sexta-feira, 27 de novembro de 2009

RICARDINHO FORA E GLADIADOR DENTRO? (Flávio Anselmo - 28/11/09)

Nem um, nem outro. Nem Ricardinho precisa ser sacado do time para o Galo jogar bem contra o Palmeiras, no Palestra Itália, nem o Gladiador Kleber deveria ser escalado, desde o início, contra o Coritiba de Ney Franco, no Mineirão, sob pretexto de fortalecer o ataque do Cruzeiro.

Aqueles que responsabilizam Ricardinho pela perda de velocidade de contra-ataque do Galo e o querem no banco cometem perigoso engano. Respeito tal opinião, a mesma do gente-boa José Garcia de Aguiar, diretor Comercial da Seculus Empreendimentos e Participações S/A, atleticano roxo.

Celso Roth, caso decida afastar Ricardinho em busca de outras alternativas de contra-ataque surpreenderá todo mundo, inclusive o palmeirense Murici Ramalho. O técnico alvinegro garante que pregará uma peça terrível em Murici. Vamos esperar.

No caso do Cruzeiro, o maior perigo que Adilson Batista enfrentará, além do certo desespero do Coxa pra sair de perto do descenso, vem do banco dos Coritiba: o capaz Ney Franco.

Estudioso e inventivo como Adilson, o caratinguense Ney Franco, com certeza, preparou mil esquemas pra levar pelo menos o empate, o que seria bom para os curitibanos e horrível para os mineiros.

Não vejo condições no aproveitamento de Kleber desde o início. Seria temerário. Ele próprio confessou que pretende jogar uns 25 minutos se Adilson quiser. Como, então, escalar o Gladiador logo de cara?

Tem mais: não sei porquê essa má vontade dos cruzeirenses de redação com o artilheiro Wellington Paulista. É centroavante nato, tem feito seus golzinhos e tornou-se importante no esquema de dois atacantes. Deixem o moço quieto.

O Gladiador ao afirmar que não espera ser recebido de braços abertos pela China Azul desconhece ou finge desconhecer que no futebol as verdades não duram mais 90 minutos e que se vai do inferno ao céu em 10 segundos.

PITACO DIDÁTICO: Kleber fez pré-julgamento perigoso; se guarda rancor do entrevero com a torcida devia saber que, necessariamente, ela pode não ter mantido o mesmo sentimento. A não ser que o Gladiador queira restabelecer a pendenga já pensando no fim da temporada e a chance de se mandar.

Entretanto, praquê não digam que a Trincheira cometeu injustiça, Kléber esclareceu que apenas uma pequena parte da China Azul ficou com raiva dele e deve vaiá-lo. Esta minoria incomoda, visto que é barulhenta, eu sei disso. E digo que esta minoria, também, é de simpatizante.

O Gladiador fez, politicamente, média o resto: “a torcida cruzeirense é mais que 5 mil, ou 10 mil; são 7 milhões e a maioria gosta de mim”. Pronto, Gladiador, assunto liquidado. Resta jogar.


O Tigre primeiro tem que pensar em vencer o Vasco neste sábado à tarde, no Ipatingão. Depois sim, cair na doce ilusão de que pode golear sem sofrer gols. Bobagem, também, é convocar a torcida do Vale do Aço pra apoiar. Só se forem torcedores atleticanos e cruzeirenses.

A maioria, no entanto, no estádio será vascaína, a fim de comemorar a conquista da Segundona.

Na última Trincheira contei uma historinha sobre o Elói Restóris. Pra evitar que meus sábios leitores pensem em ficção publico a mensagem que me chegou do Pedro Vieira, o Tatu na Turma do Pererê.

“Flávio Anselmo, o Elói Restóris foi meu colega de futebol e no Tiro de Guerra. Galileu, Ziraldo e Alan fizeram o Tiro de Guerra no mesmo ano. Elói ficava intrigado porque o Sargento Cetime, dava a maior folga para Ziraldo, Pedro, Alan e Galileu. Nós éramos os homens de confiança e cherifes. O Exército Brasileiro teve cherife porque o Ziraldo inventou. Naquela época, já era bom ser amigo do Ziraldo. Abraço caratinguense (vale por cem)”.

O professor Haydn Pimenta, outro ilustre leitor desta destemperada Trincheira, dá seu pitaco quanto à última coluna: “Caro Flávio, ótimos conselhos ao Celso Roth, os seus! Quando jogava minhas peladas, cansei de ver que o bom time e o bom jogador se destacavam por uma única característica, além da condição física é claro: variação de jogadas, especialmente aquelas que surpreendem. Esquemas rígidos ou característicos matam o time ou o jogador. Isto é, burrice não resiste à inteligência e observação!”

