quinta-feira, 4 de março de 2010

POSTADO AOS 6 MINUTOS DE QUINTA-FEIRA

Acabei ainda a pouco de ler a sua Trincheira. Nas suas palavras ficou claro o seu descontentamento com o "andar da carruagem", que culminou com a vitória do Cruzeiro no julgamento (Sic!) acontecido ontem. Eu tenho - caro amigo - o hábito de dizer (e assino em baixo) que este amontoado de asneiras à qual deram o nome de Constituição Brasileira, deste país grande e bobo chamado Brasil, fora feita, ao que parece, por bandidos para aos bandidos proteger. O poeta (considero-o Profeta) Rui Barbosa profetizou: (...) Haverá tempo em que o homem vai rir da honra e sentir vergonha de ser honesto!"
Neste nação de esfaimados onde os crimes cometidos no trânsito louco teem as suas penas convertidas em sestas básicas, o que poder-se-ia esperar de um Tribunal que julgava um atleta que teve a sua pena convertida, também, em uma sesta básica? O caso em epígrafe, conspícuo causídico, não foi o primeiro. No Rio Grande do Sul houve, também, um caso idêntico ( Não saberia dizer foi o Grêmio ou Inter o beneficiado.) com julgamento idem.
Não podemos querer dar ao Cruzeiro uma vassoura para que ele fique varrendo em torno de si na vã esperança de que os outros que vierem encontrem a almejada limpeza. Infelizmente, diga-se, o mundo vai continuar assim e VIVA O BRASIL COM AS SUAS ESDRÚXULAS LEIS PROTECIONISTAS!

Um abraço do fã

Altamiro Fernandes da Cruz
=2º Ten PM=

Um comentário:

  1. Fico feliz em poder encontrar tal Peróla na Internet. Descobri seu blog através do Blog de outro grande jornalista que admiro o Chico Maia. Li suas opiniões e críticas e assino embaixo em todas, mesmo as dadas em demérito do meu Glorioso Galo, mas é a realidade, a verdade. Os fatos não podem nem devem ser mascarados, não é porque alguém errou contra você que você deve cometer o mesmo erro, criando um círculo vicioso. As vaidades humanas creio eu são levadas ao extremo no mundo da bola, principalmente por atletas e profissionais brasileiros ligados ao futebol, afinal que outro esporte no mundo faz de garotos pobres e favelados, descendentes diretos da escravidão homens ricos, que dirigem carrões e saem com as mulheres mais bonitas? A ascensão rápida e sem preparo cria essa arrogância moral, que o poder econômico dá. "Eu estou sempre certo!" "Eu posso!" Afinal "Você sabe com quem está falando?" Frases comuns num país em que o que vale é o status não o ser. Fulano é Deputado . Sicrano é jogador de futebol. Beltrano é traficante. Em todas as esferas sociais tem os "poderosos" e seus interesses, se são contrariados aqui sempre dá-se um jeito. Porque somos o país do Jeitinho. Valeu Flávio parabéns por sua bravura!!!!

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.