segunda-feira, 21 de setembro de 2009

FARPAS CRUZEIRENSES CUTUCAM VERDÂO

As histórias de Cruzeiro e Palmeiras são parecidas por terem origens italianas. Foram Palestra Itália, ambos, até a Segunda Grande Guerra, quando Mussolini implantou o fascismo e aliou-se ao Eixo ( Japão e Alemanha Nazista). Mudaram de nomes e de cores. O paulista cresceu mais no início e o mineiro recuperou o terreno perdido a partir de 1965, sob o comando de dois descendentes: Felice Brandi e Cármine Furletti. Daí pra frente cada qual entrou no seu quadrado e a rivalidade marca a existência desses importantes clubes tupiniquins.

A partida de amanhã entre eles, encerrando a 25ª rodada tem diversos apelos em razão dos resultados dos outros jogos: o Palmeiras manteve-se na liderança com 44 pontos em razão do empate (1 a 1) entre São
Paulo e Santo André, e porque tem saldo de gols melhor (14 a 10). A derrota (2 a 0) do Internacional, em Salvador, pro Vitória, ajudou aos dois e o Galo, mas prejudicou o Cruzeiro, já que os baianos subiram pra 36 pontos.

Ou seja, Palmeiras quer a vitória pra ficar, de novo, tranquilo na liderança. E o Cruzeiro pra manter-se vivo na corrida pelo G-4. Tem 32 pontos e iria a 35, ainda longe do 4º colocado, o Goiás com 42 pontos. Mas, tais números não deram mais apelo ao clássico do que as farpas atiradas pelo apoiador Fabrício no meia Diego Souza, atual estrela dos palmeirenses.

Fabrício, aliás, não disse nenhuma mentira: Diego joga muito, graças à força física que tem. Além da bola, dá soco, cotovelada, briga, xinga, põe a mão na cara do juiz e sai de campo sem cartão. Tal blindagem de Diego estende-se ao STJD, que releva e endossa as ações do palmeirense. Outros atletas são punidos, quando “ignorados” pela arbitragem, via vídeo teipe. Não é o caso de Diego...

PITACO: “Se o Fabrício acha que vou entrar devagar, como uma mocinha, isso não vai acontecer. Vou jogar para vencer” devolveu Diego Souza e justificou: “sou grande e brigo pela bola como um prato de comida. Nunca machuquei ninguém".

Como Kleber, o Gladiador, periga jogar contra seu time do coração, sobe a temperatura do jogo. Ele terá de provar que suas declarações em São Paulo jamais afetarão suas atuações pelo Cruzeiro apesar de todo amor pelo Palmeiras. Veja que situação: de um lado, a raça de Diego Souza; de outro, a dúvida quanto as prioridades do Gladiador.

Adilson Batista elogia Guerrón e até diz que ele em breve será titular. Porém – aí que a coisa pega – precisa cumprir algumas determinações sem a bola. Olha a daneira: Guerrón joga aberto, do jeito que Adilson gosta;tem velocidade, como quer Adilson; sabe driblar, puxa bem os contra-ataques, é explosivo como “Dinamite” – seu apelido – devia ser titular. Mas não será enquanto não aprender a marcar. Jesus!

Quem falou que o Goiás tava na descida? Enfiou 4 a 1 no Corinthians, no Pacaembu, na volta de Ronaldo Fenômeno com atuação espetacular de Léo Lima, Fernandão, Leandro Eusébio e Iarlei. Pronto. O Goiás tirou o Galo do G-4 e tá a apenas dois pontos dos líderes. Voltou à briga pelo título como único time que venceu o mandante.

A imprensa goiana tornou-se a vilã na história das declarações de Hélio de Anjos. Ao levantar a possibilidade de racha no grupo por ciúme do salário de Fernandão e das regalias de Iarlei, a Imprensa provocou a reação de Hélio, sempre bronco e esquentado. Ao responder que não comandava um elenco de “homossexuais” (na verdade, deve ter dito bichas) Hélio provocou o furacão. O Timão pagou o pato.

Os velhinhos queimados do Flamengo têm feito a diferença: Adriano e Petkovic mandaram na vitória sobre o Coritiba e entra na briga pelo G-4. O Imperador assume a liderança os artilheiros, empatado com o Jonas do Grêmio, com 13 gols, mas o golaço marcado em cima do Coxa é item de desempate.

Tem jeito não: a goleada do Grêmio selou a vida do Fluminense na Série A. A diferença dele com o Náutico – oito pontos – estabelece a verdade. O Botafogo e o Sport com certeza não se salvarão também. Mas a briga ficou boa pelas vagas do G-4 e do título.

Por esse ângulo, o empate do Galo (0 a 0) no Recife diante do Náutico foi horrível. a rodada exigia resultado positivo. De qualquer forma, todos estarão vestindo azul amanhã. Em contrapartida a rodada, por enquanto, afastou os celestes do G-4. Todos os concorrentes venceram ou empataram.

