domingo, 3 de abril de 2011

NOVO GALO VENCE PANTERA E MASSA ESPERA REFORÇOS

A cara nova que o Galo mostrou em Governador Valadares na vitória sobre o Democrata Pantera( 3 a 1) não entusiasmou aqueles coleguinhas que lá estiveram, enfrentando chuva e a 381.

No primeiro tempo, valeu-se do entusiasmo. No segundo, valeu-se do esforço de Magno Alves e da entrada de Berola. A Pantera com 10 em campo deu sufoco e quando levou o terceiro gol era melhor.

A torcida do Vale do Rio Doce gritou: “queremos jogador” e virou caixa de ressonância do pensamento geral da Massa. Mais que explicações, a torcida quer contratações.

A diretoria atleticana prometeu dar explicações sobre as dispensas segunda-feira, numa coletiva.Alexandre Kalil garante que responderá todas as perguntas. Será?

O azar do Guarani foi marcar aquele gol logo aos 4m no Cruzeiro. Cutucou a onça com vara curta. Em poucos minutos, os azuis empataram, viraram e botaram diferença no placar. O calor estava brabo. Por isso, o time apenas treinou no segundo tempo. Foi só o Guarani começar a mostrar as garras outra vez e o Cruzeiro completou a goleada, 4 a 1, quase garantindo o primeiro lugar em definitivo.

Wallyson que entrou no lugar do esforçado Ortigoza manteve viva a briga entre eles por uma vaga no ataque. De princípio, passou aquela impressão de desligamento. De repente, acordou e chutou atravessado, com força, marcando o quarto gol.

De novo, o melhor foi o argentino Montillo pelo que jogou no primeiro tempo e, claro, pelo belo gol marcado em homenagem ao filho Santilo. Na defesa, o cabeça-fresca Victorino outro destaque. Roger esforçou-se, também, bastante. Enquanto teve fôlego.

Primeiro lugar na Copa Libertadores; primeiro lugar no Mineiro, os azuis estão de astral alto. Tanto que Cuca deu folga até a próxima quarta-feira. Tempo suficiente de descanso pro elenco.

Depois vem a preparação para encerrar a fase de grupo da Libertadores, contra o Estudiantes, em La Plata, e a fase de classificação do Mineiro, lá no Triângulo, contra o Zebu.

O fenômeno do tênis este Novak Djokovic, segundo do ranking. Derrotou Rafael Nadal novamente em uma decisão. Neste domingo, com parciais de 4/6, 6/3 e 7/6 (7-4), ganhou o Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos.

Foi o quarto título do sérvio na temporada. Venceu este ano o Aberto da Austrália, o ATP de Dubai e o Masters de Indian Wells.

Melhor tenista de 2011, Djokovic disputou 24 partidas no ano e não perdeu nenhuma. Foi o segundo título do sérvio em Miami, uma vez que já havia conquistado o torneio em 2007.


Ainda sobre a Trincheira especial dedicada à memória do ex-vice-presidente José Alencar - “O Domador de Cavalo Bravo” que fará parte do meu romance em fase de impressão, Caraúna”, cuja capa é do genial Zélio Alves Pinto - registro outras mensagens que me chegaram:

De Luiz Correa – BH: “Flávio, Sou de uma família de escritores, Henry Roberto Correa de Araújo, Maria Lysia, entre outros intelectuais da Capital "minêra", e admiro textos que nos fazem sentir mais nós mesmos, ou seja, mais mineiros, na essência.
"Ocê", se me permite, fez com grande maestria isso, quando relatou uma aventura (cuja ficção contada como um causo o que portanto a torna verdade...) do nosso, nosso mesmo, saudoso Zé Alencar, sujeito que nos faz lembrar de figuras folclóricas do nosso próprio folclore, de gente simples do bairro, da família, da nossa cidade”.
“Pois Minas não é um Estado dividido em cidades ou municípios, como queiram, Minas é tudo de uma vez num lugar só. E isso nos faz sentir em casa mesmo quando estamos longe da cidade natal, e mesmo longe de nosso estado, quando deparamos com os tais Zé Alencar da vida, nos sentimos muito à vontade”.
“Não estamos sozinhos. Ele se foi em corpo, mas sua alma ficou um pouco mais, e um pouquinho a mais, em nós Mineiros, o que nos faz sentir mais orgulho ainda de pertencermos a uma terra tão rica, de tão simples. Parabéns pela sua inspiração!”

De Aloísio Drubscky – BH - “Li sua coluna sobre o nosso José Alencar. Belíssima.
A única vez que estive bem perto do Ex-vice-presidente José Alencar e que me fez admirá-lo. Foi no velório do nosso saudoso Gordo Sasso. Quando perguntado se era amigo do Sasso, ele disse que não precisava ser amigo do Gordo, pois todos os mineiros o conheciam muito. José Alencar usou a frase: " Quem não conhece o autor de “Tá no filó?". Um abraço do amigo sempre”.

De Sérgio Abdala Semião – BH - “Oi Flavio, muito importante essa homenagem póstuma ao grande empresário, político e brasileiro José Alencar. Muito bom frisarmos que a sua vitoriosa carreira empresarial começou na amada Caratinga. E a você, meu caro amigo, continue sendo esse grande jornalista que é”.

De Fair Soares – Brasília – “Parabéns! Lindo conto.Acho que definiu com talento e simplicidade esse homem que nos causou tanta ternura e orgulho. Um tipo em extinção no país e com certeza inédito na política da" falta de vergonha" e ética. Ele vai ficar vivo no coração de todos os homens e mulheres de Bem . A emoção ao ler, me levou as lágrimas. Obrigada.”

Um comentário:

  1. É , impressionante como ascoisas no atletico desandão,de um elenco forte no inicio do ano e agora todo desmantelado pela diretoria do galo...
    E o pior de tudo q estavamos na vespera do brasileirão 2011 e ainda não termos um time ainda definido pq na minha modesta opinião com esse time ai não ganhar mais esse campeonato mineiro esse já foi pro espaço quem descidir esse campeonto é o america e cruzeiro, o galo tem q pensa já no 2semestre pq esse 1semestre tinha tudo para ser vitorioso, mas com essas perdas de jogadores o nosso 1semestre já foi pro espaço tambem....
    so qro ver qual vai ser EXPLICAÇÃO DO KALIL E MALUF MAIS TARDE.
    ATÉ MAIS.........

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.