segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O GORDO E O MAGRO

A Trincheira não informou que aquela história de o Cruzeiro desistir de Victorino era conversa fiada? Pois é. A oferta de US$ 2 milhões está de pé e como o mercado europeu encerrou-se sem qualquer interesse em Victorino os azuis esperam acertar com a La U, do Chile, a compra do excelente beque uruguaio por essas horas.

Roger por Carlos Alberto? A novidade é que o Cruzeiro aceita pagar o salário de Roger em São Januário até dezembro, desde que o Vasco pague o de Carlos Alberto aqui, no mesmo período. Roberto Dinamite deu uma gargalhada e perguntou ao Perrela: “cê pensa que nós somos tão bobos assim?”

O meia Bernardo, outro desprezado no Cruzeiro do rancoroso Cuca, foi apresentado pelo Vasco à Imprensa carioca. Quem queimará a língua: Adilson, Cuca, Perrela ou este locutor que vos escreve? Rsresrsrs...

O Corinthians terá a dupla O Gordo e O Magro que tanto sucesso fez no cinema, nos meus tempos de menino bobo lá no Caratinga. O gordinho Ronaldo e o magrinho Liedson, contratado ao Sporting de Lisboa. Este cara é bom de bola. Inclusive joga – ou jogou? - na Seleção Portuguesa.

Liedson antes de ir jogar no Sporting esteve no Corinthians, onde se deu bem. Depois de 8 anos retorna cinco gramas mais gordo.

FESTA FORA E DENTRO DE CAMPO NA ABERTURA DO MINEIRO

Enquanto a torcida azul dava bolo no time em Sete Lagoas por causa dos altos preços e da transmissão direta da Rede Globo a massa do Galo enchia o pequeno estádio do Cassimiro de Abreu, em Montes Claros, e comemorou largamente a difícil virada por 2 a 1 sobre o Funorte. Afinal, há quatro anos o time não vencia uma partida de abertura do Campeonato Mineiro.

A festa alvinegra atrasou o início do jogo em 10m; grande quantidade de papel picado foi atirada no gramado junto com rolos de papel higiênico. O pessoal da FMF, apesar de tudo, teve muita dificuldade pra limpar a sujeira feita.

A festa foi notável, digna de um estádio pra 25 mil pessoas que Montes Claros jamais teve. O torcedor da região gosta do futebol mineiro e merece isso.

No jogo, o Funorte foi melhor no primeiro tempo e fez l a 0. Até mereceu mais. No segundo, as entradas de Wesley e Magno Alves mudaram tudo e o Atlético acabou até por merecer a vitória por 2 a 1. Magno Alves empatou e Wesley sofreu o “discutido pênalti” que Tardelli converteu em 2 a 1.

Aqui o soprador de apito foi Renato Conceição. Pênalti bem maroto, hein seu Conceição?

Com pênalti duvidoso ou não, a verdade é que o Galo estava perto da virada quando Mancini entrou no lugar do insosso Renan Oliveira. Lá já estavam Wesley e Magno Alves, que fizeram Serginho, Richy ( eu, hein rosa?) e Tardelli crescerem no jogo.

Wesley botou mais uma pulga atrás da orelha de Dorival.

Tirei o som da tevê e fui acompanhar o jogo na Rádio Globo com Guto Rabelo, garoto bom de bola. Ótima revelação do rádio esportivo. Só não gostei do tal “Richy” que é tratamento entre eles, boleiros, e fica bem afrescalhado na narração.

Na próxima rodada, o Atlético enfrentará o Tupi, domingo, em Sete Lagoas. O Funorte joga contra o Ipatinga, sábado, no Ipatingão.

CUCA SEM HUMOR

Nem o presente que a arbitragem do soprador Cleisson Veloso com o pênalti no primeiro gol, marcado por WP9, melhorou o humor do rancoroso Cuca. Na entrevista ao Odilon Amaral só quis puxar a orelha do torcedor que gritou por Roger – direito de quem paga e dá a alma pelo time.


Cuca fez coro com Gilberto. Experiente, Gilberto respondeu os gritos dos torcedores com pedidos de aplauso após a única jogada meia-boca que fez e que não redundou em nada. Diego Renan fez gol e foi o melhor do time. Dudu, que substituiu o ídolo Montillo, no segundo tempo, esquentou a partida. No seu gol, construiu toda jogada.

No lamentável final de partida, ficou claro que Cuca não quer Roger na Toca, coisa que a Trincheira denunciou logo após a briga deles. Cuca é dissimulado. Faz carinha de anjo bebê que nem sabe voar e age vampirescamente. O Cruzeiro será prejudicado e Zezé Perrela, de novo, um omisso.

Nesta declaração de Cuca existem duas situações nas quais não acredito e aconselho o torcedor descompromissado a não acreditar, também.

Na primeira ele diz: “Eu tive duas conversas com o Roger e coloquei para ele que a princípio ele era reserva e tinha que buscar a titularidade no campo de jogo. E perguntei: “serve para você?”. Ele falou “não serve”.

“Então o torcedor não pode ficar bravo comigo, com o Gilberto, com o Montillo, que é quem está dando a vida lá dentro, procurando melhorar, para a gente estar dia 16 (data da estreia na Libertadores) melhor do que hoje”.

Em momento algum Roger contestou esses caras. Cuca é que vem jogando um contra o outro. Roger apenas buscou justificativa sobre o procedimento do treinador que prometeu manter o time do final do ano.

Roger, um dos destaques, ao lado de Montillo, no entanto foi sacado. Pediu justificativas.

Sabem qual é o problema disso tudo? Vaidade de treinador. Roger, com a personalidade que tem pôs o assunto à discussão pública e irritou Cuca. Gilberto fez muito mais antes, na renovação de contrato, e ninguém ficou tão p. da vida.

Segunda situação. Cuca afirma que “se o Roger amanhã mudar de opinião e disser
“quero ganhar minha posição no campo, vou treinar, vou me dedicar”, ele vai estar com a gente”.

Não acreditem nisso. Roger não aceita a situação criada por Cuca e por isso topa negociar com o Vasco, do jeito que Cuca quer também. Aí vem um caminhão de problemas, dirigido por Carlos Alberto, pra Toca da Raposa. Senhor Bom Jesus!!!

Gilberto, também, fez-se de vítima; alisou e soltou os cachorros em Roger.

Leia o texto que tirei do site Uai, numa entrevista de Gilberto às emissoras de rádio depois da vitória sobre a Caldense: “Roger é excelente jogador e tem condições de ser titular no Cruzeiro, mas isso é durante os treinamentos e jogos”.

Com certeza este seria o melhor critério que, no entanto, Cuca não aplicou. Para ele, Gilberto é intocável. Seu homem de confiança. Previamente escolhido titular e o outro reserva, sem direito a choro ou vela.

Os exemplos que Gilberto dá sobre o assunto são de absurdo sem fim. Disse: “nunca vi em minha vida Ronaldinho Gaúcho, Pelé ou Zico reclamar. Todos são grandes jogadores e nunca pediram titularidade”. Era preciso ou será que Gilberto imaginou serem ele e Roger integrantes deste tal grupo?

domingo, 30 de janeiro de 2011

ARBITRAGENS AJUDAM OS GRANDES

Vou situar-me apenas nos dois jogos: Cruzeiro 3 x Caldense 0: Funorte 1 x Galo 2. As partidas estavam complicadas para os times da Capital e ainda a arbitragem entrou em campo pra desequilibrar em favor dos grandes. Os pênaltis que originaram o primeiro gol dos celestes contra a Caldense e do gol de virada do Galo não existiram. De qualquer forma, nem precisavam da mãozinha, porque mandavam nas suas partidas e as vitórias viriam, normalmente.

VITÓRIA DO GALO

Mancine entrou e ajudou na virada. Pena que Diego Souza ficou em BH. Wesley agrada tb ào narrador revelação Guto Rabelo. Também penso que Wesley foi o grande nome da partida dentro das mexidas do Dorival Júnior. Galo 2 a 1, mas o líder é o Guarani de Divinópolis que enfiou 5 a 0 no Ipatinga.
Richy? Bom Jesus do Galho!!! Coisa mais gelosa
Magno Alves tornou-se o foco do jogo em MOC, como Dudu foi em 7Lagoas. Que velocidade no contra-ataque! Mexeu bem Dorival.
Nesta segunda-feira, tem clássico em Governador Valadares, cheio de rivalidade; Democrata Pantera x América-TO pra fechar a rodada

ROGER R0GER,R0GER; GRITA A TORCIDA AZUL

QUE a torcida continue gritando ROGER, ROGER, ROGER. O rancoroso Cuca não deve forçar a troca de Roger por C.Alberto. Loucura pura!
UÊ! Cuca irritado por que a torcida gritou Roger e prejudicou Gilberto. Falou mais besteira: diz que Roger é que não quer ficar no elenco.
WP9 fez o que todo centro-avante moderno tem de fazer: foi assistente, pivô e bateu o pênalti com violência.
Justiça. Diego Renan começou 2011 de pé direito. Dois gols em duas partidas. O melhor do jogo Cruzeiro 3 x Caldense 0.
O menino Dudu entrou no lugar do ídolo Montillo e virou o jogo. O 3º gol, dele, começou na trivela dele pro Wallyson. Outro que entrou bem.
Gilberto não jogou nada. Andou em campo. A torcida gritou Roger com razão. Mas pelo que senti hoje, as chances de Roger ficar na Toca são mínimas. Cuca é rancoroso e conta com apoio da imprensa perrelista. Gilberto tb entrou na briga e triscou Roger. Gilberto não é bobo nada. Quer eliminar um concorrente perigoso. Roger joga muito mais que ele, que o Cuca, que Perrela e outros mais. INFELIZMENTE nesta briga de rancor, o Cruzeiro perde e reforçará, com certeza, outro adversário no Brasileiro. E se trouxer Carlos Alberto, aí o reforço será maior ainda.
Vou pesquisar, pois pela reação destemperada de Cuca ele já teve problema antes com Roger em algum lugar.

sábado, 29 de janeiro de 2011

AMERICA LEVA O EMPATE DO UBERABA NO FIM

O América segurou o triunfo por 1 a 0 até o fim, perdeu muitos gols e acabou sofrendo o castigo aos 39 minutos do segundo tempo. O resultado da estreia do Coelho no Campeonato Mineiro não foi o esperado pela torcida americana: empate por 1 a 1, contra o Uberaba, em Varginha, como mandante.

O gol do Coelho foi anotado de Fábio Júnior, aos 35 do primeiro tempo. O time mostrou muita disposição, mas pouca qualidade além de perder gols importantes.Agora, o clube terá que buscar a reabilitação em Poços de Caldas, contra a Caldense, na quarta-feira, às 10 da noite. Já o Uberaba receberá o América de Teófilo Otoni no Triângulo Mineiro.

Tupi e Villa Nova fizeram, também, um jogo de pouca técnica e coragem em Juiz de Fora. Aí o placar não saiu de l a l.

