domingo, 31 de outubro de 2010

OBJETIVO ALCANÇADO, TRINCHEIRA VOLTA AO FUTEBOL

DEPOIS de prestar sua colaboração na guerra contra a imoralidade dos asseclas de Serra em constantes agressões mentirosas dirigidas à candidata eleita Dilma, a Trincheira volta ao seu propósito de comentar futebol. Sei que baixas aconteceram nessa caminhada, o que é absolutamente normal porque tb acontecem no dia-a-dia do futebol. Minha opinião sincera no futebol desagrada a várias pessoas e não é de hoje, há mais de 40 anos, recebo ameaças de morte, de agressões físicas, de processo e de gente que renuncia à leitura de minhas colunas ou garante que não me ouvirá mais e nem assistirá meus programas de Tevê. Farão, tb, campanha contra. Estou ai,entrementes. Podem ver que não fui morto; nunca sofri agressões físicas e nem processo judicial. Alguns não cumpriram as ameaças de abandonarem meus comentários, novos adeptos, no entanto chegaram. Vida que corre.

Dilma Roussef é nova presidente do`Pais. Iremos com ela nos próximos quatro anos e espero que Serra desista de vez, ou seja apenas candidato a prefeito de São Paulo, cargo que renunciará pra ser candidato a governador e...Não creio. Lula persistente só existe um. Graças a Deus. Aécio Neves e Antônio Anastasia que cuspiram no prato que comeram nos últimos anos não conseguiram transferir o tal prestígio deles aos mineiros. Nem o senhor Itamar que apanhou do FHC e juntou-se a ele, de novo. Acabou a festa. Chega de política e vamos voltar à reta final do Brasileiro onde Atlético, Cruzeiro e América têm muito que fazer

sábado, 30 de outubro de 2010

POIS É, GALO VOLTOU PRO BURACO E A RAPOSA PRO LADO DO FLU

QUANDO AFIRMEI na minha Trincheira e nos meus comentários no Só Esportes da Alvorada/FM e no Jogada de Classe, da TV Horizonte, que havia certa precipitação do Dorival Júnior em afirmar que o caminho de saída do Galo do buraco negro estava 60% percorrido fui xingado e chamado de velho caduco, afora coisas outras. E agora? O Galo perdeu em casa para o seu carrasco Botafogo (2 a 0), na Arena do Jacaré e voltou à zona do rebaixamento. Saiu o Vitória que goleou o Vasco (4 a 2) e pulou pra 37 pontos, na frente do Atlético Goianiense, 36,e Guarani, próximo adversário do Galo, lá em Campinas, quarta-feira.

O GALO é o primeiro na porta de saída, com 34 pontos. Mas o Avaí colou nos seus calcanhares com 33 após vencer o Guarani (1 X 0)e botar o time campineiro na saída dos salvados do incêndio. Tem 35 pontos, um a mais que o Galo. O jogo de quarta vai ser pura adrenalina. Pra variar, o presidente Alexandre Kalil acusou o árbitro Rogério Roman é mal intencionado. O Galo mandou 60% do jogo; teve maior volume, mandou bola na trave, mas não soube fazer gol. Onde o juiz errou? Desvio de atenção por causa da precipitação da festa. A vitória sobre o Cruzeiro valeu apenas 3 pontos, como qualquer outra. Diretores e torcedores fizeram festa de título.

JÁ O CRUZEIRO, jogando meia-bomba, fez 2 a 0 no desfalcado Grêmio Prudente e voltou à companhia do Fluminense, no primeiro lugar. Perde no saldo de gols. O carioca é enorme: 20 gols, contra 13 do Cruzeiro, que tem a defesa menos vazada, mas o ataque continua negando fogo no quesito centroavante. O próximo adversário do Cruzeiro é um velho conhecido; o São Paulo. O jogo será no Parque do Sabiá, que com certeza estará lotado...de sãopaulinos. O Cruzeiro errou ao optar por jogar no Sabiá esta partida, pois terá a maioria da torcida contra. Além do que, o Sâo Paulo tem crescido na competição. Chegou aos 47 pontos e busca entrar na G-4 do Bem. Uma vitória sobre o Cruzeiro seria importante.

UMA PERGUNTA QUE ME FAÇO AGORA: não é proibida qualquer propaganda política desde ontem sexta-feira. Como o Serra esteve na Internet, usando da web do partido pra pedir votos? As pesquisas dão a vitória da Dilma ou por 12 pontos ou por 10. Pode ser até por 2 pontos, porque é vitória e é isso que o Brasil precisa. Serra não, minha gente!!!!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

JUNTARAM FOME E VONTADE DE COMER

Os pastores de certas igrejas evangélicas não tomam jeito, realmente.Leiam a matéria da Folha de São Paulo

Campanha de Serra faz ofertas a evangélicos

BRENO COSTA - DE SÃO PAULO

"A campanha de José Serra (PSDB) está oferecendo benefícios a igrejas evangélicas e a entidades a elas ligadas em troca de apoio de pastores à candidatura tucana. O mesmo foi feito na campanha do governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin.
O responsável pelo contato com os líderes é Alcides Cantóia Jr., pastor da Assembleia de Deus em São Paulo.
Ele responde pela "coordenadoria de evangélicos" da campanha, criada ainda no primeiro turno exclusivamente para angariar apoios entre evangélicos.
"Disparo entre 150 e 200 telefonemas por dia, mais ou menos", diz Cantóia, que trabalha numa espécie de guichê montado no térreo do edifício Praça da Bandeira (antigo Joelma), quartel-general da campanha de Serra. No local, ele também recebe pastores para "um café".
Os telefonemas são feitos para pastores de várias denominações em todo o Estado de São Paulo, em busca de pedido de voto em Serra entre os fiéis de suas respectivas igrejas.
Segundo Cantóia, entre os argumentos para conquistar o engajamento dos evangélicos, além do discurso relativo a valores, como a posição contrária à descriminalização do aborto, está a promessa de apoio a parcerias entre essas igrejas e entidades assistenciais a elas vinculadas com prefeituras e governo, em caso de vitória tucana.
Como exemplo, cita a possibilidade de, com os tucanos no poder, igrejas poderem oferecer apoio a crianças e adolescentes, complementando o período que elas passam na escola. Assistência a idosos também é citada.
"O objetivo é levar as crianças para dentro da igreja", afirma o pastor. "Esse é um dos argumentos. Seriam igrejas em tempo integral, complementando a atividade da escola."
Cantóia afirma, também, tentar intermediar demandas recebidas de pastores junto a prefeituras. Por exemplo, pedidos para que entidades funcionem como creche ou que virem intermediárias do programa Viva Leite, do governo estadual.
Alcides diz ter sido um dos articuladores que levou os pastores Silas Malafaia, do Rio de Janeiro, e José Wellington Bezerra, de São Paulo, ambos da Assembleia de Deus, a gravarem depoimentos de apoio a Serra, exibidos em sua propaganda na TV.
O Conselho dos Pastores de São Paulo, que reúne representantes de diversas denominações protestantes, estima que cerca de 80 mil pastores em SP apóiem Serra”.

FUTEBOL É SÁBADO. DOMINGO FICA PRA DEMOCRACIA

Nossos votos fora das urnas serão neste sábado. Votos que o Cruzeiro vença o Grêmio Prudente, lá em São Paulo, terra do Serra; e que o Galo arrebente com o Botafogo, aqui em Minas Gerais, terra da Dilma. No domingo, exerceremos nosso papel de cidadão. Não deixe de votar, não anule seu voto e nem vote em branco. Apesar de o feriado prolongado, visto que alguns matarão segunda-feira pra curtirem as praias, não faça isso. As praias maravilhosas estarão sempre lá.
* Porém, o seu compromisso com o Brasil é agora e depois só daqui a quatro anos nas eleições presidenciais.
PITACO DO EUJÁCIO - Gosto de dar atenção aos pitacos do Eujácio Souza Prates – BH – ainda que não concorde inteiramente com eles. Por exemplo: ele diz em sua mensagem: “Acho que qualquer palestra motivacional ajuda muito; no caso do BOPE é emblemático por causa do sucesso do filme, mas no meu modo de ver, a arrogância do Valdir Barbosa que não permitiu o treino de reconhecimento do gramado por parte do Galo, a subestima”.
* Pô, vou me explicar pela centésima vez. Podia ser do BOPE, do Bofe, da Tosse. Só não podia é o jornal Super botar em manchete que a palestra foi fundamental na vitória do Galo.
CONVERSA FIADA - Fundamental conversa fiada. Ainda, sem concordar com o Eujácio mantenho a sua linha de raciocínio: “A vitória pré decantada pela torcida do Cruzeiro, as manchetes da imprensa: quando se relacionava ao Cruzeiro eram notícias alvissareiras e otimismo, inclusive com previsão de goleada; quanto ao Galo só sofrimento e pessimismo; esta foi a principal motivação para os atletas do Galo”.
* Ran, ran! Então você concorda comigo. O BOPE não foi fundamental m. nenhuma. A motivação foi outra. Ainda que eu discorde em parte, também, sobre essa conversa de preferência da Imprensa. Perrela tem mais “amigos” na mídia que Kalil.
EUFORIA TOTAL - E num acesso de euforia, igual ao ataque merecido sofrido pela Massa atleticana, diz Eujácio: “Até mesmo o rigor tão propalado quanto à entrada de atleticanos no estádio, mesmo sabendo que havia um acordo e a torcida do Galo tinha que respeitar; o Galo jamais tinha vencido duas seguidas e o Cruzeiro nunca tinha perdido duas seguidas, enfim, tudo que se falava em torno do Galo era só baixo astral”.
“Por isso, os rapazes entraram com muita garra e se não fosse o árbitro teríamos feito mais de 5 gols. Foi a mais nova versão do duelo entre Davi e Golias. Vencemos o Cruzeiro, arbitragem, Uberlândia e adjacências”.
* He, he, he, he. Mas o Galo, ainda, encostado no buraco negro. Cuidado com o exagero da euforia. Foi apenas uma vitória super importante. Outras serão precisas.
SOBRE POLÍTICA - Como falei rápido e nas entrelinhas sobre política na abertura da Trincheira, quero ratificar minha posição. Pitacar sobre política só no meu blog.
* Acesse e senta a pua: WWW.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com
DON BALÓN NA ÁREA - A famosa revista picareta espanhola Don Balón divulgou sua lista com as 100 maiores promessas do futebol mundial, válida apenas para jogadores nascidos até 1989 e por recomendação expressa de empresários e empresas dedicadas ao salutar esporte de comprar, vender e intermediar os jovens atletas.
* Sem falar nos picaretas e plantadores de notícias com aval de certa mídia.
BRASIL LIDERA - Pra variar, o Brasil entra com o maior número de representantes. Entre as promessas do futebol mundial, 10 são brasileiros. Alguns conhecidos e empregados, mas sujeitos a bons negócios: os mais conhecidos, Alexandre Pato e Philippe Coutinho, batem suas bolinhas na Europa; por aqui estão os astros santistas Paulo Henrique Ganso e Neymar. Ao lado dessas promessas de feras está o menino Diego Renan, ala do Cruzeiro.
*Com certeza, a turma do Don Balón, ainda, não viu o goleiro Renan Ribeiro, 21 anos, jogar.
CUIDADO ESPECIAL - O Daniel Carvalho me ganhou na sua coletiva de apresentação ao afirmar que esta era sua última chance no futebol brasileiro. Voltava pra jogar num grande clube e precisava explicar-se. Então não concordo com as insinuações de que seja “bichado” ou jogador que adora apenas “os chinelinhos”, expressão no futebol que quer dizer atleta que ganha rios de dinheiro sem jogar.
* Contra o Palmeiras, ele reclamou de dores na coxa direita, fez exames de imagem e constatou-se um edema muscular. Foi vetado para o jogo contra o Botafogo, lamentável.
VENTOS DESFAVORÁVEIS - Daniel Carvalho não precisa de apresentar suas qualidades técnicas, apenas preocupar-se com a parte física. Bom de bola a gente que ele é. Dorival Júnior matou a charada: o atleta precisa de melhorar, sem pressa de volta, a condição física e depois ganhar ritmo de jogo. A falta de sequência também o atrapalha. Isso faz com que o atleta nunca esteja em condições físicas ideais.
* Diante dessas explicações, Dorival Júnior entende que Daniel Carvalho precisa de uma atenção especial. Parabéns. Uma salva de palmas para o Dori que ele merece!!!
COELHO CONTINUA DE FOLGA - Como prêmio pela ótima atuação e a goleada sobre o Santo André (4 a 1) na Arena do Jacaré, devidamente reabilitado o América só volta a jogar na Série B do Campeonato Brasileiro, na próxima terça-feira na bela Curitiba. E terá um prato indigesto: o Paraná Clube, décimo colocado.
*Mauro Fernandes levantou o topete: o Coelho não está atrás apenas de classificação; quer, de novo, o título da Segundona.
SÁBADO É DO TIGRE - Virtual rebaixado à Série C, o América de Natal é adversário do Ipatinga, neste sábado, às 21h, no Ipatingão. A situação dos dois times está pra lá de Marrakesh. O Tigre precisa de cinco vitórias nos sete jogos restantes pra não descer à Série C.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

VOTOS PERDIDOS

Só assim é que o Serra ganha em Minas......

