terça-feira, 5 de abril de 2011

NOVO GALO JOGA PRA ESPANTAR A CRISE

o PRESIDENTE ALEXANDRE KALIL afirmou na coletiva que usou pra justificar as dispensas de Ricardinho e Zé Luis que não existe crise no Atlético. Não deve existir mesmo. Seria absurda a ideia de estender sem limite um ato administrativo comum: a dispensa de dois funcionários. O Galo tem pressa porque precisa salvar seu primeiro semestre. E dentro deste projeto está a Copa do Brasil da qual poderá cair fora se não vencer o Grêmio Prudente nesta quarta-feira, na Arena do Jacaré. Derrotado no jogo de ida, em Prudente, por 3 a 2, o Galo com uma simples vitória de l a 0 mantém-se vivo na competição. O empate é dos paulistas. O Grêmio que vem de campanha fraca no Paulistão, após a contratação do técnico Márcio Goiano cresceu. Outro cuidado que Dorival Junior precisa ter, além de sacar do espírito da equipe qualquer baixo astral que a dispensa dos atletas possa ter deixado.

Vida que segue. Torço pra que siga bem pelos lados de WP 9 que conheci pessoalmente num dos programas Jogada de Classe, da TV Horizonte. Passou-me a impressão de gente boa.
Nos gramados, eu o acompanho desde os tempos de Botafogo. Seu estilo sempre me agradou, porque conheci bem do ofício. Não é paraquedista. A ingratidão do futebol faz WP 9 ausentar-se de Beagá até o fim do ano pra jogar em SP, no Palmeiras. Fará dupla com Kleber Gladiador, a mesma que barbarizou por uns tempos aqui no Cruzeiro. São amigos e bem entrosados.
Talvez essa saída, quem sabe, faça bem a Wellington Paulista. No entanto, duvido que volte se acertar as redes adversárias com a camisa do Verdão. Na realidade, é isso que Zezé Perrela quer que aconteça. Para ele e alguns cruzeirenses, o ciclo de WP 9 encerrou-se na Toca da Raposa.
Agora chegou a vez de Farias – em breve é outro que cairá fora, aguardem – Reis, André e Brandão, sem falar os que estão entre os titulares, Thiago Ribeiro e Wallyson. Este Brandão vem em quais condições?
Penso que se trata tão-somente de um exílio provisório até que a poeira se assente no problema sério que arrumou na França pra ele. Lá, ao contrário do Brasil, diga-se, a poeira não se assenta com facilidade. Não há jeitinho. Então, pode ser que Brandão volte no final do ano, mas pode ser também que fique pra fugir das garras da Justiça francesa.
Não gostaria de enganar-me quanto à saída de WP 9. Porém, minha intuição costuma não falhar. Sob o comando de Felipão e ao lado do Gladiador, Paulista tem grandes possibilidades de reencontrar seu norte. Dentro da área. Fora dela, como era usado aqui no Cruzeiro, saindo para os lados, abrindo espaços pra Roger e Montillo, ele ficou longe das redes e longe do prestígio que adquiriu entre os azuis das arquibancadas.
Os torcedores – aqueles poucos que pressionaram a cartolagem e vaiaram WP 9 após algumas partidas sem marcar – haverão de sentir sua falta. Nenhum outro mostra tanta entrega com a camisa celeste; pode haver igual, mais do que ele não.
Também são reais e honestas suas declarações de que não queria ir embora. Gosta de Belo Horizonte, sua família adaptou-se aqui, e tava bom demais. Torço que tenha sucesso lá.
Não faço parte da turma do ” BH que eu amo”. E não é por causa de Caratinga, minha terra natal. Beagá da qual eu gostava ficou na tela dos documentários, que nem Caratinga. Não sei se terminarei meus dias aqui, mas garanto que não será, também, em Caratinga. Vou escolher meu canto. Quem sabe em Lagoa Santa, lá no Condados? Sei lá. Tá cedo pra se pensar nisso.
Na verdade, o que eu gostaria mesmo de dizer é que o prefeito Márcio Lacerda, do qual tenho lembranças como estudante numa república de inhapienses na Rua Gonçalves Dias, me surpreendeu. Não votei nele, por causa das companhias. Contudo, sua face de empresário tocador de obras surge forte e resoluta. Tá que vira Beagá de ponta a cabeça. Parabéns.
Os adjetivos que Ricardinho usou pra se defender e autopromover-se dispensam qualquer justificativa de Dorival Júnior sobre a atitude que tomou. Ricardinho rotulou-se um “líder, atleta diferenciado, inteligente, capaz tornar-se referência em qualquer grupo”. Cruzes! Diziam que Emerson Leão era assim também, quando jogava.

2 comentários:

  1. Ola flavio, o so esportes na alvorada acabou? estive fora do pais e sempre ouvia.. vai voltar?

    ResponderExcluir
  2. Claro que não tem crise. Imagina se um presidente equilibrado, com a cabeça no lugar, que não toma decisões sem pensar e analisar bem a situação, e uma comissão técnica dessa qualidade e autoridade permitiriam que uma crise se instalasse.

    Só bons resultados, aprenderam as lições do ano passado e não desmontaram a equipe no meio de competições importantes, um time montado com craques do quilate de Rafael Cruz, Leandro, Toró, Serginho, Renan Oliveira, Jackson (baita camisa 10, uma descoberta do Dorival, que olho clínico do treinador !!), Berola, e o lépido centroavante Ricardo Bueno. O craque do time é esse jovem Magno Alves, mais uma revelação da base.

    Mal contenho as lágrimas de felicidade por tal legado.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.