PEGA NA MENTIRA

O que tem acontecido na Toca? O treinador desanda a mentir, o diretor de futebol, também, os meus espiões dizem uma coisa - troca de Roger por Loco Abreu - que fica camuflada até na Imprensa azulista. Agora Loco Abreu saiu da prateleira do Botafogo, mesmo contra a vontade de pai Joel. O gringo desandou a fazer gol.

Mas voltando à Toca do seu Zezé: dois dias depois de dizer, em entrevista coletiva, otimista com a contratação do zagueiro uruguaio Maurício Victorino, o diretor de futebol do Cruzeiro, Dimas Fonseca, surpreendeu e confessou que a negociação está longe de ser concretizada. Isso porque, segundo o dirigente, o clube celeste contava com dinheiro em caixa da venda de algum atleta até o encerramento da janela européia, dia 31, o que não ocorreu. Dessa forma, o clube não pode sustentar a proposta de US$ 2 milhões à Universidad de Chile. Outra mentira: o Cruzeiro não contava com a venda de mais ninguém. Mais mentira: o Cruzeiro não desistiu nada do uruguaio. Só esconde o jogo...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

MINEIRO COMEÇA SEM MAIORES NOVIDADES

A cidade de Varginha e o belo estádio Dilzon Melo – o Melão – que desde a morte do seu Flamengo estava fora das lides da divisão principal do campeonato mineiro este ano será sede de dois times: o estranho Boa FC parido nas leis escabrosas que pairam sobre o esporte nacional e o América. Neste sábado, o Coelho joga no Melão às cinco da tarde contra o Uberaba após fazer a pré-temporada na terra do ET, com direito a curtir o belo Clube Campestre.

No outro jogo deste sábado, no mesmo horário, o Tupi recebe o Leão do Bonfim em Juiz de Fora. Vou fazer uma pesquisa, mas tenho quase certeza de que, exceto nos anos em que o Galo da Manchester disputou a Segundona mineira, sua estréia sempre se deu contra o Villa Nova. Tem dessas coisas na FMF e na falta de imaginação que reina lá.Menos claro, na Assessoria de Imprensa comandada pela minha querida Nina Abreu.

No domingo, estreiam Guarani x Ipatinga; Cruzeiro x Caldense, na Arena do Jacaré;
Funorte x Galo, em Montes Claros; Democrata x América-TO. Afora a estranha mudança de nome do Ituiutaba e sua saída da cidade de origem, o campeonato mineiro começa sem maiores novidades.

DUAS CARAS DE CUCA

Ano passado fui enganado pelo jeito caipira e a cara de menino sofrido de Cuca. Neste episódio do Roger a máscara caiu. Sua arrogância assustou-me. Mas como dizia dona Geralda, macróbia senhora da ex-Rua das Flores, em Caratinga “quem dorme com o diabo cria rabo”. A convivência de Cuca com Zezé Perrela!!!!

Não foi Cuca que anunciou a possibilidade de aproveitamento dos meninos da casa e a perspectiva de Thiaguinho explodir no clube? Como então Thiaguinho, Bernardo e Eliandro deixaram a Toca e foram emprestados? Saíram também Everton, Camilo, Kieza, Reinaldo Alagoano e Anselmo Ramon. Os dois últimos nem conheço e não posso opinar.

Sobre Everton, Camilo e Kieza já foram tarde. Decepcionaram aqui. O goleiro Douglas Borges, emprestado ao Guarani de Divinópolis, vai pegar experiência.

Segundo Dimas Fonseca, mais dois ou três sairão pra se chegar ao número exigido pelo treinador: 25 ou 26 atletas.

Pois bem, no Brasileiro e na Taça Libertadores, escrevam aí, Cuca ao levar ferro dirá que o elenco é pequeno obrigando-o a improvisar. Já vi tal filme antes.


Porém, preocupou-me mesmo a falta de firmeza de Cuca em suas declarações. Vai lá e volta cá com incrível rapidez. Mas muda a cara: antes de anjo por fim de durão. Imitação do Professor Felipão.

BOCA NO TROMBONE

A turma leitora da Trincheira bota a boca no trombone e tem aqui sua tribuna.
Diz César Augusto Rodrigues, de BH:

“Prezado Flávio Anselmo. Viajo nestas suas colunas,que a vezes enxergo como uma crônica do mundo esportivo,mas nesta de hoje o senhor se superou...Perfeita. Banalizaram o troféu Telê Santana. As escolhas do Diego Renan, do Caçapa e do Renan Oliveira soaram como uma brincadeira de mau gosto, ou ai tem "treta".O Dorival mostrou serviço sim, mas a prova de fogo dele é este ano, com as contratações pré-temporada e etc.Estava na cara que os jogadores do Galo queriam a saída do Luxa.”

“Qualquer Mané que viesse para seu lugar,com certeza o time jogaria mais,a exceção do Fabio Costa,que é ruim mesmo.Outro detalhe são as contratações dos rivais.O Cruzeiro, minha gente, manteve a base de um time vice-campeão brasileiro; não carece de contratar tanto assim,ao contrário do Galo, que tem que reforçar muito o time, apesar de eu particularmente achar que Patric e Magno Alves não são reforços.

E finalmente o caso Roger.Claro: Cuca está vacilando ai.Muitos jogadores lá na Toca falaram demais e não houve tanta controvérsia”.

Agora fala Gegê Angelino – BH: “Acho que estamos no fim dos tempos. O verdadeiro nome do, Patric novo reforço do Galo, é, pasme-se Patric Cabrau Lalau. Pelo amor de Deus, estes servidores cartorários perderam mesmo a noção do ridículo, claro, de mãos dadas com estes infelizes pais”. Pior que o nome é o futebol, Gegê!

Agora a vez de Reginaldo Souza – BH: Meu amigo Flávio Anselmo. Fico triste quando tenho de discordar do mestre comentarista, mas confesso que tenho feito isso constantemente. Sem querer puxar a sardinha pro meu lado atleticano, com certeza o Galo fez as melhores contratações, disparado, não só de Minas, mas diria do Brasil, onde a maioria dos seus colegas de imprensa, fala isso também. Não vou aqui colocar qualidade de cada um, já que todos conhecem, até mesmo alguns desconhecidos. Exemplo: o Wesley, que o Fluminense queria de todo jeito e sabemos que o Muricy de
bobo não tem nada”.

“Agora cá pra nós, o Cruzeiro contratou só "meia boca", segundo também o seu colega e deputado, João Vitor Xavier e pior, dispensou e perdeu alguns jogadores do grupo que irão fazer falta. Quanto ao troféu Tele Santana, acho que a indicação de Renan Oliveira foi merecida sim senhor, afinal conseguiu dar a volta por cima e fazer ótimas partidas, valendo por ano todo. O Caçapa concordo com você. Já o Diego Renan... ah.... não tem tu, vai tu mesmo. Sem concorrência”.

“Sobre o técnico, também achei merecido. Cuca pegou um time montado, fez um ou dois ajustes somente. Mauro Fernandes.... ah.... não acho que foi tão excepcional assim... médio. Já Dorival Júnior, você mesmo falou: teve que limpar a sujeira toda, acalmar ânimos, lidar com desconfianças, provar que tinha condições... etc..etc..”.

Pode-se ver, por suas opiniões, sua total isenção, Reginaldo. Rsrsrsrsrsr


Diz Paulo Hamack- BH o seguinte: “Caro e abrangente comentarista , referente ao
comentário Roger x Cuca , mais uma vez o comandante mostra-se despreparado
(receio de conversar com determinados jogadores de , supostamente , Q I mais
alto) diante dos fatos comuns e corriqueiros do futebol ; mesmo , levando-se em
conta a falta de franqueza, direta ,do jogador com o treinador”.

“Talvez já exista animosidade entre os dois e/ou o comandante é tirado a Fidel . Qualquer treinador inteligente e que tenha moral com o grupo , chamaria o atleta no canto, pediria desculpas ( fazendo média ) por não tê-lo informado da sua decisão e
solicitaria , das proximas vezes, que o atleta o procurasse antes de colocar
para a imprensa . Para não entrar no mérito " se o jogador joga para a imprensa
ou repórter tá a fim de celeuma jornalística" paro por aqui .

BLOG DO CHICO

“Não demorou e a moda chegou às nossas montanhas: o Ituiutaba Esporte Clube, fundado em 1947, simplesmente foi transformado pelos irmãos que o comandam, em “Boa E. Clube”, numa posse do apelido do antigo Ituiutaba e mudou de cidade: agora é de Varginha, a 700 Km de distância. Ao contrário dos países sérios, aqui as federações e a CBF aceitam sem contestações, alegando que o que vale é o CNPJ”.

“O interesse de terceiros que se dane. O Uberlândia que viajaria 280 Km (ida e volta) para enfrentar o Ituiutaba pela segunda divisão deste ano, agora viajará 1.156 Km (ida e volta) para pegar o “Boa” em Varginha. O certo seria este novo clube começar na terceira divisão mineira, sem direito à vaga na Série B nacional, conquistada pelo Ituiutaba” – Faço minhas as palavras do rapaz de Sete Lagoas.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

VELHA RIVALIDADE PRESENTE NO EMPATE NA ARENA

Aquele ranço entre brasileiros e uruguaios não deixou de existir no amistoso em que Galo e River Plate empataram (1 a 1) na Arena do Jacaré. Os visitantes tomaram um gol de Ricardinho logo aos 2m e acenderam o estopim. Aprontaram uma correria, com divididas duras, devolvidas pelos atleticanos e o confronto esquentou. Após o empate do River, com o brasileiro Jander, a caldeira teve mais lenha pra queimar.

Como teste, Dorival Júnior tem material à vontade pra examinar antes da estréia, domingo, contra o Funorte, em Montes Claros, pelo Campeonato Mineiro.

Primeiro tempo Galo l x River Plate do Uruguai l , O time que Dorival escalou logo de início não será nunca o titular. Tirando os erros normais de começo de temporada, principalmente quanto ao conjunto e o acerto dos passes, o Galo mostrou falhas que só serão corrigidas com mudanças.

Por exemplo: as duas laterais, com Leandro e Rafael Cruz não estão à altura. O meio-campo com dois canhotos, Ricardinho e Richarlyson, puxou as jogadas só pelo lado esquerdo, onde Tardelli e Jóbson se revezavam; melhor aproveitamento do ex-botafoguense.

Serginho ficou tonto e foi jogar daquele lado também. O trio atacava mais e não contava com Renan Oliveira pra nada. Resultado: a defesa de Réver e Werley ficou vulnerável.

Se o placar chega ao empate de 5 a 5, também, seria natural. O goleiro visitante Hernandes pegou até pensamento. Renan Ribeiro e Geovani, este no segundo tempo, tiveram poucos, mas importantes defesas na partida.

A constante troca de lado de Jóbson, vezes, confunde Tardelli mas a dupla, no aspecto individual, destacou-se bem. O time ensaiou maior velocidade na saída de bola e fez isso em alguns lances.