Em Minas Gerais, 60% é Serra...
o resto é planície!

Confesso que votei em Aécio pra um dos Senadores porque jamais deixo de votar e jamais votaria no esquisofrênico do Itamar. Já votei antes, várias vezes e até o perdoei ao juntar com o Collorido. Porém depois do (des) governo em Minas, desisti de vez dele. Além disso, sempre tive o compromisso comigo de votar no Pimentel, grande prefeito de Beaga. Votei no Anastasia por causa do Dimasia que ele aceitou e incentivou. Agora vejo que joguei fora meus votos no Aécio e no Anastasia. Que arrependimento!!!

Aécio levou rasteira do Serra que lhe fechou as portas na cara durante sua tentativa de brigar pela Presidência da República. Serra como sempre faz não cumpre seus mandatos e tirou Aécio do caminho no peito e na raça. Aécio aproximou-se de Lula e teve seu governo em Minas apoiado financeiro por Lula. Agiu como Serra. Passou a perna no Lula agora no Segundo turno. No primeiro, fez-se de mudo. Anastasia, político sem expressão, apesar de bom técnico, agiu como mandou o seu eterno Chefe. Tirou vantagem no primeiro turno, elegeu-se com base no Dimasia e agora sobe todo sorridente no Palanque de Serra. Dois dissimulados. Aliás, três: Aécio, Anastasia e Serra. Não creio que Minas cairá neste conto do vigário aplicado por eles. O Governo de Aécio foi feito na base dos investimentos do governo Lula. Portanto, Dilma neles!!

OBINA ENTRA E SALVA MISTÃO CONTRA O VERDÃO

Talvez São Judas Tadeu, o santo das causas impossíveis, cujo dia comemora-se em 28 de outubro, possa explicar os bons ventos que sopram pelos lados da Cidade do Galo. O Palmeiras vencia por 1 a 0 e o árbitro marcou pênalti contra o Atlético. O assistente Erich Bandeira não correu para o fundo de campo e permaneceu com a bandeira levantada. O árbitro Marcelo de Lima Henrique foi lá saber o motivo. Antes do pênalti houve impedimento de Lincoln.
* Ficou o dito pelo não dito.
OBINA NO JOGO - Então Obina foi chamado e entrou no lugar de Neto Berola. Frenesi na Arena. Num lance isolado, parte pra cima de Márcio Araújo que coloca o corpo na frente: foi pênalti ou não? Para o árbitro foi. Obina bateu e empatou. Ou seja, o misto do Atlético decide a vaga na próxima fase da Sul-Americana, em São Paulo, por uma simples vitória ou empate com número maior de gols do que o placar da Arena do Jacaré: 1 a 1.
* São Judas explica tudo, inclusive porque minha primeira neta, Vitória, hoje com nove aninhos, nasceu dia 28 de outubro.
CUCA ESQUENTADO - A derrota no clássico não fez bem ao técnico do Cruzeiro. Para o próximo confronto, contra o lanterna perigoso Grêmio Prudente, lá no interior de São Paulo, Cuca deixou entender no primeiro coletivo que mudará bastante a equipe. Na lateral-esquerda, sem Diego Renan, suspenso, Marquinhos Paraná deve ser o escolhido. Não faz mal ser lento pra posição? Pablo e Everton que, também, seriam opções treinaram entre os reservas.
* Na direita, a grande surpresa: Jonathan perdeu a posição para o Rômulo. Será?
BRAÇO A TORCER - Como todo treinador teimoso, Cuca não dá o braço a torcer. Sabe que escalou mal a zaga no clássico, porque voltou com Caçapa fora de forma, então pensa em mudar o setor. Só que deixa Caçapa e tira Edcarlos, outro que foi mal no clássico mas vinha atuando bem.
* Joga Léo que devia ter entrado em Uberlândia, no lugar de Caçapa.
GILBERTO JOGA - Outra mudança prevista: Gilberto estará no meio-campo ao lado de Walter Montillo. Com Marquinhos Paraná escalado na lateral esquerda, muda nada. Cuca diz que Gilberto não será lateral, será meia. E Paraná, será, realmente, lateral, onde não atua efetivamente há tempos?
NOTA DE ESCLARECIMENTO - O presidente do Cruzeiro Zezé Perrela acende uma vela a Deus e outra ao Diabo. Sobre a informação “Cai monopólio do futebol na Globo”, publicada na edição do jornal Hoje em Dia do dia 21 de outubro, evidente dentro dos interesses da Rede Record, o cartola celeste beijou e soprou depois. Abençoou a medida do Cadê – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – e depois desmentiu. Leia a nota abaixo:.
“Procurado pela redação do jornal para comentar a decisão do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que decidiu (?) pelo fim da exclusividade e preferência de transmissão de jogos de futebol do Campeonato Brasileiro, o presidente Zezé Perrela deu a seguinte declaração enviada por e-mail para a redação:
“O Cruzeiro Esporte Clube achou a decisão importante para o futebol. A cláusula do contrato que dava preferência de renovação inibia as outras emissoras de também fazerem propostas. Com essa abertura quem vai ganhar é o esporte. Os clubes esperam poder fazer contratos melhores, mas isso só vai ser possível na próxima renovação, que acontecerá no fim da próxima temporada.”
Aí vem o desmentido: “Ao contrário do que foi publicado, o presidente jamais citou a Rede Globo de Televisão ou fez crítica à conceituada emissora. O Cruzeiro Esporte Clube esclarece ainda que sempre manteve as melhores relações com a Rede Globo, única emissora a investir e transmitir de forma consecutiva a competição em quase duas décadas sem interrupções, se tornando a principal parceira dos clubes brasileiros”.
* Principal parceira porque as outras não podiam entrar. Acabou isso, graças a Deus.
CALA A BOCA MALUF - Eduardo Maluf mal resolveu a falar de novo e levou logo um chega-pra-lá de uma tal de Anaf, entidade nacional que representa os sopradores de apito. Diz a nota:
“Anaf não aceita acusações de favorecimento no Brasileirão. O dirigente do Atlético Mineiro, Eduardo Maluf, tentou desvirtuar as más atuações de seu time no Campeonato Brasileiro sobre a arbitragem. Após a vitória sobre o rival Cruzeiro, no último domingo, focou suas ações na atuação de Sandro Meira Ricci, aspirante à Fifa e um dos mais qualificados da nova geração, além de seus assistentes Márcio Eustaquio Sousa Santiago e Guilherme Dias Camilo, ao invés de preocupar-se com o desempenho de sua equipe.Declarações acusando "roubo" e "favorecimento" como as que ocorreram por parte do atleticano não serão aceitas pela Anaf. A entidade, representante dos árbitros nacionais, está atenta e vai acionar seu departamento jurídico contra este tipo de verborragias.”
* Por isso que Alexandre Kalil decidiu ir ele mesmo à CBF reclamar dos apitos inimigos do Galo.
EMPATE NO RIO - Flamengo e Corinthians empataram e o resultado agradou em parte ao Cruzeiro e Fluminense. Os três ficaram com 54 pontos, sendo que os mineiros e os cariocas ainda jogam na rodada. Por enquanto, o Flu lidera com saldo de 18 gols; o Corinthians vem em segundo com 15 e o Cruzeiro é o terceiro com 11 gols. Culpa disso tudo é o estrago que os azuis levaram do Galo no Parque do Sabiá.
* O Cruzeiro luta pra entrar no G-3 ou pegar a liderança. Mas perde tudo com a maior facilidade.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

HOJE TEM MISTO QUENTE DO GALO CONTRA O VERDÃO

O time do Atlético que Dorival Júnior escalou pra enfrentar o Palmeiras esta noite no caldeirão do Jacaré graças às suspensões de titulares no Brasileiro é um misto quente caprichado: Renan Ribeiro; Werley, Jairo Campos e Cáceres; Diego Macedo, Zé Luís, Mendez, Daniel Carvalho e Fernandinho; Ricardo Bueno e Neto Berola.
* Dá pra ir com ele até o final da Sul-Americana.
VERDÃO COMPLETO
Luiz Felipe Scolari, no entanto, pensa diferente. Sem essa de optar pelo Brasileiro. A situação do Verdão é tranquila tanto pra cima como pra baixo. Seu foco então passa a ser a Libertadores por um caminho mais rápido e curto que é a Sul-Americana. Daí, Felipão traz pra Arena do Jacaré sua equipe titular: Deola, Márcio Araújo, Danilo, Fabrício e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Valdivia (Dinei); Luan e Kléber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
* Melhor assim, esquenta o jogo.
OLHO NA RUINDADE
Espero que o gerente atleticano, Eduardo Maluf, que chiou bastante depois do clássico fique de olho realmente na arbitragem desta noite. Marcelo de Lima Henrique (RJ-Fifa) será o juiz. Seu currículo no Brasileiro tá lotado de erros e críticas. Os assistentes Alessandro Rocha (BA-Fifa) e Erich Bandeira (PE- Fifa).
*Levam o escudo da FIFA. Vamos esperar que o honrem.
CUCA ESQUENTADO
A derrota no clássico não fez bem ao técnico do Cruzeiro. Para o próximo confronto, contra o lanterna perigoso Grêmio Prudente, lá no interior de São Paulo, Cuca deixou entender no primeiro coletivo que mudará bastante a equipe. Na lateral-esquerda, sem Diego Renan, suspenso, Marquinhos Paraná deve ser o escolhido. Não faz mal ser lento pra posição? Pablo e Everton que, também, seriam opções treinaram entre os reservas.
* Na direita, a grande surpresa: Jonathan perdeu a posição para o Rômulo. Será?

BRAÇO A TORCER
Como todo treinador teimoso, Cuca não dá o braço a torcer. Sabe que escalou mal a zaga no clássico, porque voltou com Caçapa fora de forma, então pensa em mudar o setor. Só que deixa Caçapa e tira Edcarlos, outro que foi mal no clássico mas vinha atuando bem.
* Joga Léo que devia ter entrado em Uberlândia, no lugar de Caçapa.
GILBERTO JOGA
Outra mudança prevista: Gilberto estará no meio-campo ao lado de Walter Montillo. Com Marquinhos Paraná escalado na lateral esquerda, muda nada. Cuca diz que Gilberto não será lateral, será meia. E Paraná, será, realmente, lateral, onde não atua efetivamente há tempos?

NOTA DE ESCLARECIMENTO . O presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela, acende uma vela a Deus e outra ao Diabo. Sobre a informação “Cai monopólio do futebol na Globo”, publicada na edição do jornal Hoje em Dia do dia 21 de outubro, evidente dentro dos interesses da Rede Record, o cartola celeste beijou e soprou depois. Abençoou a medida do Cadê – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – e depois desmentiu. Leia a nota abaixo:.
“Procurado pela redação do jornal para comentar a decisão do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que decidiu (?) pelo fim da exclusividade e preferência de transmissão de jogos de futebol do Campeonato Brasileiro, o presidente Zezé Perrella deu a seguinte declaração enviada por e-mail para a redação:
“O Cruzeiro Esporte Clube achou a decisão importante para o futebol. A cláusula do contrato que dava preferência de renovação inibia as outras emissoras de também fazerem propostas. Com essa abertura quem vai ganhar é o esporte. Os clubes esperam poder fazer contratos melhores, mas isso só vai ser possível na próxima renovação, que acontecerá no fim da próxima temporada.”
Aí vem o desmentido: “Ao contrário do que foi publicado, o presidente jamais citou a Rede Globo de Televisão ou fez crítica à conceituada emissora. O Cruzeiro Esporte Clube esclarece ainda que sempre manteve as melhores relações com a Rede Globo, única emissora a investir e transmitir de forma consecutiva a competição em quase duas décadas sem interrupções, se tornando a principal parceira dos clubes brasileiros”.
* Principal parceira porque as outras não podiam entrar. Acabou isso, graças a Deus.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

COELHO FAZ DE GOLEADA O DEVER DE CASA

OUTRA NOITE DE Fábio Júnior que sofreu pênalti, mandou bola na trave e marcou duas vezes na goleada que o América aplicou no Santo André na Arena do Jacaré nesta chuvosa noite de terça-feira. Pouco mais de 500 americanos prestigiaram o time que não os decepcionou. Otávio abriu a contagem, de cabeça; Fábio Júnior marcou duas vezes seguidas da mesma forma: de pênalti, que o goleiro Neneca defendeu e no rebote o artilheiro americano mandou pra rede. Altair, também de pênalti, na expulsão de Otávio, diminuiu para os paulistas. Marcos Rocha, um dos melhores em campo, completou a goleada com um belo chute de fora da área. No momento da abertura desta rodada, o Coelho entra na vice-liderança com 55 pontos. Alessandro do Ipatinga é o artilheiro, com 17 gols; Fabio Júnior e Ciro, este do Sport do Recife, vêm em segundo com 16. O próximo adversário do América será o Paraná, em Curitiba.

