terça-feira, 13 de outubro de 2009

ERRAR É HUMANO, MAS PERSEVERAR..

Errei, sim.E o mais interessante é que, desta vez, ninguém me chamou a atenção. O Brasil, apesar da derrota em La Paz, manteve a liderança e só a perde caso seja derrotado ou empate com a Venezuela nesta quarta-feira, em Campo Grande. Desde que o Paraguai vença a Colômbia em Assunção. Então superaria a gente em número de pontos. Errei ao afirmar que os guaranis assumiriam a liderança porque têm maior número de vitórias. Nas Eliminatórias, o primeiro quesito de desempate é o saldo.

Confesso meu erro, mas a Fifa devia confessar o dela, também, e mudar o regulamento. O mais justo, como primeiro critério, é o número de vitórias, como sucede no Brasileiro. De qualquer forma, em primeiro ou em segundo, o Brasil não leva troféu algum, além da vaga pro Mundial da África, já garantida.

A decantada coerência de Dunga deveria funcionar contra a Venezuela e não mexer no time de La Paz, exceto no necessário. Pra que usar Adriano, por exemplo, que nem se recuperou direito da contusão? Entendo que Diego Tardelli merece uma chance de tempo todo, o mesmo acontece com relação a Diego Souza, este, então, prejudicado ao extremo pela altitude.

Já vivi uma situação de quase decisão entre uruguaios e argentinos. No Mundialito de Montevidéu. O Brasil fez uma das semifinais com a Argentina, e a torcida uruguaia em peso esteve do nosso lado. Não porque goste da gente. Mas porque temia uma final Uruguai x Argentina, jogo de alto risco. Montevidéu antes mesmo já se tornava uma praça de guerra nada favorável aos portenhos.

Pra felicidade geral da nação celeste olímpica deu Brasil e como ela ganhou a outra semifinal, a grande final foi entre nós. A seleção tupiniquim era comandada pelo Mestre Telê Santana. Perdemos por 2 a 1. Foi o primeiro dos três títulos mundiais que Telê e este filho do Sodico perderam juntos. Acredito que o pé frio, realmente, era eu.

Prestígio de Lionel Messi na Argentina anda mais sujo que poleiro de galo. Numa enquete do jornal “Clarin” perguntou se a seleção pátria poderia abrir mão do talento de Lionel: 60% responderam que sim, que o querem no banco de reserva.

No entanto, o jornal britânico The Sun deu uma notícia que encheu de cifrões os olhos de Zezé Perrela: o Manchester City separou 45 milhões de euros pra contratar Ramires e Maicon. Claro que respinga – e muito – dinheiro nos cofres do Barro Preto como clube revelador dos dois craques da Seleção de Dunga.

E o Benfica que pagou 6 milhões de euros por Ramires embolsaria poucos meses depois 25 milhões, líquidos. Afe Maria!!!

Tanto vale a goleada de cinco a zero como a magra vitória de uma a zero se a questão não envolve saldo de gols. Costa Rica aplicou tremendo suadouro no Brasil, mas perdeu de 1 a 0. Como os “sub-20” despistados de Gana ganharam da Hungria (3 a 2) a final promete ser emocionante: Gana x Brasil. Os nossos meninos, de novo, numa decisão contra os “gatos” africanos. Nesta sexta-feira.

Deixa eu contar um negócio pra vocês: tenho recebido mensagens fortes, ofensivas, aos dirigentes de Atlético e Cruzeiro. Na minha coluna diária, que vai pra vários assinantes e jornais não vou mais publicar mensagens, a pedido dos próprios leitores e dos jornais.
Assim, o meu blog – e somente ele – ficará aberto às porradas dos leitores. Acesse www.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com e xingue à vontade.

3 comentários:

  1. rogério de oliveira13 de outubro de 2009 23:42

    Ouví a transmissão pela Rádio Tupy e , através dos jornalistas , constatei um domínio medonho e inútil do Galo na partida.
    O Cruzeiro fez um gol e passou a tranca. .Afora os zagueiros e os quatro volantes , era comum Thiago Ribeiro e mais tarde Leandro Lima ,voltarem para marcar.
    Será mesmo esse o futuro do futebol ?
    Na coletiva, Kalil afirmou que o Galo " jogou como joga contra times do interior : em cima." Não seria esta uma postura obsoleta ,equivocada, indesejável para quem almeja bons resultados?
    Na corrida para o G-4 ,veremos um duelo acirrado de concepções antagônicas : Adilsom tal como conhecemos e Andrade do Fla, com seus dois volantes e dois armadores ofensivos no meio-campo , dois alas adiantados e dois atacantes enfiados.
    Ia aposentar o radinho e desviar minha paixão para o esquí- aquático. Mas vou esperar o duelo.
    Saudações ao cronista.

    ResponderExcluir
  2. Um amigo, que se diz entendendor das leis da arbitragem, disse-me que nao ha problemas se os bandeirinhas ou auxiliares fiquem do mesmo lado do campo ou alternem os lados durante os intervalos das partidas. Se assim for, resolve-se esse dilema e cada um fica com seu historicoTúnel, ao lado da sua torcida, em paz! Será que o Kaliu vai querer um dia treinar na Toca também? E a polícia vai ter que se mobilizar para atende-lo? Nao duvido.
    Cada dia que passa eu fico mais indignada com esse mundo "futebolístico".

    ResponderExcluir
  3. xará, eu apenas passei uma informação anatômica sobre problemas em contusões no púbis e o tempo para recuperação em torno de 60 dias dizendo que eles precipitaram no retorno do jogador aos gramados. o repórter equivocou-se pois sou estudante de educação física. abraços.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.