Dorival fez interessantes mudanças de estudos na fase final, com risco, inclusive de perder o amistoso. O River Plate criou mais oportunidades e manteve a disposição física, com muita luta.

No intervalo, o técnico sentiu as deficiências citadas acima. Colocou Zé Luiz de volante e tirou Leandro. Empurrou Richarlyson pra lateral-esquerda. Bob Farias entende que é desperdício um jogador tão talentoso preso na lateral. Penso que o bom menino da Rede Globo equivoca-se, com o devido respeito: Richarlyson empresta seu talento ao setor e abre espaço a novos talentos no meio.Creio que Dorival começa a definir o futuro time após tais mexidas.

Na lateral direita, Patric entrou no lugar de Rafael e nada acrescentou. Volto à minha antiga tese: três zagueiros – Réver, Léo Silva e Werley, este pela direita – e Zé Luis na frente. Evidentemente que Richarlyson estará na lateral-esquerda, bem mais fixo.

Renan Oliveira não me agradou. Ele nem atacou nem ajudou na marcação. Totalmente insosso, ainda de férias, como nos tempos passados. A futura composição ganhou mais corpo quando Diogo Souza substituiu Ricardinho e Mancini entrou no lugar de Renan Oliveira. Em jogadas individuais, fizeram a torcida vibrar. São titulares.

Nas demais alterações, o destaque fica pra Magno Alves que criou duas excelentes chances neutralizadas pelo excelente goleiro Hernandes. Não implicam em nenhum complicador nos estudos de Dorival Júnior. Não será agora, mas o técnico acabará por chegar ao time escalado pela Trincheira.

IMPRESSA PERRELISTA EM AÇÃO

Tão logo Roger com justiça reclamou das declarações intempestivas e fora de hora de Cuca privilegiando certos atletas com cadeiras cativas no time titular do Cruzeiro– coisa que só Pelé e Garrincha tinham direito – a impressa perrelista entrou em campo pra desacreditar o craque, blindar o treinador e combater o outro lado que só espera fumaça pra colocar lenha na fogueira do quintal vizinho.

Quem começou tudo foi Cuca que agora se pousa de vítima e de comandante ultrajado, com um discurso nazifascista que impede o subordinado seu ter opinião própria.
Roger fez o que qualquer atleta de personalidade faria: exigiu respeito do treinador.

Dentre os absurdos de Cuca foi afirmar que Gilberto tecnicamente e fisicamente é melhor que Roger. Até quem não vive o dia-a-dia do Cruzeiro sabe que isso passa apenas na cabeça do treinador, talvez tomado de alguma birra com Roger.

Com certeza, nesta briga do mar (Cuca) com o rochedo (Roger) quem levará a pior será o marisco (Cruzeiro). Não entendo por que a tão presente diretoria do Cruzeiro não bota um fim neste assunto, sem prejuízo do clube e sem rancor do treinador.

O cego não vê ou faz que não enxerga o crescimento do time com a presença de Roger. A maior bobagem são os números citados por Cuca e aproveitados pelos amigos de Perrela. Dentre os 35 atletas, Roger foi o quarto que mais atuou. Em 27 jogos , ou seja fez 25 jogos com Cuca. Mas era assim: jogava bem, quando entrava de cara, e saía antes do fim.

No jogo seguinte, Gilberto estava vivo e Roger voltava ao banco. O meia reclama exatamente esse tratamento diferenciado que Cuca dá a Gilberto. A justificativa de que ele é de Seleção e disputou a última Copa do Mundo só piora as razões do técnico.

MOEDA DE TROCA

Aliás, caros Valdir Barbosa e Dimas Fonseca: que história é essa que meu pardal espião na Toca da Raposa II me passou sobre a troca entre Loco Abreu, indisposto com Pai Joel, e Roger que Cuca num furor scolariano teria exigido: ou ele ou eu?

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

ENQUETE DIZ QUE GALO CONTRATOU MELHOR

Não creio que exista verdade absoluta no dito “a voz do povo é a voz de Deus”. Há controvérsias. Contudo, qualquer enquete ou pesquisa serve como base pra estudo sobre a reação popular às atitudes dos mandões, principalmente no futebol. Que a diretoria tome conhecimento: apenas 10% dos interessados manifestaram favoráveis às contratações do Cruzeiro, ao responderem à pergunta do meu blog, “Qual time contratou melhor?”. Dos manifestantes, 63% responderam que foi o Atlético.

Querem uma realidade? As contratações sem impacto no América geraram interesse em apenas 1% dos participantes; e o pior: 21% - percentual alto – responderam que nenhum dos três contratou bem. Aqui se toma por base o pensamento de torcedores celestes, alvinegros e alviverdes.

Sem querer provocar discussão – mas já provocando – eu poderia repetir o que tenho escrito na Trincheira: o Cruzeiro não precisava de tantos reforços quanto o Atlético; e o América não tem poder de fogo semelhante aos seus rivais da Capital. Buscou contratações que irão compor o grupo nas duras competições do ano: Mineiro, Brasileiro e Libertadores. Precisa de mais alguém? Craque sim, mas buscar onde?

Talvez se trouxer o beque uruguaio Victorino – que, segundo Valdir Barbosa tá cada vez mais longe da Toca por causa da repercussão e do leilão feito após o anúncio do interesse cruzeirense – o grupo do Cruzeiro poderia subir de cotação. Talvez outro lateral direito e um centroavante que passe mais fé ao torcedor. Por mim, nesta posição o time vai bem com Wellington Paulista.

FESTA POR RICHARLYSON

O entusiasmo da torcida atleticana se justifica pela contratação de Richarlyson e por tudo que ela gerou e vai gerar. Trata-se de um jogador polêmico, de atitudes que dentro e fora de campo criam expectativas. Não se pode negar, porém, que valha seu salário em campo; e a qualidade do futebol que joga. Léo Silva é uma incógnita e tem seu peso na questão porque foi tirado do arquirrival.

Mais quem: o goleiro Lee, o volante Toró, o atacante Magno Alves ou Jóbson? Em outras circunstâncias eu diria que Toró e Jóbson somaram bastante. Então imagino que o Galo já tinha Serginho, Zé Luiz, Ricardinho e um monte de garotos ali para o meio, enquanto Jóbson, nas garras do Tribunal da Fifa, virou interrogação. Pelo visto, aqueles 21% do quesito “nenhum deles” acertaram mais que os outros participantes.

Faça você aí a sua análise e me deixe fora da briga.

ELEIÇÃO DE ARAQUE

Quem votou no Troféu Telê Santana ou ajudou a escolher os agraciados pecou por falta de conhecimento. Tão importante troféu não poderia nunca ser entregue, por mérito, ao Cláudio Caçapa, ao Renan Oliveira, ou Diego Renan. Por razões simples: não jogaram nada o ano passado.

Caçapa foi reserva o tempo todo e quando virou titular, fez umas cinco partidas boas e machucou-se. Renan Oliveira veio quase na fase final do Brasileiro e Diego Renan teve o pior ano dele no Cruzeiro.

Se foram escolhidos por falta de opção nota zero pra quem escolheu.

Mais triste foi a falta de reconhecimento do trabalho de Mauro Fernandes, no América. Chegou no princípio do ano e alcançou o objetivo sonhado. Qual foi o mérito de Dorival Júnior? Limpar a sujeira do Vanderlei Luxemburgo ou salvar o time do descenso?

Trabalho quase nenhum comparado ao do Cuca, por exemplo, e muito menos com o de Mauro Fernandes.

Tão logo se anunciou o troféu pra Dorival Júnior, a delegação do América presente ao evento retirou-se do recinto como justo repúdio à indicação.

BEROLA NA LATERAL


Quem se assustou ao ver Neto Berola na lateral direita do time titular do Galo devia antes perceber que neste período de pré-temporada os técnicos fazem experiências de todos os gêneros atrás das chamadas alternativas de jogo. Quando se iniciarem as competições oficiais eles terão pouco tempo pra essas experiências.

Imagino que na cabeça de Dorival Júnior passasse o seguinte: escalo Berola de lateral apenas pra usar a camisa e iludir o adversário. Em campo, a função será de Zé Luiz ou Serginho. Não existem cabeças de área, ou brucutus, ou volantões que entram com a camisa 7? Pois é: Berola pode numa emergência entrar com a dois e ser atacante.

Ou então, numa hipótese menos aceitável, diante das chances que Dorival imagina ter Neto Berola desperdiçado ano passado de convencê-lo a ficar no elenco, o técnico esteja no processo de fritura do jogador. Quando aparecer alguém interessado, leva. Enquanto isso prestará serviço ao time preenchendo vagas nos coletivos.

CUCA VERSUS ROGER

Não vou entrar nesta briga porque já tem gente em demasia colocando lenha na fogueira. Digo apenas que Cuca tá errado 100%. Roger não disse nada pior do que Gilberto falou outro dia do Cruzeiro e até queria deixar o clube. Roger nem sequer cometeu indisciplina ao comentar sua decepção com a reserva terminou o ano bem e devia ser mantido na equipe.

Técnica, tática e fisicamente Roger é melhor que Gilberto, este em campo fecha a área de atuação de Montillo. Na prática tem-se confirmado que Montillo cresce de produção com Roger.

Gilberto podia mirar-se no exemplo de Roberto Carlos e voltar à lateral esquerda; lançando bem e marcando mal. Porém útil ao time.

Se Cuca pretende punir Roger pra mostrar força começará mal o ano. Terá o grupo contra ele: sei de boas fontes que a relação de Roger com os companheiros é mais sadia que a de Gilberto. Tem mais liderança.

Cuidado Cuca pra não repetir Adilson Batista que, de repente, ficou sem apoio no elenco.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

OPINIÃO DE PESO

Gabriel Azzi, metade Caratinga e metade Pedra Azul, é filho do fantástico cantor/compositor Paulinho Pedra Azul. Já participou várias vezes da Trincheira com fortes opiniões sobre futebol, um assunto que domina bem, tanto que tá no ramo como candidato a treinador. Enquanto o pai famoso descansa na sua amada cidadezinha, recontando os bois da fazenda, Gabriel rala aqui na Capital estudando futebol e valorizando o meu encalacrado latifúndio literário.

DIZ AÍ GABRIEL

“Grande Flávio! Adorei ler a coluna de hoje falando do esquema com 3 atacantes, pois passei o dia ontem analisando a mesma coisa. Acho que o Ney Franco mexeu muito mal durante o jogo e apostou no esquema da moda em uma competição que não se pode experimentar, como o sul-americano sub-20. Este esquema na minha visão, demanda muitos treinamentos e jogadores com características que equilibrem a equipe”.

“Todos se rendem ao Barcelona por utilizar este esquema, mas se esquecem que o que faz o time voar dessa forma é a posse de bola de quase 70% durante toda a partida. Além disso, buscaram jogadores como David Villa, que é um atacante que se doa na marcação durante os 90 minutos, recompondo o meio campo da equipe, e o lateral esquerdo Eric Abidal, pouco falado por ser um jogador muito forte e alto.”

