quinta-feira, 17 de junho de 2010

MARADONA PASSA NO TESTE DE TREINADOR

NEM A DERROTA DA ESPANHA diante do ferrolho da Suiça (1 a 0), nem a difícil vitória do Chile sobre Honduras ( 1 a 0) ou a eliminação da África do Sul pelo Uruguai (3 a 0), me surpreenderam tanto quanto a visão do treinador Diego Maradona no jogo Coréia e Argentina, ao trocar Carlito Tevez pelo rápido e escorregadio Aguerro. O problema é que no momento da troca, os hermanos passavam por dificuldades. Os coreanos já haviam perdido o gol de empate - o placar era de 2 a 1 - e criado outras situações de risco.

NORMALMENTE, os treinadores iniciantes e os que a gente tem visto colocariam um jogador de meio-campo, mais marcador, pra neutralizar a Coréia do Sul. Maradona pressentiu o momento: a Coréia saía e ficava vulnerável aos contra-ataques. O time precisava de alguém pra dialogar com Lionel Messi. Botou Aguerro, mudou o jogo e tornou Iguain artilheiro da competição com três gols.

A GRÉCIA chegou aos quatro pontos no grupo B, atrás da Argentina que fez seis. Junto da Coréia do Sul com três e a Nigéria com um, os gregos brigarão pela outra vaga. A virada sobre a Nigéria( 2 a 1) marcou a primeira vitória da Grécia numa copa do mundo.

FINALMENTE, O MÉXICO que foi à Africa do Sul atrás de uma Copa consagradora. Depois do empate com a Bafana, Bafana, (1 a 1) os mexicanos trituraram a França pra alegria de Galvão Bueno. Interessante, realmente, o técnico francês Domenec: encostado estava e encostado ficou. Uruguai e México, com quatro pontos, se enfrentam na última rodada. Empatando, os dois se classificam. O placar de 2 a 0 em favor do México foi pequeno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.