segunda-feira, 12 de outubro de 2009

GALO PERDE MAS NÃO SAI DO LUGAR

Porém, o maior salto na classificação foi do Cruzeiro com esta vitória apertada, suada e difícil no clássico (1 a 0, gol de Wellington Paulista). Com os resultados da 29ª rodada, o Galo, se vencedor, estaria na vice-liderança a quatro pontos do Palmeiras, que foi derrotado (3 a 0) pelo Náutico, no Recife. O Galo deu sorte de continuar no G-4 com o empate (1 a 1) entre Goiás e Sport, no Serra Dourada.

Os matemáticos começam a rever suas furadas projeções: o Flamengo, 46, em sexto lugar, e o Cruzeiro, 42, em sétimo, estão bem pertos do G-4, ameaçando Inter, 48; Galo, 47 e Goiás, 46, que descem a serra perigosamente.

Na próxima rodada, no final de semana, a Raposa recebe o Botafogo e o Galo tem um confronto decisivo contra o São Paulo.

Pra quem gosta de fazer projeções a 30ª rodada tem Palmeiras x Flamengo, no Palestra Itália (jogo pra quem tem coração forte, que nem sãopaulinos e atleticanos), Fluminense x Internacional; Avaí x Goiás, em Florianópolis, pra ficar nas partidas que envolvem a turma da briga pela Libertadores.

O Corinthians, 42 pontos, sétimo colocado, já com vaga garantida na copa continental, não conta nessa briga. Mas, Grêmio, 41, que recebe o Coritiba, e o Vitória, os mesmo 41, que terá o Náutico de adversário, em Salvador, não podem ser esquecidos.

O Brasil não é mais o líder das eliminatórias. Perdeu o primeiro lugar para o Paraguai. A tendência é que as posições não mudem na rodada final, nesta quarta-feira. Após a derrota (2 a 1) pra Bolívia, na altitude de La Paz, o time de Dunga perdeu uma invencibilidade de 16 meses e a liderança.

PITACO - Serei repetitivo: A única vantagem que a Bolívia leva nas eliminatórias é a altitude. Quando a Fifa acabar com isso, terá um futebol pior que o da Venezuela.

O Paraguai que derrotou a Venezuela (2 a 1) fora de casa, chegou aos mesmos 33 pontos dos brasileiros, porém com 10 vitórias contra 9. Na última rodada, enquanto a gente enfrenta a Venezuela em Campo Grande, o time guarani joga em Assunção contra a Colômbia e deve vencer. As posições não mudariam, mas não alterariam nada com relação à Copa. Na América do Sul, Paraguai, Brasil e Chile estão classificados.

A briga fica entre Uruguai x Argentina, em Montevidéu, pela última vaga. O time de Maradona suou sangue pra derrotar o Peru (2 a 1, com de Palermo impedido, aos 47m do segundo tempo) e o Uruguai arrancou três pontos sobre o Equador, em Quito, de forma não menos sensacional. Forlan fez o gol, de pênalti, aos dois minutos do fim.

A Argentina se classifica com o empate. Quem perder vai pra repescagem dependendo do resultado de Chile x Equador que jogam em Santiago. A Venezuela tem mínimas chances de lutar pela repescagem. Pra começar, precisa bater no Brasil de 14 a 0. Tá mais fácil a Chita divorciar-se do Tarzan.

A 29ª rodada foi excelente no início para os mineiros e terminou mal na segunda-feira pro Atlético. A vitória do Barueri (2 a 1) no Coritiba, lá no Couto Pereira, não agradou aos cruzeirenses, nem a do Flamengo (2 a 1) sobre o São Paulo, porque o Mengão chegou aos 45 pontos e encostou no G-4. Mas agradou aos alvinegros.

Outro resultado bom pro Atlético foi o empate (1 a 1) do Internacional com o Atlético Paranaense em plena Beira Rio. O Inter estacionou nos 48 pontos. No feriado, houve jogos simultâneos, e só teve coisas boas pra Raposa: venceu o clássico no sufoco; Santos, Vitória e Avaí, pontuaram pouco.

O Peixe ficou no 0 a 0 com o Vitória, na Vila Belmiro; e o Botafogo, na base da reação – perdia de 2 a 0 – arrancou o empate em casa contra o Avaí. Bom pro Avaí, que tem 40 pontos; péssimo pro time carioca que briga contra o descenso.

