domingo, 31 de julho de 2011

LUA DE MEL ACABOU PARA OS DOIS TÉCNICOS

As atrapalhadas de Dorival Júnior ao escalar o time que perdeu para o Palmeiras (3 a 2), no Canindé, é que agitaram o ambiente na Cidade do Galo. As manifestações pela saída do técnico, ainda que fora de propósito, devem-se exatamente às tais maluquices: três zagueiros, dois volantes e dois alas fracos, sem nenhum meia armador; e três atacantes. O que ele pretendia com este esquema?
Da mesma forma, Joel Santana meteu os pés pelas mãos na escalação do time derrotado pelo Botafogo (l a 0) na Arena do Jacaré. Insistiu com Gilberto sem função, Marquinhos Paraná na lateral esquerda. Roger no banco, Everton como falso volante e revezando com Gilberto na lateral.
O seu crédito inicial esgota-se com a insistência em manter Ortigoza titular, escalar o time com dois velocistas e sem centroavante. Ao pressentir a vaca indo pro brejo, com os bezerros e tudo mais, Joel enche o time de atacantes. Eles batem cabeças na entrada da área adversária, sem solução.
Duas situações na Toca da Raposa são indiscutíveis: o elenco não dá pra disputar o título, por falta de jogadores de ofício em posições cruciais como as laterais e a de centroavante. Portanto, inventar soluções é pior ainda. Também é definitivo: o Senador avisou que não contratará ninguém, pelo contrário alguns serão negociados no final do ano.
Tirar leite da pedra usando apenas Montillo e Fábio só com mágicas. Nunca haverá esforço ou vontade de Gilberto; este atravessa aquela fase de desinteresse total e vontade de sair. Roger perdeu a alegria de jogar, ao aceitar a reserva do sisudo Gilberto. Everton é fraco e Montillo cansou de carregar o piano sozinho. Quem nem Fábio. O gol de Loco Abreu veio num chute forte, mas defensável. Fábio já fez milhares de defesas deste porte.
Ou Joel passa a ver os juniores treinarem e jogarem e de lá tira a solução de seus problemas ou cai abraçado neles. Penso na tremenda sacanagem que faz ao colocar uma camisa de força tática em Montillo, além de cercá-lo de canhotos que comem seu espaço de campo e tornam seu jogo lento, sem arrancadas. Gostaria de ver se Joel Santana trabalharia Sebá como deve e como trabalhou, por exemplo, Caio no Botafogo.
TIMÃO QUEIMA GORDURA
Depois de uma disparada nas doze primeiras rodadas, nas quais manteve-se invicto, o Corinthians já passa a incomodar-se com a presença inconveniente do Flamengo – o único invicto da competição. O Fla venceu o Grêmio (2 a 0, outro golaço de Ronaldinho Gaúcho) e subiu pra 27, um ponto atrás do Timão, que permaneceu nos 28 pontos.
O Avaí tocou fogo no Brasileirão ao derrotar (3 a 2) o Coringão. A segunda derrota de Tite na competição e exibiu a verdadeira face corintiana. Nada tão feio quanto a Imprensa paulista pintava e que o Cruzeiro começou a desmascarar no Pacaembu. Porém, o time de Joel Santana, também, deixou a máscara cair e prendeu-se em nono lugar. Dez atrás do líder.
Outro que sobe feito elevador é o Vasco. Ganhou do São Paulo de Adilson Batista no Morumbi por 2 a 0 e chegou ao quinto lugar com 24 pontos. Acima dele, no G-4, estão os já citados Timão e Flamengo, mais São Paulo, em franca queda, 25 e Palmeiras, num ritmo lento, com os mesmos 25, mas com saldo de gols menor.
O Atlético saiu da zona da Copa Sul-Americana e se aproxima da mortal G-4 do Mal. Tem outro compromisso complicado fora de casa: nesta quarta-feira vai a Porto Alegre enfrentar o Grêmio, também desesperado, no Estádio Olímpico.
Não menos complicada é a tarefa do Cruzeiro, depois de duas derrotas seguidas: pega o invicto Flamengo na Arena do Jacaré. Nem é preciso dizer o quanto é fundamental que para o emprego de ambos os treinadores vencer seus próximos compromissos.
O que falar ao técnico Antônio Lopes sobre a situação do América? Como se não bastassem as derrotas ou empates fora de casa, o Coelho perde também na Arena do Jacaré. É verdade que pegou time melhor, o Coritiba, que não teve dificuldade em abrir 2 a 0 e fechar em 3 a 1. O América está mais atolado do que nunca no buraco negro.
Nada pior do que uma notícia ruim atrás da outra: o próximo adversário do América é o Corinthians em São Paulo. Quem sabe os deuses do futebol não tenham pena dele como tiveram do Cruzeiro e façam o milagre de uma vitória acontecer?
O Santos de Neymar e Ganso atola-se cada vez mais. Coisa própria dos campeões da Libertadores no Brasileiro seguinte. Não levam a sério a competição e quando acordam estão na boca do lobo.

