quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

POSTADO ÁS 22 HORAS E 45 MINUTOS

ROGÉRIO CORREA gritou gol de Wellington Paulista. Pra mim foi dele mesmo. Confesso que vi o lance várias vezes e não consegui ver Paraná tocar na bola. De qualquer forma, o belo lance do centroavante do Cruzeiro, aplicando um drible seco no beque do Real Potesi, começou a goleada prevista pra partida. O primeiro tempo terminou em 4 a 0. Além desse gol, que o árbitro argentino deu pra Marquinhos Paraná, o Cruzeiro, jogando com inteligência e no moderno esquema do velho 4-3-3,e como um guerrilheiro que ataca e recua, marcou com Kleber, Thiago Ribeiro e Jonathan, de cabeça.

O IMPORTANTE é que o time mostrou entrosamento, superando a falta de um meia armador, Gilberto, suspenso. Teve uma falsa linha de quatro beques, no princípio. Mas depois, Elicarlos ajustou na lateral direita e Jonathan virou volante. Os dois cresceram uma barbaridade. O menino Diego Renan que começou no atacante, quando o Real fechou aquele setor, ele recuou e o Cruzeiro virou pra direita, onde estava Thiago Ribeiro.

ALIÁS, o esquema de três atacantes funcionou. Thiago e Kleber movimentaram muito, em constante troca de posições, também, com Wellington. Tanto que os três estavam como centroavantes nos três primeiros gols. Apenas o de Jonathan nasceu pela esquerda e Jonathan cabeceou na direita.

NO SEGUNDO TEMPO, espero que o Cruzeiro mantenha essa disposição e peça calma ao Gladiador, caçado o tempo todo. A goleada tá configurada, mas falta confirmá-la na fase final, sem menosprezar o fraco adversário. Exatamente como o Cruzeiro fez no primeiro tempo. Adversário fraco, goleada nele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.