“Mas que se fixa na lateral esquerda como um terceiro homem de zaga, abrindo caminho à equipe do Barcelona de sair jogando sempre pela direita com o Daniel Alves, Xavi, que cai pelo setor, e um tal de Lionel Messi”.

“Acho difícil conseguir obter êxito com este esquema em alguma equipe brasileira se não existir doação máxima dos atacantes e meias na marcação e de jogadores que conseguem compor este sistema.

“O Corinthians tem o Jorge Henrique e Dentinho, que são jogadores abertos nos flancos que sabem recompor, mas tem dois jogadores veteranos na equipe que apesar da qualidade técnica indiscutível de Ronaldo e Roberto Carlos, não têm condições físicas de ajudar na marcação. Acho válida a tentativa, por ser um esquema ousado!”

“ Melhor assim do que aguentar treinador fã de 3 zagueiros e 3 volantes!”

“Muito bacana a coluna hoje! Um grande abraço meu e de meu pai, que está em Pedra Azul de férias!”

Resposta: Concordo, também, com você, Gabriel e faço minhas as suas lições e críticas. No entanto, gostaria de frisar – afinal amigo meu não tem defeito e nos inimigos a gente põe – entendi bem a intenção de Ney.

O jogo contra a Bolívia deu condições de se expor pela situação geral: Brasil perto da classificação, domínio total, adversário fraco, e ele mexeu arriscando levar – como de fato levou – um contra-ataque.

Jogo atípico. Em 10 iguais, o Brasil goleia em 9 e empata um, como aconteceu. Outro grande abraço pra esta dupla infernal.

FALA GEGÊ!

Outro assíduo colaborador da Trincheira é Gegê Angelino, ex-colega dos Diários Associados, hoje homem forte na Associação do Bairro Santo Antônio. Diz ele:

“Flávio Anselmo, tudo bem? Gostaria de te mostrar uma ideia sobre futebol em Minas.
Sua opinião será importante e dependendo dele, vou à frente.Como fazer para Flavinho ver também? Você pode marcar dia e hora, ok?”

Resposta: amigo Gegê, sem pretender desanimá-lo, mas já o fazendo. Mudar o futebol mineiro é impossível, sem apoio da TV Globo e dos clubes. A FMF é rainha da Inglaterra, não apita nada. Também existe o empecilho do Estatuto do Torcedor.
No caso do Flavinho, penso ser complicado: ele roda o dia todo ou na Band, ou na Alvorada. No meu caso, sem qualquer entusiasmo pelo assunto, estou aqui, como bom aposentado, à disposição do amigo.

Pra ouvi-lo, entendê-lo e aconselhá-lo a continuar cuidando só do nosso Santo Antônio, no que já faz tão bem.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

CUIDADO COM OS HOSPITAIS DA UNIMED

Os poderosos, até aqueles que se mantêm com o nosso dinheiro, como é o caso da Unimed, abusam cada vez mais da gente. Sem castigo.Já nem falo dos preços absurdos cobrados nas mensalidads e na contra-partida horrível da Unimed, pior que o serviço do SUS. Vamos à historinha: Flavinho foi no hospital da Unimed, no Grajaú, rua Viamão, domingo com a esposa grávida em busca de ultrassom pedido por um médico. A esposa dele tinha um sangramento. A atendente da Unimed disse que apesar dela estar vindo de uma consulta anterior teria de fazer outra.Flavinho concordou; atendente avisou que seria feita a consulta, mas o ultrassom se encerrava às 20h. Ele estava dentro do Horário. Nem na presença da Polícia Militar e da abertura do BO o exame foi feito. E a Unimed toma da Família Anselmo em BH e fora daqui algo em torno de 4 mil reais mensais. Pra receber em troca essa porcaria de tratamento e atenção de pessoas mal preparadas. Como aconteceu no meu caso contra o Bradesco, sugeri ao Flavinho: Pequenas Causas neles! Danos morais e tudo que for possivel contra a Unimed.

TRÊS ATACANTES DÃO DOR DE CABEÇA NOS TÉCNICOS

O esquema de três atacantes tem tirado o sono dos técnicos tupiniquins. Não conseguem impor o esquema em seus times, nem na Seleção sub-20. A formação, atualmente tão usada nos mais fortes países europeus, é o tal de cobertor curto no futebol brasileiro. Se cobre a cabeça deixa os pés descobertos. O final de semana permitiu que os analistas de plantão fizessem bons estudos sobre os resultados das tentativas na Seleção, no Atlético e no Cruzeiro, e no Corinthians, por exemplo.

SOBROU ESPAÇO

Tanto na Seleção Sub-20 de Ney Franco que empatou com a fraca Bolívia (1 a 1), como na Argentina que teve igual placar contra a Venezuela, ambos no Sul-Americano e no amistoso Cruzeiro 3 x Uberlândia 0, no primeiro tempo, e no jogo-treino Galo l x 1 Guarani , além de Corinthians l x 1 Noroeste, a formação com 3 atacantes abriu enormes espaços aos contra-ataques adversários.

FOME DE GOLS

O Brasil entrou em campo esfomeado, de salto alto e praticamente classificado. Então todo mundo resolveu atacar e arrebentar com a Bolívia. Só que os bolivianos não estavam afim. Com um goleiro baixinho, mas sortudo e bem esperto, tomaram quatro bolas na trave e viram Neymar e Cia perderem gols incríveis. Ney Franco arriscou mais ainda no segundo tempo e tirou Zé Eduardo, ex-Cruzeiro, homem de marcação. Lascou tudo. Numa bobeira geral, a Bolívia empatou. E daí? Nada. O Brasil classificou-se.

Porém, viu-se claramente a dependência do time canarinho sub-20 da genialidade de Neymar e da necessidade de alguém que ajude Zé Eduardo na marcação. Três atacantes com dois alas no apoio não há tatu que aguente. E o homem referência no ataque, dentro da área? Quem, meu amigo Ney?

DUDU FAZ DIFERENÇA

O centroavante Reis jogou 45 minutos e trombou com a bola o tempo todo. Dudu entrou e em 7m jogou bem mais. Fez 2 a 0, com categoria e participou do terceiro, marcado contra, mas que seria dele. Com Dudu e Roger o time foi melhor que com Reis e Gilberto; deu até pra Montillo aparecer mais na partida, apesar de o calor pra matar.

Talvez Cuca tenha visto que a melhor opção pra vaga de Wellington Paulista – lesionado ou negociado? – seja Dudu. E o Thiaguinho, e o Bernardo, por que não entraram no jogo? De novo Pedro Ken, afe Maria!

NO GALO FALTOU CONCLUSÃO

No jogo-treino do Galo o problema foi igual. Sem Obina, negociado para o futebol chinês, Dorival Junior usou Ricardo e o atacante não diminuiu em nada a desconfiança do torcedor sobre seu futebol. Ricardo Bueno chegou ao Atlético em maio do 2010 depois de se destacar pelo Oeste de Itápolis, como artilheiro do Campeonato Paulista, com 16 gols. No Galo, jogou como titular 8 vezes e marcou apenas dois gols.


NO RIO, SEM PROBLEMAS

Tirante o Vasco que não se acerta nem com três, nem com 20 atacantes, os demais grandes do futebol carioca não mostraram nenhum problema na adaptação. O Fla derrotou o América (3 a 1) ainda sem Ronaldo Gaúcho e Thiago Neves; o Botafogo meteu 5 a 0 no Cabofriense, com a ajuda do beque Groeber que fez dois gols contra, e o Fluminense, em jornada espetacular de Fred, fez 6 a 2 no Olaria.

TIME JOVEM E BARATO

Com um time de baixa média de idade, cuja folha de pagamento não ultrapassa 50 mil mensais, o Nova Iguaçu sapecou 3 a 2 no Vasco. A crise está instalada em São Januário depois da segunda derrota seguida dos cruzmaltinos.

TIMÃO TAMBÉM ESBARRA

O ataque de três também não funcionou no Corinthians. Ronaldo, Jorge Henrique e Dentinho encheram o bom público do Pacaembu de esperanças quando o time fez l a 0. Depois se entregou aos contra-ataques do Noroeste e abriu sua defesa pra levar o gol de empate. O empombado Tite culpou a falta de entrosamento e de tempo pra treinar. Tá bom!

Nesta quarta-feira, o Corinthians estréia na pré-Libertadores contra o colombiano Tolima, também no Pacaembu. Tite parece disposto a usar os mesmos três atacantes, porque seu time precisará de um gol placar aqui no Brasil.

DINHEIRO EM CAIXA

Olha só a diferença: o departamento de marketing do Corinthians chupou melancia e arrotou caviar, cheio de orgulho. Fez um levantamento junto com a Sport+Markt, e soube que tem o quarto maior patrocínio de camisa do mundo, atrás apenas dos ingleses Manchester United e Liverpool e do espanhol Real Madrid. Mas em breve, perderá tal posição visto que o Barcelona resolveu fazer publicidade na camisa e vendeu o espaço por 150 milhões de euros, por cinco temporadas, pra uma empresa do Qatar.

PEIXE VENDE MAIS UM

O Peixe vendeu Zé Eduardo, aquele que passou pelo América, por 2,7 milhões de euros para o Genoa da Itália e teve a informação deselegante que Maikon Leite, sua nova sensação, tem pré-contrato assinado com o Palmeiras. Esse é o futebol brasileiro de agora, onde a ética é artigo de luxo que não se acha em prateleira alguma.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

TIME DE DORIVAL É FORTE, SEM SER O DEFINITIVO

Não creio que Dorival Júnior tenha optado, em definitivo, pelo time dos treinos táticos da semana e que fará o jogo-treino com o Guarani, de Divinópolis, na Cidade do Galo. De fora estão, ainda, Leonardo Silva, Diego Souza, Ricardinho, Zé Luiz, Toró e Mancini. Como escalar este pessoal sei lá, entretanto penso que mais da metade deles estará no time final de Dorival.

SUPORTE DO CHUTE

Chutar faz parte da vida do jogador de futebol e do cronista esportivo. Gosto das boas especulações sem forçar a barra. Por exemplo: pra encaixar Léo Silva ou o técnico afasta Werley – pior solução – e forma a dupla com Réver, ou opta pelo 3-5-2, sem Rafael Cruz. Boa!

DIEGO ENTRA

Com três zagueiros, pode-se abrir mão de Zé Luiz e Toró e usar Richarlyson, Serginho, Renan Oliveira, Mancini e Leandro. Jóbson e Diego Tardelli. Senhores, este time no papel tá forte pacas!

MOC SEM FUTEBOL

Que me perdoe o prefeitaço Luiz Tadeu Leite, meu seguidor e leitor, mas a bela MOC precisa de entrar de vez no futebol. Tem sempre suas chances e acaba fracassando por falta de infra-estrutura; os estádios de lá não prestam pra elite do futebol. Não se deve responsabilizar a prefeitura por isso, claro, porque ela tem prioridades sociais mais importantes.