O armador Gilberto esperou bastante, mas volta cheio de moral com o técnico Cuca, após o gol marcado diante do Galo, quando estava em campo há apenas 20 segundos. Jogará ao lado de Walter Montillo contra o Grêmio Prudente, sábado, às 18h30. Cuca confirmou que Gilberto será meia armador e a lateral esquerda é disputada por Pablo, Everton e Marquinhos Paraná, já que Diego Renan levou o terceiro cartão amarelo no clássico.

TAÍ VOU APLAUDIR Cuca por fugir do lugar-comum dos treinadores. Disse que conversaria com Walter Montillo sobre a cobrança do pênalti contra o Atlético, e conversou. Sem fazer segredo. Sem aquela besteira que é assunto interno e se resolveria entre os membros da comissão técnica e os jogadores. Pô, o torcedor tem direito de saber o que aconteceu. Segundo o treinador, Montillo explicou que quis mudar o lado da cobrança em cima da hora, quando viu que Renan Ribeiro pularia no canto certo.

“Em vez de mudar de forma mais virada para o outro canto, ele mudou para largar a bola no meio do gol e pegou muito embaixo dela. Ele não foi para a bola pensando em dar a cavadinha; disse isso pra mim. Acontece. É o cobrador oficial de pênaltis nosso. É o que mais treina e o que tem melhor aproveitamento”. Parabéns Cuca, que sua atitude sirva de exemplo para os demais treinadores turrões.

Outra explicação de Cuca: “Montillo está sentido, pede desculpas para o torcedor como qualquer um pediria neste caso, porque sabe da responsabilidade que ele tem. Ele não bateu de forma negligente. Foi uma mudança de canto”. Eu que o critiquei e rotulei de negligente e irresponsável aquela cobrança, me penitencio e aceito as explicações do craque argentino.

COELHO VAI PRO TUDO OU NADA HOJE

NÃO EXISTE OUTRO RESULTADO hoje para o Coelho contra o Santo André, na Arena do Jacaré, senão a vitória. Qualquer outro coloca o time de Mauro Fernandes na dependência do tropeço dos adversários pra ficar no G-4 do Bem. Com 52 pontos, o Coelho olha para o Bahia, que tem 55 e hoje faz um confronto complicado contra o Paraná, lá em Curitiba. Se olhar, mais acima por melhores critérios, está o Figueirense, também com 55 pontos, e que enfrenta o Sport, com 50, em Florianópolis. Torcer pra quem? Se o primeiro objetivo é subir, o América teria de torcer pra o Figueirense vencer. Iria pra 58 pontos, mas afastaria o Sport. Caso passe pelo Santo André, o Coelho vai aos 55 pontos. Ainda poderá contar com o tropeço do Bahia, em Curitiba.

O GALO só usa nesta quarta parte da Tropa de Elite contra o Palmeiras, na Arena do Jacaré. Contudo, esta, também, tá devidamente escolada pelo pessoal do BOPE. A tropa de choque mesmo será guardada pra enfrentar o Botafogo, pelo Brasileiro, também na Arena.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

SEM ERROS NÃO HÁ CLASSICO ESPETACULAR

ESTE CLÁSSICO FOI ESPETACULAR porque houve um somatório de erros antes e durante a partida. O que não faltou foi detalhe, daquele tipo que, segundo os entendidos, define o clássico. Contudo, não se deve medi-lo pela soma de seus erros, mas pela emoções que proporcionou. Cruzeiro e Atlético salvaram-se no jogão; espero que o placar não funcione nos dois sentidos possíveis nas suas caminhadas dentro da competição. Que o Galo se sinta curado de todos os males vividos até então e suficientemente forte, ressuscitado, para esquecer a perigosa situação que ainda se encontra. Ou que o Cruzeiro se abale o suficiente pra esquecer que ainda é um dos lideres da competição e como tal continua forte candidato ao título deste ano.

NÃO HÁ CACOS a serem catados e juntados. Como tão bem definiu o técnico Dorival Júnior, o Atlético conseguiu a vitória por aquilo que jogou no primeiro tempo. Menos humilde e sem a mesma leitura da partida, Cuca entendeu com o Galo teve volume, mas o jogo era do Cruzeiro. O Galo foi feliz nas conclusões. Teve seis e marcou quatro vezes. A Raposa teve um monte e apenas conseguiu converter três. Não pode nem debitar, como quis, à sorte visto que as bolas do Galo que bateram na trave tomaram o rumo das redes e as do Cruzeiro saíram. Nem da cobrança do pênalti, pois a culpa única da perda cabe ao argentino Walter Montillo, até aquele momento a fera do time; quis fazer estilo, gracinha e chutou, de cavadinha, por cima. Completa falta de seriedade.

NUMA AUTO-ANÁLISE Cuca deve debitar a si enorme parcela dos erros ao definir pela escalação de Caçapa vindo de lesão, além de mais pesadão, e de Diego Renan, outro que estava parado há tempos. Os gols do Galo no primeiro tempo sairam em cima de Jonathan, atuação horrível, e de Diego Renan, com a colaboração dos homens de área. Especialmente Caçapa que não aguentou acompanhar Obina. Não se salva nem o extraordinário Fábio, um dos maiores responsáveis pela bela campanha do Cruzeiro no Brasileiro. Falhou nos três gols de Obina, talvez por excesso de confiança. Wellington Paulista fez falta, apesar de não ter faltado luta a Ernesto Farias. Faltou ao argentino, como homem de área, os gols necessários.

A PAR de tudo isso, sobrou no Atlético a raça que demonstra após Dorival Júnior assumir. O time marca, corre atrás, ocupa espaços e não tem bola perdida. A defesa firmou com o excelente Réver e a força física do garoto Werley. No gol, a competência de Renan Ribeiro cujo momento de indecisão foi apenas naquele lance do terceiro gol - o segundo de Thiago Ribeiro. Os dois laterais, sobre os quais recaiam dúvidas, deram conta do recado. E a supresa de Renan Oliveira no meio, tornando o time mais ofensivo, com apenas Zé Luiz de volante nato e Serginho mais solto, deu o nó tático que Dorival imaginava aplicar em Cuca. No primeiro tempo, claro.

NÃO PENSO que o Perrela tenha caído do cavalo ao optar por levar o clássico para o Parque do Sabiá. O pequeno público pagante foi motivado pelas chuvas fortes; Perrela fez o que os atletas pediram. A pressão da Arena do Jacaré não serve como desculpa, pois a torcida do Cruzeiro poderia dar uma força maior. Mais força que a torcida do Atlético dá não existe; e ela não conseguiu fazer o time ganhar no primeiro turno, apesar de lotar as dependências da Arena que eram apenas dela. A questão é que na época não tinha time pra fazer o que fez no primeiro no Parque do Sabiá.

Charge do Dia


domingo, 24 de outubro de 2010

ESTE CLÁSSICO JAMAIS NINGUÉM ESQUECERÁ

TUDO QUE SE PODIA esperar de um clássico tão decantado e importante aconteceu no Parque do Sabiá. Um clássico pra história. O Galo entrou com voraz apetite, escalado ofensivamente, contra o Cruzeiro acuado e esperando os erros do adversário. Só os azuis erraram mais no primeiro tempo e os alvinegros não perdoaram.

* Com 30 minutos, o Galo vencia por 3 a 0.

TENTATIVA DA VIRADA - No segundo tempo, o Cruzeiro tentou virar o placar. Chegou perto, mas o Atlético, na raça, segurou a vitória. Como dizem que todos os clássicos definem-se pelos detalhes, Cuca e Walter Gontijo que se preparem, pois foram os vilões do clássico.

* Já Dorival Júnior estará bem no papel de herói ao lado do goleador Obina.

PÊNALTY PERDIDO - O papel mal desempenhado por Montillo foi no pênalti de Werley e Edcarlos, na fase de apetite do Galo. A maior estrela azul cobrou displicente, por cima da meta de Renan Ribeiro. Bateu de cavadinha, como o Loco Abreu, do Botafogo. Deu-se mal.

* O castigo, outra vez, veio rápido. No lance seguinte, Obina fez 3 a 0.

VORAZ APETITE - A fim de confirmar que atravessa boa fase com Dorival Júnior e que está disposto a sair da zona do rebaixamento, o Galo começou o jogo com vontade. Aos 6m já fazia l a 0, com Obina aproveitando um cruzamento de Leandro. No segundo gol, o cruzamento foi de Rafael Cruz; Diego Renan e Edcarlos furaram bisonhamente. Obina marcou

*Quem pretendia jogar no erro do adversário, ofereceu os seus ao inimigo; e logo pra quem: para o matador do Galo.

ENTRA E FAZ - Então Cuca acordou e trocou Diego Renan por Gilberto, aos 35m. Um minuto após, ele marcou o gol cruzeirense pegando de esquerda, de fora da área, um cruzamento de Thiago Ribeiro. Belo gol e que botou mais lenha na fogueira do clássico para o segundo tempo.

*No intervalo, Obina disse que pediria no Fantástico a música do filme “Tropa de Elite” para simbolizar o grupo atleticano.

MUDANÇAS NO INTERVALO - O Galo voltou com Alê no lugar de Renan Oliveira e Cuca tirou Jonathan e botou Pablo. Pelo lado atleticano, existe um motivo. Renan é mais ofensivo e como o Cruzeiro passou a pressionar, Dorival colocou mais um volante de marcação. Mas Pablo no lugar de Jonathan confesso que preciso de mais informação pra fazer uma análise isenta.

* Se ainda fosse o Rômulo, haveria justificativa. Ataca bem.

CLÁSSICO DAS EMOÇÕES - Não é assim o clássico: a derrota vem nos detalhes. O Galo perdeu no primeiro turno, com apenas sua torcida no estádio e levou um belo gol de Wellington Paulista que definiu o jogo. No clássico de agora, o Parque do Sabiá só tinha cruzeirense que brigaram entre si, nas arquibancadas, quando o Galo fez 4 a 1 no segundo tempo, numa cabeçada sensacional de Rever, aos 25m.

*Cheirava goleada atleticana pra marcar a saída do time do buraco negro.

FICOU SÓ NO CHEIRO - O segundo tempo foi um punhado de emoções a cada minuto. Para alguns, o cruzeirense Cuca acertou ao colocar Roger e o atleticano Dorival errou ao tirar Diego Tardelli pra entrada de Daniel Carvalho. O certo é que o Cruzeiro marcou mais duas vezes, com Thiago Ribeiro, e esquentou o clássico. Quando o juiz anunciou mais quatro minutos, os corações dos dois lados entraram em pânico e bateram descompassados.

*Beagá fez festa pela vitória sobre o maior rival, justo ela que haveria de tirar o time da zona do rebaixamento. E o Cruzeiro da liderança.

Charge do Edra

Ziraldo completa hoje 78 anos de vida. Parabéns!

sábado, 23 de outubro de 2010

ACABOU A GORDURA DO COELHO

QUE SEJA A DERROTA DO AMERICA NO RIO para o Duque de Caxias (1 a 0)a última nesta reta final, porque com 52 pontos, em quarto lugar no G-4, não tem mais gordura pra queimar. No entanto, não pode se queixar da sorte, porque a rodada terminou com os seus concorrentes diretos, exceto o Bahia que enfiou 5 a 1 no ASA de Arapicara, perderam pontos. O Coritiba empatou ( 0 a 0)com o Paraná; mas considera o resultado legal porque disparou na liderança, bem na frente do Figueirenese que perdeu de 3 a 1 para o Icasa. O ameaçador Sport, também, não deu o sonhado bote e empatou (1 a 1) no clássico com o Náutico.

TODAVIA, se o América não fizer o dever de casa na próxima terça-feira contra o Santo André, na Arena do Jacaré, aí a casa pode cair e ele sair do G-4. Eu disse pode porque os deuses o ajudam sempre: O Sport, com 50 pontos, dois atrás do Coelho, terá compromisso azedo: pega o Figueirense, vice-líder, com 55 pontos, ganhando no saldo de gols do Bahia, em Florianópolis. Já o Bahia enfrenta o Paraná que cresce na competição, lá em Curitiba. O líder Coxa estará no ABC paulista diante do São Caetano e Ney Franco que não é bobo nem nada, haja vista que nasceu em Caratinga, jogará pelo empate. Caso vença o Santo André, e pule pra 55 pontos e houver vitória do Figueira sobre o Sport, o América permanece na quarta posição.


TOMOU SEU CALMANTE PRA ACOMPANHAR O CLASSICO PELA TEVÊ PAGA. O FAMIGERADO PAGAR PRA VER. EU NÃO PAGO. VOU VER NA INTERNET NO TVGOL...

FALA PRIMO IRAQ

MEU PRIMO IRAQ, como diria o saudoso Gil Costa "ácido" colaborador desta Trincheira manda duas mensagens/colaborações bem interessantes. Ocupam o espaço deste sábado. LEIAM E REPASSEM:


"Flávio. Não só na CONMEBOL como também no comentário sobre o clássico. Mas também dou meu pitaco. Atleticano que sou, acompanhante (gostou ?) de futebol desde 1953, quando vim viver nessas plagas belorizontinas, sinto-me forçado, pelo estágio atual das duas equipes, a eleger o Cruzeiro como favorito. Claro que vou torcer feito doido pro meu time, mas como não reconhecer a altíssima qualidade do atual plantel azul ? Suas ponderações sobre horário do jogo e o fato de os dois jogarem sabendo os resultados de seus concorrentes diretos, foram perfeitas. Acredito que se o Luxa tivesse sa´dia há mais tempo, o Galo estaria muito mais bem classficado. Tivemos (eu e meus colegas do Galoforte) informações, dadas por um jogador atleticano cujo nome prefiro declinar de dizer, que fazem estremecer a estrutura de qualquer pessoa.

