sexta-feira, 10 de junho de 2011

ALELUIA...ALELUIA... FALTOU POUCO PRO CUCA DAR UMA DENTRO

Aleluia... Aleluia... até que enfim Cuca criou juízo e escalará o Cruzeiro de maneira inteligente e sem adaptações. Perdoem-me: SEM é um exagero que os turrões e cabeças duras não aceitam. O Cruzeiro contra o Santos neste sábado terá Gilberto, de novo, na lateral esquerda – onde detesta atuar – e Diego Renan sentado no banco de reservas, ou onde achar melhor tomando seu sorvete de jiló, com cobertura de boldo e jurubeba.
Passaram-se sete meses desde que o trio de ferro do meio-campo azul foi desfeito: Fabrício saiu por contusão e Paraná foi quebrar o galho nas laterais. Só ficou Henrique. Os três estarão lado a lado contra o Peixe e mais Montillo na armação.
Na frente, jogarão Wallyson e Anselmo Ramon. Gostei; este meu xará tem agradado, ainda que se continue a contabilizar contra ele aquele gol perdido contra o Palmeiras.
O episódio do mal-estar gerado pelas declarações de Fabrício contra o “mestre” Cuca morreu, foi enterrado. Melhor assim, sem rancores das partes, visto que o momento exige atenção redobrada de todos.
A Trincheira dará uma trégua ao birrento treinador azul até domingo. Falando nisso, a escalação de Vitor na lateral direita também foi bola dentro.
Vou falar uma coisa para os cartolas, técnicos e torcedores. Sou frontalmente contra que se coloque num contrato de empréstimo de jogador que ele não poderá atuar na partida contra o time que detém seus direitos econômicos.
É o caso da discussão sobre Jóbson que foi escalado como titular pelo treinador Renê Simões, do Bahia, para enfrentar o Galo domingo em Salvador.
Qual é o problema?
Jóbson foi descartado pelo Atlético por seus problemas particulares que não o deixavam entrar na forma ideal. Seu destino seria o Botafogo que é o verdadeiro detentor dos direitos econômicos do rapaz.
Os botafoguenses agradeceram e o devolveram à Cidade do Galo pra cumprir o restante do contrato de empréstimo. Com a batata quente nas mãos, Alexandre Kalil o empurrou de graça para o Bahia.
Após este rebuliço todo estão com medo de enfrentar o moço? Trata-se do novo Pelé? Ou ao menos de Maradona – aí até que se aproxima de El Pibe nos defeitos – ou quem sabe Lionel Messi de ébano?
Tudo bem que é uma praxe do futebol. Todavia uma praxe sem ética, imoral e dispensável.O time escalado por Renê Simões e que entrará em campo domingo, com ou sem as retaliações prometidas pelo Urso Bravo, terá Jancarlos, Thiego, Titi e Ávine: Fahael, Diones, Ricardinho e Lulinha; Jóbson e Souza.
Quem tem medo de assombração do meio-dia?
O pessoal da diretoria são-paulina não deu atenção às provocações ferinas de Alexandre Kalil, depois do jogo. Disse o cartola atleticano:
“O time do Atlético vai dar muita alegria. A torcida está de parabéns. O que vimos foi um time que nos lembrou muito o Campeonato Mineiro, aqueles times do interior que vêm e se fecham. Para jogar aqui contra o Atlético, têm que jogar igual time da roça. Fizeram um gol sem querer. Estão de parabéns o time e a torcida, que reconheceu o chocolate que o grande São Paulo tomou”.
Tipo de jogada de bastidor que não vinga mais: convidar para assumir seu time, o técnico do próximo adversário. Ainda mais quando só a vitória lhe interessa. O Avaí que não venceu até agora perdeu o treinador Silas para o futebol do Catar.
Então só se lembrou de um nome capaz de substituí-lo: Mauro Fernandes do América, exatamente seu próximo adversário. Ouviu a resposta que se esperava: Mauro não quis falar sobre boatos, mesmo que verdadeiros.
A imprensa barriga-verde falou no nome de Mauro Fernandes o dia todo e que a diretoria do Avaí só esperava sua chegada a Floripa pra apresentar uma proposta.
Disse: “Eu sou treinador do América e o Avaí será meu adversário no sábado. Não há a mínima possibilidade, não quis conversar com ninguém. Não é o momento propício, nem da parte deles e nem da minha. Estou no América há quase um ano e meio, tenho o respeito da diretoria e do clube e vou tratá-lo como eles me trataram e continuam me tratando”.
Porreta este moço de Sete Lagoas. Como, aliás, são todos os nascidos naquela bela cidade da Lagoa Paulino. Dois acertos de Mauro quanto ao time de sábado: a estréia de Gilson, ex-Grêmio, na lateral esquerda e a confirmação de Alessandro, como segundo centroavante, ao lado de Fábio Júnior.
Aquele lateral Thiago, emprestado pelo Corinthians, só criou problemas para o time. Dois pênaltis em três jogos. O terceiro só não aconteceu contra o Internacional porque o árbitro fracassou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.