segunda-feira, 1 de novembro de 2010

TABUS ME FAZEM TANTO MEDO QUANTO SORRISO DE CRIANÇA

Prometo não usar o lugar-comum de que tabu acontece pra ser quebrado. Apenas me surpreendo com os tabus que valem manchetes diante de situações de grande interesse do editor. Visto que sou cru em internet – apenas dou conta do feijão-com-arroz diário – abro o micro e vou direto para o Portal Uai. Ali, assumo os fatos do dia e escrevo esta Trincheira, cunhada em opiniões e em algumas informações que me chegam, via celular, enviadas pelos informantes.
* Dentre eles, o irrequieto Wilson José.
BOM PRA UM, RUIM PRA OUTRO - Então apuro os tabus. Interessante: são bons para os que estão mal na tabela de classificação e ruim para os que estão lá em cima. O Galo não perde para o Guarani há 11 anos, diz a manchete. De lado, outra informa: o Cruzeiro espera quebrar o tabu de 6 anos sem vencer o São Paulo. Outra garante: o Galo jamais perdeu pra time dirigido por Wagner Mancini, técnico do Guarani.
* Então se subentende que no caso do Galo, a turma pode gastar o bicho antes.
ROBERT AMENIZA - Diante do primeiro susto, vem a boa surpresa: Robert, que comanda o ataque contra o São Paulo, no Parque do Sabiá, foi o herói do Palmeiras no clássico contra o são-paulinos no dia 21 de fevereiro de 2010. O Verdão venceu por 2 a 0, jogo do Paulistão, na estréia de Antônio Carlos no Palestra Itália e Robert marcou os dois gols.
* Tomara que Robert seja, de novo, o herói de uma partida tão importante.
FESTA CELESTE - O Departamento de Marketing do Cruzeiro, em plena atividade, organiza no período de 3 a 7 deste mês, uma exposição sobre o clube para os torcedores de Uberlândia: a “Fanzone Cruzeiro Brahma/Cemil”. Apesar de descendente de italiano não entendo nada; com certeza este “Fanzone” tem alguma coisa com a novela da Globo.
* O evento todo vestido de azul acontecerá no segundo piso do Center Shopping de Berlândia.
* Constará de exposição de algumas das principais taças conquistadas pelo Cruzeiro: o Campeonato Brasileiro de 2003, Copa Libertador de 1976, Copa do Brasil de 1996, Supercopa de 1992, Recopa de 1998 e Copa Sul Minas de 2002, além de todos os uniformes da atual temporada e algumas camisas da linha retrô.
* Haverá, também, exibições de vídeos de jogos históricos e sorteio de ingressos para jogos, bem como kits do clube e camisas oficiais.
DE VOLTA AOS TABUS - Essa bobagem de tabu serve pra mexer apenas com a cabeça de atleta despreparado. Alguns morrem de medo e tremem na hora da partida. Outros, em razão da vantagem de seu time, perdem a tesão pelo jogo e andam em campo. O Galo tem de focar apenas a reação imediata no Brasileiro pra deixar a zona de rebaixamento. Fosse qual fosse seu adversário. O lado psicológico da questão – negativo ou não – fica lá pras bandas de Campinas.
* Guarani é o primeiro no portão de entrada do buraco negro. Se perder, assume o lugar do Galo dentro do fosso.
ADIANTA NADA - O retrospecto positivo do Atlético contra o Guarani e o seu técnico é excelente, mas não lhe dá três pontos por antecipação. Precisa ignorá-lo. Tenho convicção de que foi nisso que Dorival Júnior baseou sua palestra.
* Contra Mancini, em sete confrontos, o Galo teve seis vitórias e um empate. E daí?
ENTREGA LOGO OS PONTOS - Da mesma forma que, segundo as pesquisas, o Galo leva enorme vantagem sobre o Guarani e seu treinador, e se isso valesse alguma coisa ele nem precisaria ir a Campinas, gastar dinheiro à-toa, o Cruzeiro deveria logo entregar os pontos para o São Paulo, nesta quarta-feira, no Parque do Sabiá. Existe a idiotice de um tabu entre eles desde 2004.
* Este foi o ano em que o Cruzeiro parou de ganhar do São Paulo no Brasileiro.
* Vou passar os dados pra não parecer velho ranzinza e rezingueiro: a última vitória estrelada foi em 23 de maio de 2004 por 2 a 1, no Mineirão. De lá para cá, foram 12 jogos: sete vitórias dos são-paulinos e cinco empates. O último deles este ano, no Morumbi, por 2 a 2.
* Vejam em outros números que o Cruzeiro não está há 6 anos sem vencer o São Paulo. Nesse período teve duas vitórias, mas elas foram pela Copa Libertadores da América 2009, e valeram a eliminação dos conterrâneos do derrotado Serra. Ah, tá bom!

Um comentário:

  1. Godofredo - Brasília2 de novembro de 2010 15:28

    Caríssimo Flávio, estou com vc. Esse negócio de tabu é a maior besteira que existe. Se o Galo não se cuidar bem e o Guarani vencer agora talvez fosse melhor nem existir tabu. Nesses 11 anos quantas vezes o Atlético venceu o Guarani sem a força de decisão de agora? Olho nos árbitros, tb Kalil

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.