Eis o texto, na íntegra.

Um grande amigo me encaminhou um e-mail narrando um papo de outro conhecido dele com um dos jogadores do Galo, durante um jantar na casa do jogador. São muito amigos (o cara que narrou e o jogador). Só que apagaram o nome do jogador porque o cara que narrou o encontro pediu para não espalharem, porque poderia prejudicar o atleta. O que li é estarrecedor.

Em primeiro lugar, não havia treino de manhã. O papo é que o carteado de fato estava comendo solto nas noites, o Luxa é vidrado nisso. Quem orientava os treinos, em geral, eram o Rincón e o Melo, o que bate com coisas que o próprio Luxa disse no Bem Amigos semana passada sobre como atua um treinador na Europa.

Ainda segundo o jogador, até os jogadores mais intimos do Luxa estavam impressionados com seu descontrole. Chamava os jogadores de filho da puta para baixo. Ficaram putos também porque achavam que ele tirava o dele da reta nas entrevistas e botava a culpa nos jogadores. E, ainda segundo o atleta, ficaram revoltados com o treinador quando este acusou Zé Luis de dar um "migué" quando não jogou por causa de uma frieira nos pés. segundo o jogador, o Zé é um dos mais queridos do grupo, por sua seriedade e profissionalismo, e o pé dele estava de fato em carne viva, não era golpe.

Por fim, o jogador disse que todo o grupo sabia que o Renan faz com uma mão o que os outros não fazem com as duas (expressão literal do jogador).

Fica cada vez mais claro que a diretoria demorou demais para tomar uma atitude, e que deram ao Luxa regalias que nenhum outro time do Brasil aceitou lhe dar.
E durma-se com um barulho desses.

SEGUNDA MENSAGEM DO IRAQNo dia 2 de Janeiro de 2011, um senhor idoso, depois de atravessar a Praça dos Três Poderes, se aproximou do Palácio da Alvorada e falou para o "Dragão da Independência" que montava guarda: Por favor, eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Serra.
O soldado olhou para o homem e disse: Senhor, o Sr. Serra não é presidente e não mora aqui.

O homem disse: Está bem. E se foi.

No dia seguinte, o mesmo homem idoso se aproximou e falou com o mesmo soldado: Por favor, eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Serra.
O soldado novamente disse: Senhor, como lhe falei ontem, o Sr Serra não é presidente e nem mora aqui.

O homem agradeceu e novamente se foi.

Dia 4 de janeiro ele voltou e falou com o mesmo guarda: Por favor, eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Serra.
O soldado, compreensivelmente irritado, olhou para o homem e disse: Senhor, este é o terceiro dia seguido que o Senhor vem aqui e pede para falar com o Sr. Serra. Eu já lhe disse que ele não é presidente, nem mora aqui. O Senhor não entendeu?

O homem olhou para o soldado e disse: Sim, eu compreendi perfeitamente, MAS EU ADORO OUVIR ISSO!!!

O soldado, em posição de sentido, prestou continência e disse: Até amanhã, Senhor!!!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

QUEM É O FAVORITO DESTE CLÁSSICO DO SABIÁ

Vejam bem que o título não se encerra com o ponto de interrogação. Ou seja, não é uma pergunta que a Trincheira faz. Trata-se mais de resposta às centenas de perguntas feitas ao longo da semana. Desnecessariamente. Os analistas, comentaristas , colunistas e pitaqueiros não se arriscam e dizem que em clássico não há favorito. No clássico daqui, Cruzeiro x Atlético; no de São Paulo, Corinthians x Palmeiras; no carioca, Vasco x Flamengo e no Grenal gaúcho. Os atletas, igualmente, negam qualquer favoritismo do seu time.

* Só o torcedor tem favorito na ponta da língua: o time de seu coração.

RESULTADOS AJUDARÃO - Tenho comigo que o grande favorito deste clássico é o empate. Explico o motivo: o Galo, na briga pra sair do G-4 do Mal, já saberá dos resultados que lhe interessam. O Atlético Goianiense joga no sábado contra o Guarani, em Campinas; e o Vitória enfrenta o Botafogo, no Rio. No domingo à tarde, tem Goiás e Avaí, no Serra Dourada.

*De repente, seria interessante ao Atlético arriscar menos e ganhar um ponto. Os matemáticos é que podem afirmar com certeza.

A VANTAGEM DISSO - O fato de jogarem às seis e meia da noite ajudará aos dois: afora diminuir a ação do sol eles jogarão sabendo dos resultados dos concorrentes diretos. O Cruzeiro, por exemplo, saberá o que aconteceu no Corinthians x Palmeiras; no Atlético Paranaense x Fluminense. Se for beneficiado pelos resultados terá procedimento tático especial.

*A história de ser a década do Cruzeiro, com um tabu azul, na prática vale pouco. Ou nada.

O QUE CONTA MESMO - Conta mesmo é o Cruzeiro não levar o topete de líder contra um time da zona de rebaixamento. Conta saber que Obina e Diego Tardelli formarão a dupla de 42 gols na temporada atleticana. Que Thiago Ribeiro não faz gol há cinco jogos e nunca marcou num clássico apesar de ter sete vitórias e uma derrota contra o arquirrival. O retorno de Caçapa conta como risco, sem jogar há tempos e provocar a saída de Léo, mais novo e mais leve.

*Conta a volta de Diego Renan na lateral celeste porque é melhor da posição.


MELHORES DO BRASIL - Querem saber, também, o que contará muito neste clássico? Os dois goleiros. O cruzeirense Fábio, em estado de graça, é o melhor do País, injustamente sempre esquecido nas listas de convocação. O menino Renan Ribeiro transformou-se na muralha que faltava ao Atlético. Como tem jogado este moço!

* Sem qualquer receio: Renan Ribeiro hoje está entre os cinco melhores goleiros do Brasil.

TORCIDA CONTA? - Conta, mas nem tanto quanto cantam os poetas da bola, fazedores de média. No primeiro turno, a torcida atleticana encheu a Arena do Jacaré e o Cruzeiro venceu por 1 a 0. No Parque do Sabiá, estádio grande, gramado afastado, a torcida faz barulho e os jogadores não sentem a pressão. Se assim fosse, o Brasil teria sido campeão do mundo em 1950, com o Maracanã fervendo sob a ação de 200 mil pessoas. O Uruguai não tremeu e foi campeão na virada por 2 a 1.

* E o time deles era infinitamente inferior ao nosso. Só tinha mais raça.

DEFESA É O DESAFIO - Na busca dos três pontos que poderão lhe tirar do buraco negro, o Galo enfrentará a defesa menos vazada do campeonato. Em 30 jogos, o Cruzeiro só levou 28 gols. E aí, então, que Dorival Júnior confia na recomposição de sua dupla de frente formada por Tardelli e Obina. Cada qual marcou 21 gols na atual temporada. E o Cruzeiro corre o risco, ainda, de ficar sem o seu goleador, Wellington Paulista, machucado.

* Ou Cuca, na verdade, esconde o seu homem de confiança que regula nos clássicos?

COPA SUL-AMERICANA - A Conmebol – acertei, Iraq? – marcou as datas dos jogos entre Atlético e Palmeiras pelas quartas-de-final da Copa Sul-Americana: 27 de outubro e 10 de novembro. O primeiro às sete e quarenta e cinco da noite, na Arena do Jacaré; o segundo, às 9 e 50 da noite, na Arena Barueri. Quem passar, nas semifinais pegará o classificado do jogo LDU x e o vencedor de Newell!s Old Boys da Argentina e San José da Bolívia.

* Adivinhe quem vence o último confronto: os argentinos meteram 6 x 0 nos bolivianos na primeira partida.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Texto de ex-reitores da UFMG

A universidade e o segundo turno das eleições
*Ronaldo Tadêu Pena, **Heloisa Murgel Starling, *** Marcos Borato Viana


Quanto mais bem informado um voto, melhor para o país. É com esse objetivo que nós, participantes da gestão da UFMG em anos recentes, nos dirigimos à comunidade da Universidade. O momento é de comparação de dois projetos para o Brasil. De um lado, Dilma Rousseff, representando a continuidade do projeto desenvolvido nos últimos anos, e de outro, José Serra, a oposição a esse projeto.
O sistema universitário público federal viveu anos difíceis no governo Fernando Henrique Cardoso. As dificuldades financeiras foram tais que, no segundo semestre de 2003, com o último orçamento da era FHC, a UFMG, pela primeira vez, viu-se obrigada a suspender o pagamento de suas contas de água e energia elétrica. Foi graças à compreensão do governador Aécio Neves que tais contas puderam ser saldadas em 2004, sem cortes no fornecimento.
A partir de 2004, em contraste, o Brasil passa a experimentar a maior expansão de seu sistema federal de educação superior. Universidades foram criadas em várias regiões do país. Muitas universidades já existentes implantaram campi fora das sedes. No caso da UFMG, optou-se pela expansão em Belo Horizonte e no campus de Montes Claros. Outro projeto de enorme alcance e significado para a população brasileira é a Universidade Aberta do Brasil (UAB). Instituições públicas de todo o país participam da UAB com projetos de cursos de graduação a distância, preponderantemente licenciaturas, formando pessoas em suas próprias cidades. A Universidade Aberta, ainda em franco crescimento, já conta hoje com polos presenciais em quase mil cidades do interior do Brasil. A participação da UFMG na UAB ocorre através de quatro cursos de licenciatura, um de bacharelado e quatro cursos de especialização. São 2.548 alunos de graduação e 1.005 alunos de especialização, espalhados em 24 polos presenciais no interior de Minas.
A partir de 2004, em contraste, o Brasil passa a experimentar
a maior expansão de seu sistema federal de educação superior. Universidades foram criadas em várias regiões do país. Muitas universidades já existentes implantaram campi fora das sedes
Cabe enfatizar que todos esses projetos de expansão do sistema federal contaram com a indução do Ministério da Educação, que aporta recursos orçamentários de custeio, investimento e pessoal para viabilizá-los. Mesmo numa estrutura que cresce em velocidade, estando, portanto, sujeita a naturais perturbações, todos os acordos com as universidades do sistema foram sempre cumpridos pelo governo do presidente Lula. Na realidade, muitos acordos foram até aditados pelo MEC, sempre em benefício das instituições participantes, a partir de solicitações dos respectivos reitores.
O ministro Fernando Haddad, inspirador e artífice das políticas do governo Lula para a educação, claramente recusa o conceito de Paulo Renato, ministro de FHC e secretário de Educação do Estado de São Paulo, e anunciado nas propagandas de José Serra, de que ao governo cabe preocupar-se apenas com o ensino básico e tecnológico, deixando o ensino universitário submetido às forças do mercado. O governo Lula estabeleceu, de fato, a educação, em todos os níveis, como prioridade absoluta.
Prioridade no setor público se mede pela destinação de recursos orçamentários. É aí, na questão orçamentária, que a comparação pode ser feita com a maior clareza. Enquanto no governo anterior era comum a presença de reitores em Brasília buscando recursos para cobrir despesas de custeio do dia a dia, no governo atual a preocupação dos gestores deslocou-se para a busca de investimentos e do financiamento da expansão do sistema. Trata-se de uma grande mudança no nível de priorização da educação superior em nosso país. Um bom exemplo é o orçamento da rubrica Outros Custeios e Capital (OCC) da UFMG, que cresceu 86% entre os anos de 2004 e 2010.
A partir de 2004, a UFMG realiza a maior expansão de sua história. Concluímos o Projeto Campus 2000 com a construção da Face e da Escola de Engenharia. Isto não seria possível sem aportes muito significativos do MEC para as duas obras. O Projeto Reuni, ora em execução na UFMG, viabiliza 2.100 novas vagas no Vestibular (aumento de 45%), cerca de 75% das quais em cursos noturnos, favorecendo jovens trabalhadores e utilizando a infraestrutura disponível. Estão sendo contratados cerca de 600 novos professores e 623 servidores técnicos e administrativos em educação, apenas com base na expansão do Reuni. Houve aporte de recursos para a construção de quatro novos prédios, além de reformas e ampliações em vários outros. O Reuni viabiliza ainda a expansão da pós-graduação, laboratórios e bibliotecas. Além disso, a Rádio UFMG Educativa, antigo sonho da comunidade, foi implantada com o apoio decidido do governo Lula; novo aporte, já assinado, permitirá o aumento da potência de transmissão, viabilizando sua sintonia em toda a Grande BH.
Finalmente, mencionamos o apoio à assistência estudantil. A ampliação de 2.100 vagas nos cursos presenciais de graduação, conjugada com medidas de inclusão de estudantes de famílias pobres, ficaria inviabilizada sem a implantação, pelo MEC, do Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes). Ele destinou à UFMG R$6,6 milhões em 2008, R$9,4 milhões em 2009, R$11,5 milhões em 2010, e tem a previsão de R$15,4 milhões em 2011.
Por tudo isso, consideramos essencial evitar o retrocesso e garantir que a universidade pública continue a ser valorizada como política de Estado.
*Reitor da UFMG na gestão 2006-2010
**Vice-reitora da UFMG na gestão 2006-2010
***Vice-reitor da UFMG na gestão 2002-2006

Charge do Edra

www.casaziraldodecultura.blogspot.com

GALO CLASSIFICADO: FOI RENAN RIBEIRO; E MAIS DEZ

O BOM GOLEIRO – e ele tem tudo pra ser dos melhores quando pegar mais experiência – precisa de sorte e competência. Renan Ribeiro tem os dois e tudo antes dos 21 anos. Foi o principal responsável pela classificação do Galo às quartas-de-final da Copa Sul-Americana. O Independiente Santa Fé finalizou 25 vezes e marcou um gol no jogo de volta, em Bogotá, insuficiente pra tirar a diferença dos 2 a 0 que o Galo fez aqui, na Arena do Jacaré.