sábado, 30 de julho de 2011

Charge do Edra

www.chargesdoedra.blogspot.com

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Charge do Edra

www.chargesdoedra.blogspot.com

quarta-feira, 27 de julho de 2011

GALO NO IPATINGÃO: DO ÓDIO AO AMOR TOTAL

(Foto de Marcos Michelim - EM/DA Press)


A irritação da torcida alvinegra, que lotava o Ipatingão, com a moleza da equipe no primeiro tempo virou alegria, esperança e transbordou naquele tradicional amor pelo Atlético quando André, que entrara 8m antes no lugar do esforçado Jonathas Obina, marcou, aos 22m, o único gol da vitória sobre o Fluminense. A bola cruzada por Magno Alves pela ponta-direita encontrou André entre os zagueiros Gum e Digão, onde deve colocar-se qualquer centroavante. O estreante desviou de cabeça e saiu pra comemorar experimentando, também, a sensação de cair nas graças da Massa.
Não foi pra isso que André foi contratado? Então existe uma luz no final do túnel para o Galo quanto a falta de gols. A vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense não foi resultado de nenhuma atuação espetacular do time de Dorival Júnior, contudo tem vários aspectos importantes para os analistas de boa vontade. Um deles foi a primeira do Galo sobre um time fora da zona do rebaixamento. Afastou a ameaça de degola sobre a cabeça do técnico. Quebra uma seqüência de resultados negativos e bota o Atlético um pouco mais longe do G-4 do Mal.
Com os três pontos, o Galo chegou a 14 pontos. Neste sábado à noite, o Atlético tem outra parada indigesta, agora fora de casa: enfrenta o Palmeiras.
Foi a primeira etapa que a atuação do Atlético provocou a irritação do torcedor. Mais de 16 mil pagantes, a maioria atleticana, gritou alto exigindo raça ao time. Com três volantes – o técnico Dorival Júnior deixou Daniel Carvalho no banco -, o Galo mostrou-esteve desorganizado durante todo primeiro tempo. A torcida imaginava que os resultados anteriores se repetiriam: o time entregaria mais três pontos, em casa, de presente aos visitantes. Sem apoio da torcida, a equipe ficou nervosa e entrou no desespero geral. Os apoiadores não davam seqüência a nenhum lance e erravam passes seguidos. Sem receber bolas, Magno Alves e Jonathas Obina recuaram até o meio-campo. Não houve nenhuma oportunidade clara de gol no primeiro tempo.

