terça-feira, 22 de junho de 2010

POR QUE NÃO GOSTO – E TORÇO CONTRA – OS IANQUES.

HISTÓRICAMENTE eu teria milhares de justificativas para esta minha ojeriza de norte-americanos. Que manifesto aqui apenas nas entrelinhas, posto que a Trincheira é espaço exclusivo de futebol

PORÉM ao ler artigo de minha sobrinha, jornalista Alessandra Anselmo não consigo manter-me mais atrás da moita. Pau neles!

É VERDADE que a seleção ianque no Mundial da África é nossa aliada, pois defende o sucesso do esporte nos States contra o movimento conservador que pretende varrer o futebol (soccer) de lá.

LEIAM COM ATENÇÃO o artigo abaixo e aceito manifestações de apoio e solidariedade:

“A COPA DO MUNDO é a mais nova vítima da raivosa extrema direita americana. Vários comentaristas americanos estão atacando a popularização do esporte nos EUA, dizendo que se trata de uma modalidade esportiva “de pobre”, coisa de sul-americano, resultado da crescente influência dos hispânicos no país e ligado às “políticas socialistas de Obama”.

“GLENN BECK, o mais famoso comentarista conservador da Fox News, compara o futebol às políticas do presidente Barack Obama. “Não importa quantas celebridades o apoiam, quantos bares abrem mais cedo, quantos comerciais de cerveja eles veiculam, nós não queremos a Copa do Mundo, nós não gostamos da Copa do Mundo, não gostamos do futebol e não queremos ter nada a ver com isso”, esbravejou Beck”.

“SEGUNDO ELE , o futebol é como o governo Obama: “o resto mundo gosta das políticas do Obama, mas nós não.” O pessoal do Tea Party está assoberbado: xinga a expansão do governo, a reforma do sistema de saúde, duvida da certidão de nascimento do Obama…e agora, o futebol, essa coisa de estrangeiros que mancha a cultura Apple Pie”.

“COM O BOM desempenho do time americano no jogo contra a Inglaterra, os tradicionais fãs de beisebol e futebol americano estão mais entusiasmados com a Copa do Mundo. Mas isso é resultado de uma “conspiração da esquerda”, dizem os conservadores.

“FUTEBOL É UM JOGO de pobre”, disse o analista conservador Dan Gainor, do Media Research Center, em rede nacional: “A esquerda está impondo o ensino de futebol nas escolas americanas, porque a América está se ‘amarronzando’ (cresce o número de hispânicos)”.

PARA MATTHEW Philbin, do centro de pesquisas de direita Culture and Media Institute, “a mídia liberal sempre se sentiu desconfortável com o o excepcionalismo americano, o fato de nós sermos únicos entre as nações, sermos líderes; e os esquerdistas são contra nossa rejeição ao futebol, da mesma maneira que são contra nossa rejeição ao socialismo”.

“O RADIALISTA Mark Belling foi além. “Eles estão nos enfiando futebol goela abaixo”, disse Belling no programa de rádio de Rush Limbauygh, ouvido por 20 milhões de americanos. Para eles, o futebol é um esporte estrangeiro, que não pertence à cultura tradicional dos Estados Unidos”.

”O FATO É QUE o futebol conquistou tantos adeptos nos Estados Unidos nos últimos 10 anos que atualmente rivaliza com beisebol e basquete. Hoje em dia, mais crianças abaixo dos 12 anos jogam futebol do que beisebol, basquete e futebol americano juntos”.

“SEGUNDO A FIFA, os EUA têm 18 milhões de jogadores registrados. Muitos imigrantes hispânicos trouxeram a tradição de seus países e ajudaram a popularizar o esporte nos EUA. Mas o futebol nem de longe se restringe aos hispânicos”.

“JÁ EXISTE ATÉ uma faixa demográfica apelidada de “mães do futebol” (soccer moms): mulheres brancas de classe média, que vivem no subúrbio e passam boa parte do tempo em suas mini-vans, buscando seus filhos (normalmente meninas) nos treinos de futebol”.

GOSTARAM DO ARTIGO? É de uma Anselmo que brilha em Brasília no momento. Assino embaixo.

COMO DISSE o enorme Juan Pablo Sorin ao participar como convidado daquela Central da Copa, durante o jogo Argentina 2 x Grécia 0: “Carajo”. O moço que apresenta o programa riu e puxou as orelhas do futuro técnico celeste.

TWITTER DO ANSELMO: “Riquelme, a um passo de continuar no Boca”, informação da agência Telam de Buenos Aires.

PERRELA não se emenda mesmo: agora adoça a boca da torcida com as possíveis contratações de Belletti, do argentino Montillo e de Diego Souza. Como no caso de Riquelme, existem 90,99% de possibilidades negativas.

3 comentários:

  1. Poxa, me decepcionei muito com o seu "ódio aos ianques". Políticos nao representam o povo e vice-versa. Já morei nos USA e sou casada com um americano. Se voce conhecesse a generosidade do povo comum, a hospitalidade deles mudaria de opiniao. O mundo que tanto os critica tem lá milhares de habitantes, ilegais ou nao, construindo suas vidas. Os USA foram e sao a salvacao de muitos que nao viam ou vêm perpectivas em seus países. Enriqueceram varios cidadaos e cidades extrangeiras. Valadares por exemplo. Eles investem em pesquisas cientificas em que todos sao beneficiados. Há várias ONGs que prestam ajuda humanitaria em todo o mundo só pra citar alguns exemplos. O futebol, ou soccer, como queiram vai vingar, quer esses políticos queiram ou nao. O que faz uma naçao é a força, o pensamento do seu povo e nao opinioes de um partido, quer de direita ou de esquerda, ou de alguns jornalistas que pensam serem os donos da verdade como muitos aqui do Brasil! Vide globo e outras emissoras!! I love USA e que vençam, hoje e sempre!!!

    ResponderExcluir
  2. Õ MARTINA, que bom que vc morou nos States e seja casada com um norte-americano. Moro no Brasil e sou casado há 40 anos com uma caratinguense e não tenho nada tb a reclamar. Gostar ou não gostar faz parte de seu livre-arbítrio. Exerci apenas o meu. Grato

    ResponderExcluir
  3. Caro Flávio,

    Em momento algum eu eu quiz dizer que voce nao tem o direito de exercer seu livre arbítrio.

    Eu apenas disse que me decepcionei e achei pouco o motivo para continuar "odiando -os" pois conheço o "outro lado" daquele povo amável e trabalhador.

    Nao entendo por que o "mundo" que quer odiar nao escolhe países ou governantes que apoiam a mutilam de suas mulheres ainda meninas para que nao tenham prazer sexual. Porque nao odeiam aqueles que convencem os seus habitantes a serem homens bombas,(agora mulheres, crianças e animais também) com a promessa de conquistarem o "paraíso"...porque nao odeiam aqueles que impedem que seus habitantes tenham liberdade de crença ou culto...que criam leis para se perpetuarem no poder e com apoio do narcotráfico...que enriquecem uranio com fins nada pacíficos e por aí vai...porque só os USA merecem tanto ódio?

    Eu, contudo, nao odeio nada... nem ninguém...nem país algum...é a minha escolha.

    Grata a voce também!

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.