LIDERANÇA QUE CONTA

Falo da liderança de Tadeu, que com apenas 21 anos chegou ao seu primeiro mandato na Prefeitura, e que hoje é uma das grandes lideranças – se não a maior – do norte de Minas. Estádios agora saem do projeto via iniciativa privada. Por isso, a liderança dele tem tal importância, além do mágico poder de tirar leite da pedra, sem trocadilho.

ESTÁDIO PEQUENO

Estádio com capacidade para 5 mil pessoas, ainda que tenha a liberação da FMF, MP, Bombeiros, Polícia Militar, tem que oferecer algo a mais ao torcedor: segurança, em primeiro lugar; seguido de conforto e qualidade de atendimento aos usuários em geral.

BITACA NO FUTEBOL

Caso o estádio não tiver tais requisitos vira bitaca; a propaganda negativa será bem maior que a positiva. Esse é o risco que MOC corre com o estádio aprovado em cima das coxas...

KALIL CONFIRMA

Alexandre Kalil confirmou negociações com um clube chinês envolvendo Obina. O Galo descobriu um novo filão no mercado do futebol. Coisas de Eduardo Maluf, enquanto do outro lado da lagoa, o pessoal dorme de toca...



MENINOS, EU VI

Imaginando que me pediriam, além da carteira da AMCE, atestado de bons antecedentes futebolísticos, fui pra cima do muro e acompanhei de perto, confortavelmente, apesar de a cerca elétrica, a tranquila vitória dos azuis sobre o Cuiabá no jogo-treino da Toca. Pelos olhos de um esperto pardal, no qual me transformei, vi tudo e gostei de muita coisa.

TURMA DA BOA

Enquanto Ortigoza, Wellington Paulista, André Dias, Tiaguinho, Fabrício e Uchoa treinavam em separado, Rômulo, Montillo, Gilberto – de contrato prorrogado- e Thiago Ribeiro arrebentavam. A danada da bola, porém, não entrava. O centroavante foi Reis, pois Farias teve uma crise de caspa e não treinou. Penso que o ex-pontepretano esteve bem inibido. Pesou a camisa.

WALLYSON GOLEIA

Na outra fase do treino, com as mudanças feitas por Cuca, principalmente com as entradas de Roger e Wallyson, o time pisou no acelerador e fez 3 a 0, gols de Wallyson, 2, e do marido de Deborah Secco. Gostei mais da formação final. Claro que Cuca apenas tá no início do trabalho e que a coisa deve melhorar domingo no amistoso contra o Uberlândia, no Parque do Sabiá,

VEJAM OS TIMES

Para os estudos dos leitores, a atenta Trincheira, na pele do pardal, escala os times do treino-tático. Na primeira fase: Fábio; Rômulo, Leo, Gil e Diego Renan; Henrique, Marquinhos Paraná, Montillo, e Gilberto; Thiago Ribeiro e Reis. Na segunda: Rafael; Pablo, Naldo, Edcarlos e Fabrício Carioca; Geovane, Pedro Ken, Everton e Roger; Wallyson e Dudu. Este time me agradou mais. Além dos já citados, destaco Naldo, Fabrício e Dudu.

TALISMÃ FUNCIONA

Pai Santana precisou utilizar o talismã Caio pra vencer o Duque de Caxias no Engenhão na estréia do Botafogo no Cariocão. Já o Fluminense, forte candidato ao título, também passou seus apertos. Teve Souza expulso no primeiro tempo, mas mesmo com 10 conseguiu fazer l a 0 no Bangu, gol de Fred. O Engenhão teve jogo à tarde e à noite. Não vai aguentar este pique!!

COELHO MOSTRA SÓ FORÇA NA COPINHA

O América continua na luta pelo bicampeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Depois de empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, o Coelhinho levou a melhor contra o Internacional nas cobranças de pênaltis, por 4 a 3, e garantiu vaga nas semifinais. O jogo foi disputado em Jaguariúna, na tarde desta quinta-feira. Campeões em 1996, os mineiros terão como adversários o Bahia, que eliminou o Santos com triunfo por 2 a 1, em São Carlos.

O Internacional saiu na frente logo aos 12min de partida, com gol de Paulinho. Mas o América, até então com 100% de aproveitamento, foi para cima e não se abalou. Aos 23, China, em chute de fora da área, empatou. O segundo tempo foi tenso e equilibrado e os times não mexeram no placar. Com isso, a decisão da vaga às semifinais foi para os pênaltis.

Nas cobranças, o goleiro Matheus, destaque do América na Copinha, brilhou. Ele pegou os chutes de Bruno Furtado e César. Caleb, Washington, China e Igor garantiram o triunfo mineiro por 4 a 3. O único a desperdiçar a penalidade foi Bryan. Do lado Colorado marcaram Rodolfo, Paulinho e Tinga.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

CHIFRE NA CABEÇA DE CAVALO

Calma, meninos! Como explica o excelente goleiro Fábio, “tudo é no tempo certo, no tempo de Deus”. Pressa pra quê, então, se Fábio tem contrato com o Cruzeiro até maio de 2012 ? Ele não precisa de mais tempo pra eternizar-se na galeria de ídolos do clube, e servir de bons exemplos como Rogério Ceni, no São Paulo, e Marcos, no Palmeiras. Já tá lá há tempos.

RAIVA NO PERRELA

A cobrança de alguns impávidos coleguinhas parece muito com inexplicável procura de chifre na cabeça de cavalo. Ou buscam apenas fazer mais raiva no presidente Perrela?

ZÉ CARLOS NA FRENTE

Zé Carlos, uma das melhores pessoas que conheci no futebol, além de extraordinário jogador, tem o título de atleta que mais vestiu a camisa celeste: 619 vezes. E ganhou títulos importantes: o brasileiro de 1966 e a Libertadores de 1976. Se estender seu contrato por mais quatro anos, Fábio supera Zé Carlos.


RAUL APLAUDE FABIO


Raul Guilherme Plasmam esteve acompanhando o treino do Cruzeiro durante a semana e encheu a bola de Fábio. Palavra abalizada. Raul foi o maior goleiro que vi atuar, além de o bicampeão mundial Gilmar dos Santos Neves.

APLAUSO PRA ZEZÉ

Aliás, aplaudo a decisão da diretoria do Cruzeiro em contratar Raul e Zé Carlos pra trabalharem na base do clube. Atitude que resgata o esquecimento que o Cruzeiro impôs aos seus grandes ídolos.

PAI JOEL SEM MODÉSTIA

Podem criticar Joel Santana, chamá-lo de boleiro, folclórico e tudo mais. Mas ninguém ganha sete vezes o campeonato carioca, com times diferentes, sem ter mérito. Leio aqui na Internet que apenas o falecido Flávio Costa tem essa marca. Pai Joel, como se auto-intitula, é chamado, também, de Rei do Rio. Gostei de ver Joel deixar a modéstia de lado e assumir a condição de maior ganhador de títulos cariocas.

UMA LENDA NO RIO

Ao chutar o pau da barraca da modéstia, Joel disse que “eu sou uma lenda e vocês precisam aproveitar isso. Depois que eu for embora é que vão fazer um busto pra mim?Melhor que seja enquanto eu estou”. Aí, lembrei de Nelson Cavaquinho: “se alguém quiser fazer por mim, que faça agora.”


E O RENAN OLIVEIRA?

Os mil pitaqueiros que rondam a Cidade do Galo seja via rádio, jornal ou tevê, inclusive este locutor que vos escreve, escalaram o time de Dorival Júnior sem Renan Oliveira. Deram-se mal, por enquanto. Renan foi titular nos dois primeiros treinos, conforme promessa do técnico de manter a equipe do final de 2010. Depois é que vamos ver... quem tiver boca maior que engula o concorrente.

URUGUAIOS NA FESTA

O Galo fará uma festa pra torcida na apresentação dos 10 reforços contratados: os goleiros Geovani e Lee, o lateral Patric, o beque Leonardo Silva, os volantes Toró e Richarlyson, os atacantes Macini, Jóbson, Magno Alves e Wesley. A festa terá como pano de fundo o amistoso contra o River Plate, do Uruguai, na Arena do Jacaré semana que vem.

MAESTRO JUNIOR

O Júnior sabe que tem um fã de seu futebol aqui nesta Trincheira. Que jogador! Convivi em algumas oportunidades com ele no Sportv e posso até afirmar – com apoio do Flávio Júnior que viajou mais com ele – tratar-se de excelente pessoal. Mas o bordão de “Maestro Júnior” usado insistentemente pelo narrador Luiz Carlos Júnior, nas transmissões, enche o saco de qualquer telespectador.

GOL CRUZEIRENSE

Léo Moura, o lateral direito com o qual o Cruzeiro chegou a sonhar para o lugar de Jonathan, foi à linha de fundo como faz com enorme presteza, e antes que a bola saísse cruzou na marca do pênalti. Vanderlei, o centroavante que o Cruzeiro contratou e liberou depois, subiu com estilo e fez: Flamengo 2 x Volta Redonda 0, na primeira rodada do Campeonato Carioca.

VASCO NO BURACO

O Vasco da Gama foi o time do Rio que menos contratou, e olha que no Brasileiro andou pelas beiradas da zona de rebaixamento. Castigo veio na primeira rodada do Carioca: Resende l a 0, em pleno São Januário.

PEIXE VOA NO INÍCIO

O Peixe de Adilson Batista tem voado no início do Paulistão mesmo sem vários titulares. Inclusive Neymar. A maioria na Seleção de Ney Franco. A última vítima foi o Mirassol que levou 3 a 0, na estréia de Elano e Jonathan, no Pacaembu. Ambos mostraram serviço, porém a torcida tem saudade mesmo é de Paulo Henrique Ganso, em recuperação de séria lesão.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

BRASIL COM 9 E COM SHOW DE NEYMAR GOLEIA PARAGUAI

Uma atuação de gala: Neymar marcou os quatro gols da vitória da Seleção Brasileira sub-20 por 4 a 2 sobre o Paraguai, no Estádio Jorge Basadre, em Tacna, no Peru, pela primeira rodada do Grupo B do Sul-Americano da categoria. Mesmo com dois jogadores a menos durante a etapa final, já que Zé Eduardo e Henrique foram expulsos, o time canarinho soube conter o ímpeto dos rivais para somar os primeiros três pontos no torneio.

Com o resultado, o Brasil assumiu a liderança do Grupo B do Sul-Americano, com três pontos. Na próxima quinta-feira, às 21h10m (0h10m, de Brasília), a Seleção volta a campo para enfrentar a Colômbia, também em Tacna. O Paraguai vai encarar a Bolívia, no mesmo local.

