quinta-feira, 7 de abril de 2011

DORIVAL PEDE APOIO DA MASSA PRA REFAZER TIME

Dizia meu pai, Sodico, que a maré não anda boa, o urubu de cima – pra não usar uma expressão chula – cospe no debaixo. Boa, também, a analogia de Stanislaw Ponte Preta: “o cara azarado vê seu pão cair sempre com a manteiga pra baixo”. Essa situação vive o Galo. Sair da Copa do Brasil num empate de 0 a 0 com o lanterna do Paulistão, na Arena do Jacaré, e ter duas expulsões na partida seria fácil de analisar: afinal este time não inspira nada em ninguém, mesmo contra adversário tão fraco como o Grêmio Prudente, em casa.
Porém, ter gol legítimo anulado aos 44m do segundo tempo, com nove jogadores e precisando apenas da simples vitória pelo placar mínimo dá pra se encaixar perfeitamente na maré de azar acima. Deve-se levar em conta que os erros de arbitragem são comuns em favor dos mandantes e dos times maiores. A preferência do assistente que anulou o gol de Réver contrariou todas as leis de probabilidades e determinações da Fifa.
Nas probabilidades, devia errar em favor do Galo que jogava em casa. Nas ordens da Fifa, existe uma orientação de que, na dúvida, valorize o gol, não marque impedimento. Duvido que o assistente tivesse tanta convicção na marcação do impedimento inexistente.
Tudo bem. Não vou usar tais argumentos para desviar o foco do real: Galo fez uma péssima partida, o tempo todo e não merecia, realmente, outro resultado. Impressionou-me o fato de que ninguém do time, individualmente, tenha mostrado alguma coisa boa. Do goleiro ao ataque, aos que entraram durante a partida, ninguém jogou nada.
A torcida livrou a cara de Felipe Souto. Tudo bem! Menino ainda, cheiode personalidade, canhoto, jogou mais que os velhos Serginho, Leo Silva, Rever, Magno Alves, Neto Berola, Mancine, Guilherme, etc, etc.
Léo Silva, aliás, se superou: conseguiu apanhar da bola em duas oportunidades ridículas, grotescas e caricatas. Caiu de bunda no chão e pernas para o alto.
Impossível não se dizer que este foi um jogo pra se esquecer...Alguns diriam, esquecer não mas pra se tirar lições dele. Pergunto: que lições amigos. Não sobrou nada aproveitável naquela noite fatídica na Arena do Jacaré nem pra se tirar lições. Esqueçam.

Apesar da tristeza que tem demonstrado desde o dia da dispensa dos dois jogadores, Dorival Junior abateu-se mais diante da eliminação na Copa Brasil, contudo não atingiu o estágio do desespero total: pedir seu boné, como muitos imaginavam. Pediu mais paciência ao torcedor pra remontar a equipe. Esperemos.
Na altura, os dois empatam. Na conta bancária, vence de goleada o outro. Faltam vários zeros na do meu amigo Osvaldo Reis, o Pequetito, pra pelo menos empatar com o presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela.
No talento, ambos fazem 10 a 10. No livro conta corrente das minhas boas amizades, porém, Pequetito dá de goleada. Por que este introito da implacável Trincheira?
A propósito do último programa Jogada de Classe, da TV Horizonte, que participamos. Orlando Augusto repetiu as informações dos setoristas da Toca da Raposa: WP 9 já é do Palmeiras.
Pequetito atalhou: ainda não falta a rubrica no contrato. Mais uma vez estava certo o excelente narrador da Rádio Globo. Porque Zezé Perrela que já havia anunciado o negócio com o Palmeiras, de graça, subiu nas tamancas: “se Vitor não vier, Wellington volta” ?
Como no futebol, as verdades continuam sem valer 20m, Perrela voltou atrás do atrás. O Palmeiras e o Sport, também, e Vitor vem aí.

Nesta quarta de futebol em todas as bandas, algumas surpresas aconteceram. Outras tiveram perto. Em Montevidéu, por exemplo, o Nacional bateu no Fluminense (2 a 0), campeão brasileiro, e, praticamente, o mandou embora da Libertadores.
O Santos continua vivo na competição, mas quase foi também. Fez 3 a 0 de início no Colo Colo, depois teve jogadores expulsos, e sofreu dois gols. Os chilenos mantiveram o segundo lugar no grupo e o Peixe, em terceiro, terá que brigar muito por uma vaga.
O Internacional, bem na fita, perdeu no México ( 0 a l) para o Jaguares. Com 10 pontos é, ainda, o primeiro do grupo.
Na Copa do Brasil, o Vasco passou por maus momentos mas conseguiu virar em cima do ABC ( 2 a 1) e garantir a vaga pra outra fase.
O Botafogo, também, com a vitória (3 a 0) sobre o Paraná classificou-se. O São Paulo suou, porém fez o dever de casa e tirou o Santa Cruz (2 a 0).
A Copa do Brasil se afunila e o sonho do Galo de ganhar a competição pela primeira vez entra pela 22ª chance para o ralo.

7 comentários:

  1. Atletico de minas nunca esteve entre os grandes do pais e falta muito para estar. O time vive de um titulo conquistado a 40 anos desde entao so leva titulos estaduais....
    ISto pode ser chamado de time grande? Tanto nao é que os "craques" chegam aqui e o futebol some pois sabem que a cobrança nao existe aqui pois se ganhar uma partida a torcida ja faz festa como se fosse um titulo...

