiro, outra forte concorrente, leva dois reforços de peso: o presidente Lula e o Rei Pelé.

Todavia, ainda com estes dois reforços tenho dúvida de sua vitória.

Pitaco Real: “Chicago trouxe reforço de peso, mas o Rio tem Lula e eu. Portanto, 2 a 1 pra nós” do Rei Pelé, outra grande atração do evento.

A arbitragem brasileira tá uma lástima. A bagunça que o gaúcho Vuaden, tido como a grata revelação de Sérgio Corrêa, fez em São Januário, mostrou como ele se posa de deus e não de árbitro. O Vasco atacava e Carlos Alberto lançou uma bola alta para o atacante Pimpolho.

A bola bateu nas costas de um zagueiro do Figueirense e não chegou ao atacante. Nem saiu a corner. Perdido, Vuaden pensou em dar bola ao chão; consultou o assistente e, por fim, deu falta (toque) do beque do Floripa, que estava de costas. Resultado: a falta inventada por Vuaden originou o gol do Vasco. Final, Figueira 2 a 1 sob sufoco. Sorte de Vuaden é que os cariocas não viraram o placar.

O meiocampista Zé Eduardo destaque do América na conquista da Série C estreou – e bem – na Série B. Contratado pelo ABC de Natal foi autor de um dos gols na vitória sobre o Atlético Goianiense. Este menino vai longe, viu Perrela!

Cair o Tigre não cai. Mas subir, também, não sobe. O Ipatinga parou ali no meio da tabela de classificação. Longe dos dois G-4: do Bem e do Mal. Suas chances matemáticas, segundo os loucos que se metem nessas aventuras de futurologia no futebol, são de apenas 2%. Pra cima ou pra baixo. Então, Itair Machado, chorar pra quê?

A derrota no Ceará, diante do Fortaleza, anteontem, por 1 a 0 serviu tão-somente pra confirmar que a vida do Tigre prevê na realidade cruzamentos com o glorioso Coelho ano que vem na Segundona. Será um clássico mineiro em nível nacional.

2 comentários:

  1. Jose Antonio Mendes de Souza e Silva30 de setembro de 2009 11:09

    Final da paradinha? O Ricardo Teixeira que é mui amigo do Pelé, o criador da paradinha, deve ter dito para o Blater, que esta seria uma maneira de acabar com uma das mais geniais criações do "rei".

    Agora o Blater podia aproveitar a reunião do dia 20 de outubro para acabar com esta tal de intenção quanto a marcação do penalty. Botou a mão na bola, seja intencional ou não. Penalty. Agarrou dentro da área na cobrança de escanteio. Penalty. Quem sabe aproveitam e acabam também com a barreira na cobrança de falta. Os Americanos dos E.U.A, não gostam de futebol, porque ficam 90 minutos para ver uma partida, e muitas vezes não acontece nenhum gol. Por isso, adoram o basquete.Se acabassem com estes recursos o torcedor iria aplaudir.

    ResponderExcluir
  2. TOTALMENTE A FAVOR DO FUTEBOL ARTE!
    Quem não quer paradinha que não faça pênalti. O que tem que fazer é REGULAMENTAR e não proibir. Deve ser dado um tempo para realizar a cobrança (uns 5 segundos, por exemplo), por que senão o cara fica até amanhã. Ou que talvez o goleiro possa se movimentar dentro da grande área. Quer dizer que um time faz um pênalti, tirando desse modo grandes chances do adversário fazer um gol e ainda por cima quer limitar a atuação do batedor do pênalti??? Isso sim é um absurdo. Você já reduz a chance de gol ao fazer uma falta dentro da área e ainda quer reduzir mais ainda? Querem o quê mais?? Que o batedor diga ao goleiro o canto que deve bater,né? "Goleiro, vou bater rasteiro no canto esquerdo, tá?" Absurdo! O pênalti deve aplicado para dar a chance ao um time que perdeu uma grande oportunidade de fazer um gol por ter sofrido uma falta dentro da área adversária. Por isso que o futebol hoje está um porre. Não pode nem dar um drible que é "falta de respeito". O cara tem que falar pro zagueiro: "Vou driblar agora...", "Vou passar pro atacante que tá correndo ali atrás, olha!". Senão é falta de respeito.
    Ridículo. Esse Blatter é economista, entende o quê de futebol???? ME POUPE

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.