REVIRAVOLTA: MINAS NÃO PERDE SEUS DOIS GOLEADORES

Nunca a verdade no futebol durou tão pouco, como aqui nas Geraes do doutor Tonico Anastasia. Coitado do colunista que tem de produzir seu sustento de manhã. Escreve uma coisa antes do almoço e mal entardece, quando não pode mais mudar nada, lá bem a porrada: tudo é desmentido na cara de pau. Fazer o quê? Wellington Paulista e Obina não serão mais negociados. O primeiro não fez acordo salarial e o segundo não teve nem proposta oficial.

POLÊMICA INSTALADA

Se na Trincheira de ontem eu transcrevi a informação de Mário Sérgio, Brasília, sobre o atacante Reis, dando nota 10 na sua contratação pelo Cruzeiro – inclusive frisou que gostaria de vê-lo, realmente, no seu Fluminense, em lugar de Washington, hoje viro a medalha.

OLHAÍ O REIS

A informação vem de outro Mário, desta vez Paulo Mário, BH. Diz ele: “Flavio, esse Reis (Cruzeiro) jogou no Coelho com nome de David. Corrijo: não jogou nada. Foi reserva no time que disputou o Módulo2. A não ser que 6 vire 9, é muito ruim”. Tá instalada a polêmica.

COELHO JÚNIOR

O técnico Milagres, ex-goleiro do time titular e ídolo da torcida americana, é o comandante do júnior do Coelho que faz bonito na Copinha de São Paulo. A vítima da vez foi o Fluminense do Rio, derrotado por 2 a 1. Único representante de Minas no torneio, o Coelhinho garantiu vaga nas quartas-de-final.

CALEB A ESTRELA

Os gols do América na vitória sobre o tricolor do Rio foram de Luiz Felipe e Caleb. Este aliás é o nome do torneio. Não se fala em outra esperança na Copa São Paulo que Caleb do Coelho. Olhai outro Fred vindo aí!!!

BRIGA DE SERGINHO

Nas duas últimas temporadas, o início do ano foi ruim pra Serginho. Começou entregue ao DM e teve que lutar bastante pra igualar-se aos demais jogadores do grupo. Terminou 2010 como titular e na ponta dos cascos. Só que a concorrência. Mas não chegou à altura dele, que imagino dono da posição sem qualquer discussão.

TRÊS VOLANTES

O assunto já mereceu especulação aqui na Trincheira e volta agora que Dorival Júnior passou a priorizar treinamentos com bola o que já exibe o projeto de time que o técnico tem na cabeça. Vejo a questão da lateral direita com duas improvisações: ou a de Toró ou o uso do esquema 3-5-2; Werley, Leonardo Silva e Réver.

QUALIDADE DE ATAQUE

Serginho será companheiro de Zé Luiz e Richarlyson na segunda linha de defesa, mas também a primeira de ataque, que será de Diego Souza, Obina e Tardelli. Bom esquema! O time defende e ataca com um bom número de feras.


MELHOR ASSIM

O paraguaio Ortigoza já vestiu a camisa azul e entrou em ritmo de treino e será a sombra de Wellington Paulista que não aceitou a proposta dos árabes. Na teoria, a Toca ficará com, ao menos, quatro centroavantes: Ortigoza, WP-9, El Tecla, Reis e Eliandro, além de meias de ataque como Dudu, Thiaguinho e Thiago Ribeiro. Cuca terá tanto trabalho pra selecionar seu pessoal quanto Dorival Júnior.

EXPERIÊNCIA QUE FALTA

Aos 32 anos, Leandro Guerreiro tem experiência de sobra pra servir ao Cruzeiro. Só não tem experiência de Libertadores; nunca disputou este torneio. É a primeira chance que tem. Aí vem a pergunta: os cartolas não falam em jogador com experiência de Libertadores? E vocês vão acreditar em cartola que só sabem olhar pra seu umbigo? O que conta na Libertadores, ou qualquer torneio importante, é futebol de qualidade.

TIME DE ASILO

Se apenas experiência contasse, nada melhor do que reforçar o time com uns três nomes famosos e andados, ali pela casa dos 40 anos. O entusiasmo é mais importante que a experiência. Leandro Guerreiro durante a apresentação na Toca da Raposa II parecia um garoto cheio de entusiasmo. Se depender dele, o time conquista o tricampeonato continental, que escapou em seis participações: 1998, 2001, 2004, 2008, 2009 e 2010.

GRUPO DA MORTE

Não será nada fácil: o Cruzeiro está no Grupo 7, considerado o GM ou Grupo da Morte, junto do Estudiantes de La Plata, Guarani do Paraguai e Corinthians.

SÓ DE UM TIME

O atacante Marcelo Moreno teve bom início no futebol baiano, mas acertou o pé mesmo no Cruzeiro, onde se tornou ídolo e artilheiro. Em 2008, vendido ao futebol ucraniano não se adaptou até hoje. Foi emprestado ao Werder Bremen, da Alemanha, e ao Wigan, da Inglaterra, sem êxito.

LIVRE DELE

O Shakatar que o tem sob contrato até 2013 tá doido pra ficar livre dele. Não conseguiu empurrá-lo de volta ao Cruzeiro. Entretanto terá sucesso nas negociações com o Corinthians. O atleta já acertou os salários.

FALHOU SIM

O goleiro Felipe que o Flamengo estreou contra o América não aceitou de bom grado ser questionado sobre o gol do Coelho. Ficou parado e a zaga não interceptou o cruzamento de Irênio no gol de cabeça do beque Gabriel. Felipe respondeu que “se falhei ou não quem pode dizer é o técnico Vanderlei Luxemburgo. Ele será o único para explicar a vocês”. Felipe falhou sim e muito.

FILME REPETIDO

Filme repetido: foi a mesma reação que Fábio Costa teve aqui no Galo ao ser lançado por Luxemburgo e engolir os primeiros frangos.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

FUTEBOL MINEIRO PERDE SEUS GOLEADORES

Pulo do gato deu o Coelho que segurou Fábio Júnior, centroavante de ofício, experiente, com andanças em centros importantes da Europa e adjacências. Seus gols ajudaram bastante o América no retorno à divisão de elite. Juntaram-se ali a fome e a vontade comer, visto que o moço de São Pedro do Avaí queria ficar e do lado de lá todos queriam que ele permanecesse.

QUE BESTEIRA

Não deu certo – pelo menos parece que não – no caso de Obina. Todos aqui querem que ele fique e, talvez, até o próprio. Entrementes ( santo Deus!!!), o futebol das Arábias quer o moço, como quer, também, Wellington Paulista. Este, sopram-me, já é carta fora do baralho. O dinheiro deles fez bem ao Cruzeiro, ao empresário e ao atleta. Adeus, WP-9! Ainda hei de ouvir: que besteira o Cruzeiro fez!

BOBAGENS DO ZEZÉ

Otrodia, no seu veemente discurso contra a “imprensa atleticana” que assola a Toca, Zezé Pereira elogiou Dimas Fonseca e pra cutucar Eduardo Maluf, agora atleticano, afirmou que Dimas é o melhor diretor de futebol do Brasil. Não sou nem contra, nem a favor, muito antes pelo contrário. Mas precisava disso pra desvalorizar as contratações do Atlético?

BOA COISA

Entretanto, Zezé disse algo que merece aplauso: o conhecimento que Dimas Fonseca tem das divisões de base do Cruzeiro e da sua importância na passagem dos garotos até o profissional. Será verdadeiro se o fato, realmente, acontecer. Sem interferência do treinador, como fez Adilson Batista. Zezé Perrela surgiu na base do Cruzeiro e, portanto, devia saber evitar a ação maligna de treinadores que só querem medalhões.

BOA APOSTA

O atacante Thiaguinho, de 19 anos, é uma dessas apostas que espero Cuca saiba aproveitar. Foi promovido este ano pois tem no currículo dois avais sérios: o melhor jogador do Campeonato Brasileiro Sub-20, vencido pelos azuis, e artilheiro da competição, com sete gols. Porém, ele não me parece centro-avante como querem alguns. Sem WP-9 já falam em Thiaguinho pra substituí-lo. Sei lá.

OUTRO QUE SAI

Eu me esquecia de outro centro-avante que tá de saída: El Tecla, o argentino Ernesto Farías reserva de Wellington Paulista. El Tecla é ídolo da torcida do River Plate e do Estudiantes. Marcou 95 gols neste time e 49 no River entre 2005 e 2007. O diário Olé de Buenos Aires informou que o retorno de Farias era certo e que o próprio jogador trata do assunto com o pessoal da Toca. Salário alto e sem clima com Cuca, Farias vai se mandar, realmente.


E AGORA DORIVAL?

Creio que Obina estava nos planos de Dorival pra 2011, apesar de os reforços que chegaram. Dorival tem várias opções e costuma afirmar que a briga por posições será a marca do Galo este ano. Há controvérsias. No gol, Renan Ribeiro não tem concorrente e reina absoluto. O time precisa ainda de alguém pra brigar com Leandro pela lateral.

VAGA DE REVER

Na zaga, uma vaga não tem discussão: a de Rever. A outra, ou as outras porque, de repente, Dorival pode optar pelo esquema 3-5-2, brigarão por elas Leonardo Silva, Werley, Lima e Jairo Campos. Outro ponto em discussão pela fragilidade: a lateral-direita. Ela estará em disputa por Patric, Rafael Cruz e Diego Macedo. Ou por nenhum deles. Quem sabe, Dorival use Toró ou Zé Luis daquele lado?

NO MEIO TEM SOBRA

No meio-campo, além dos próprios Toró e Zé Luis, o técnico atleticano terá à disposição Richarlyson, Serginho, Diego Souza, Mancini, Renan Oliveira, Daniel Carvalho, Ricardinho, e os garotos Jackson, Nicão e Geovani. Na frente, Tardelli, Berola, Magno Alves, Jobson, Wesley, Wescley, Jheimy e Ricardo Bueno. Obina depende da venda e Jobson do Tribunal da Fifa. Se estes dois saírem, Kalil terá de repensar as contratações.

BOA INFORMAÇÃO

O meu conterrâneo Mário Sérgio, torcedor fanático do tricolor carioca, mas bem informado sobre o futebol tupiniquim, manda –me mensagem importante: “Flávio,
Pra começar o ano, meu primeiro palpite: o Reis que o Cruzeiro trouxe da Ponte
Preta é bom jogador. Com a aposentadoria do Washington, queria ele no
Fluminense. Acho que o Cruzeiro, mesmo que tenha sido influenciado por
empresário, fez uma boa contratação. Vamos ver se dá certo”. Tá certo, Mário, guardemos nossa boca pra comer nossa farinha.