Nervoso, o time alvinegro parecia um filme repetido, para desespero da torcida. O meio-campo não conseguiu dar sequência a nenhum lance. Os erros de passes foram constantes. Magno Alves e Jonathas Obina recuavam para buscar jogo e deixavam a área tricolor dominada pelos zagueiros. Na etapa final, Dorival colocou Wesley no intervalo no lugar de Guilherme Santos. Mudou tudo com esta mexida. Os dois goleiros - Geovanni e Diego Cavalieri – trabalharam bem, com importantes defesas.

A defesa desfalcada das torres gêmeas Rever e Léo Silva trabalhou com esperteza e atenção dos pratas da casa, Werley e Lima. O confronto ficou emocionante. Aos 22 minutos, brilhou a estrela de André marcando o único gol. O Galo recuou e passou a defender o resultado. A pressão do Fluminense quase deu efeito: Marquinho, na cara do gol, chutou pra fora aos 41 minutos. Fred mandou na trave, aos 45m.

CRUZEIRO SE APEQUENOU DE NOVO

Longe de ser o time batalhador e estratégico da vitória sobre o Corinthians (1 a 0) o Cruzeiro se apequenou diante de um adversário teoricamente mais fraco, o Atlético Goianiense. Ressuscitados pelos azuis no Serra Dourada, com a vitória por 2 a 0, os goianos saíram até do buraco negro. Enfiaram lá o entusiasmo azul de chegar ao G-4.
O goleiro Fábio, completando 400 jogos com a camisa celeste, evitou placar maior. Trabalhou bastante, principalmente no primeiro tempo. Sua alegria transformou-se em lamento pela falta de entusiasmo da equipe. Felipe homenageou Fábio com os dois gols
O Atlético-GO subiu pra 15ª posição com 12 pontos. Por sua vez, o Cruzeiro caiu de 7º para 8º lugar. Neste sábado, o Cruzeiro joga em casa contra o Botafogo.
O Cruzeiro tentou repetir no Serra Dourada a estratégia do jogo contra o Timão, no Pacaembu: apenas Wallyson na frente. Foi sufocado pelos locais nos minutos iniciais e levou gol aos oito. A jogada nasceu – adivinhem - de cruzamento perfeito do lateral Rafael Cruz, ex-Galo. A conclusão foi de Felipe na pequena área, livre de qualquer marcação.
O Atlético-GO esteve tão superior nos 20m que poderia ter goleado. Fábio fez duas sensacionais. Os zagueiros atrapalhados atabalhoados, os dois laterais, batidos a todo instante, e três volantes perdidos. Cada descida dos goianos representava perigo. O gol quase saiu antes, aos seis minutos, com Leandro Guerreiro chutou na própria trave.
Aos 20m, o Cruzeiro se organizou na defesa, e com lentidão envolveu o Atlético-GO. Mas não conseguiu dobrar a boa marcação dos adversários.
Vitor e Everton nada faziam. No meio, Roger e Montillo estavam bem marcados e anulados. Wallyson ficou isolado na grande área. Quando recebia a bola, não tinha com quem tabelar. Nos cruzamentos, o Atlético-GO sempre levou vantagem.
Joel Santana providenciou mudanças. Ortigoza no lugar de Vitor. Montillo passou a jogar partindo de trás, e as chances de gol cruzeirenses apareceram bastante. Porém, o time goiano quase marcou o segundo gol nesse período: Thiaguinho acertou o travessão.
Melhor em campo, o Cruzeiro contra-atacava com chutes perigosos de Montillo e Roger. Como o gol não aparecia, Joel Santana partiu pra tudo ou nada, aos 23m: Reis entrou no lugar de Roger. No caminho contrário, o Atlético-GO reforçou a marcação. Entraram o volante Joilson e o zagueiro Leonardo nos lugares dos meias. A 10m do fim, Anselmo Ramon substituiu Marquinhos Paraná. O Cruzeiro ficou com quatro atacantes além de Montillo.
O gol quase saiu aos 42, quando todo o Cruzeiro foi para a área para aproveitar o cruzamento de Montillo em cobrança de falta. Anselmo Ramon recebeu a bola na pequena área, mas pegou mal e o goleiro Márcio desviou a escanteio. Quem marcou no fim, no entanto, foi novamente o Atlético. Em contra-ataque mortal, aos 46m, Felipe entrou área adentro e tocou no canto direito de Fábio: 2 a 0.