Irritado com a imprensa paulista que destacou o retorno de seu mau humor, Murici Ramalho foi mais agressivo, ainda, ao comentar a goleada que o líder levou do Náutico (3 a 0) no Recife. As demais torcidas do País agradecem aos pernambucanos que impediram o Verdão de colocar oito pontos em cima do segundo colocado, o São Paulo.

Ao terminar o clássico do Mineirão, as mensagens caíram na minha caixa: a maioria queria saber se era preciso a torcida cruzeirense passar tanto sufoco no clássico? Preciso não era, mas foi uma coisa natural. O Galo tinha mais a perder que o Cruzeiro.

Explico logo: se a vitória colocava o Galo na vice-liderança com uma real possibilidade de ter uma vaga na Libertadores ou ser campeão nacional, a do Cruzeiro apenas o mantinha vivo na competição e dentro das pequenas possibilidades de chegar ao G-4.

Desde as escalações dos times e dos bancos ficou clara a intenção de Adilson Batista: levou dois beques – Caçapa e Thiago Heleno –e um volante brucutu. Apenas Leandro Lima como homem de armação, e Guerrón como atacante. Na contusão de Wellington Paulista usou a única alteração possível: Guerrón. Na saída de Gilberto, inventou com Elicarlos. Aquela história de fazer Jonathan armador.

O aperto era tanto que ele teve de usar Leandro Lima no lugar de Thiago Ribeiro e passou ao esquema 3-6-1, que tanto gosta. O coração cruzeirense quase saltou pela boca. Se em vez de dois beques tivesse levado Bernardo, também, teria o substituto ideal de Gilberto.

Eu sei e já informei aqui nesta Trincheira o problema entre Adilson e Bernardo. Considera que o estrelismo exagerado de Bernardo, ao subir para os profissionais, atrapalhou sua carreira. Mas não existe outra maneira do treinador combater isso nos jovens?

3 comentários:

  1. Prezado Flavio Anselmo Boa Noite!O Adilson fez de tudo para perder o calssico e não perdeu.Agora o que me impressionou foi a entrevista do Celso Roth.Vim entender o porque ele perdeu o Brasileiro do ano passado,entendo porque ele não conseguiu ganhar um classico contra o Inter,entendo porque ele lider da Libertadores o GRêmio o dispensou.Ele insistiu em afirmar que o Cruzeiro jogou como time pequeno,atuou com oito jogadores apenas.Então ele veio assinar sua total incompetencia.Porque então ele não ganhou o Classico?Segundo ele o adversario jogou como timinho.Ele vai fazer com o galo igual fez com o Gremio ano passado.Vai ser um foguete molhado.
    Saudações
    Cesar Augusto Rodrigues
    Bhte,Mg

    ResponderExcluir
  2. Uma das mais tristes notas que já tive notícia, foi a declaração do ainda presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela. Está em letras garrafais no portal do Yahoo e Ig. Uma lástima.
    Colocou este energúmeno, à mostra, sua incapacidade de ser coerente, comedido, educado e cidadão.
    Mostrou um excepcional desserviço ao esporte mineiro.
    Sr. Perrela, fique o sr. sabendo que nossas Minas Gerais são infinitamente maiores que suas verborréias desajustadas.
    Enquanto dirigentes paulistas, cariocas e até parananeses demonstram solidariedade entre si, enlevando antes de tudo, o estado natal deles, vem o sr. até a grande imprensa atear fogo neste paiol de imbecilidades.
    Minas precisa, sob a batuta do governador Aécio, dar mostras de unidade.
    À propósito, bem que o governador, homem de visão e altruista mineiro, deveria dar um puxão de orelhas neste que se diz presidetne de todos os cruzeirenses.
    Sou Cruzeiro desde que nasci, meu não é, e de milhares e milhares de torcedores também.
    Fora perrela, já! Pegue sua capanga e caia fora, para o bem da nação azul.

    ResponderExcluir
  3. Flávio anselmo.Pode por na sua trincheira.A hora do Celso Roth tá chegando, será em breve Celso Dentadura, pois rôte nãose usa mais.Tirar a inteligência e o motorzinho contínuo Márcio Araujo e Renteria, queestava dando um tabalho danado à zaga perdidinha da raposa, só pode ser terpego a doença do professor pardal maluco.Pelo amor de Deus, isto não se faz.Gustavo

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.