domingo, 11 de outubro de 2009

Um jogão de primeira nesta segunda

O Galo prepara sua tropa de choque estrangeira – Carini, uruguaio; o paraguaio Benitez e o colombiano Renteria – pra retomar a vice-liderança do Brasileiro e reabilitar-se da derrota diante do Botafogo (3 a 1) no Rio. Só que a tarefa não será fácil: o Cruzeiro vem de atuação excelente no segundo tempo contra o Goiás (3 a 0) e, ao contrário, do rival usa a melhor formação. O Galo terá Eder Luis de volta, recuperado da lesão, mas estará ainda sem o goleador Tardelli, convocado por Dunga. A Raposa terá Gilberto, inteiro.

Em caso de vitória o Atlético chegaria aos 50 pontos e reassumiria o segundo lugar. O Palmeiras, líder com 54 pontos, nesta segunda enfrenta o Náutico, no Recife, e tudo seria perfeito com uma derrota dele. Já o Cruzeiro, na briga quase impossível de uma vaga no G-4 tem 39 pontos e se vencer recupera o nono lugar desde que o Vitória (40), ao menos, empate com o Peixe (39) na Vila Belmiro.

Também, Goiás (45) contra o Sport interessa aos mineiros, que torcem para os goianos não pontuarem; o mesmo acontece no outro jogo, Botafogo x Avaí (39), no Engenhão. Sport e Botafogo, que lutam contra o descenso, não despertam preocupação nos mineiros.

O Brasil não é mais o líder das eliminatórias. Perdeu o primeiro lugar para o Paraguai. A tendência é que as posições não mudem na rodada final, nesta quarta-feira. Após a derrota (2 a 1) pra Bolívia, na altitude de La Paz, o time de Dunga perdeu uma invencibilidade de 16 meses e a liderança.

PITACO - Serei repetitivo: A única vantagem que a Bolívia leva nas eliminatórias é a altitude. Quando a Fifa acabar com isso, terá um futebol pior que o da Venezuela.

O Paraguai que derrotou a Venezuela (2 a 1) fora de casa, chegou aos mesmos 33 pontos dos brasileiros, porém com 10 vitórias contra 9. Na última rodada, enquanto a gente enfrenta a Venezuela em Campo Grande, o time guarani joga em Assunção contra a Colômbia e deve vencer. As posições não mudariam, mas não alterariam nada com relação à Copa. Na América do Sul, Paraguai, Brasil e Chile estão classificados.

A briga fica entre Uruguai x Argentina, em Montevidéu, pela última vaga. O time de Maradona suou sangue pra derrotar o Peru (2 a 1, com de Palermo impedido, aos 47m do segundo tempo) e o Uruguai arrancou três pontos sobre o Equador, em Quito, de forma não menos sensacional. Forlan fez o gol, de pênalti, aos dois minutos do fim.

A Argentina se classifica com o empate. Quem perder vai pra repescagem dependendo do resultado de Chile x Equador que jogam em Santiago. A Venezuela tem mínimas chances de lutar pela repescagem. Pra começar, precisa bater no Brasil de 14 a 0. Tá mais fácil a Chita divorciar-se do Tarzan.

A 29ª rodada foi excelente até aqui para os mineiros. Agora depende de cada um no jogão desta segunda-feira. Destaque pra vitória do Flu (2 a 1) no Santo André, em São Paulo, com gol de pênalti de Fred; e do Corinthians (2 a 1) sobre o Grêmio – um dos gols de Ronaldo Fenômeno – num resultado que teria sido bom pro Cruzeiro se houvesse empate. De qualquer forma, como a briga é pela vaga na Libertadores, e como o Corinthians já tem a sua garantida, bom que tenha batido nos gremistas.

A vitória do Barueri (2 a 1) no Coritiba, lá no Couto Pereira, não agradou aos cruzeirenses, nem a do Flamengo (2 a 1) sobre o São Paulo, porque o Mengão chegou aos 45 pontos e encostou no G-4. A derrota dos sãopaulinos, no entanto, agradou ao Galo. Outro resultado bom pro Atlético: o empate (1 a 1) do Internacional com o Atlético Paranaense em plena Beira Rio. O Inter estacionou nos 48 pontos. O completo da rodada nesta segunda-feira será de triscar fogo no paralelepípedo, como se dizia na velha República Independente do São João do Caratinga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.