COELHO PASSOU PERTO

Não foi uma vitória; o Coelho completou 11 jogos sem vencer no campeonato, não saiu da zona de rebaixamento, porém trouxe um ponto importante do Rio Grande do Sul. O empate em l a l com o Grêmio, no Estádio Olímpico, é o segundo seguido sob a orientação de Antônio Lopes que aos poucos vai cumprindo o prometido de tentar tirar o América da crítica situação em que se encontra.
São apenas 8 pontos em 12 rodadas. A chance de conseguir a segunda vitória em casa será neste domingo contra o Coritiba, o bom time de Marcelo Oliveira, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.
O Coelho começou corajoso, partiu pra cima do Grêmio. Os garotos Léo e Caleb deram trabalho à beça aos zagueiros gaúchos. Aos 15m, o América marcou com William Rocha, de cabeça, desviando uma cobrança de falta de Amaral.
Logo após marcar, o Coelho recuou. Na pressão, o Grêmio empatou aos 15m do segundo tempo. Fábio Rockemback cobrou falta e o argentino Miralles desviou de calcanhar. Pouco depois, ele foi expulso e o América reacendeu no jogo. Porém, não conseguiu marcar o gol da vitória.

JOGO INESQUECÍVEL

Santos e Flamengo fizeram um jogo de muitos gols, de belos lances e de atuações notáveis, principalmente de Ronaldinho Gaúcho, que desequilibrou em favor do rubro-negro. No primeiro tempo, Neymar desequilibrou e o Santos fez 3 a 0. Não é mentira não: 3 a 0. Começou a reação espetacular do Flamengo e ficou com a vitória por 5 a 4, três gols de Ronaldinho. Gols maravilhosos que vocês, com certeza, já curtiram aí na televisão. Gaúcho agora é o artilheiro com 8 gols.
Outro jogaço: Coritiba 3 x São Paulo 4. Um dos gols paulistas teve grande momento do menino Lucas. A 12ª rodada, nessa quarta-feira foi de enlouquecer.