GLORIOSO SAPECA PANTERA

A atropelada que o Democrata Pantera levou no Engenhão do Botafogo ( 5 a 1) deve ser encarado de outra forma. A) a valorização da equipe, escolhida para um amistoso no Rio de Janeiro, contra um dos grandes locais; b) Apanhando é que se aprende. A Pantera prepara-se pro Mineiro e não poderá é levar goleada desse tipo na competição. Assim o Langlebert Drumond se esvai em lágrimas.

domingo, 16 de janeiro de 2011

DO JEITO QUE TÁ, VAI MAL COELHO

NÃO DEU SONO apesar da pobreza técnica da partida. Levei até o fim, mesmo após o número exagerado de substituições. Infelizmente, não deu pra ouvir a transmissão face à barulheira de três netinhas maravilhosas e dos dois priminhos delas de Brasília. Então não consegui identificar os novos nomes do Coelho, mas penso que a defesa foi mal e em linha, principalmente no primeiro gol. Por se tratar de jogo-treino não dá pra avaliar muito. De qualquer forma, pra Série A o Coelho terá de reforçar ou apresentar valores individuais mais convincentes. Por exemplo, gostei do goleiro França. Muito seguro nas saídas de bolas vindas da linha de fundo, coisa que o ícone do Bruno, no Flamengo, chamado Felipe, não conseguiu. No gol do América, bela cabeçada de Gabriel e péssima participação do rubro-negro.

Corinthians x Portuguêsa? Você não quer que eu volte, quer?

sábado, 15 de janeiro de 2011

CARTA ABERTA AO BRADESCO

Esta carta foi enviada ao Banco Bradesco, porém devido à criatividade com que foi redigida, deveria ser direcionada a todas as instituições financeiras.Tenho que prestar reverência ao brasileira(o) que, apesar de ser altamente explorada, ainda consegue manter o bom humor.

Senhores Diretores do Bradesco,
Gostaria de saber se os senhores aceitariam pagar uma taxa, uma pequena taxa mensal, pela existência da padaria na esquina de sua rua, ou pela existência do posto de gasolina ou da farmácia ou da feira, ou de qualquer outro desses serviços indispensáveis ao nosso dia-a-dia.
Funcionaria assim: todo mês os senhores, e todos os usuários, pagariam uma pequena taxa para a manutenção dos serviços (padaria, feira, mecânico, costureira, farmácia etc). Uma taxa que não garantiria nenhum direito
extraordinário ao pagante.
Existente apenas para enriquecer os proprietários sob a alegação de que serviria para manter um serviço de alta qualidade.
Por qualquer produto adquirido (um pãozinho, um remédio, uns litros de combustível etc) o usuário pagaria os preços de mercado ou, dependendo do produto, até um pouquinho acima. Que tal?
Pois, ontem saí de seu Banco com a certeza que os senhores concordariam com tais taxas. Por uma questão de equidade e de honestidade.
Minha certeza deriva de um raciocínio simples. Vamos imaginar a seguinte cena: eu vou à padaria para comprar um pãozinho. O padeiro me atende muito gentilmente. Vende o pãozinho. Cobra o embrulhar do pão, assim como, todo e qualquer serviço.
Além disso, me impõe taxas. Uma 'taxa de acesso ao pãozinho', outra 'taxa por guardar pão quentinho' e ainda uma 'taxa de abertura da padaria'. Tudo com muita cordialidade e muitoprofissionalismo, claro.
Fazendo uma comparação que talvez os padeiros não concordem, foi o que ocorreu comigo em seu Banco.
Financiei um carro. Ou seja, comprei um produto de seu negócio. Os senhores me cobraram preços de mercado. Assim como o padeiro me cobra o preço de mercado pelo pãozinho.
Entretanto, diferentemente do padeiro, os senhores não se satisfazem me cobrando apenas pelo produto que adquiri..
Para ter acesso ao produto de seu negócio, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de crédito'
- equivalente àquela hipotética 'taxa de acesso ao pãozinho', que os senhores certamente achariam um absurdo e se negariam a pagar..
Não satisfeitos, para ter acesso ao pãozinho, digo, ao financiamento, fui obrigado a abrir uma conta corrente em seu Banco.
Para que isso fosse possível, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de conta'.
Como só é possível fazer negócios com os senhores depois de abrir uma conta, essa 'taxa de abertura de conta' se assemelharia a uma 'taxa de abertura da padaria', pois, só é possível fazer negócios com o padeiro
depois de abrir a padaria.
Antigamente, os empréstimos bancários eram popularmente conhecidos como papagaios'. para liberar o 'papagaio', alguns gerentes inescrupulosos cobravam um 'por fora', que era devidamente embolsado. Fiquei com a impressão que o Banco resolveu se antecipar aos gerentes inescrupulosos.
Agora ao invés de um 'por fora' temos muitos 'por dentro'..
- Tirei um extrato de minha conta - um único extrato no mês - os senhores me cobraram uma taxa de R$ 5,00.
- Olhando o extrato, descobri uma outra taxa de R$ 7,90 'para a manutenção da conta' semelhante àquela 'taxa pela existência da padaria na esquina da rua'.
- A surpresa não acabou: descobri outra taxa de R$ 22,00 a cada trimestre - uma taxa para manter um limite especial que não me dá nenhum direito. Se eu utilizar o limite especial vou pagar os juros (preços) mais altos do mundo.
- Semelhante àquela 'taxa por guardar o pão quentinho'.
- Mas, os senhores são insaciáveis. A gentil funcionária que me atendeu, me entregou um caderninho onde sou informado que me cobrarão taxas por toda e qualquer movimentação que eu fizer.
Cordialmente, retribuindo tanta gentileza, gostaria de alertar que os senhores esqueceram de me cobrar o ar que respirei enquanto estive nas instalações de seu Banco.
Por favor, me esclareçam uma dúvida: até agora não sei se comprei umfinanciamento ou se vendi a alma?
Depois que eu pagar as taxas correspondentes, talvez os senhores me respondam informando, muito cordial e profissionalmente, que um serviço bancário é muito diferente de uma padaria. Que sua responsabilidade é
muito grande, que existem inúmeras exigências governamentais, que os riscos do negócio são muito elevados etc e tal. E, ademais, tudo o que estão cobrando está devidamente coberto por lei, regulamentado e
autorizado pelo Banco Central.
Sei disso.
Como sei, também, que existem seguros e garantias legais que protegem seu negócio de todo e qualquer risco.
Presumo que os riscos de uma padaria, que não conta com o poder de influência dos senhores, talvez sejam muito mais elevados.
Sei que são legais. Mas, também sei que são imorais. Por mais que estejam garantidas em lei, voces concordam o quanto abusiva.!?!

MAS OS CLIENTES ENGANADOS DO BRADESCO,COMO FOI MEU CASO DE APOSENTADO SOFREDOR, QUEREM O QUÊ? A FILOSOFIA DO BANCO É MATAR DE VEZ O POBRE USUARIO. AFINAL SEU PRESIDENTE SE CHAMA LUIZ CARLOS TRABUCO, rs,rs,rs,rs, rsrsrsrsrsrs

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

ZEZÉ VÊ INIMIGO ATRÁS DE CADA MOITA NA TOCA

Se eu não conhecesse Zezé Perrela, e seus infantis arroubos, diria logo que aquela entrevista coletiva da Toca da Raposa foi engendrada pela diretor de Comunicação do Cruzeiro cujo histórico revela que, nervoso, é capaz de atirar uma fita de vídeo contra sua colega de trabalho.

O fato de não gostar da matéria publicada em o Lance, revelando os problemas financeiros do clube azul, não significa que a Toca da Raposa esteja infestada de atleticanos mascarados de repórteres esportivos.

E nem lhe oferta dados suficientes pra uma generalização a ponto de pretender pautar o trabalho da Imprensa por desconhecimento de causa.

Admitamos que Zezé teve uma de suas conhecidas recaídas ao atacar a Imprensa e que não tenha obedecido a orientação de sua assessoria.

Caso tivesse ouvido, com certeza, saberia que não existe nenhum impedimento moral ao exercício do jornalismo concomitantemente com o amor por algum clube.

Há sim, uma questão ética: que ele nunca misture as condições de jornalista com as de torcedor no exercício do trabalho.

O jornal repercutiu informações dadas por jogadores e ex-jogadores. E até pelo próprio diretor Dimas Fonseca que admitiu no Jornada de Classe que o clube atrasara alguns dias o pagamento de dezembro – salvo engano – e o 13º salário.

Na realidade, eu participava da bancada e nem dei valor a tal informação. A dimensão foi dada pelo próprio Zezé ao resolver contestá-la nos termos feitos na coletiva.

Ao assistir a entrevista, primeiro vi Zezé emocionado, inclusive, passando a impressão que iria chorar. Seu olho direito estava roxo, como se já tivesse chorado antes.

Alguém que acompanhou, ao vivo, a entrevista me garantiu: “Zezé estava mesmo era bravo com a Imprensa”.

Bom, não me meteu medo e nem a carapuça me serviu.

CONTRATAÇÕES ANUNCIADAS

Se negociar Wellington Paulista acreditando que Ortigoza e André Dias resolverão o problema do ataque, o Cruzeiro corre sério risco nesta avaliação. O paraguaio. 23 anos, não convenceu em time nenhum.

No Palmeiras fez 42 partidas e marcou oito gols. André Dias, 29 anos, não joga há sete meses com uma lesão patelar idêntica à de Ronaldo Fenômeno.

De qualquer forma, o pacote anunciado não foi de todo furado. Tem Fabrício, 20 anos, canhoto, quarto zagueiro e lateral esquerdo, que o Felipão liberou no Palmeiras.

Este tipo de jogador é peça rara no futebol atual e pode ser de grande utilidade num esquema tático moderno de 4-3-3.

Só espero que com essa leva de contratações desafinadas Cuca que participou delas não feche espaço pra meninada da casa – Thiaguinho, Uchoa, Bernardo. Dudu e Sebá – que jogam muito mais que os recém chegados.

CAUSA MAIOR

A saída de Mancini do Atlético foi traumática e rumorosa. Houve agressões verbais por parte da diretoria esportiva, então sob o comando de Alexandre Kalil, e dos advogados do jogador. O caso terminou na Justiça do Trabalho.

O retorno dele ao clube que o revelou engrandece a transação. As mágoas foram sepultadas em nome de um interesse comum, o Atlético. Resta agora saber quem Dorival Júnior irá sepultar pra botar Mancini no time.

Mancini surgiu em 99 e quando saiu passou pela Portuguesa e São Caetano onde fez o gol que mandou o Galo pra Segundona. Transferiu-se para o Venezia, da Itália, e destacou-se na Roma. Passou pelo Milan antes de chegar à Internazionale.

Nesta caminhada toda, Mancini foi aprimorando-se, até chegar à uma convocação marota pra Seleção. De lateral direito, tornou-se segundo volante e por fim meia atacante, mais pelo setor esquerdo, onde hoje atua Diego Tardelli.

No Galo, Mancini retornará à lateral direita, será segundo volante ou meia atacante?. Só Deus e Dorival Júnior sabem.

COMPOR ELENCO

Os cartolas estão agora com a mania, pra atender os empresários de jogadores, de justificar insossas contratações com a desculpa: esse é um nome pra compor elenco. Conversa fiada! O cara vem no bolo por exigência do empresário. Ou leva dois ou não leva nenhum. O cartola então traz dois.

