segunda-feira, 5 de outubro de 2009

SERIA GRANDE RODADA MINEIRA, MAS...

Caminhava tudo pra ser uma excelente rodada mineira, apesar de começar mal na quarta-feira com a vitória do São Paulo (48 pontos, vice-líder) no Recife, diante do Náutico.O contrário teria sido ótimo pro Galo e, por que não?, até pra Raposa. Em seguida o Ipatinga, com 9 jogadores, bateu no ABC (2 x 1) e subiu na classificação geral. Passou até a aspirar algo melhor nesta reta final da Segundona.

A boa atuação do Galo diante do Grêmio Barueri, no Mineirão, e a vitória (2 a 1) que o fez retornar ao G-4 deu sequência aos bons resultados. Porém, esbarrou na covardia do Cruzeiro que permitiu ao Avaí empatar (2 a 2) aos 46m do segundo tempo, quando recuou e chamou o adversário pra cima dele.

Também seria melhor e bem mineira se o Palmeiras, líder disparado não tivesse chegado aos 53 pontos ao ganhar do Santos ( 3 a 1) na Vila Belmiro. Que nada, o time de Murici Ramalho caminha célere pro título. O Galo volta ao G-4 e bem, em terceiro lugar, com 47 pontos, ajudado por duas derrotas saborosas: o Goiás que apanhou do Botafogo (3 a 1) no Serra Dourada e o Internacional (2 a 0) do Coritiba de Ney Franco.

O Galo superou um adversário indigesto. O Grêmio Barueri exigiu bastante. O time de Celso Roth custou a fazer 1 a 0 e quando fez teve um pênalti contra. Os personagens do lance foram apenas dois: o goleiro Carini fez a falta em Basílio; este cobrou o pênalti e Carini defendeu. Aí o Galo assumiu a partida.

Mas voltou sonâmbulo na fase final; melhorou com a saída de Evandro e a entrada de Ricardinho. Esta mudança fez Corrêa soltar-se mais e tornar-se o grande nome do confronto. Partiu dele o lançamento pra Tardelli derrubado por Xandão, expulso.

Na falta, o Galo mostrou que tem especialistas disponíveis: Ricardinho e Corrêa ensaiaram a cobrança. Mas o chute foi de Corrêa. Forte e no ângulo. O golaço de Corrêa foi o encanto da partida e o fez entrar, cada vez mais, na arquibancada ao lado da Massa.

Então o time repetiu a costumeira mania: com 2 a 0 relaxou. Levou o gol aos 43m, numa falha do garoto Werley. Aí veio aquele sufoco dos minutos finais.

A baixa do jogo terrível foi Eder Luís: a pancada que levou no tornozelo valeu-lhe 16 pontos na brecha que se abriu. Não joga quinta-feira contra o Botafogo e, possivelmente, no clássico.

O Cruzeiro repetiu os erros do jogo em Salvador, contra o Vitória. Acovardou-se. Quando Silas, do Avaí, fez as mexidas ofensivas, Adilson, que já havia inventado antes com a entrada do insosso Soares no lugar de Thiago Ribeiro, inventou de novo: botou Patric no lugar de Gilberto.

Nos dois casos, ignorou jogadores qualificados e da posição: Guerrón e Bernardo. Derrota do Adilson Batista.

A Raposa, que segundo Adilson, ainda tá viva na briga pelo G-4, atingiu 36 pontos. Até que, enfim, saiu do 13º para o 11º lugar. Poderia ser mais. Bobagem acreditar em estatística sobre o número de jogos (7) invicto fora de casa, se o time não sai lá debaixo. Na próxima quinta-feira, enfrenta o seu carrasco Goiás, no Mineirão, onde não tem jogado nada.

A briga da artilharia continua sensacional: a turma da ponta brilhou no final da semana. Jonas fez um dos gols do Grêmio dramático empate (3 a 3) com o Sport, no Olímpico; Tardelli marcou o primeiro do Galo (2 a 1) sobre o Grêmio Barueri. Chegaram a 14 gols. Mas a tarde/noite era do Imperador Adriano: marcou duas vezes na vitória do seu time no Fla x Flu ( 2 a 0) e lidera com 15 gols.

Helmar Almeida- Porto Alegre/RS: “Mais uma vez está provado: o Pardilson é técnico de time pequeno e não serve para o Cruzeiro. Mais uma vez ele inventou e prejudicou o time. Até quando, nós torcedores, teremos que aguentar isso? Outra coisa está provada: com o elenco que temos daria para estar "nas cabeças" do campeonato, mas com um "......." desse no banco fica impossível. O Cruzeiro está dando muita sorte porque o técnico, literalmente, joga para perder.
Que dureza, são dois anos de sofrimento para nós CRUZEIRENSES que estamos acostumados com conquistas. Ao invés de vaiar o Kléber (que ajudou muito o time) temos que vaiar esse protótipo de treinador e aprendiz de diretoria arrogante”.

Resposta: Abro espaço ao leitor na Trincheira, mas não gosto de ofensas. Por isso, cortei a que você faz a Adilson Batista. Não deixo de criticá-lo, mas o considero uma das boas promessas do futebol brasileiro. O moço só tem 41 anos. Peraí, gente!

Desembargador Eduardo Machado – BH: “Quem diria que a coluna seria um dia internacional? Eu na Europa mesmo que estudando, lendo a coluna do "homem" de cabelos brancos lá de Caratinga. Um abraço, Vovô”.