terça-feira, 26 de julho de 2011

EM TRÊS FRENTES, MINEIROS ATACAM DE NOVO



E devem atacar no sentido literal da expressão. O Coelho de Antônio Lopes talvez com menor apetite, visto que tem o mais dramático dos compromissos: visita o Grêmio no Estádio Olímpico. O Galo recebe no Ipatingão outro carioca, o Fluminense, campeão brasileiro. A primeira visita carioca que teve na sua nova casa, Ipatingão, foi indigesta: a derrota para o Vasco e para a arbitragem.
Na boca do G-4 do Mal, a turma de Dorival Júnior não deve pensar em nenhum outro resultado que não seja a vitória sob pena de mergulhar, mais profundo, numa crise maior.
O objetivo do Cruzeiro é mais salutar: manter a boa fase de Joel Santana (seis jogos, cinco vitórias e uma derrota) e alcançar o G-4 do Bem. De moral alto, após vencer o líder Corinthians, no Pacaembu, a expectativa muda bastante: os azuis fazem seu segundo jogo seguido fora de casa, e contra adversário desesperado, o Atlético Goianiense.
A Trincheira lembra que este desesperado goiano esteve na última rodada no Morumbi e arrancou o empate de 2 a 2 na estreia de Adilson Batista como técnico do São Paulo. Ou seja, pra conseguir a sexta vitória no Brasileiro, o Cruzeiro terá que manter a rotação do seu motor lá em cima. Montillo, inclusive, numa entrevista alertou aos companheiros pra não deixarem a pegada diminuir.
Joel terá problema (sic) com a expulsão de Gilberto. Na sua posição de pitaqueiro, este filho do Sodico entende que não é problema algum. É solução. Gilberto atua na lateral esquerda com visível constrangimento, não rende nada e prejudica a equipe como aconteceu em São Paulo, com a sua expulsão num momento cruel do jogo.
Leandro Guerreiro, livre da suspensão do terceiro cartão, retorna. Ótimo! Ninguém como ele no elenco celeste faz melhor aquela função de terceiro zagueiro. Por enquanto, o técnico terá de resolver somente a possibilidade de não contar com Everton que foi excelente volante na última partida e seria mantido na equipe, mas como lateral esquerdo. Saiu lesionado contra o Corinthians.
Aliás, ainda sobre esta partida do Pacaembu, o comentarista de arbitragem da TV Globo Minas, Márcio Rezende de Freitas, caiu do cavalo: só ele não viu o pênalti em favor do Cruzeiro. A suspeita Comissão Nacional de Arbitragem viu e puniu o gauchão Leandro Vuaden com uma rodada fora da escala. Punição de araque, claro; contudo serve pra mostrar que o pênalti, realmente, foi escandaloso. Bem que o narrador Rogério Correia alertou ao seu comentarista de arbitragem que ele - Rogério - marcaria a penalidade.
Atlético-GO x Cruzeiro, desta quarta-feira, no Serra Dourada, em Goiânia, terá apito do paulista Cleber Welington Abade. Também, nada de extraordinário.
Se Ernesto Farias e seu procurador Gustavo Arribas pensam que estão mais perto do Independiente de Avellaneda tirem seus cavalinhos da chuva. Acertaram com o clube argentino, mas falta a palavra final do Senador. As opções de saída que oferecem ao Cruzeiro nenhuma agrada ao cartola celeste.
Senador declarou que esse foi o pior negócio que fez no Cruzeiro: trocar o jovem zagueiro Maicon pelo veterano atacante Farias. Um custava R$ 2 mil e o outro veio por R$ 200 mil mensais.
Farías jogou 16 partidas no Brasileirão do ano passado. Marcou apenas três gols e recebeu dois cartões amarelos. O primeiro semestre desse ano não mostrou nada de novo: disputou dez partidas, três como titular, marcou três gols, deu quatro assistências e recebeu dois cartões. No total, ele fez 26 jogos, marcou seis gols.



As torres gêmeas desabaram contra o Vasco. Impossível imaginar que aqueles dois espigões levassem gols de cabeça de um atacante preguiçoso como Diego Souza. Levaram. E mais: levaram cartões que os tiraram do jogo desta quarta contra o Fluminense. Aí, Dorival correu atrás de Werley e Luiz Eduardo que haviam ficado em Beagá. Por causa, também, da suspensão automática de Serginho teve que convocar Geovani Augusto, outro que não entra mais nem na relação dos jogos.
O maior sinal de desespero do treinador, no entanto, é a convocação do atacante André. Chii, gente, este também não estava com a delegação em Ipatinga. Afinal, foi contratado na semana passada. Será que ele conhece os demais companheiros?
A diretoria do Galo, como “presente” pelas reclamações feitas contra a arbitragem da derrota para o Vasco ganhou a escalação de Wilton Pereira Sampaio, do Distrito Federal. Este é um “daqueles famosos quem?”
Com as suspensões de Réver e Leonardo Silva, os zagueiros Werley e Lima deverão jogar. Nesta temporada, os zagueiros não atuaram em nenhuma ocasião. Apesar disso, Werley está confiante de que a dupla renderá bons frutos ao Galo, já que, nos treinamentos, eles sempre atuam juntos na equipe reserva.
Werley e Lima parecem-me confiáveis para a missão de segurar Fred e cia. Treinam há um bom tempo juntos, no ano passado também jogaram Réver esteve na Seleção e Léo Silva nem estava registrado. Werley e Lima formaram a zaga do Galo em cinco ocasiões: três vezes e duas derrotas. No esquema com três zagueiros, eles estiveram juntos em outras seis partidas, com três derrotas, duas vitórias e um empate. (Foto de Marcos Michelim EM/DA Press)


