quinta-feira, 7 de outubro de 2010

FALTOU JOGO NO TIME DE MANO

Bem que tentei acompanhar na íntegra um amistoso da Seleção Brasileira contrariando meus princípios de nunca perder tempo com essas besteiras. Amistosos contra Itália, Inglaterra, Alemanha, França, Argentina ou Uruguai valem a pena. Com time pequeno é perfumaria, treino oficial de uniformes e arbitragem. Segurei até os 2 a 0 e não aguentei mais. O Brasil marcou mais um com Nilmar, que eu não vi.

BEM DIFERENTE - O futebol que os meninos de Mano Meneses mostraram esteve longe do time irresistível e brilhante da estréia contra os Estados Unidos. O de agora foi lento e desinteressante. Uma cansativa pelada, cheia de erros de passes e sem qualquer jogada individual brilhante. Robinho negou fogo como tem negado no Milan. Nem o bom David Luis, beque do Benfica, mostrou suas boas qualidades.

CONTRA O BRADESCO - Face a falta de atrativos no jogo, desliguei a televisão aos 24m do segundo tempo e foi ao Juizado de Pequenas Causas, na Rua Curitiba, ajuizar a ação de perdas e danos morais, em meu nome e de minha esposa, contra o Bradesco. Afinal, apesar de termos liquidado as dívidas em nossos nomes, do tal empréstimo compulsório, o banco ainda tem o descaramento de continuar descontando nos nossos minguados contracheques.

JOGANDO COM NOSSA GRANA - Desconta no dia do pagamento e repõe cinco dias depois. Minha mulher jura com os pés juntos que a reposição dela não acontece. Ora bolas! Se o banco faz isso com 50% do pessoa que lhe pedem empréstimo compulsório e quitam a dívida, imaginem amigos, a grana que o banco retém e joga com ela por cinco dias. Primeira audiência, pô, em fevereiro de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.