quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

RAPOSA E GALO ESTÃO IGUAIS ATÉ NAS DÚVIDAS

Afora a tal malandragem de esconder as escalações pra que o rival não se antecipe às armadilhas táticas (hehehe – coisa que nunca funciona!) os técnicos de Cruzeiro e Atlético, realmente, têm dificuldades em definir suas formações.

O Galo não consegue arrumar um lateral direito de ofício, pois não confia nos que contratou. Idem, idem, com a mesma data o arquirrival celeste.

Na zaga, Réver lesionado é a dor de cabeça de Dorival Júnior, que, no entanto, tem a opção do ex-cruzeirense Leonardo Silva, sem jogar há tempos.

Na Toca da Raposa, o “mestre” Cuca debate consigo mesmo entre estrear Victorino ou manter na zaga o atabalhoado Gil.

Na lateral direita, ambos devem recorrer às adaptações: Serginho a contragosto seria a melhor opção de Dorival com Zé Luiz no lugar de Richarlyson. Na vaga do próprio Serginho, quem sabe, a volta de Diego Souza, fininho e em forma.

No Cruzeiro, após longo período em recuperação, Marquinhos Paraná seria o lateral pra cuidar das mortais jogadas do Galo pelo setor com Leandro e Tardelli.

Na cabeça da área, Henrique e Leandro Guerreiro. Boa cobertura pra saída dos alas, principalmente de Diego Renan, já que Paraná seria mais fixo.

Ricardinho e Renan Oliveira completariam o setor de meio-campo alvinegro. Montillo e Gilberto – este a gosto do “mestre” Cuca – o meio-campo celeste.

Os problemas somem nos ataques: Dorival permanece com Magno Alves e Tardelli e Cuca com Thiago Ribeiro e WP-9.

Nos dois times, também, em setores importantes, jogadores sem suas melhores condições ou voltando de longas enfermidades: Marquinhos Paraná, Rever – ainda que aprovado pelos médicos – o seu provável substituto Léo Silva, e Diego Souza.

Porém, como sempre dizem eles: a vontade de disputar um clássico é tanta que supera qualquer problema. Que assim seja...

Legal o Atlético prestigiar atleta revelado no campeonato mineiro: o beque Luiz Eduardo, 23, começou no Uberlândia, passou pelo Bahia e Guarani. Comporá o grupo com a contusão de Sidimar.

Melhor foi perdoar Eron, que havia entrado na Justiça com rescisão de contrato.

Volta ao elenco, de compromisso novo e mais dinheiro no bolso, a fim de apertar o lateral Leandro, sozinho no setor.

A primeira vez que vi o armador Netinho com a camisa 10 do Atlético Paranaense e aquela perna esquerda talentosa, imaginei que o futebol brasileiro em breve teria solucionado o problema de seu homem de criação. Não existia ainda PH Ganso.

Netinho tornou-se outro foguete molhado. Rodou meio mundo e veio cair no CT Lana Drumond. Quem o América estará recebendo: o Netinho esperança ou o Netinho, 28 anos, cheio de experiência e defeitos? Se vier o novo, tem craque no Coelho.

O torcedor de futebol precisa aprender a conviver com seus ídolos. Zinedine Zidane tem recebido críticas por ter vendido seu prestígio ao Qatar: deu apoio à sua candidatura ao mundial de 2022 em troca de alguns milhões.

Direis: ele não precisa mais de grana, tá muito rico. Quem queima dinheiro é louco.

É profissional como qualquer outro. Diz ele que destinará a renda aos projetos beneficentes de sua fundação particular. Que nada, ai é para o bolso dele!

Só uma coisa tem deixado Zizu p. da vida: “falam em 10, 11, 12, 13 milhões de euros. Isso é uma loucura; não passa nem de um quarto desses valores o que recebi”.

É sempre assim, Zidane: a Imprensa aumenta, mas não inventa.

