sexta-feira, 15 de abril de 2011

DORIVAL BUSCA TIME E CUCA SABE O DELE ATÉ SALTEADO

Alguém mais exigente, assistindo o treino do Galo, diria que Dorival Júnior perdeu o rumo.
Outro, mais observador, entenderia os problemas do técnico.
Reconheceria que na falta de material humano, Dorival matuta, repensa, devaneia, copidesca durante os treinos pra chegar à triste conclusão: o time é este mesmo.
Não há como fugir do que escalou no último coletivo de Renan Ribeiro; Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Serginho, Fillipe Soutto, Renan Oliveira e Daniel Carvalho; Mancini e Magno Alves.
Dessa forma mesmo; cheio de nomes duplos, com o cintura dura Patric na lateral direita; as torres gêmeas na zaga.
No meio, como se vê, estão o estabanado Serginho; o exótico Fellipe Soutto, com dois “lls” e dois “tts”; o desligado Renan Oliveira e o gordo Daniel Carvalho.
No ataque o bundudo Mancini, ao lado do veterano, mas eficiente, Magno Magnata Alves.
Aí Dorival surpreendeu na segunda parte do treino. Tirou Serginho, Renan Oliveira, Daniel Carvalho e Mancini, e entrou com Wendel, Leleu, Giovanni Augusto e Neto Berola.
Melhorou? Pergunte para o torcedor mais observador. O exigente, desanimado, foi embora mais cedo.
Dorival e todos na Cidade do Galo têm remotas esperanças do time terminar em primeiro lugar, na frente do arquirrival, porque no futebol tudo é possível. Até urubu voar de costas.
Entrementes (trem bonito, sô!), sabem que vencer o América-TO, quarto colocado do G-4 e com chances de chegar até a vice-liderança, na Arena do Jacaré, neste domingo.
Não é tarefa das mais fáceis.
Que seja obrigação do Galo. Porém, não será fácil.
Já os azuis, vencer o Uberaba, franco atirador, no Triângulo, está nos cálculos de todos. Ainda, que o discurso de Cuca seja aquele ultrapassado discurso de respeito ao adversário.

Ninguém desrespeitou o Zebu, apenas constata uma realidade: a fase dos azuis, com moral elevado depois da vitória em La Plata, o credencia a vencer bem.
Mesmo porque precisa de vencer – ou empatar – a fim de não correr risco de ser ultrapassado pelo Galo e perder a primeira posição.
Com ela as vantagens: dois empates ou uma vitória e uma derrota com igual saldo de gols.
Pelo nome do empresário do atacante Jonatas Obina, um dos goleadores do campeonato mineiro, e principal arma do América-TO eu saco que esta história do interesse do Galo na sua contratação é papo pra lá de furado. Notícia plantada.
Os dois dizem que não sabem de nada, a não ser pela imprensa que dá Jonatas Obina como atleta do Galo.
O empresário do atleta, tremendo falastrão, garante que estará na Arena do Jacaré um representante do time norueguês Rosenborg pra observar Obina.
Mas a preferência do atacante é ficar no Brasil. Vocês já ouviram isso: trocar a Europa pelo Brasil!! Conversa fiada.
Cuca terá Montillo de volta em Uberaba, mas tem enorme receio: o craque e o beque Gil estão dependurados no segundo cartão amarelo.
O Cruzeiro vai de força máxima, mas sem Thiago Ribeiro. Junto com Leandro Guerreiro está de terceiro cartão, recebido em Divinópolis. Bem que Montillo tentou, também. Não foi premiado.
Se forçar o terceiro cartão em Uberaba, Montillo ficará fora da primeira partida das oitavas de final. Risco enorme. Convém, então, tentar ir até às finais dependurados? É a pergunta que se faz na Toca da Raposa.
Camilo está vetado e não joga domingo. Flávio levou o terceiro cartão amarelo. Netinho quebrou a perna. Leandro Ferreira pegou uma gripe braba. Como o Coelho vai se virar pra pegar o Leão lá no Bonfim?
Mauro Fernandes, atrás da vice-liderança, coloca França no gol; Luciano volta no lugar de Camilo e Leandro Ferreira, se ficar de fora, a vaga será de Moisés.
Na lateral esquerda, sem Netinho que fraturou a base do dedo do pé esquerdo, volta Rodrigo, recuperado das dores na parte posterior da coxa esquerda. No ataque, moram os problemas maiores do técnico.
Ele experimentou Daniel Lovinho, que é ruim pacas. Botou Euller e não deu certo. Agora optou por Eliandro como companheiro de Fábio Júnior.
O treinador acha que o melhor mesmo é jogar com Fábio Júnior e Luciano. Mas será obrigado a colocar dois centroavantes.
E espera que a coisa funcione diante do Villa Nova de Wilson Gotardo, domingo as quatro da tarde no Penidão.
Existe a chance de na última hora, Mauro colocar o menino Caleb no meio-de-campo e empurrar Luciano para o ataque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.