* As outras 24 finalizações dos colombianos pararam nas mãos de Renan Ribeiro, o herói do jogo.

TROPEÇO INESPERADO - Orlando Augusto, no programa Jogada de Classe que comanda na TV Horizonte (neste período de eleições começa ao meio-dia, de segunda a sexta; normalmente é ao meio-dia e meia) costuma comentar que é irritante a imprevisibilidade do América.

*Quando mais se espera dele nega fogo.

LENHA NA FOGUEIRA - Então, o contestador Ramon Salgado bota lenha na fogueira: “pare de secar o Coelho”. Desta vez, Orlando acertou em cheio. O Coelho foi decepção total contra o ASA da Arapiraca na Arena do Jacaré.

*A vitória, pra mim, era feijão sem bicho.

ANIVERSÁRIO DO REI - Tudo que Pelé faz ainda rende assunto pacas. O fato de ter nascido no dia 21 de outubro e registrado em 23 tornou-se assunto nacional. Que dia mesmo é o aniversário de Sua Majestade? Pouco me importa; sou um felizardo. Vi Pelé e Garrincha juntos e mais Didi, Newton Santos, Tostão, Rivelino jogarem.

* Inesquecíveis Copas do Tri, em 58, 62 e 1970.

APITO MINEIRO - Como informou Márcio Resende de Freitas: enfim, um mineiro apitará o clássico Atlético x Cruzeiro. Só que será um mineiro/candango: Sandro Meira Ricci é da Federação Brasiliense de Futebol.

* O melhor: é a boa revelação do apito tupiniquim.

GOIAS SEGUE - A importância de gols anotados na casa do adversário. O Goiás ganhou do Penãrol por 1 a 0 no primeiro jogo, no Serra Dourada e perdeu por 3 a 2 no Estádio Centenário, em Montevidéu.

* No Brasileiro, o Goiás está praticamente na Segundona; na Sul-Americana passou às quartas-de-final.

MUDANÇAS PERIGOSAS - Tanto Cruzeiro, como Atlético tendem a arriscar no clássico de domingo em Uberlândia. O Galo volta com Diego Tardelli parado há tempos. O Cruzeiro fala em Caçapa e Diego Renan , vindos de lesão. O Galo precisa de Tardelli e o Cruzeiro não depende dos seus dois atletas.

* No caso do Cruzeiro eu manteria Léo e Marquinhos Paraná.

MAIOR DOS ÓBVIOS - Após deixar o gramado, ainda no primeiro tempo, por opção do treinador naquela história de recompor a defesa na expulsão de um zagueiro, o atacante Zé Carlos, da Lusa , que, inclusive, fez um dos gols da vitória( 3 a 1) sobre o São Caetano, saiu com essa: “Um grupo não se faz de apenas um jogador”.

*Quem diria, Zé Carlos, quem diria!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A MELHOR DA SEMANA: G4 TÁ DE VOLTA

Não poderia haver melhor notícia do que esta divulgada segunda-feira à tarde pela Conmembol: a entidade deu marcha-à-ré na decisão de abrir apenas três vagas no Campeonato Brasileiro. Volta com o antigo G4. A disputa pela quarta vaga torna a competição mais sensacional ainda: Atlético Paranaense (46), Grêmio (46), Botafogo (45) Palmeiras (44) e São Paulo (44) brigam diretamente por ela.
*Se for levado em conta que Cruzeiro, Flu e Corinthians não descerão do pódio G3.
QUEM TÁ DENTRO
Outro fato que torna a luta pelo G4 mais interessante: Santos, campeão da Copa do Brasil, e Internacional, último campeão da Libertadores, já têm vagas garantidas. Dependendo da colocação final no Brasileiro abrem espaço pro time que estiver logo abaixo deles.
* Faltando oito rodadas, 24 pontos a serem jogados, outros times ressuscitaram.
NADA É DE GRAÇA
Ah, ah, ah! Pensaram que a Conmembol fez isso pela bela cor dos olhos de Ricardo Teixeira? Que nada! A quarta vaga só existirá se nenhum time brasileiro for campeão da Copa Sul-Americana. E Avaí, Palmeiras, Goiás e Galo estão vivos nesta competição.
*Interessante: entre os quatro, três brigam contra o descenso no Brasileiro: Avaí, Goiás e Galo.
GALO NAS ALTURAS
Enquanto o time principal, sob o comando de Dorival Júnior, ficou na Beagá do doutor Lacerda a treinar dia-e-noite pra pegar o líder do Brasileiro no domingo, em Uberlândia, um time forte do Galo chegou aos 2.200 metros de Bogotá. A altitude da capital colombiana será o menor dos problemas dos atleticanos nesta quarta-feira. O Independiente promete lotar El Campin e reverter o quadro imposto pela derrota (2 a 0) no primeiro jogo.
* Conheço bem El Campin: é um caldeirão efervescente, ruim de gramado e com a torcida em cima. Que nem La Bombonera.
ESQUEMA É BOM
O auxiliar Ivan Izzo, do qual nunca ouvi falar, nem bem, nem mal, terá a responsabilidade de substituir Dorival Júnior em Bogotá. Tem nada não. Na realidade, apenas ficará na boca do túnel esbravejando pra ver se os jogadores o ouvem. O time saiu daqui escalado num 3-5-2.

* Renan Ribeiro, Jairo Campos, Cáceres e Lima; Diego Macedo, Alê, Edison Méndez, Diney e Fernandinho; Neto Berola e Ricardo Bueno. Bom time, nas circunstâncias.
DEPOIS DA NOVELA
Lá em Bogotá, o jogo começa às sete da noite, pra nós aqui será depois do último beijo da novela das oito (ou das nove?). Vinte e duas horas nos ponteiros de Brasília. Ah, ia me esquecendo: Ivan Izzo tem que torcer pra ninguém se machucar. O Galo levou apenas Aranha, Jheimy e Fabiano na reserva. Largou pra trás até o Renan Oliveira...
* O Galo garante a vaga nas quartas-de-final com os três resultados possíveis no futebol: vitória, empate ou derrota. Esta desde que seja por mais de 2 a 0.
ENCONTRO FESTIVO
No concorrido e prestigiado lançamento do livro de Marcos Perrela, “O morto que não Defuntou”, na Livraria Leitura do BH Shopping, eu me encontrei com o promotor/cartola americano Francisco Santiago. A campanha vitoriosa até agora do Coelho na Série B fez bem ao Chico.
* Está mais novo.
PROJETO COELHO
Projetamos a subida do Mecão em quatro vitórias nos nove jogos que restam. Isso antes da partida contra o ASA na Arena do Jacaré. Além desta, restariam ao Coelho Santo André, Guaratinguetá, Bahia e Sport aqui na Arena.
* Tirante os dois últimos, os demais são sopa no mel. Dá-lhes Mecão.
CONVERSA DE EMPRESÁRIO
No Rio de Janeiro, surgiu a conversa de que o Cruzeiro sondou Somália, ex-América, atualmente no Duque de Caxias. O gerente Waldir Barbosa, claro, desmentiu a notícia que, com certeza, o empresário dele plantou na Imprensa.
* Se ainda fosse o jovem Somália, do Botafogo !!!
FÉ NOS JOVENS
Nesta quarta-feira, a convite do corpo docente do Colégio Santa Dorotéia, e orientado pela professora Neyder Souza do Departamento de Educação Física e Artes – DEFA – dentro do projeto “Jogo Limpo – Vivendo e Aprendendo a jogar”, ou “Ética nos jogos” – vou conversar com 270 alunos da Primeira Série do Ensino Médio, sobre “a influência da mídia no esporte”. Assunto danado de bom! Será no teatro do colégio, às 8h da madrugada.
* Uma excelente oportunidade pra que eu renove minha fé na mocidade e aprenda mais com ela.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Biografia completa de José Serra:

O MEU EX-COLEGA DE RÁDIO GUARANI, excelente repórter Walter Luiz de Oliveira, me manda mensagem com uma biografia de Serra, escrita pelo ex-delegado Protégenes Queiroz. Leiam abaixo;

José Serra tem 68 anos é paulista, filho único de italianos. Seu pai era um bem sucedido comerciante no ramo de frutas. José Serra foi criado em uma ampla e confortável casa na Mooca, São Paulo.
Quando Serra tinha 11 anos, sua família mudou para uma luxuosa casa em São Paulo na Rua Antônio de Gouveia Giudice, no bairro nobre de Alto Pinheiros.
Imóvel não era problema para a rica família Serra, que passava férias no Rio. Um dos espaçosos apartamentos foi cedido para Serra utilizar, exclusivamente, como esconderijo seguro para os grupo terrorista Ação Popular do qual foi um dos fundadores, que pouco tempo depois viriam a praticar atentados, roubar e seqüestrar.

Serra, neste período, ajudou a fundar a Ação Popular (grupo radical e adepto da luta armada que explodiu o aeroporto de Gurarapres em 25/07/1966).
Quando presidente da UNE vivia encangado na barra da calça de Jango.

Aos 18 anos, Serra ingressou no curso de Engenharia Civil da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, o qual nunca concluiu. Com o golpe militar de 1964, ele exilou-se na Bolívia, no Uruguai e, em seguida, no Chile, onde fez o “Curso de economia” da Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), de 1965 a 1966, especializando-se em planejamento industrial. Apenas 2 (dois) anos de curso! Quer dizer, não é um curso superior formal. Depois disso, fez mestrado em Economia pela Universidade do Chile (1968), da qual foi professor entre 1968 e 1973. Em 1974, fez Mestrado e Doutorado em Ciências Econômicas na Universidade Cornell, nos Estados Unidos, sem nunca ter concluído uma faculdade. Como foi possível isso? No Chile e nos EUA não é exigido curso superior para fazer pós-graduação, o que não é permitido aqui no Brasil. Além disso, os cursos de pós-graduação que Serra cursou na Cornell (com que dinheiro não sei, porque são caríssimos) não são “stricto sensu“ mas “lato sensu“ como os fornecidos pela rede privada aqui no Brasil. Em suma: não valem nada em termos acadêmicos. Serra permaneceu 13 anos longe do Brasil. Autoexilando-se (ou melhor, fugindo) no Chile, junto com FHC ao invés de lutar pelo povo contra a ditadura. Na volta ao Brasil, logo locupletou-se com as elites brasileiras.

Em 1978, Serra iniciou a sua carreira política, que este ano completa 32 anos. Teve sua candidatura a deputado impugnada, pois estava com os direitos políticos suspensos devido à explosão do aeroporto de Guararapes. Foi admitido como editorialista do jornal que também apoiou a ditadura (Folha de São Paulo).

Em 1983, Serra iniciou, efetivamente, a sua carreira como gestor, assumindo a Secretária de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo, quando fez um péssimo trabalho. Braço direito do governador Montoro, não conseguiu sequer arrumou as finanças do Estado, sucateando ainda mais a Educação e a Saúde.

Em 1986, Serra foi eleito deputado constituinte, e teve um dos piores desempenhos, como pode-se conferir abaixo:

a) votou contra a redução da jornada de trabalho para 40 horas;
b) votou contra garantias ao trabalhador de estabilidade no emprego;
c) votou contra a implantação de Comissão de Fábrica nas indústrias;
d) votou contra o monopólio nacional da distribuição do petróleo;
e) negou seu voto pelo direito de greve;
f) negou seu voto pelo abono de férias de 1/3 do salário;
g) negou seu voto pelo aviso prévio proporcional;
h) negou seu voto pela estabilidade do dirigente sindical;
i) negou seu voto para garantir 30 dias de aviso prévio;
j) negou seu voto pela garantia do salário mínimo real;
Fonte: DIAP — “Quem foi quem na Constituinte”;pág. 621.

Serra foi um dos fundadores do PSDB, em 1988. Foi derrotado por Luiz Erundina, (á época do PT), nas eleições para prefeito de São Paulo. Em 1990, foi reeleito deputado federal quando teve novamente péssimo mandato.

