sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

KALIL RESSOA O QUE TODOS SABEM: ESTUPRAM O POVO

Enfim, meu Deus, o reconhecimento público de alguém ligado à cartolagem do futebol tupiniquim: o povo, o torcedor comum, o torcedor enrustido, os simpatizantes, todos nós estamos sendo estuprados pelo Clube dos 13 e Rede Globo de Televisão.
Ainda temos que pedir desculpas por estar de costas.
Já escrevi várias vezes sobre a elitização do futebol.
Tenham certeza de que este movimento não é algo que nasce normalmente no mercado, como qualquer outro produto.
Ele é plantado, idealizado por técnicos, economistas, cartolas, Globo, cada qual com seus interesses.
O ponto básico é o apartheid no futebol: pobres fora, ricos dentro das elitizadas arenas.
Pobre ficará na frente da tevê em telões espalhados pela cidade, em ginásios ou estádios menores, com ingressos baratos e sem qualquer investimento ou custo.
Ricos irão aos estádios desembolsar um mínimo de 100 dólares por cabeça. Todo lucro em torno do jogo irá para o mandante, com os percentuais de praxe.
Como fazer isso sem Flamengo e Corinthians, preferidos e apoiadores principais do evento e boizinhos de presépio da Poderosa?
Se você não leu, ou não viu, o que duvido, a Trincheira também reproduz tópicos da entrevista de Kalil na ESPN.

“O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) está sendo estuprado, mais do que isso: o povo do futebol está sendo estuprado”.
“Com o apoio do órgão, o Clube dos 13 retirou a cláusula de preferência utilizada pela Rede Globo carioca para adquirir os direitos de transmissão nos últimos anos”.
Alexandre Kalil admitiu que o Clube dos 13, formado em 1987 em oposição à CBF, perdeu a oportunidade de constituir uma liga.
Ainda assim, ele condena a posição de Corinthians, Flamengo, Botafogo, Vasco, Fluminense e Coritiba, que se manifestaram contrários à entidade.
No que tá certo, brigar com a CBF é gelada pelo suporte da Fifa.
Diz ele: "O Clube dos 13 nasceu para isso (ser uma liga de clubes, para se desligar da CBF), mas perdeu o trem. Temos que nos fortalecer como entidade de classe primeiro”.
“Hoje, ela representa os 20 principais clubes do Brasil e tem que defender a todos. Temos clubes que não têm a força que temos".

Segundo Kalil, o Clube dos 13 pode alcançar R$ 1,3 bilhão anuais. O lance mínimo para os direitos de TV aberta é de R$ 500 milhões.
Com TV a cabo, o execrável pay-per-view, telefonia móvel, internet e direitos internacionais, pode arrecadar outros R$ 800 milhões.

A impressão que tive: Kalil falava como próximo presidente de qualquer associação que venha substituir o Clube dos 13. Se vier. Verdade no futebol só dura...

Sigamos com Kalil: "O Atlético depende menos desse dinheiro do que outros clubes.- uai, Kalil descobriu uma mina de ouro, ou uma fábrica de fazer dinheiro?”
“Temos uma condição estável, estamos negociando com o governo para acertar umas contas. Não estamos preocupados com isso”.
“Mas e o Bahia, por exemplo? Eles não têm a força que nós temos, não conseguem vender (o patrocínio da) camisa por R$ 10, 15 milhões, precisam da ajuda do clube dos 13".

Ele convidou a imprensa para a abertura dos envelopes com as propostas das emissoras interessadas, evento marcado para o dia 11 de março. – Convite presidencial, não?
Kalil voltou a provocar os dissidentes, que apostam em conseguir um valor maior negociando em separado.
"Tudo que nos tiraram nesses anos, vão nos dar agora”,
“Quem não ver o dinheiro em cima da mesa tem que se explicar".

Alexandre Kalil criticou o racha que está acontecendo no Clube dos 13. Na quarta-feira, os quatro clubes grandes do Rio de Janeiro indicaram um rompimento com o C13.
Estes grandes de imensas torcidas discutirão seus direitos de transmissão de forma independente. É boa experiência.
Verão que uma coisa é vender merchandising das camisas com transmissão da Globo e outra é com a Record, que briga pelo segundo lugar com o SBT
O Corinthians rompeu totalmente com o Clube dos 13.
Kalil colocou sob suspeita o fato disso acontecer quase um ano depois da eleição do Clube dos 13.
"São R$ 3,9 bilhões em três anos, aproximadamente. A eleição foi em abril, reclamar agora é no mínimo curioso" declarou o Urso Pardo.