Resposta: É uma honra, Desembargador, que esteja aí na Europa lendo a Trincheira. O Senhor e centenas de outros, espalhados por Paris, Portugal, Londres e até a Austrália, sem falar nos leitores dos Estados Unidos e Cone Sul. Ah!, me esquecia do blog e dos sítios onde ela é publicada, também. Meus respeitos.

Prefeito Luiz Tadeu Leite – Montes Claros/MG: Amigo Flávio Anselmo; encontrei-me com você na barbearia, em BH, e lhe falei sobre o time de vôlei masculino que estávamos formando em Montes Claros para disputar a super-liga de campeões 2009/2010. Daquele dia para cá a equipe do Montes Claros/Funadem já inaugurou o ginásio poliesportivo em Montes Claros, ganhou o vice em Buenos Aires na Copa Bolívar e está disputando o Desafio Globo Minas com os três primeiros lugares da super-liga do ano passado”.

“E já ganhou do campeão, Cimed e do vice, o Minas, cada um por 3X1. Hoje à noite disputa com o Sada-Cruzeiro e amanhã, temos confiança de que vai disputar a final, transmitida pela Globo, às 9 horas. Tudo isto vem acontecendo e não lemos ainda uma frase sequer em sua prestigiada coluna esportiva que, aliás, leio todos os dias. O futebol é quase tudo, mas tem de sobrar uma brechinha também para o esporte especializado, ainda mais agora com o Rio sediando as Olimpíadas de 2016”.

“Conto com a sua cobertura de excelente qualidade, também no vôlei de Montes Claros, cidade que está sendo considerada a maior novidade no esporte de Minas Gerais, a partir dessas iniciativas que tivemos. Agradeço por toda a divulgação que puder dar”.

Resposta: Publico a mensagem com certo atraso, alguns eventos citados são vencidos. Mas valeu o puxão de orelhas, caro Prefeito e amigo Luiz Tadeu. A minha omissão é por falta de conhecimento da matéria; as informações, realmente, me chegam; porém, confesso minha enorme ignorância a respeito de outros esportes, exceto tênis. Sem dúvida, a Olimpíada do Rio obrigará o velho cronista a estudar mais sobre vários esportes. Se viver até lá, claro! Um abração e obrigado pelo apoio.

Edson Nunes de Oliveira – BH “Olá, Meu amigo e respeitável Jornalista!Gostei muito desta coluna, com uma pequena observação: Meu nome não é Jones ou melhor Celso Nunes, é Edson Nunes, mas valeu pelo carinho!”

Resposta: Meu caro Edson Nunes, competente Superintendente Geral da Associação Divina Providência: o nosso amigo comum Julinho ( Dr. Antônio Aguiar) sugeriu-me que dissesse que o erro foi proposital, porque você não havia gostado da coluna anterior; Nada disso. Na verdade, foi caduquice mesmo. Aliás, a coluna toda é pra ser apagada e esquecida. Uma verdadeira soma de erros e equívocos. Eu não estava no meu melhor dia.

2 comentários:

  1. José Antonio Mendes de Souza e Silva5 de outubro de 2009 11:19

    Pares torcedores cruzeirenses. Lamentável, que alguns do esporte, como o "fofão" da rádio Globo, insistem em dizer que o Adilson é um técnico de sucesso no Cruzeiro. Vejamos: O Adilson assumiu o comando técnico do Cruzeiro em janeiro de 2008. O que ele ganhou de expressão em quase dois anos? O campeonato mineiro de 2008,que o próprio Perrela, o chama de capeonato rural, torneio verão, aquele caça niquel realizado no Uruguai e o campeonato mineiro novamente em 2009. No brasileiro deste ano, faltando 11 rodadas para o campeonato terminar, o Cruzeiro tem apenas 10 vitórias.Isso é trabalho de sucesso? Portanto, para os que acham o Adilson inteligente, fica uma pergunta. O que faria um técnico inteligente, quando tem uma peça de reposição de oficio, e precisa, fazer uma substituição. Entra com o especialista na função ou improvisa? Será que esse Patrick, não seria mais uma propaganda enganosa?

    ResponderExcluir
  2. "Tivemos dificuldades até em função do desgaste, o (Marquinhos) Paraná não treinou, o Wellington (Paulista) não treinou, alguns jogaram um pouquinho abaixo, tentaram se esforçar, nós tivemos dificuldades. Infelizmente, no último lance, acabamos cedendo o empate", observou o treinador cruzeirense.
    Flavio, esta foi a declaração do Adilson ontem apos o jogo. Como podemos aceitar esta postura de um tecnico que tem um banco como o do Cruzeiro? O time é freguez, nunca aguenta um placar favorável, e quando já entra desfavorável é pior ainda.
    O Inter deu a sugestão. Quando o tecnico satuara, o problema é mais facil de ser resolvido.
    Sei que vc nao vai engrossar a fileira de quem, neste momento, deseja a saida do Adilson. Mas esperar o ano que vem?
    Eu ja penso em procurar outros programas nos horarios dos jogos do Cruzeiro que acompanho, sem nunca faltar um apenas, pelo pay-per-view no Mineiro e Brasileiro ha mais de 4 ou 5 anos seguidos. Haja paciencia.
    Daylton Guedes

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.