Em 1994, Serra foi um dos grandes apoiadores do Plano de Privatização de Fernando Henrique Cardoso, deixando um rastro de enormes prejuízos para o povo brasileiro:
· 166 empresas privatizadas entre 1990 e 1999;
· 546 mil postos de trabalho extintos diretamente;
· 17,1% dos 3,2 milhões de empregos formais perdidos na década.
(Fontes: Pochmann, Márcio. A década dos mitos. São Paulo, Editora Contexto, 2001. Biondi, Aloysio. O Brasil privatizado. São Paulo, Editora Perseu Abramo, 2001)

Depois foi eleito senador por São Paulo, em seguida, assumiu o Ministério do Planejamento, onde por pura incompetência deixou o país à mercê de um racionamento durante o famoso “apagão” no governo FHC que durou Oito meses.

Em 1998, José Serra assumiu o Ministério da Saúde. Junto com FHC, zerou o investimento na área de saneamento, o que causou a propagação de várias doenças no país. Além disso, José Serra demitiu seis mil mata-mosquitos contratados para eliminar os focos do Aedes Aegypti. Dos R$ 81 milhões gastos em publicidade do seu ministério em 2001, apenas R$ 3 milhões foram utilizados em campanhas educativas de combate à doença. O resultado desta política criminosa se fez sentir no Rio de Janeiro que, entre janeiro e maio de 2002, registrou 207.521 casos da dengue e a morte de 63 pessoas.

Em 2002, Serra candidatou-se à Presidência, sendo derrotado por Luiz Inácio Lula da Silva no segundo turno.

Em 2004, Serra elegeu-se Prefeito de São Paulo e prejudicou sua já arranhada imagem ao mentir para o povo de São Paulo quando no debate da Band, diante de Boris Casoy, afirmou que em caso de não cumprir a promessa, que seus eleitores nunca mais votassem nele. Disse ainda que “embora alguns candidatos adversários gostem de dizer que eu sairei candidato à presidência da República ou ao governo do estado, eu assumo esse compromisso, meu propósito, minha determinação é governar
São Paulo por quatro anos”. Deu sua palavra em rede nacional e depois voltou atrás, mentindo para o povo.

Em 2006, Serra elegeu-se Governador de São Paulo (confirmando que mentira mesmo ao povo), cargo que exerceu até o último dia 31 de março de 2010. O governo foi marcado pela tragédia no Metrô e o escândalo no Caso Alstom.

É o candidato natural da oposição à Presidência da República. Oposição esta composta pelo PSDB (partido à qual pertence o chefe do mensalão mineiro, Eduardo Azeredo e Yeda Crusius, governadora do RS, envolvida em um escândalo no Detran daquele estado). Ainda possui aliança com o DEM (partido do mensalão do DF no qual o ex-governador e principal operador do esquema, José Roberto Arruda, iria ser o candiato à vice de José Serra).

Como se vê, a biografia de José Serra nos revela como é perigoso para o povo brasileiro uma catastrófica vitória deste político "inventado" pela mídia nas próximas eleições. Sua candidatura representa a elite e possui o único intuito de deixar o povão cada vez mais distante das melhorias promovidas pelo governo Lula.


A biografia de José Serra revela ainda que, um homem aliançado com o DEM de José Roberto Arruda , ACM Neto e cia., e que anda de mãos dadas com políticos como FHC, Eduardo Azeredo e Yeda Crusius, não pode merecer qualquer crédito.

O caluniador, figura da barbárie

Posted By Juarez Guimarães

De todas as eleições presidenciais realizadas após a redemocratização, esta é certamente aquela que a calúnia cumpre um papel mais central na definição do voto. Ela foi utilizada em um momento decisivo por Collor contra Lula, compareceu sempre todas as vezes nas quais Lula foi candidato mas agora ela mudou de intensidade e abrangência, tornou-se multiforme e onipresente.
A calúnia foi ao centro da nossa vida democrática. A senhora ao lado no ônibus me diz que recebeu a informação que Dilma desafiou Jesus Cristo em um comício realizado na Praça da Estação, em Belo Horizonte. O motorista de táxi conta que um médico lhe assegurou que um outro médico, seu amigo, diagnosticou gonorréia em Dilma.
Um e-mail recebido traz documento do TSE impugnando a candidatura de Dilma por ter “ficha suja”. Um aluno me diz ter recebido carta em casa da Regional 1 da CNBB, contendo mensagem para não votar em Dilma por ser contra a vida. Um comerciante na papelaria me diz que “não vota em bandida”. Após divulgar o resultado da primeira pesquisa Sensus/CNT para o segundo turno, o sociólogo Ricardo Guedes, afirmou que “nessa eleição, principalmente no final do primeiro turno, temos um fenômeno sociológico de natureza cultural de desconstrução de imagem. O processo de difamação, até certo ponto, pegou.” Quem conhece alguém que não recebeu uma calúnia contra Dilma ?
Houve uma mudança nos meios: a internet permite o anonimato e a profusão da calúnia. A Igreja brasileira, sob a pressão de mais de duas décadas de Ratzinger, tornou-se mais conservadora na sua cúpula e mobiliza hoje uma mensagem de ultra-direita, como não se via desde 1964. A mídia empresarial brasileira, já se sabia, vinha trilhando o seu caminho de partidarização e difamação pública, no qual até o direito de resposta tornou-se um crime contra a liberdade de expressão. Mas tudo isso não havia encontrado ainda o seu ponto de fusão: agora, sim.
O que está ocorrendo aos nossos olhos não pode ser banalizado. O caluniador é uma figura da barbárie, o sinistro que mobiliza o submundo dos preconceitos, dos ódios e dos fanatismos. A calúnia traz a violência para o centro da cena pública, pronunciando a morte pública de uma pessoa, sem direito à defesa. Perante a calúnia não há diálogo, direitos ou tribunais isentos. Na dúvida, contra o “réu”: a suspeição atirada sobre ele, visa torná-lo impotente pois já, de partida, a humanidade lhe foi negada.
Mas quem é o caluniador, essa figura de mil caras e rosto nenhum? É preciso dizer alto e bom som, em público, o seu nome, antes que seja tarde: o nome do caluniador é hoje a candidatura José Serra! Friso a candidatura porque não quero exatamente negar a humanidade de quem calunia. É o que fez, com a coragem que lhe é própria, a companheira Dilma Roussef no primeiro debate do segundo turno, apontando o nome de uma caluniadora – a mulher de Serra – e chamando o próprio de o “homem das mil caras”.
Dia a dia, de forma crescente e orquestrada, a calúnia foi indo ao centro de sua campanha, de sua mensagem, de sua fala, de sua identidade proclamada, de seus aliados midiáticos, de parceiros fanáticos (TFP) ou escabrosos (nazistas de Brasília), de sua estratégia eleitoral e de seu cálculo. “Homem do bem” contra a “candidata do mal”? Homem de uma “palavra só” contra a “mulher de duas caras”? Político “ficha limpa” contra a “candidata ficha suja”? Protetor dos fetos e dos ofendidos (como mostra a imagem na TV) contra aquela que “assassina criancinhas”, como disse publicamente sua mulher? Homem público contra a “mulher das sombras”?
O que está se passando mesmo aqui e agora na jovem democracia brasileira? Que arco é este que vai da TFP a Caetano Veloso, quem , quase em uníssomo ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, chamou o presidente Lula de analfabeto e ignorante já no início deste ano? Afinal, que cruzada é esta e qual a sua força ?
O que está ocorrendo aqui e agora é uma aliança dirigida por um liberal conservador com o fanático religioso e com o proto-fascista. Cada uma dessas figuras – que sustentam o lugar comum da calúnia – precisa ser entendida em sua própria identidade e voz. A democracia brasileira ainda é o lugar da razão, do sentimento e da dignidade do público: por isso, defender a candidatura Dilma Roussef é hoje assumir a causa que não pode ser perdida.
Liberalismo conservador: o criador e sua criatura – Nunca como agora em que esconde ou quase não mostra a imagem de Fernando Henrique Cardoso, Serra foi tão criatura de seu mestre intelectual. É dele que vem o discurso e a narrativa que, ao mesmo tempo, dá a senha e liga toda a cruzada da direita brasileira.
A noção de que o PT e seu governo ameaçam a liberdade dos brasileiros pois instrumentalizam o Estado, fazem reviver a “República sindical”, formam gangues de corrupção e ameaçam a liberdade de expressão não deixa de ser uma evocação da vertente lacerdista da velha UDN. Mas certamente não é uma doutrina local.
A cartilha do liberal-conservador Fernando Henrique Cardoso é um autor chamado Isaiah Berlin, autor de um famoso ensaio “Dois conceitos de liberdade” e do livro “A traição da liberdade. Seis inimigos da liberdade humana”. Neste ensaio e neste livro, define-se a liberdade como “liberdade negativa”, isto é aquele espaço que não é regulado pelas leis ou pelo Estado contraposto à noção de “liberdade positiva”. Quanto menos Estado, mais liberdade; quanto mais Estado, menos liberdade. Ao confundir liberdade com autonomia, ao vincular liberdade aos ideais de justiça ou de interesse comum, republicanos, sociais-democratas, liberais cívicos e, é claro, socialistas, trairiam a própria idéia de liberdade.
É por este conceito e seus desdobramentos que Fernando Henrique mobiliza o clamor midiático contra o PT e o governo Lula. É este conceito que estrutura também o discurso de Serra, que acusa o governo Lula de ser proto-totalitário. É evidente que o conceito não é passado de forma iluminista: a mídia brasileira tornou-se uma verdadeira artista na criação das mediações de opinião, imagem e notícia que se centralizam, em última instância, neste conceito. Daí ele dialoga com o senso comum.
Seja dito em favor de Fernando Henrique Cardoso: é o lado mais sombrio de seu liberalismo que vem à tona agora, na cena agônica, quando o candidato que representa a sua herança ameaça perder pela última vez. Pois este liberalismo sempre foi de viés cosmopolita, atento em seu diálogo com os democratas norte-americanos e aos “filósofos da Terceira Via”, a certos direitos inscritos na pauta, como aqueles da liberdade sexual, do direito ao aborto legal, dos gays, dos negros, da vida cultural. Mas agora para fazer a ponte com o fanatismo religioso, ele resolveu descer aos infernos: nada sobrou de progressista na candidatura Serra, das ameaças à Bolívia à moral sexual de Ratzinger?
O liberal conservador não é o fanático religioso nem o proto-fascista, aquele que julga que a melhor maneira de dissuadir o adversário é simplesmente eliminá-lo. Mas dialoga com eles na causa comum de derrotar os “proto-totalitários” de esquerda”. Como disse bem, Jean Fabien Spitz, autor de “ O conceito de liberdade”, os ensaios de Berlin trazem o sentido e a tonalidade da época da “guerra fria”.
O fanático religioso: os frutos de Ratzinger – Se a social-democracia, o republicanismo e o socialismo são os inimigos de Berlin, a Modernidade em um sentido amplo é o inimigo central do ex-cardeal Ratzinger. O programa político- teológico que veio construindo a ferro e fogo nestas últimas três décadas é centrado na idéia que é preciso restaurar a dogmática da fé contra os efeitos dissolutivos da moral emancipadora, da racionalização científica e da secularização. Este discurso político, que se fecha no fundamentalismo religioso, como bem denunciou Leonardo Boff, é, na verdade, um discurso de poder, de recentramento do poder do Vaticano.
Neste programa, não é apenas a esquerda enquanto topografia política que é o inimigo mas principalmente o processo de emancipação das mulheres. Entre a “Eva pecadora” e a “Maria mãe de Deus” não há outra identidade possível às mulheres.
A dimensão fundamentalista desde discurso não reconhece o direito do pluralismo na política, nem mesmo na linha do “consenso sobreposto” proposto por John Rawls ( a possibilidade de convergências sobre direitos, partido de um pluralismo de fundamentos). Ou se concorda ou se é proscrito, ex-comungado ou desqualificado.
É essa idéia força, que veio ganhando terreno na hierarquia do clero brasileiro a partir das perseguições à Teologia da Libertação, que agora irrompe na política brasileira, difamando Dilma Roussef. A calúnia é conveniente ao fundamentalista religioso: nesta visão de mundo, não há luz e sombra, não há e não pode haver semi-tons: quando Serra proclamou que o “direito ao aborto no Brasil seria uma carnificina”, ele estava dando a senha para a campanha difamatória da direita católica e evangélica.
O proto-fascista e seus privilégios – Todo processo político e social de democratização e de inclusão tão amplo como o que está se vivendo no Brasil provoca reações de resistência e regressão política à sua volta. Mas este também não é um fenômeno apenas brasileiro: observa-se à volta de nós fenômenos e operações muito típicas daquelas que estão sendo promovidas pela direita republicana norte-americana contra Obama ou que percorrem quase todo o continente europeu em torno ao tema dos imigrantes.
O proto-fascista brasileira não veste camisa preta nem usa suástica no braço ( embora, é claro, ninguém duvide, redes simbolicamente ostensivas estão em ação), nem precisa ser sociologicamente configurado como “lumpen proletariado” ou “pequeno burguesia vacilante”, para lembrar as figuras de uma linguagem simplificadora. O proto-fascista brasileiro é aquele que não quer receber em sua casa comum – a democracia brasileira – estes que não que reconhecem mais o seu antigo lugar, os pobres e os negros.
Há uma violência inaudita no ato do jornal liberal “O Estado de São Paulo” em punir com a demissão Maria Rita Kehl, por escrever um artigo em prol da dignidade dos pobres. Esta violência, que está muito distante do proclamado pluralismo mesmo restrito de alguns liberais, cheira a proto-fascismo, este ato que pretende abolir as razões públicas dos pobres simplesmente negando dignidade a eles.
A força da liberdade que hoje mora no coração dos brasileiros, os braços abertos do Cristo Redentor e o que há de imaginação e magnífica pulsão de vida na cultura popular dos brasileiros são os verdadeiros antídotos contra as figuras do ódio do caluniador.Por detrás da sua máscara, o povo brasileiro há de reconhecer os centenários adversários de seus direitos.
Diante do caluniador, somos todos hoje Dilma Roussef!