O que mais gostei foi saber que entre Cruzeiro e Atlético existe uma forma única de pensar: “"Eu tenho diferenças históricas com Zezé Perrela e todo mundo sabe disso”.
“Ele tem posição política antagônica a minha. Inclusive votou no Kleber Leite, na eleição do Clube dos 13”.
“Mas ele foi correto no que disse. Só sairá depois de ver as propostas na mesa, isso é coerência".
No entanto, Kalil criticou a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim.
Afirmou que tanto o clube carioca quanto o Corinthians poderiam assumir um papel de liderança do C13.
"Poderiam assumir a liderança do processo. Mas avacalharam, tumultuaram e não quiseram sentar à mesa. É revoltante”.
“O Corinthians conversou separadamente com a TV Record. O Flamengo foi ao Fábio Koff (presidente do C13) pedir R$ 8 mil e uma semana depois saiu fora".
Com o devido respeito e perdão pela minha ignorância: o Fábio Koff preside qual clube filiado à entidade?

4 comentários:

  1. Estao tomando meu lugar....

    ResponderExcluir
  2. Quero que estes vagabundos se fodam!!! Grana minha nunca vao ter!! Eu Sou cruzeirense desde que nasci e sempre ia aos jogos no mineirao, jogos importantes, nunca comprei nem vou comprar pay-per-view, sabe oque faco? Eu ligo meu computador acesso www.tvelectro.com , ligo o computador na tv e vejo meu cruzeiro de graca!!! e com qualidade de HD, exitem varios sites, eu gosot deste.. claro ligo meu radinho pra ter mais informacoes do meu time..

    Que se fodam esta globo desgracada e manipuladora, que se foda e record crente que rouba dos pobres, que se foda o dobro o ricardo teixeira...

    Minha grana estes crapulas nao vao ver nunca!

    ResponderExcluir
  3. meu amigo toma uma chár de camomila...
    hahahahah kkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Flávio, boa noite. Apenas esclarecendo sua pergunta: Koff não preside nenhum dos clubes afiliados ao Clube dos 13, é como se fosse um Administrador independente no qual a maioria dos presidentes confia. E o motivo disso ocorrer é que, quando Koff foi eleito presidente do C13 em uma das primeiras vezes (ou da primeira, perdão, não me recordo...)ele era presidente do Grêmio, e sua administração foi considerada excelente. A partir daí, Koff foi acumulando eleições e reeleições no C-13. Que fique claro uma coisa: Koff está com 80 anos, mas alia a experiência de ter sido dirigente de um grande clube dod futebol brasileiro, com a experiência na área do direito, tendo sido, por muitos anos, Juiz de Direito. Estas duas experiências somadas se tornaram muito convenientes para o C-13, posto que dificilmente outro presidente seria tão difícil de ser passado para trás, tanto nas questões do futebol quanto nas questões jurídicas. Quando em fins de 99, início dos anos 2000 (até 2002, se não me engano),vários dirigentes propuseram a criação da Liga de Clubes, inclusive, Koff estava por trás, assim como Kalil, que era um dos maiores defensores. E a Liga QUASE saiu. Koff admite hoje em dia que na época se acovardou, mas não foi o único empecilho: alguns clubes (o cruzeiro, inclusive) no último instante "roeram a corda", inviabilizando o que poderia ter sido a solução para nossos clubes já há quase uma década. É o mesmo que alguns clubes estão tentando fazer hoje em dia, pelo fato de a Rede Globo ter visto que surgiu uma geração de dirigentes mais preparada para encará-la, e estar com um medo REAL desta vez de perder todos os privilégios. Tanto que desta vez, Fábio Koff vai às últimas consequências, sem se acovardar. Já é um ponto a menos para a "poderosa".
    A propósito, recomendo a leitura deste excelente artigo na folha de hoje, com depoimento do próprio Fábio Koff ao jornalista Juca Kfouri, dos canais ESPN e site UOL >>>>
    http://galoforte.net/topic.aspx?UID=0&Lang=1&Topic=28720&TC=1&Team=1&AL=0&AT=0&SOpt=AND&STxt=&Pg=0.
    No mais, é isso.
    Como sempre, grande abraço, Flávio. Continuo sempre presente aqui no blog, lendo seus textos. Concordando, discordando, mas sempre lendo e respeitando. E às vezes, "pitacando" também, né? rsss!Até,
    Renato Mello ;)

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.