O primeiro reforço do Coelho deixou Antônio Lopes sorridente: o atacante André Dias, que esteve este ano na Toca da Raposa. Teve várias oportunidades na era Cuca. Centro-avante é o que não falta ao América – Fábio Júnior, Alessandro, Eliandro, Kempes, e por aí vai. A pergunta é: a prioridade seria outro atacante? Lopes fez várias alterações na equipe contra o Figueirense. Faltou o gol. O time rendeu melhor com a presença dos jovens talentos, porém errou nas finalizações com os experientes.
O Coelho entra no Olímpico, em Porto Alegre, contra o Grêmio, na mesma situação que o Cruzeiro foi a campo diante do Corinthians. Sem a mínima esperança da torcida que uma vitória acontecesse. E aconteceu. Quem sabe os deuses do futebol nesta quarta estejam torcedor junto com a Acoelhada... (Foto Jorge Gontijo Em/DA Press)

domingo, 24 de julho de 2011

TREM AZUL ATROPELA TIMÃO E JUIZ GAÚCHO



O esquema tático que o Cruzeiro mostrou diante do Corinthians, no Pacaembu, é o que mais me agrada. Especificamente nessa partida, a falta de outro volante de marcação – Leandro Guerreiro – de dois alas com força ofensiva e retorno imediato evitou resultado melhor. Nada a criticar, portanto, se Joel Santana exagerou na dose com três canhotos no meio e Gilberto visivelmente desinteressado e fora do jogo. Até porque, Roger e Everton jogaram o tempo todo pra ele.
Walter Montillo, também, demorou a entrar no ritmo ideal, como falso atacante e servidor de Walyson. Sem abandonar a responsabilidade de anular o volante adversário. Abriu mal do individual e apareceu bem no conjunto.
A substituição de Vitor por Ortigoza foi planejada, e mal executada pelo jogador. Entrou e não fez nada, a não ser correr alopradamente. Atentem pra melhoria do esquema na próxima partida contra o Atlético Goianiense, no Serra Dourada. Pena que Eder saiu machucado e não sei se volta a tempo. Gilberto está fora, suspenso, e talvez dê para Diego Renan.
Possibilidade para Joel Santana escalar Guerreiro, Fabrício e Paraná. Vitor, que teve uma melhora considerável no Pacaembu e Diego Renan; Roger, Montillo e Walyson para o ataque.
Aliás, é deslustrar desnecessariamente a beleza do gol de Walyson ao afirmar que ele foi sem querer. Revejam o lance. Antes de chutar, Waly olhou a posição de Renan e bateu por baixo da bola, sem muita força. Colocada. Pra encobrir o goleiro corintiano. Gol de talento.
O tal gaúcho Vuaden lapidou a tentativa corintiana de furar o bloqueio azul através de faltas inexistentes, cartões exagerados e pênalti não marcado. Sem falar no impedimento anotado, inexistente, em lance que Montillo sairia na frente do goleiro Renan.
A expulsão de Gilberto no meio da fase final, eu culpo o atleta, o treinador, e a divido com o critério duvidoso das arbitragens tupiniquins.
Gilberto estava amarelado e apagado. Devia ter saído. Foi deixado em campo e levou o segundo cartão. Expulsão. Tudo certo! E os corintianos amarelados que não tiveram o mesmo destino?
O maior auxiliar do árbitro Leandro Vuadem foi o zagueiro Leandro Castán, ex-Atlético, dispensado daqui por incompetência técnica. Apitou o jogo! Entrou duro, encarou Gilberto e Montillo, desentendeu-se com o argentino; Ambos levaram seus amarelos.
Minutos depois, Fabrício saía jogando pela lateral direita e foi derrubado por Castán. O apitador Vuadem afinou, pois o corintiano já estava amarelo. O pior: Castán deu um tapa no rosto de Fábio - na realidade, de novo, São Fábio – e o trio de arbitragem fez que não viu nada.