Resposta: As opiniões acima estarão registradas, também, no meu blog: www.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com Acesse e opine, também, e dê seu voto na enquete.

Sensacional o resultado da última enquete: Você gostaria de que Celso Roth continuasse em 2010? Empate: 50% a favor e 50% contra. Agora testamos o prestígio de Ricardinho. Vote.

5 comentários:

  1. Acompanho sempre seu blog e gostei muito das mudanças,hehe.

    Queria só questionar se o Ney Franco é de Caratinga ou de Vargem Alegre?
    E destacar que o Ipatingao estara cheio para poder empurrar o Tigrao de Aco, ainda mais que o time precisa e muito. Bom destacar que vao ter varios atleticanos e cruzeirenses, mas tambem é bom falar que terá os Ipatinguenses!! Ainda em pouca quantidade, mas que com sol ou chuva sempre estao por la!
    Qual time do interior de Minas tem socio torcedor?!

    Abracos!


    Aurelio Miguel - Ipatinga-MG

    ResponderExcluir
  2. Fred Rezende - jornalista Diário Boca do Povo27 de novembro de 2009 13:51

    Grande companheiro Flávio. Posso lhe tratar de companheiro né? Achei bastante oportuna a sua abordagem sobre o "Gladiador Kléber", rapaz que gosta de fortes emoções não é mesmo? Ainda sinto, como cruzeirense que nasci e morrerei um dia, que o moço num tá sentido nada, tá é pressentindo uma negociação no final do ano e com estas declarações, mesmo que observando apenas parte da China Azul, fechando suas portas no Cruzeiro para um possível futuro retorno, que obviamente deve ser no Palmeiras. O Kléber é bom de bola, acima do lugar comum que temos visto, mas nada de um craque. Ajudou e pode ajudar o Cruzeiro ainda e muito. Seria bom que ficasse.

    ResponderExcluir
  3. Flávio, com todo respeito, discordo de você. Acho que o Ricardinho realmente prejudicou o meio campo do galo e o seu poder de contra-ataque. Ele cadencia muito o jogo, toca muito para trás, e o time perdeu sua principal arma.
    Acredito que sua permanência só seria possível na companhia com outro meia que armasse mais as jogadas e contra-ataques (nessa u hipótese, prefiro o Renan Oliveir. Evandro é o substituto do próprio Ricardinho, tem função semelhante), com o Ricardinho ajudando no equilíbrio ataque-defesa do time. O Júnior seria melhor se o time ficar apenas com um armador, ou seja, se for para substituir o Ricardinho (Jogou mais, tinha melhor entrosamento e rendimento com Éder Luis e Tardelli que o Ricardinho). Aliás, lembro que o time começou a desandar no momento em que o Júnior deixou de participar como armador, nem que fosse por um tempo. Na hipótese de dois meias, teria que sair um volante, que acredito deveria ser ou o Corrêa ou o Márcio Araújo, porque o Roth não perderia a consistência defensiva do Jonilson, o que não está errado.

    ResponderExcluir
  4. Oi Aurélio, o Ney nasceu em Vargem Alegre, na época distrito de Caratinga. Na certidão de nascimento dele consta Caratinga.
    Caro Fred um abraço do companheiro e obrigado pela participação;
    Josias, concordo em tese com sua fundamentação excelente. Você mostrou que conhece de futebol e então a gente tem que respeitar. Um abraço forte direto de Caratinga aos três.

    ResponderExcluir
  5. Perfeito Flavio!
    Todo mundo só fala que ele é de Vargem Alegre, perguntei ao meu pai e ele me disse o mesmo que vc,rs. Tudo certinho, parabens mais uma vez pelo blog!
    E o meu tigrao de aço salvou hein,rs q sufoco! nao precisava disso! haha
    Pode ter certeza que depois da queda e desse sufoco o Itair vai ficando mais humilde e vai falando menos...já melhorou bastante! rs
    Agora eh montar um bom time, pq o que está aqui tem q mandar mais de 60% embora!! É muito bom ver o futebol de Mg se fortalecendo com America_Mg e Ipatinga na serie B, Cruzeiro e Atletico na serie A. Que outros times do interior sigam o caminho!

    Abraços Flavio!

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.