    Ja meu cruzeiro dono de dois brasileiros 4 copas do brasil e 2 libertadores, isto sim pode ser chamado de time grande, estamos entre os grandes do brasil, das americas do mundo. Tando é que no ranking mundial estamos entre os 20 times do mundo sempre e o atletico mineiro nem la aparece...

    Acordem pra vida atleticanos ja passou da hora de voces acordarem do sonho de ser um time grande e cobrar seu time protestar, deixar de ir campo pra fazer o time ter vergonha na cara!

    ResponderExcluir
  2. Muito engraçado esse Flávio Anselmo e a maioria da imprensa chapa branca de minas. O galo é eliminado por um timeco, q nem cidade sede tem, lanterna e saco de pancadas do campeonato paulista, e não se observa nenhuma cobrança em relação ao vexame. Presidente q brinca de montar time e desmontar time a cada 4 meses. De contratar jogadores q a muito tempo não jogam nada, como Mancini, Magno Alves, Daniel Carvalho (chinelinho), Toró(brucutú), Neto Berola, Ricardo Bueno (horrososo) Richarlison (reserva do São Paulo), Patric (q nunca jogou nada, nem banco era no Cruzeiro), Leandro (desde 2004 num joga), Fernandinho, Fábio Costa, Carini, Cáceres, Edson Mendes...enfim a lista é grande. E ainda por cima ainda vende os melhores jogadores Tardeli e Obina e dispensa o melhor jogador do meio campo do time q era Ricardinho. Enfim uma sucessão de erros do presidente falastrão Kalil. Enquanto isso, a raposo velha do Zezé Perrela dá um show nas contratações, contratando Victorino, Montillo, Roger, Brandão. E eu como cruzeirense espero q Kalil continue por muito tempo no time do lado de lá da lagoa e q a torcida deles (cada vez menor) não proteste com essa situação e continue acreditando nas tuitadas e bravatas do seu presidente falastrão.
    Zurykson Braga - BH

    ResponderExcluir
  3. para thales...

    O Atlético é grande pois desperta, em seu sofrido torcedor, um amor quase que de mãe...ao passo que o seu "amor" pelo Cruzeiro, nada mais é que um interesse mesquinho, como de uma amante, que só ama quando dá resultado (colar, pefumes, etc...)

    ResponderExcluir
  4. Não entendo quando dizem “galo não é mais o mesmo de antigamente” Antigamente o que? O atletico nunca foi nada. Tem um titulo brasileiro e um vice, mesma marca do Guarani. Ganhou o ultimo nacional em 1971, a 40 anos. Não participa de uma libertadores a séculos. Só ganha campeonato mineiro. Não tem nenhuma tradição internacional, não tem tradição com a seleção brasileira, nada.

    O povo insiste nesse tal G12. Se o clube for do eixo SP-RJ-MG-RS, automaticamente será grande pra sempre, não importa se falir e ficar 100 anos no ostracismo. Se o Bahia ganhar 5 titulos brasileiros, ainda assim será menor que o Galo, afinal, não faz parte do G12.

    Grandeza se conquista e se mantém DENTRO DE CAMPO.

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus quando li o comentário do Thales e de um certo anônimo achei que estava comparando o Galo com um Barcelona, Real Madrid ou sei lá!

    Agora falar que o Galo é time pequeno e o Cruzeiro é time grande? Sei não!

    Sou torcedor fanático, mas coloco as coisas no seu devido lugar.

    O fato do Galo ou Cruzeiro ser ou não time grande não influencia em nada na minha vida. Só interessa a quem ganha com esse esporte. Eu só curto, é diferente.

    Interessante para Minas é que Atlético e Cruzeiro sejam considerados como grandes times que são. Não seria bom para Minas ter somente uma equipe reconhecida no Pais.

    Atlético e Cruzeiro possuem o mesmo peso no cenário nacional e internacional.

    Caso contrário porque o Cruzeiro negociou com a Globo por um valor bem menor que Flamengo e Corinthias?

    Por que recebeu bem menos do BMG do que o São PAulo FC?

    E mais, por que não ganha nada a quase 8 (oito) anos?

    O Cruzeiro é um time que atualmente possui um ótimo elenco. Até pra mim que sou atleticano dá gosto ver o Montillo jogar. Mas termina aqui. Só isso!

    Dá raiva quando o cara vem na TV e diz que o Cruzeiro, Galo ou qualquer outro time são maiores que esse ou aquele indivíduo.

    Instituição nenhuma é maio que qualquer ser humano. Muito menos que seus jogadores ou torcedores.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Flavio, tudo bem? Estou fazendo uma pesquisa sobre os radialistas mineiros e gostaria muito de poder contar com você! Você pode me enviar, por favor, um e-mail para eu explicar melhor? É julianasip@yahoo.com.br! Obrigada

    ResponderExcluir
  7. "Atlético e Cruzeiro possuem o mesmo peso no cenário nacional e internacional", essa é a piada do ano. No cenário nacional não é que o galo tenha o mesmo peso que o Cruzeiro, parece que a Globo pra negociar rebaixava o Cruzeiro, Inter e Gremio ao mesmo nível do Galo, só que agora duvido que ela vá pagar ao galo o mesmo que paga a Cruzeiro e os gauchos. Quanto ao cenário internacional será que os argentinos, uruguaios, paraguaios conhecem mesmo o galo, como conhecem a La Bestia Negra? E esses rankings da FIFA, onde o galo figura?

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.