JUIZ DERRUBA GALO NO IPATINGÃO



Não posso comentar nem uma linha sobre o empate (0 a 0) do Coelho com o Figueirense. No sábado, eu participava do 13° Encontro Pontes de Assis em memória à tia Anita – irmã de dona Geralda. Se viva, faria 100 anos. Revi familiares, primos, agregados e um monte de gente amiga que não via há anos. O Encontro foi no Sesi Betim. Um belo local. Uma farra familiar inesquecível.
No domingo já me encontrava no barraco do morro da Abre Campo. Pude, então, acompanhar o rasgo que as arbitragens da dona CBF fazem a cada rodada nos times mineiros.
O Cruzeiro chiou pouco porque venceu.
O Galo cocoricou às alturas e com razão. Até pênalti fora da área o juiz deu. Num outro lance casual de braço na bola do Rever, ele marcou o primeiro pênalti, defendido por Geovanni. A falta de critério é tanta, que em São Paulo existiu lance bem pior na zaga corintiana e o juiz mandou tocar.
O paranaense Edivaldo Elias da Silva, que nunca vi mais gordo, caso não estivesse mal intencionado, teria de ser taxado de incompetente. Fraco. Sem condições de trabalhar em jogos da Série A. O de São Paulo, velho conhecido, rotulado de árbitro duro, que apita poucas faltas e deixa o jogo correr, parecia meu tio Carlito, saudoso marido de tia Anita, de tanto que soprava o apito.
Meu tio apitava na hora certa, o gaúcho apitava só para um lado. Verdadeiro guarda-roupa, três metros de altura, cinco de largura e oito de fundura, intimidava todos os azuis.
Eduardo Maluf promete juntar vários recortes e vídeos pra levar ao diretor de árbitros da CBF Sérgio Correa. Sei lá se resolverá alguma coisa. O melhor é reforçar o time, conversar com o técnico Dorival Júnior, cortar mais na carne, e exigir respeito.
Aí Maluf morde e assopra: diz que contra o Vasco o time não foi bem; mostrou luta, vontade, porém esteve mal tecnicamente. Admitiu que a fase não é das melhores. Tais circunstâncias não credenciam qualquer juiz a esculhambar o terreiro do Galo.
O Vasco de Ricardo Gomes teve uma estratégia bem definida. Segurar o Atlético, enervar a torcida alvinegra que lotava o Ipatingão, e contra-atacar. Deu certo. No sufoco, os cariocas abriram a contagem aos 17m numa cabeçada do ex-atleticano Diego Souza. A intenção passou a ser segurar os mineiros até o intervalo. Deu não. Aos 40m, Magno Alves recebeu sozinho na área e empatou.
Rapaz, no segundo tempo o juiz e o Vasco voltaram encafifados. Diego Souza meteu uma bola na trave de Geovanni. Caprichosa, a danada quicou em cima da linha. Dorival trocou Jonathas Obina e Daniel Carvalho por Neto Berola e Mancini. Nada adiantou. Aos 21m, pênalti de Rever. A bola bateu-lhe no braço, quase entrou e o soprador de apito deu pênalti. Alecsandro bateu e Geovanni fez grande defesa.
Essa defesa de Geovanni tocou lenha na fogueira. O Vasco era melhor e tratou de jogar água na fervura com ajuda do apitador. Leonardo Silva fez falta em Bernardo, aos 46m, fora da área. O paranaense deu pênalti que Diego Souza transformou em 2 a 1 para o Vasco. Ponto final. Amanhã, a choradeira prossegue. (foto de Marcos Michelin - EM/DA Press)

