segunda-feira, 23 de agosto de 2010

AS TORCIDAS NÃO AGUENTAM MAIS

POR MAIS EMOCIONAL que seja a mensagem do leitor José Semião Neto, cruzeirense, representa enorme parte da decepcionada torcida celeste. Mesmo porque, qualquer torcedor é assim, emocional. Não tem nenhuma obrigação de ser racional.

NO PITACO que me enviou, José Semião Neto diz: “Não agüento mais ver esta situação... Estou impressionado como este time do Cruzeiro entrega jogo... Nunca vi tanta incompetência...”

O MOMENTO é ruim, meu caro Semião, porém a volta por cima só cabe mesmo ao elenco. Sei lá, mas me parece que Cuca não conseguiu agregar o grupo.

TALVEZ precise, realmente, de uma boa mexida, porém nada da barcaça sugerida pelo nobre leitor, com o devido respeito. No entanto, nada que umas boas vitórias imediatas não resolvam...

NUM CAMPEONATO tão logo, como gostam de afirmar os técnicos, o que conta é a regularidade. Segundo os estatísticos, tal regularidade corresponde à média de dois pontos por jogo. Analisemos a situação do Cruzeiro; tem 15 jogos e 21 pontos, ou seja, média de 1,4 por jogo. Abaixo do ideal.

VANDERLEI tem lá suas razões ao disparar contra a Comissão de Arbitragem e a falta de critério dos juízes. Porém, fazer disso a justificativa da derrota para o Santos é demais.

O TIME QUE TEM 4,7% de aproveitamento nos jogos fora de casa fica sem moral pra reclamar dos juízes.

CONTRA o Flamengo no Maracanã, dentro desse conceito levantado por Luxemburgo que o Galo coloque, então, sua crista de molho.

NADA é mais convidativo aos árbitros do que ajudar o Mengão em pleno Maracanã.

DESVIAR o foco da verdadeira causa da campanha do Atlético não é saudável. Bastaria Luxa afirmar que tenta montar uma equipe na competição.

VALE DIZER: o comandante do Boeing tenta trocar os pneus da aeronave em pleno voo.

A ATUAÇÃO do Coelho e, em especial, de Fábio Júnior, na vitória em Guaratinguetá, encheram os torcedores assíduos de esperança no retorno à divisão de elite.

SÓ QUE FALTA muito, ainda, pra isso ser confirmado e o que se vê, no momento, é uma equipe atrás de sua personalidade. O América num jogo é grande, no outro fica pequeno.

O PEIXE fará uma blindagem em Paulo Henrique Ganso nos moldes da que fez no menino Neymar. A intenção é afastar os empresários e o assédio dos clubes europeus. Bom negócio.

POR AQUI, na falta de quem blindar – faltam interessados além de craques – as prateleiras estão lotadas à espera de compradores. Saudade dos bons tempos...

POR FALAR NISSO – bons tempos – durante uma hora papeei com Paulo Celso, meu padrinho de casamento, e o melhor repórter que o rádio mineiro jamais viu.

JUNTO com Walter Luiz, este mais sumido que nota de 100 no meu bolso, formavam a dupla de repórteres da Rádio Guarani que até hoje os ouvintes de bom-gosto pedem de volta.

2 comentários:

  1. Meu caro Flávio: Meu "pitaco" é para agradecer a citação de meu nome em seu comentário Cuidado Rapazes:As torcidas não agüentam mais". Obrigado de novo por me comparar a uma nota de Cem Reais, que na realidade estufam seus bolsos.Estou por ai ou melhor em casa e sempre acompanho você na TV, jornal e na internet.Para profissionais como Paulo e eu, não há mais lugar na imprensa.Curto meus 70 anos bem vividos e ainda profissional mas sem oportunidades.Obrigado pela lembrança.Abraços, Walter Luiz.

    ResponderExcluir
  2. Quando criança, aqui em Alfenas, eu gostava muito de ouvir Walter Luís e Paulo Celso, além do comentário do Flávio Anselmo - de peito aberto. Eu achava o máximo quando ele começava dizendo: "Alô amigos da bola, um abraço prá vocês". Vibrava quando ouvia notícias do meu Galo.Tenho muitas saudades e gostaria muito de ouví-los novamente. Abração pra todos vocês.

    Rui

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.