domingo, 17 de outubro de 2010

GALO ENTROU E SAIU; CRUZEIRO NÃO SAIU

DEPOIS DE CUMPRIREM SEUS jogos no calor infernal das três horas da tarde - horário de verão - Atlético e Cruzeiro foram pra frente das televisões pagas e da que tenta - e consegue - mandar no Brasil pras torcidas especiais dos jogos das seis e meia. O Cruzeiro perdeu roubado em Porto Alegre. Fez 1 a 0, levou o empate e marcou 2 a 1, com Wellington Paulista mas o bandeira anulou alegando impedimento que só a cegueira dele viu. E Paulo César Oliveira foi na onda. Por fim, o Thiago Ribeiro que tem perdido uma infinidade de gols resolveu dar aquela mãozinha ao Grêmio e fez um pênalti estúpido aos 29m do segundo tempo. O placar de 2 a 1 foi até o fim. Como o Corinthians havia empatado em 0 a 0 com o Guarani, em Campinas,e também chorado porque a arbitragem, igualmente, meteu-lhe a mão anulando dois gols de Ronaldo Fenômeno, restava ao Cruzeiro torcer pelo Botafogo às 6 e meia contra o Fluminense. Se o Flu vence, assume a liderança. O empate de 0 a 0 entre eles compensou a roubalheira no sul.

O GALO FEZ SEU DEVER de casa e comemorou a saída do buraco negro. Mas a rodada ñão foi ainda legal pra ele. Os meninos de Dorival Júnior fizeram 2 a 0 no Avaí, jogo de seis pontos e atolaram o time de Santa Catarina. Só que o Atlético-GO, pelo mesmo placar, venceu o Vasco e o Galo passou a torcer contra o Vitória diante - logo de quem - do Grêmio Prudente. O time de Salvador fez outros 2 a 0 e afastou-se do buraco negro. O Galo voltou e agora precisa bater no Cruzeiro domingo em Uberlândia. Antes, na quarta-feira, tem que enfrentar o Independiente de Santa Fé, na Colômbia, pela Copa Sul-Americana. Tem boa vantagem feita aqui em casa e por isso deve mandar um time reserva à Colômbia.

O América que venceu de virada no sábado ( 3 a 2 no Icasa) segundo os matemáticos precisa de três vitórias e dois empates pra garantir sua vaga na Série A ano que vem. Na próxima terça-feira, tem rodada completa da Série B: o América recebe o ASA de Arapiraca, na Arena do Jacaré, enquanto torce por um empate entre Figueirense x Bahia, que têm, também, 52 pontos e perdem pro Coelho no quesito número de vitorias Já o Ipatinga, tá na boca de sair. Mas precisa de outros tropeços do Vila Nova-GO e de mais duas vitórias pra ultrapassar o time de Goiânia.

Nesta segunda-feira, o advogado - e meu amigo - Marcos Perrela autografa seu primeiro livro "O Morto que não defuntou", a partir das seis e meia da noite, na Livraria Leitura, BH Shopping. Vamos lá moçada...

sábado, 16 de outubro de 2010

MEU ÍDOLO BRIGOU COMIGO

O jornalista MARIO RIBEIRO, um ícone na Imprensa escrita da Capital, fabuloso texto, mandou mensagem dizendo-se decepcionado comigo, porque fiz o meu blog um quartel general da Dilma e do Lula. Claro, sai em defesa deles, também, como os adeptos do Serra partiram pra ignorância na Internet mandando emails pra todo mundo, inclusive enchendo minha caixa de besteiras e mentiras. Sou homem de opinião, Mario, e você sabe disso. O que marcou a minha vida como colunista e comentarista esportivo´é assumir posição, sem ficar em cima do muro. Na democracia é assim: vc vota em Serra e eu voto em Dilma. Vc vota no Aécio e eu também. Vc vota no Anastasia e eu tb. Você vota no Itamar e eu não. Voto no Pimentel. A gente nunca deve querer mudar a opinião de um homem e 50 aos de profissão. Te decepcionei? o que fazer, meu ídolo? Não me juntei à turma do atraso, apenas marchei de acordo com a minha consciência ideológica. E você sabe que faço isso pela causa. Aí de quem disser que foi por dinheiro. Mando à puta que pariu, chamou pra briga, como a gente sempre fez em Caratinga. Em qualquer lugar e hora. No mais, fora isso, continuo seu admirador, apesar de sua qualidade como galista juramentado, homem de opinião, que não muda nunca. Tá certo. Abs flavio anselmo

VERDADEIRA EPOPEIA TIRA ZEBU DA SERIE C

O Uberaba chegou perto da Série C, mas a falta de pontaria nas cobranças dos pênaltis evitou que o time do Triângulo Mineiro deixasse a Série D. Após empatar sem gols com o Araguaína, no Uberabão, o Zebu tinha de vencer ou empatar com gols para garantir a classificação ainda nos 90 minutos.

Mas em nova partida equilibrada o placar de 0 a 0 apareceu de novo e a decisão da vaga foi para a disputa dos pênaltis. O goleiro Glaysson, que já rodou por vários clubes mineiros, pegou as duas primeiras cobranças do Araguaína. Com bom aproveitamento inicial o Uberaba abriu 2 a 0.

A classificação parecia encaminhada, mas o que se viu depois foi um festival de cobranças erradas. Gustavo perdeu o primeiro e o Araguaína diminuiu. Augsto César teve a chance de ampliar a vantagem, mas também cobrou mal. Bom para o time de Tocantins, que empatou.

Fabiano Souza foi para quinta cobrança do Uberaba e chutou a bola para muito longe. Então o goleiro Radson, do Araguína, teve a chance de brilhar. O jogo estava 2 a 2 e o camisa 1 foi para a última cobrança. Foi então que brilhou a estrela de Glaysson mais uma vez, ao defender a terceira cobrança.

No início da nova série o Uberaba conseguiu perder sua quarta cobrança consecutiva, dessa vez com Rogério. Já o Araguaína não perdeu o quarto pênalti e venceu por 3 a 2. O time de Tocantins está classificado para a Série C, enquanto o Uberaba tenta voltar à Quarta Divisão do Campeonato Brasileiro via Campeonato Mineiro.

BOA CHEGOU LÁ E ESTÁ NA SERIE B

A Fazendinha continua terrível. Precisa melhorar para a Série B onde estará a Ituiutaba - Famosa BOA - depois de empatar hoje à tarde com a Chapecoense em 0 a 0. Jogo nervoso, cheio de cartões amarelos. Os barrigas verdes queriam ganhar na força, mas a Boa jogou conforme manda o regulamento. No primeiro jogo empatou em l a l em Chapecó. O gol fora tem peso dobrado. Portanto, bastou novo empate, agora sem gols, na Fazendinha e a Boa subiu antecipadamente para a Série B.

AGUINALDO ETERNO

TEM GENTE QUE NÃO GOSTA dele pelo gênero que faz. Em Caratinga é nosso ídolo. O maior cantor do Brasil Dia 3 de novembro será inaugurada uma estátua em sua homenagem na praça Getúlio Vargas. Claro que estarei lá.

IPATINGA O NOVO FLU

A diretoria do Ipatinga diminuiu o preço dos ingressos para R$ 2, os torcedores adquiriram todas as 11.120 entradas para empurrar a equipe e os jogadores conquistaram a quarta vitória seguida na Série B: 2 a 1 sobre a Ponte Preta, nesta sexta-feira, no Ipatingão. O responsável é o técnico Gerson Evaristo,faz-tudo no Ipatinga, inclusive tolerar o presidente Itair Machado.

Todos os gols saíram no segundo tempo: para o time da casa, marcaram Rodrigo Antônio e Alessandro, artilheiro da Série B, com 15 gols. Com a combinação bem sucedida, os mineiros subiram para os 30 pontos, em 17º lugar, ainda na zona da degola. Na próxima rodada, que será realizada na terça-feira, o Ipatinga jogará contra o Brasiliense, jogo de seis pontos, confroto direto contra a degola, no Serejão, em Brasília.

Hoje tem Icasa e América no absurdo horário das nove horas de sábado lá no campo deles. Sem medo, Mecão.

Charge do Edra

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

CHORORÔ DO MALUF

OPINIÃO FALANDO EM COLUNA

Diz Doutor Antônio Pires (Tonico) de Ibirité – “Sua coluna, sempre imparcial ! Charge do Edra...tão fácil quando se está por cima...já pensou, tudo flui na boa e nos achamos ótimos quando nos sentimos confiantes! Gostei da charge pela criatividade, o Edra é bom.Lembra que te falei, semanas atrás, que o Cruzeiro seria o campeão brasileiro de 2010?

* E será...diz ele

GALO TÁ VIVO - E continua o doutor Tonico ( se me permite chamá-lo assim, com tanta intimidade): “Mas o Galo não vai pro caixão não, e em 2011 vai dar show! Tadinho do Edra, se fosse atleticano sentiria tudo mais intensamente, tantas derrotas...vitórias comemoradas com lágrimas de esperança, com certeza os cartuns dele seriam mil vezes mais criativos. Fácil criar com o óbvio!”

* “Mas o Galo não tá morto não...uai, pelo menos , espero que não...”

CHORO DO MALUF - I - O Eduardo Maluf – reclamação geral da mídia esportiva galista – andava sumido nos tempos do Vanderlei Luxemburgo. Desfolhou agora que nem a margarida. Com o devido respeito, Turco. Pra reclamar da falta de cumprimento por parte de Zezé Perrela no acordo sobre os clássicos do Brasileiro. Segundo ele, foi definida a Arena do Jacaré.

*O Cruzeiro optou pelo Parque do Sabiá com 42 mil ingressos à venda.

CHORO DO MALUF – II - Por meio de Maluf, o Galo esclareceu que jogará onde a CBF mandar. Apesar de Zezé Perrela furar o acordo, achou bom: receberá 10% da renda e “será melhor para nós porque o Sabiá é até melhor do que a Arena”. Não entendi então duas coisas: a) Maluf disse que os jogos seriam na Arena a pedido do Governador; qual deles? Anastasia ou Aécio? B) se é melhor, por que então reclamar o descumprimento do acordo?

* Maluf quis criar um factóide de motivação para o jogão. Não precisa.

AMERICA SEM ESTÁDIO - O portal Lancenet informou que até os funcionários graduados do governo mineiro não acreditam que o prazo de entrega do Estádio Independência prontinho – março de 2011 – seja cumprido. Que vergonha! Será o quarto prazo determinado. Até lá, os times da Capital continuarão ciganos.

* Já pensa que a área do Independência se tornará outro hiper-mercado.

ÁGUA DEMAIS - O prazo de entrega, considerado pelos técnicos do doutor Anastasia apertado demais, foi dilatado em razão de mina de água que tem prejudicado a colocação das fundações. O projeto original prevê o levantamento de uma arena multiuso antes da Copa do Mundo/14.

*Pelo visto só sairá mesmo quando Aecinho voltar ao Palácio da Liberdade

ATENÇÃO CARATINGUENSES - O Edra, diretor da instituição, manda avisar que “A Casa Ziraldo de Cultura abriu suas portas desde o dia 4 de outubro para mais uma exposição. Dessa vez, Caratinga terá oportunidade de conhecer um pouco da trajetória da caratinguense Stael Abelha, que com sua beleza ganhou fama e as capas das principais revistas no ano de 1961.

* Eu a conheci, fui seu amigo e aluno de sua mãe, Dona Glorinha.

BELEZA INESQUECÍVEL - A beleza morena de Stael não dá pra se esquecer jamais. Abandonou tudo pra se casar com Múcio Ataíde, empresário picareta, egocêntrico e que afastou Stael até dos próprios pai. Ao ser coroada a primeira mineira eleita Miss Brasil, por unanimidade, Stael teve belo desfile final realizado no Maracanãzinho, no Rio de janeiro, sob intenso aplaudo. A mostra “Stael Abelha, nossa eterna Miss Brasil” de fotos e o acervo jornalístico das revistas Manchete e O Cruzeiro estarão disponíveis ao até a próxima sexta-feira, dia 22”.

