quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

KLEBER LEVANTA BANDEIRA BRANCA

FOI BEM SENSATA a entrevista coletiva de Kleber e com certeza botou um ponto final nesta chatice sobre sua saída do Cruzeiro. Quem perguntar alguma coisa pra ele sobre isso, corre risco de ir pro trono da burrice. Kleber falou o óbvio, que todo mundo tá cansado de saber, menos a turma pelassaco: não é jogador inegociável, como qualquer outro do elenco, segundo o Midas Zezé Perrela..

TRADUZINDO PRA turma de QI zero: se o Palmeiras, ou o Flamengo, ou o Fluminense da Rua do Sal de Caratinga chegar com R$ 10 milhões na bucha leva o craque. Sem isso na frente, é puro papo furado.

NO BRASIL nenhum clube tem tal fortuna disponível. Alguns contratam atletas no exterior trocando papagaios. O clube europeu deve tanto ao brasileiro e transfere a dívida pra outro daqui. Então libera o atleta.

SE O DONO aqui vai receber a dívida transferida é outro assunto. Kleber não está nessa situação. Casou com Débora Favarini, mineira, jornalista de Beagá, e tem feito bons amigos. Claro que gosta das notícias, faz bem ao seu ego.

PORÉM, se eu que não tenho nada com a questão, estou de saco cheio, imaginem o Gladiador. Na entrevista revelou-se cheio com as especulações distorcidas e mentirosas da Imprensa.

ENTRETANTO, penso que a Imprensa só tem repassado as informações que lhe chegam. Um mestre em plantar tais informações é o aparício do empresário de Kleber, Giuseppe Dioguardi. Não passa um dia sem que esta mala sem alça apareça nos noticiários. É ou não é verdade?
ABRO A INTERNET e lá está ele de novo, informando que Kleber só deve deixar Belo Horizonte se o Cruzeiro receber uma proposta do futebol estrangeiro. Ô Dioguardi, por que você não vai enxugar gele lá no Pólo Norte?

O NOVO GALO de Luxemburgo mostrou parte de sua cara no jogo-treino de ontem na goleada (5 a 1) sobre o Villa Nova. O sistema de frente funcionou de acordo, mas a cozinha, ainda incompleta, deu dor de cabeça para o Professor. Muriqui foi o destaque.

TAMBÉM o Cruzeiro de Adilson, sem maiores novidades, goleou no jogo-treino: 7 a 1 no seu parceiro Itaúna. Não deu pra avaliar melhor, porque Fábio, Fabrício e Wellington Paulista ficaram de fora, poupados.

EM COMPENSAÇÃO, Thiago Ribeiro nadou de braçada com três gols. Adilson, seu protetor, tá rindo à toa.

ROGÉRIO OLIVEIRA, de BH, me pergunta: “quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? “ Sei lá, cara.

MAS, NA REALIDADE, Rogério, leitor fiel, quer tirar uma casquinha em Adilson, na possibilidade de nova pendenga dele com os repórteres que a Trincheira previu a continuar esta besteira de comparações entre os treinadores do Galo e do Cruzeiro.

DIZ MAIS: “ Esta máxima cai bem na pendenga latente entre Adilson e alguns repórteres. Esses meninos foram marcados por momentos de intolerância do treinador e agem, consequentemente, com um certo rancor quando entrevistam-no”.

SERÁ, ROGÉRIO? Se isso fosse uma regra geral, Luxemburgo e Murici, sem falar no Mestre Telê e Felipão, teriam rancor com a maioria dos papagaios da imprensa tupiniquim. E tava esquecendo do Levir Culpi.

ESTAS HONORÁVEIS figuras deixaram marcas de desavenças e “de intolerância” com a Imprensa por onde passaram. Isso não vai acabar nunca, a não ser que a maioria dos coleguinhas aprenda a perguntar e se impor; os treinadores deixem de pensar que são pauteiros de redação e que entendem de jornalismo, também.

POR FIM, Rodrigo convoca o leitor pra briga: “mineiro tem um que rancoroso, habitante que é do alto das montanhas e da beira de rios. E sua famosa hospitalidade tem limites.

O SENHOR Adilson é um visitante , mais provisório do que pensa , se depender de 30% da torcida esclarecida cruzeirense. (Há controvérsias, caro Rogério.)

“E CERTOS meninos da Imprensa , tiram partido da diferença abissal existente entre Wanderley e o Iniciante”. Não deviam, porque se trata de uma constatação tão óbvia que só um despreparado desconhece.

JÁ GUTEMBERG Fischer, de Santo Antônio do Monte, manda um recado pra Leopoldo Siqueira, da TV Alterosa, por meio da Trincheira: “Leopoldo Siqueira,
você precisa de orações, pois se mostra bastante sofredor com seu time (Atlético)”.

“NOTAMOS SUA incansável necessidade de distorcer os fatos em favor do seu time, o que é irreal e não se sustenta; tenho pena de você que como a maioria das pessoas que trabalha na mídia esportiva não noticia os fatos , omite as notícias que não favorece seu interesse atleticano e tenta a todo custo criar um cenário favorável ao seu interesse e isso é uma atitude muito pequena”.

“MAS AS PESSOAS podem melhorar, eu torço que você seja feliz e tente fazer um exame de sua consciência e viva na verdade...Só tenho uma pergunta: vocês querem ver o Kleber do Cruzeiro bem longe de BH, por quê?

“ESTÁ FICANDO chata a sua insistência com isso. E ainda edita as reportagens do Kleber, não publicando as verdades que o jogador diz”.

CONCORDO numa coisa: também estou de saco cheio com esta história de Kleber deixar a Toca da Raposa. Não existe outro assunto?

A RAPOSINHA tá fera brava na Copa São Paulo: venceu o Paraná (1 a 0) e passou às oitavas de final. No domingo, joga em Limeira, contra o Internacional local. Nova pedreira para os garotos azuis.

3 comentários:

  1. torcedor preocupado com o time que jornalista torce, que bobagem...e avisa pra ele que Leopoldo não é torcedor do atletico mineiro. só uma dica, o time dele foi campeão 2 vzs em 2009.

    Flávio Azevedo

    ResponderExcluir
  2. Flávio Azevedo,

    Bom dia, não estou querendo defender nada nem ninguém, mas pelo que entendi, o leitor criticou pela parcialidade e não pelo clubismo.
    Pelo menos foi o que entendi.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Ô Waltinho, não liga não. O Flavio Azevedo tá de mal com a vida e com a Imprensa. Seu negócio é meter o pau nos outros. Obrigado pela participação. Flávio Anselmo

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.