segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A SAGA DE UM APOSENTADO SOB O JUGO DO BRADESCO

PARTE III

TAMBÉM ESTE EPOPEIA poderia chamar-se "Um aposentado nas garras do Finaza/BMC", pois este é o braço do empréstimo compulsório da Bradesco Promotra. Conforme afirmei no texto anterior, o problema surgiu mesmo quando fui pedir o tal boleto de antecipação de pagamento. De sã consciência, qual é o problema que existe aqui? Não seria mais fácil entregar-me o boleto como todos fazem, inclusive as financeiras de carro? Mas não: a sra. FLAVIA ALVES, que gentilmente foi à minha casa, por ordem do Bradesco encaminhou-se à uma bitaca na rua Tupi, 25º, chamada "É Crédito". Uma sala de 60 ms com duas saletas. É de se assustar como uma força igual`ao Bradesco entrega serviço a gente desqualificada e incapaz como o pessoal desta bitaca. Para reivindicar o boleto eu teria de encher um requerimento e anexar vários documentos que já havia entregues no ato da assinatura do contrato - cuja cópia não me foi enviada. Com firma reconhecida. Ao questionar esta burocracia, a atendente foi grosseira e chegou a dizer que o banco não se interessava que os clientes quitassem antes as dívidas. Quando passamos a discutir o assunto, apareceu - o que imagino ser - a dona da bitaca. Mais grosseira e mandona, bateu a porta da sala dela na minha cara, e antes me mandou sair do escritório. Aí o sangue ferveu mesmo. O certo é que depois, ela passou a dificultar o meu pedido e da minha mulher. Viu uma rasura no requerimento, que de tão ilegal é sua origem não teria maior importância. Tivemos que providenciar outro com firma reconhecida, despesas de cartório. Os documentos só poderiam ser entregues por mim e minha mulher. Os dois juntos, apesar de a gente não assinar nada na hora da entrega.
Quando chegou o boleto de minha mulher, fora do dia prometido, outra luta começou. Conto depois...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.