Por falar nisso, o atacante Reis que o Cruzeiro acaba de anunciar como reforço tá nesta lista?

AMISTOSO EM LONDRINA

Exageros à parte do repórter da Itatiaia que faz a cobertura do América, mas é verdade que o amistoso contra o Flamengo, em Londrina, no domingo vai pra 140 países. Ir é uma coisa, ser visto com audiência maciça é outra.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

SEM GÁS SIM, MAS PULAR FORA JAMAIS

Talvez eu tenha me expressado mal: voltei das férias sem aquele velho espírito renovado de outrora. Isso ocasionou algumas manifestações de carinho como a do companheiro de algumas copas a quem rotulo de “guerrilheiro” pela força de sua opinião: jornalista Rogério Perez. Diz ele: “caro Flávio pai, bem-vindo à luta e que não se entregue, nem saia da trincheira. O Peito Aberto sempre faz falta no rádio, na TV e agora na Internet e nos blogs. Gracias, RP”.


* E sempre na sua espera. Por mais que queiram outros, somos imortais.

DE VALADARES

De Governador Valadares, Langlebert Drumond ex-presidente do Pantera, também, ratifica nossa antiga amizade: “meu grande amigo, seja benvindo novamente.Os meus amigos a quem encaminho sua coluna já estavam reclamando, em especial o Chico Sampaio, caixa do BB na agencia do TRT em GV”.

* Dois abraços, então: pra você e para o Chico do BB.

BRADESCO FALHA DE NOVO

Ah! pra quem acompanhou a "A saga de um aposentado..." que mantive aqui em vários capítulos sobre a aprontação do Bradesco comigo preciso avisar que antes do final do ano recebi um telefonema muito educado de uma das colegas advogadas – Patrícia ou Márcia? – propondo-me em nome do banco indecoroso acordo na ação de danos morais que movo contra ele.

* Contrapropus qualquer coisa só pra sentir a reação delas e pra que eu pudesse falar da minha indignação. Só aumentou minha vontade de litigar, tamanha a falta de respeito da proposta.

* Desta forma, mantenho acesa a luta pra alertar os outros aposentados que, como eu, caem na armadilha desses bancos de empréstimos consignados. Cito dois: BMG e Bradesco. Cuidado com eles!!!

GUERREIRO NA TOCA

Informam que o Cruzeiro contratou Leandro Guerreiro, 32 anos, do Botafogo. Não é jogador de se buscar no aeroporto, mas é bom. De zagueiro ou volante. Pai Joel o colocou de líbero, atrás da zaga e gostei muito do que vi.

RASTEIRAS E RASTEIRA

Levar rasteira, por falta de ousadia ou por excesso de zelo com o orçamento do clube é relevante, mas a torcida, na maioria dos casos, não aceita. Aceita feroz, porém engole, quando se trata de esperteza dos rivais e até o cansaço dos vencidos. Entretanto, levar rasteira de empresário, procurador ou jogador é inadimissível.

* Mais, ainda, quando trata-se de contrato a cumprir e com cláusula clara e indiscutível. Ainda bem que o Cruzeiro acordou a tempo e chamou Leonardo Silva pra brigar na Justiça, lugar das boas pendengas.

PASSAVA BATIDO


Nada contra Léo Silva, mas a instituição Cruzeiro estava sendo ludibriada e ninguém falava nada. Nem a imprensa, nem os dirigentes. Mistérios do futebol. A coisa passava batido e a midia fazia festa por Léo Silva assinar com o Galo. Peraí! E o tempo no qual ficou sem jogar, gritamos no Jogada de Classe? Zezé ouviu e convocou seu pessoal.

* Isso na Imprensa chamava –se – ou chama-se? - suite. Agora o pessoal dá uma informação e não suita. No fim de 2010, Dimas Fonseca no Jogada de Classe afirmou que Léo Silva iria cumprir mais seis meses de contrato caso não renovasse.

COMERAM MOSCA

Parte da cobertura da Toca e os dirigentes comeram mosca. Nós do Jogada de Classe, não. Lembramos da entrevista com Dimas Fonseca que o atleta é obrigado a cumprir o tempo que ficou parado em tratamento. O contrato só vence depois ou se houver acordo entre as partes antes. No caso de Léo não houve acordo. Ele não aceitou a proposta do clube e se desligou sem qualquer reparação. E o Cruzeiro aceitou passivamente até que alertamos sobre a cláusula contratual.

* Agimos no propósito jornalístico. No interesse da informação.

LÉO NO TIROTEIO

Com seu registro feito na CBF, Leonardo Silva tornou-se atleta do Galo e em condições de jogo. Documentalmente. Ficou no débito ao mudar de empresário porque chapelou o antigo. Nada o impede de trabalhar com o profissional que lhe interesse, ainda mais se ele for seu padrinho de casamento, como é o caso do atual, velho conhecido do Atlético.

* Porém precisava aplicar uma rasteira no antigo, Fernando César, que entrou na Justiça, também, contra o zagueiro alegando ter 50% dos direitos. Ou seja, jogador e empresário venderam parte de algo que não lhes pertencia, segundo César.

* Lógico que o Atlético tem que colocar seu jurídico à disposição de Leonardo Silva em defesa dos próprios interesses; comprou, em boa-fé, um produto que lhe foi oferecido.

* Minha avaliação final do caso: este Leonardo Silva e seu empresário são duas boas biscas.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

DE NOVO BRADESCO FALTA-ME COM RESPEITO

Ah! pra quem acompanhou a "A saga de um aposentado..." em vários capítulos que escrevi aqui e que provocou imediata reação do Bradesco na busca de uma solução para o caso, preciso avisar que antes do final do ano recebi um telefonema muito educada de colegas advogadas do banco propondo acordo na ação de danos morais que propus contra ele. Aumentou minha vontade de litigar tamanha a falta de respeito da proposta. A luta continua até o fim. Canche pra alertar mais os aposentados que, como eu, cairam na armadilha desses bancos de empréstimos consignados. Cito dois: BMG e Bradesco. Cuidado com eles!!!

PAREM O CARRO, QUERO DESCER

Mas não vou fazer isso. Já tive manifestações contrárias, além do que fiz no título apenas um jogo de retórica. Poderia ter escrito. EU QUERO MINHA MÃE. Afinal, foram 20dias, mais da metade na praia, longe das intrigas do futebol. Pensei que estaria de espírito renovado no começo de um novo ano depois de enfrentar barra pesada no que passou. Devorei três livros – Chico Xavier e Castro Alves (ótimo, recomendo) e reli os dois tomos de Os Miseráveis, de Victor Hugo.

* Que nem Os Sertões, de Euclides da Cunha, daqui a alguns anos lerei esta obra de Hugo de novo. Vale a pena acompanhar a saga de Jean Valjean.

SEM O VELHO GÁS

Interessante, voltei sem gás. Só não foi pior em razão das boas contratações do Galo. Léo Silva, Richarlyson, Mancini e Toró abrem boas perspectivas ao técnico Dorival Júnior.

*O América não parou e dentro dos seus conformes buscou o que podia trazer. O tempo dirá se acertou ou não.

GALO NO PAPEL

As contratações atleticanas, no papel, passam mais possibilidades de acerto. Não compartilho das preocupações da torcida azul em função da paradeira de Zezé Perrela e companheiros. Já vi este filme antes. Falam do caixa vazio, por falta de negócios, em prejuízo alto nas competições, jogam m. no ventilador com especulações sem anexo e, de repente, anunciam reforços.

*Normalmente, o Cruzeiro não anuncia nenhuma contratação de buscar no aeroporto no primeiro semestre.

DESOBSTRUIR A SAÍDA

Por enquanto, a ordem é desobstruir o portão de saída e diminuir o inchado elenco. E parte deste planejamento já foi feito com bom índice de acerto. Jonathan queria sair e saiu. Bom jogador, é desfalque. Contudo, na sua cabeça ele imagina que joga muito mais do que, realmente, joga. Espaço aberto pra Rômulo e Afonso, esse do júnior.

* De estalo, pode resolver Perrela sair negociando as pratas da casa e ninguém segura o homem. Bernardo, Dudu, Uchoa, Sebá e outros estão na prateleira à espera de compradores.

CAMPEONATO MINEIRO

Orlando Augusto manifestou preocupação com a falta de divulgação e de interesse da mídia com o Campeonato Mineiro que bate à porta. Tem razão! O assunto nós discutimos no Jogada de Classe, da TV Horizonte, e chegamos à seguinte conclusão: grande parte da nova crônica mineira, que nunca curtiu a verdadeira competição estadual, é contra ela.

* Os jovens condenam-na sem conhecê-la em sua importância. ao apedrejamento das adúlteras do Irã.

VOLTA DOS DINOSSAUROS

E nos acusam de dinossauros presos ao passado. Pobres coitados, não sabem que há algum tempo atrás nós tínhamos o Mineiro em dois turnos, uma folga para os times excursionarem ao Exterior – e a maioria das rádios fazia belas coberturas com transmissões dos jogos e torneios -, além da Libertadores e do Brasileiro.

* A cartolagem pôs fim nas excursões e reduziu os estaduais a esses caça-níqueis pra Rede Globo.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O HOMEM SEM ROSTO

Que legislação eleitoral é essa que permite que uma pessoa sem nenhum mérito ou voto passe ocupar uma cadeira no Senado Federal ? Ou alguém aí votou em Clésio Andrade pra Senador? É de se lamentar a morte do Sr. Eliseu Resende, como um ser humano; mas não do político, herança da velha Arena e da ditadura.

* Lamento mais ainda porque sua morte abriu espaço ao “homem sem rosto”, ao “sombra”, empresário que está em todos os lugares e ao mesmo tempo em lugar nenhum. Isso permite que ninguém fale dele como idealizador do “mensalão”, sócio do Marcos Valério na DNA e naquela outra agência.

* Na época foi feito um acordo de gaveta bem estranho, no qual Clésio passou as empresas ao Valério pois seria candidato a vice de na tentativa de reeleição de Eduardo Azeredo. Havia o impedimento legal como dono das agências, donas das contas publicitárias do Estado.

* Foi derrotado e pediu as agências de volta, Valério não cedeu e os dois foram pra Justiça. Aí estourou a questão do mensalão e Clésio pulou fora da pendenga.

* Como sei de tudo isso? Fui o responsável pela implantação da Rede Mineira de Rádio, sonho de Clésio em suas pretensões de ser governador do estado. Era dono das 21 emissoras com o seu sócio minoritário, Geraldo Magno, ex-prefeito de Itabirito. Pelas mãos deste, fui contratado como diretor de programação. Não aguentei. Tenho até hoje a carta que enviei ao Clésio e ao Magno com as minhas razões.

* Assinaram minha carteira de trabalho e não recolheram o INSS, e isso me levou a demandar contra a instituição e o Homem sem Rosto. Senador sem voto e que, ainda, dá cano no INSS, pode?