sexta-feira, 2 de outubro de 2009

NEM DERROTA TIRA PALMEIRAS DA LIDERANÇA

Mesmo que perca para o Peixe esta tarde/noite na Vila Belmiro e que seus concorrentes mais diretos vençam, como fez o São Paulo, quarta-feira passada em partida antecipada - 2 a 1 no Náutico, nos Aflitos - o Palmeiras não deixa sua cômoda posição de líder isolado do Campeonato Brasileiro.

Por enquanto, ainda, tem uma gordurinha pra queimar: 50 pontos contra 48 dos sãopaulinos; 45 do Goiás e 44 do Internacional, os ocupantes do G-4. Ali na boca, de bico e esporas afiadas, o Galo espera com seus 44 pontos.

Contudo, uma beliscada completa do Peixe e vitórias do Goiás, Inter e Atlético, quinto colocado incendiariam a disputa. Claro que o ideal seria derrotas do Inter, diante do Coritiba; do Goiás contra o Botafogo e junto do tropeço do Verdão.

Matemática simples, sem segredo: o Galo vence o Grêmio Barueri hoje no Mineirão, chega aos 47 pontos e volta ao G-4, em terceiro lugar, atrás dos dois paulistas.

É impossível que toda esta combinação de resultados aconteça? Lógico que não, mas a forcinha dos deuses do futebol ajudaria bastante.

Time por time, é verdade, Palmeiras, Internacional e Goiás são melhores que Santos, Coritiba e Botafogo. A vantagem do Peixe e do Coxa é que são mandantes. Já o Botafogo vai ao Serra Dourada, onde o Verdão de lá é soberano.

De repente, quem sabe, tudo pode acontecer: pinta a zebrinha; o porco magro suja a água goiana. Já vi este filme antes várias vezes.

É possível outra situação, como todos perderem, inclusive o Atlético? Sim. O Grêmio Barueri surpreendeu o Cruzeiro aqui no Mineirão e enfiou-lhe sonoros 4 a 2. Placar que repetiu na sua Arena, em São Paulo, em cima do Galo de Celso Roth.

O Grêmio Barueri não é time bobo: tem 36 pontos, ocupa o 11º lugar e sonha – afinal outros na mesma situação não sonham? – com vaga na Libertadores.

Como tem afirmado Celso Roth: o melhor é largar números de lado e trabalhar jogo a jogo, ponto a ponto. Fica mais fácil assim e não embaralha a cabeça de ninguém, principalmente dos atletas.

O Superintendente Geral da Associação Divina Providência, Celso Nunes, cruzeirense, gosta mais da Trincheira quando ela se pinta de azul. Por enquanto, ainda vai alvinegra até pra cumprimentar Celso Roth que decidiu manter o time que tem vencido. Perfeito.

Ou, pelo menos, quase perfeito, porque não é o time que eu escalaria com pitaqueiro juramentado. O time dele tem Carini; Carlos Alberto, Werley, Jorge Luiz e Thiago Feltri; Jonílson, Corrêa, Márcio Araújo e Evandro; Diego Tardelli e Éder Luís.

No meu time Coelho e Ricardinho seriam titulares. Todavia, tenho de reconhecer o óbvio prescrito no ABC do futebol: “em time que está vencendo não se mexe”.

PITACO: Adilson não se emenda mesmo: lá vem ele com nova invenção diante do Avaí. Que os deuses nos ajudem!

Sem Kleber e, possivelmente, Wellington Paulista, Adilson Batista visualizou a chance de retomar seus criativos momentos de Professor Pardal. Promete ir a campo com um bem estudado e estruturado 3-6-1.

Você se lembra quando ele ganhou este apelido porque inventou Wagner de atacante ao lado de alguém, ou na lateral esquerda? Cismou com Gerson Magrão de armador e coisas mais? Pois é: agora quer fazer o mesmo com o Gilberto.

Bem feito pro Gilberto, quem mandou ele se meter a artilheiro? Adilson cismou que ele é centroavante.

Pensa que é só isso? O técnico celeste ameaça voltar aos três zagueiros, mas com Thiago Heleno ao lado de Leonardo e Gil. Que os santos nos acudam!

No meio-campo, sem seu fiel escudeiro Marquinhos Paraná, tenta manter o esquema com Elicarlos mais Fabrício, Henrique, Gilberto, Jonathan e Diego Renan, estes dois últimos os alas. Na frente, só Thiago Ribeiro.

Se a torcida e a Imprensa chiarem muito, Adilson prometeu colocar Soares no lugar de Thiago Heleno. Mas bom mesmo seria Wellington Paulista. Cadê Dudu, Bernardo, Leandro Lima?

Adilson gosta de números e fez as contas: Gilberto tem ótima média de gols. Marcou cinco vezes em 10 partidas: dois gols contra o Vitória, dois no Inter e um no Grêmio Barueri. Então, camisa nove no homem, Capitão América!

Neste sábado, além de Galo e Barueri, este com 36 pontos conforme já disse, também interessam ao Cruzeiro na sua quixotesca caminhada ao G-4, Corinthians (38) x Atlético Paranaense (31), e Santo André, na zona do rebaixamento, contra Vitória (39), sétimo colocado.

No domingo, o Cruzeiro com 35 pontos, além do Avaí, com 38, tem muitos concorrentes com os quais se preocupar: Grêmio (39) x Sport; Flamengo (38) x Fluminense, e o próprio Santos (36) contra o qual todos torcerão, exceto os cruzeirenses que serão Palmeiras (50) por motivos óbvios.

PITACO TRIANGULINO: “Flávio, aqui em Uberlândia estamos extremamente felizes. Depois de muito o time ganhou cinco partidas seguidas na Taça Minas Gerais, e olha que três delas em cima de seus rivais do TRIÂNGULO, sendo que duas dentro da casa deles (Ituiutaba e Uberaba). Como te disse há tempos atrás o trabalho aqui está sendo feito e vamos colher frutos no futuro, pode acreditar”. Falô, meu amigo e correspondente Rênio Carlos Garcia.

Aliás, o time júnior do América que disputa a Taça Minas Gerais foi eliminado na derrota (2 a 1) pro Tupi, no Independência. Na Chave A, manda o Leão do Bonfim, com 11 pontos e na B, o Zebu 100%. A Taça Minas Gerais vale vaga na Copa do Brasil, minha gente! E o Coelho jogou esta chance fora, pode...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.