*O horário de funcionamento é das 9h às 11h e das 13h às 18h. A entrada gratuita.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

AÉCIO DEVIA FICAR LONGE DE ITAMAR E FHC

SEM FALAR NO JOSÉ SERRA que lhe deu uma tremenda rasteira e não lhe permitiu espaço na legenda dos neoliberais para sair candidato à Presidência. Agora arrasta-se atrás de Serra e nem se lembra que Lula foi o Presidente que lhe permitiu executar as grandes obras que marcaram sua administração. Ao juntar-se com Itamar Franco, que agora tornou-se amigo de FHC, viraram farinha do mesmo saco. Leiam abaixo

Bate boca de Itamar e FHC. FHC chama Itamar e os mineiros de “CAIPIRAS”. Vale a pena ler. Quem conta a história é a revista ISTO É:

“No caso de FHC, o feitiço virou contra o feiticeiro. Quando, na sexta-feira 6, sugeriu que os peemedebistas descontentes com o governo “tomassem o caminho da roça”, iniciou um quiproquó com Itamar que até agora só rendeu bons frutos ao governador. “Quem sabe um dia nós nos encontremos na roça, nessa roça que todos nós amamos, não nessa sua roça dos palácios mundo afora, dos grandes salões que Vossa Excelência costuma habitar, esquecendo o povo brasileiro”, devolveu o peemedebista.
(parece que eles irão se encontrar agora, na roça de Minas, patrocinados por alguns prefeitos e com a cúpula do governo Anastasia)
“Mas o bate-boca não terminou aí. E a sequência coube ao próprio presidente. Em entrevista à rádio Guaíba, de Porto Alegre, na quarta-feira 11, disse que o governador mineiro salta de um partido para outro: “Partido para ele é instrumento para chegar ao governo”, disparou. Itamar respondeu em seguida. “Eu cuido da minha vida. Espero que ele cuide da dele e de seu governo. Particularmente do apagão e da ladroagem que dizem que existe por aí”, revidou. FHC sabe que se Itamar não ganhar a convenção peemedebista, marcada para o início de setembro, deverá mudar de legenda. Tentará sair candidato à Presidência pelo PDT ou pelo PL.”
POR QUE VOTAR EM DILMA
O meu primo Iraq Rodrigues, outro jornalista da família, me enviou uma mensagem na qual consta o texto de Eduardo Campos, presidente da Casa do Jornalista de Minas Gerais:
Caros amigos,
Não pretendo, naturalmente, entrar no festival de baixarias que tem tomado conta da internet nessas eleições. Muito menos em absurdas polêmicas acerca das convicções religiosas ou das preferenciais sexuais ou esportivas de cada candidato. Como pessoas inteligentes, nenhum de nós, certamente, dá atenção ao carnaval de spams que temos recebido diariamente, instrumentos de quem não tem o que debater politicamente e que se esconde no anonimato covarde, típico dos que fogem ao embate democrático das ideias.
Como sabem, votei em Plínio de Arruda Sampaio no primeiro turno, por considerá-lo a única alternativa em disputa com o objetivo de contribuir para a democratização radical dos rumos do país, em termos não apenas políticos, mas também sociais, econômicos e culturais.
Agora, contudo, temos que escolher entre duas alternativas, e não é possível ficar calado diante da ameaça de grave retrocesso, com características fascistóides, representada pela candidatura Serra.
Continuo considerando que há muitos pontos de identidade entre ambos os projetos (política econômica e corrupção, para citar dois exemplos), mas não é possível abstrair o risco que significa a vitória tucana no sentido de restringir as liberdades civis, de liquidar com o que ainda temos de patrimônio público, de comprometer ainda mais as já combalidas conquistas trabalhistas efetivadas a partir de 1988 e de recolocar o Brasil na órbita das potências hegemônicas mundiais, especialmente os Estados Unidos.
Não voto em Dilma por grande afinidade com suas propostas, mas para barrar a reascensão do que há de mais reacionário, retrógrado, anti-social em nosso espectro político, representado pela aliança PSDB-DEM.
Aproveito para encaminhar uma análise que me parece muito lúcida e interessante, publicada há dias na UOL, via blog do Sakamoto - cientista político que não conhecia - acerca da transferência de renda efetivada no país nos governos FHC e Lula. Demonstrando que ambos favoreceram, com suas políticas, o capital financeiro parasitário, denuncia, ao mesmo tempo, o preconceito abjeto que existe contra a população pobre beneficiária de programas sociais compensatórios (cujos limites ele aponta). Isso faz lembrar o processo de afirmação do Estado liberal moderno, em que os que recebiam alguma proteção social assistencialista do poder público eram destituídos de sua condição de cidadãos, penalizados por serem considerados, em última instância, responsáveis por seu próprio fracasso.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

OBINA FAZ A DIFERENÇA NA ARENA DO JACARÉ

NA DELICIOSA CHARGE do fantástico Edra, o Galo é o último dos mineiros soterrados e tá difícil tirá-lo de lá. Mas na Copa Sul-Americana o Atlético manteve-se invicto e com Obina fazendo a diferença e os gols derrotou o Independiente de Santa Fé por 2 a 0. Passa a ter boa vantagem no jogo de volta, dia 20, lá em Santa Fé. Diego Souza, também, teve destacada atuação. O goleiro Renan Ribeiro trabalhou pouco, mas fez uma defesa sensacional aos 8m do segundo tempo. Cada dia mais se firma como goleiro titular do Galo.

DEMAIS RESULTADOS desta quarta-feira: jogo da 13ª rodada do Brasileiro, o Santos bateu o Internacional por 1 a 0, gol de Neymar - de cabelo normal e futebol enorme, pronto pra voltar à Seleção - e subiu pra quarto lugar tirando o próprio Inter. O Peixe tem 48 pontos agora. Em São Januário, o Vasco que briga pra não entrar na zona do rebaixamento venceu o Corinthians por 2 a 0, gols de Eder Luiz e Zé Roberto, este impedido. O Timão estacionou em 49 pontos no terceiro lugar. Na Copa Sul-Americana, além de Galo 2 x Independiente Santa Fé 0, o Goiás derrotou o Peñarol por 1 a 0, no Serra Dourada e o Avaí, adversário do Galo, na Arena do Jacaré, perdeu em Guaiquil por 2 a 1 para o Emelec.

O Independiente, que o narrador Rogério Correia cismou de sintetizar o nome pra Santa Fé, é o time que tem a segunda maior torcida na Colômbia, cerca de 3 milhões de torcedores. No entanto, como todo futebol colombiano, sem a ajuda do narco-tráfico vive uma crise danada. Há dois meses seus jogadores não recebem salários e acham normal, porque nos demais clubes o atraso chega a quatro meses.

Por que Dilma é Minas na presidência?- Ela nasceu em Belo Horizonte;
- Estudou no Colégio Estadual Central;
- Toda sua família mora em BH e sua mãe mora no bairro São Luiz - Pampulha.

Charge do Edra

AMERICA PERDE MAS CONTINUA VICE LIDER

O América sofreu sua primeira derrota fora de casa no turno do Campeonato Brasileiro. Na noite desta terça-feira, perdeu para o Náutico por 2 a 1 no Estádio dos Aflitos, no Recife, mas, mesmo assim, se manteve na vice-liderança da Série B. Joélson e Geílson marcaram os gols do Timbu, com Jandson descontando para o Coelho.

Os jogadores deixaram o campo reclamando do árbitro carioca João Batista de Arruda, que deixou de marcar um pênalti claro do goleiro Glédson no lateral-esquerdo Jean Batista. A diretoria promete ir à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) oficializar o protesto.

BEM QUE HOJE poderia dar empate entre Santos x Internacional, na Vila Famosa e o Vasco arregaçar com o Corinthians em São Janúário. O Cruzeiro agradeceria.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

PERRELA LANÇA LIVRO NA LEITURA

O VERDADEIRO PERRELA, herdeiro da tradicional família do frigoríco ali em Santa Tereza, o simpático gordo, advogado e agora escritor, Marcos, manda convite para o lançamento de seu primeiro livro: " O morto que não defuntou". Será dia 18 deste - exatamente no dia dos meus 67 anos - na Livraria Leitura no BH Shopping Megastore, a partir das 18h30 até às 20h30m. Com certeza, passarei por lá a fim de prestigiar o amigo.

EM CONFRONTO da 28ª rodada da Serie B, o Ipatinga derrotou o Vila Nova-GO por 2 a 0, nesta terça-feira, no estádio Ipatingão. Foi a terceira vitória consecutiva do Tigre do Vale do Aço, que chegou aos 27 pontos, deixou a lanterna, e subiu pra 19ª colocação. Rodrigo Antônio e Fabiano marcaram os gols do Tigre, que começa uma inesperada reação pra se manter na Série B, repetindo o feito do Fluminense ano passado na Série A. Será possível?

DAQUI A POUCO começa no Estádio dos Aflitos, Náutico x América, que estará desfalcado do atacante Fábio Júnior,que terá de cumprir suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo.

domingo, 10 de outubro de 2010

ENFIM A LIDERANÇA DO BRASILEIRO É CELESTE

A gente cansa de bater na mesma tecla deste piano desafinado que é a organização do futebol brasileiro; não adianta nada: a cartolagem e a Poderosa dona dos direitos não ouvem. É desumano jogar futebol no Brasil as quatro da tarde no período de calor intenso. Sem falar no calendário criminoso. As lesões se sucedem, jogo a jogo, a qualidade do futebol cai, o torcedor paga caro por coisa tão ruim.

*Batem-lhe a carteira, descaradamente, nesse pacote de ruindade.

CRUZEIRO ENFIM LÍDER

Se o tal pacote impede o Cruzeiro de jogar futebol como se espera dele, pelo elenco qualificado que tem, Cuca tem apostado em explorar tal aspecto como vantagem sobre os adversários. Enquanto eles correm e se desgastam, o time de Cuca joga torto, prega sustos nos torcedores, usa três volantes, desgasta sua grande estrela atual, o argentino Montillo, com a responsabilidade de fazer sozinho a ligação defesa/ataque, mas chegou a líder assim.

* Montillo tem lembrado o Alex Mágico da Tríplice Coroa.

FUTEBOL DE RESULTADO

Contra o Fluminense, o Cruzeiro deixou que o adversário tivesse volume de jogo e marcou na intermediária. Apostou nos erros dos cariocas e na velocidade de seu contra-ataque com a volta de Wellington Paulista. Aconteceu e numa jogada de Montillo, o artilheiro marcou de cabeça. Depois, não deixou o adversário incomodar Fábio e foi à frente na boa: fez mais um gol, anulado por impedimento, e mandou uma bola na trave.

* Não precisou de mais nada: virou líder com 54 pontos, dois a mais que o Flu.

SORTE AJUDA

Os deuses têm dado aquela ajudazinha. Rogerinho, do Flu, perdeu uma chance inacreditável aos 43m do segundo tempo. Não é por acaso que os azuis chegam à liderança do Brasileiro: tem excelente elenco, visto desde o início por poucos na grande mídia. Com os percalços porque passou, Cuca soube superar; mesmo colocando Pablo na lateral esquerda e o time bem torto, outra vez.

* Agora, descoberto o elenco celeste, apareceram os profetas do acontecido.

DEU O ESPERADO

Bem que o Atlético lutou, esperneou e morreu em pé diante do Internacional, em Porto Alegre. A derrota ( 1 a 0) já se esperava, com os desfalques do time mineiro e a força dos gaúchos na luta pelo título brasileiro agora com 47 pontos, em quarto lugar. O Galo permanece do buraco negro. Mas por pouco tempo.

* Sai na próxima rodada quando pega o Avaí na Arena do Jacaré.

CERTEZA EU NÃO DOU

Esta de dar certeza da saída do Galo do buraco negro no próximo final de semana, eu não assino embaixo. O motivo é simples. Apesar de ser o jogo na Arena, o Avaí tem força pra pegar uma peça no Galo. Diria: uns 15%. Além de que se torna necessário um tropeço do Atlético-GO, com 29 pontos agora.

* Se vencer, é ele quem pula fora, com 32 pontos. Galo, Goiás, Avaí e Grêmio Prudente estariam no buraco.

QUEDA DO ADILSON

Não foi bem uma queda; foi uma saída à francesa. Adilson Batista não resistiu à sequência de cinco jogos sem vitória e pulou fora do barco corintiano. Não explicitou na coletiva depois da derrota para o Atlético-GO (4 a 3, e o Timão chegou a perder por 4 a 1) os motivos de sua saída. Nas entrelinhas em problemas internos.

*Faltou o sócio Zezé Perrela e sobrou Thiago Heleno na vida do Capitão América no Timão.

COELHO VICE LIDER

A delegação do América já está no Recife onde defende nesta terça-feira a vice-liderança da Série B contra o Naútico, no estádio dos Aflitos. O Coelho não teve nem tempo pra comemorar a virada em cima do Brasiliense ( 2 a 1), com um gol de Dudu, impedido, no último minuto do jogo. Do Recife, o Coelho segue pra Juazeiro do Norte, a fim de pegar o Icasa, na rodada seguinte.

* Vencer com gol impedido no finalzinho tem sabor de empadinha de frango saída do forno.

TIGRE SURPREENDE

O IPATINGA surpreendeu o Sport e todos nós ao vencer o Leão na Ilha do Retiro, (l a 0, gol de Alessandro) com aquele danado do careca paranaense, Heber Roberto Lopes, juiz pra lá de caseiro.

*Se o Tigre bateu no Leão lá no Recife, com Heber no apito, é porque mereceu mesmo.