sábado, 23 de outubro de 2010

FALA PRIMO IRAQ

MEU PRIMO IRAQ, como diria o saudoso Gil Costa "ácido" colaborador desta Trincheira manda duas mensagens/colaborações bem interessantes. Ocupam o espaço deste sábado. LEIAM E REPASSEM:


"Flávio. Não só na CONMEBOL como também no comentário sobre o clássico. Mas também dou meu pitaco. Atleticano que sou, acompanhante (gostou ?) de futebol desde 1953, quando vim viver nessas plagas belorizontinas, sinto-me forçado, pelo estágio atual das duas equipes, a eleger o Cruzeiro como favorito. Claro que vou torcer feito doido pro meu time, mas como não reconhecer a altíssima qualidade do atual plantel azul ? Suas ponderações sobre horário do jogo e o fato de os dois jogarem sabendo os resultados de seus concorrentes diretos, foram perfeitas. Acredito que se o Luxa tivesse sa´dia há mais tempo, o Galo estaria muito mais bem classficado. Tivemos (eu e meus colegas do Galoforte) informações, dadas por um jogador atleticano cujo nome prefiro declinar de dizer, que fazem estremecer a estrutura de qualquer pessoa.

Eis o texto, na íntegra.

Um grande amigo me encaminhou um e-mail narrando um papo de outro conhecido dele com um dos jogadores do Galo, durante um jantar na casa do jogador. São muito amigos (o cara que narrou e o jogador). Só que apagaram o nome do jogador porque o cara que narrou o encontro pediu para não espalharem, porque poderia prejudicar o atleta. O que li é estarrecedor.

Em primeiro lugar, não havia treino de manhã. O papo é que o carteado de fato estava comendo solto nas noites, o Luxa é vidrado nisso. Quem orientava os treinos, em geral, eram o Rincón e o Melo, o que bate com coisas que o próprio Luxa disse no Bem Amigos semana passada sobre como atua um treinador na Europa.

Ainda segundo o jogador, até os jogadores mais intimos do Luxa estavam impressionados com seu descontrole. Chamava os jogadores de filho da puta para baixo. Ficaram putos também porque achavam que ele tirava o dele da reta nas entrevistas e botava a culpa nos jogadores. E, ainda segundo o atleta, ficaram revoltados com o treinador quando este acusou Zé Luis de dar um "migué" quando não jogou por causa de uma frieira nos pés. segundo o jogador, o Zé é um dos mais queridos do grupo, por sua seriedade e profissionalismo, e o pé dele estava de fato em carne viva, não era golpe.

Por fim, o jogador disse que todo o grupo sabia que o Renan faz com uma mão o que os outros não fazem com as duas (expressão literal do jogador).

Fica cada vez mais claro que a diretoria demorou demais para tomar uma atitude, e que deram ao Luxa regalias que nenhum outro time do Brasil aceitou lhe dar.
E durma-se com um barulho desses.

SEGUNDA MENSAGEM DO IRAQNo dia 2 de Janeiro de 2011, um senhor idoso, depois de atravessar a Praça dos Três Poderes, se aproximou do Palácio da Alvorada e falou para o "Dragão da Independência" que montava guarda: Por favor, eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Serra.
O soldado olhou para o homem e disse: Senhor, o Sr. Serra não é presidente e não mora aqui.

O homem disse: Está bem. E se foi.

No dia seguinte, o mesmo homem idoso se aproximou e falou com o mesmo soldado: Por favor, eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Serra.
O soldado novamente disse: Senhor, como lhe falei ontem, o Sr Serra não é presidente e nem mora aqui.

O homem agradeceu e novamente se foi.

Dia 4 de janeiro ele voltou e falou com o mesmo guarda: Por favor, eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Serra.
O soldado, compreensivelmente irritado, olhou para o homem e disse: Senhor, este é o terceiro dia seguido que o Senhor vem aqui e pede para falar com o Sr. Serra. Eu já lhe disse que ele não é presidente, nem mora aqui. O Senhor não entendeu?

O homem olhou para o soldado e disse: Sim, eu compreendi perfeitamente, MAS EU ADORO OUVIR ISSO!!!

O soldado, em posição de sentido, prestou continência e disse: Até amanhã, Senhor!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.