Entende-se lá esse Ipatinga: outro resultado valioso por 2 a 0 em cima da Portuguesa, em São Paulo, e subiu pra nono lugar. No entanto, as derrotas anteriores afastaram o Tigre do objetivo de voltar à Série A ano que vem. Pode continuar na luta, mas subir acho difícil.

Objetivo alcançado, título conquistado, o América agora precisa esquecer a Série C. Pra ele foi o inferno que não merecia. Convém focar na Série B com ideia de passar por ela como trator na busca da elite, ou retornará à Série C. O time que vi contra o ASA de Arapiraca, na decisão do título, foi bom pra competição encerrada. Não se pode iludir...

Paulo Roberto Falcão comentou domingo, numa das poucas defesas de Vitor, do Grêmio, que no momento é o melhor goleiro em atuação no futebol brasileiro. Falcão falou como torcedor do Colorado reconhecido em busca de fazer média com os gremistas. Foi injusto em nem citar Fábio, do Cruzeiro.

Que maré a do Fluminense! Dos cinco gols que tomou em Porto Alegre dois foram contra, de cabeça. O primeiro de Adeilson e o segundo justo no momento de reação do tricolor carioca que havia acabado de fazer seu gol.

Quem acontecerá no futebol brasileiro: Gilberto ou Ricardinho? Acesse meu blog www.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com e vote. E dê seu pitaco, também, sobre a rodada.

Por mais tentem convencer-me que Ricardinho não tem nem 10 dias de Cidade do Galo e seria arriscado usá-lo contra o Santos, domingo que vem no Mineirão. Fico na informação do técnico Roth: Ricardinho não se apresentou nem no mesmo nível de Jorge Luis e Correa, porém num nível bom. E este filho de dona Geralda emenda: e a qualidade dele faz a diferença. Aposto que entra na partida.

Apesar de os tropeços e trapalhadas que teve com a zaga, o uruguaio Carini estreou bem no Recife. Coisa normal, problemas de idiomas. Carini gritava algo e a zaga parava à espera de tradução. E ele prometeu gritar ainda mais com seus zagueiros. Convém Roth colocar logo o paraguaio Benitez naquela bequeira do Galo.

PITACO DE LEITOR: “Flávio, tenho certeza que a língua do Fabrício coçou, pra dizer que o Diego Souza é tão indisciplinado quanto seu colega Kléber, porém, atuam em equipes amigas da CBF e são sempre absolvidos. Veja bem, Tiago Feltri e Renan, ainda que primários, foram punidos com 2 jogos; atletas do Cruzeiro, mesmo sem o advogado de defesa em audiência, foram absolvidos”.

“O Alex Alves veio para o Galo, caro, não deu o retorno desejado do mesmo modo como o Edmundo e o Rincon vieram ao Cruzeiro. Só que o Alex, na época, agradou ao atleticanos, recebeu certinho, não levou o Galo à Justiça, como tantos "cabeças de bagres" mais baratos que vieram para cá. Essa é a diferença do Kalil. É hoje disparadamente o melhor dirigente do futebol brasileiro”.

Resposta: essa acusação de que atletas não tiveram advogado de defesa na audiência é mais grave que serem absolvidos. Perrela sabe disso? Quanto o segundo tópico, não entendi o motivo dele. Sua avaliação sobre Kalil é correta; ele tem feito a diferença...

Um comentário:

  1. Grande Flavio Anselmo. Acompanho você desde a epoca do Minas Esporte nos anos 90(tenho 26 anos) e tb de seus comentários nos jogos do Camp. Mineiro para a Sportv.
    Parabéns pela sua independencia e pela forma que cobre o futebol mineiro.
    Jornalistas como você fazem falta em uma rede aberta (pra mim que sou de Alfenas/MG e atulamnete moro em São Paulo, e portanto não assisto a TV Horizonte). Bons tempos aquele do Minas Esporte com vc,Flavio Carvalho,Chico Maia,Gontijo...Hoje realmente o nível tá muito baixo.
    Mas deixando o saudosismo de lado, uma coisa tem que ficar claro na relação Kleber-CRUZEIRO: O CRUZEIRO é muuuuuito maior que qualquer jogador, inclusive que o Kleber, que é um baita jogador e que todas as vezes que entrou em campo honrou a camisa estrelada, porém fica com essa babaquice de babar o ovo da torcida do Palmeiras. Penso que ele esteja forçando a barra para a diretoria celeste o liberá-lo para disputar a libertadores pelo palmeiras.Logicamente o Zeze não deve aceitar e jamais deve emprestá-lo.Se o palmeiras quiser que pague os 10 milhoes, ou senão o Kleber fica, mesmo que seja pra nem jogar.
    Um abraço e espero vê-lo na tv o mias rapido possível.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.