O craque de mentirinha da Imprensa paulista mostrou sua cara no amistoso do Brasil e França, em Paris. Perdemos pra eles de novo (1 a0) e a culpa toda é de Hernanes.

Nada justifica aquela agressão estúpida no primeiro tempo e que provocou sua expulsão.

Hernanes deu um pontapé na ética e na educação esportiva pregada pela Fifa. Não há desculpa, por mais que alguns coleguinhas paulistas busquem isso. A patada sobrou até pra nós, aqui no Brasil.

Mas eu pergunto: e daí se foi a segunda derrota consecutiva da Seleção? Ela não está numa fase de preparação?

No duelo particular entre Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, deu, de novo, o argentino. Ambos jogaram muito, mas Messi desequilibrou no amistoso entre Portugal e Argentina, na Suíça, que los hermanos ganharam por 2 a 1. Gol da vitória de Messi.

A campeã do mundo Espanha teve que suor em bicas pra derrotar a Colômbia no amistoso do Estádio Santiago Bernarbeu. Fez 1 a 0 e deixou o campo debaixo de vaia.

Na enquete do meu blog WWW.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com encerrada esta semana perguntei se o torcedor estava feliz porque Roger ficou. O sim teve 72%; o
Não teve 0% e o Indiferente, 27%. Com certeza, Cuca e Perrela entre estes...

Gostaria de ver um jogo do Guarani de Divinópolis se a tevê Globo fizer este favor.

O time tem surpreendido, junto com o América-TO. Espero que os dois continuem assim até a fase final.

Depois da Copa do Mundo, a seleção da Holanda que mandou os brasileiros pra casa não perdeu mais. Sua última vítima, a Áustria: 3 a 1. Já a Alemanha e Itália seguem sem jogar nada; por isso ficaram no empate (1 a 1) na última quarta-feira.

A estréia tricolor na Libertadores, no Engenhão, em termos de resultado foi um desastre. O Argentino Juniors arrancou o empate (2 a 2) com dois gols de cabeça do baixinho Niel, 1,62 de altura.

No Fluminense, pra aumentar a dor de cotovelo dos azuis mineiros, Rafael Moura marcou, também, dois gols de cabeça. Quatro gols em duas partidas.

4 comentários:

  1. Cruzeiro vacilou, Rafael Moura era a solução

    ResponderExcluir
  2. O Galo vacilou mais, pois o moço é cria de casa. Acontece que havia o Rafael Miranda, O rafael Moura, o Rafael Aguiar e talvez mais um ou dois "rafaéis" vindos da base do Galo. Mandaram embora o Rafael errado.
    Aliás,todo time tem seu dia de fazer bobagem. Lembram-se do Paulo César, lateral direito escrachado pela torcida do Galo ? Pois é, o moço foi para o Goiás, virou Paulo Baier, meiocampista, e o resultado todos conhecemos. Acontece. O Vasco, há naos atrás, dispensou um neguinho bom de bola que tinha aparecido lá para treinar. Não passou na peneirado e se mandou pro Snatos, onde construiu um brilhante carreira. Seu nome ? Edson, apelidadao Pelé. Acontece.
    Anos atrás, que tentei que o Galo trouxesse um garotinho argentino bom de bola, que jogava em um time da Grande Buenos Aires. Acharam caro o que pediam pelo seu liberatório. Seu nome ? Diego Armando Maradona. Acontece.

    ResponderExcluir
  3. Flávio,
    sobre sua enquete (Jobson), faltou a alternativa "depende dele". E é a que acho mais correta.

    Abração.

    ResponderExcluir
  4. Felizmente para o Cuca (e melhor para nós atleticanos), o Victorino não é mais dúvida. A documentação não providenciada a tempo. NÃO JOGA. Que legal, Cuca provavelmente vai escalar o Gil, o que vai favorecer nossa escalada na tabela de classificação. Merci dona Burocracia.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.