URUGUAI, O MELHOR DA AMÉRICA



O que se esperava aconteceu: o Uruguai campeão da Copa América arrasou com o inexpressivo Paraguai, rei dos empates, por 3 a 0, numa jornada inspirada da dupla Luis Suárez e Diego Forlan, no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, que se preparou pra sediar a final provável entre brasileiros x argentinos. O caneco foi levantado pelo ex-sãopaulino Lugano. Agora a Celeste tem 15 conquistas da Copa América.
Com dois gols na partida, Forlán, se tornou o maior artilheiro da história do país com 31 gols ao lado de Scarone. Igualou o feito do pai e do avô: o jogador é neto de Juan Carlos Corazzo, campeão da Copa América como técnico em 1959, e filho de Pablo Forlán, vencedor como atleta em 1967. O Peru ficou com o terceiro lugar: goleou a Venezuela por 4 a 1 no sábado.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

VAMOS TORCER E REZAR, MINHA GENTE.



A partir deste sábado, convém que a gente se ajoelhe aos pés da santa – ou do santo – de devoção, de preferência sob dois caroços de milho ou feijão para aumentar o sacrifício. O horário fica a critério de cada um. A décima primeira rodada pra nós começa às seis e meia com América x Figueirense, na Arena do Jacaré. O Coelho de Antônio Lopes vem de uma tamancada estonteante por 4 a 0 do Ceará em Fortaleza. O Delegado promete virar tudo contra o Figueira, de ponta a cabeça. Fará 8 mudanças, além da parte tática, pois usará o 3-5-2. Apenas 3 do time que apanhou de goleada em Fortaleza permanecem: Marcos Rocha, Leandro Ferreira e Rodriguinho. Até achar uma equipe ideal o treinador mudará pra ver se salva no Brasileiro da Série A. Ave Maria, cheia de graças...
Acompanham o Coelho no mesmo dia Atlético `Paranaense x Botafogo, São Paulo x Atlético Goianiense e às nove da noite, Flamengo x Ceará. Ou seja, tem jogos de capengas (América, Atléticos,) da turma do meio (Figueirense, Botafogo e Ceará, e da ponta (São Paulo e Flamengo). Quem acha que precisa recorrer à ajuda divina não se envergonhe.
No domingo, os jogos serão às quatro da tarde. Quem quiser torcer contra o largo do Paraguai, aproveite os canais Sportv. Nos demais possíveis, reze bastante no jogo Corinthians, líder invicto, com 28 pontos, 94% de aproveitamento, contra o instável Cruzeiro sem reforços do Senador. Aqui, no caso, apenas oração ajudará. No meio da semana, o Timão atropelou o Botafogo em São Januário, no Rio, por 2 a 0. O Senhor é convosco...
O Galo muda de terreiro pra ver se a sorte vai junto e o azar fica na Arena do Jacaré. Mais forte, com a volta de Richarlyson, o time enfrenta o calor de Ipatinga, no agora chamado Lamegão, e o Vasco da Gama.Certamente os 16 mil ingressos colocados à venda irão embora. Os dois times têm boa torcida no Vale do Aço e região. Bendita sois vós... Jogam, também, no mesmo dia: Fluminense x Palmeiras, no Rio; Bahia x Coritiba Pra estes não joguem orações fora!!!


O presidente do Ceará, Evandro Leitão, tá bicanca da vida com Thiago Neves, que admitiu ter forçado o terceiro cartão amarelo na partida contra o Palmeiras pra não jogar contra o Ceará. Alegou que, não se trata de adversário tão forte quanto os que o Flamengo enfrentará na frente: Santos, Grêmio e Cruzeiro. O dirigente nortista respondeu que Thiago anda mal com a bola nos pés e, principalmente, da cabeça pois já se esqueceu que o Ceará eliminou o Flamengo da Copa do Brasil, recentemente.

Kléber se defendeu



Defendeu o imponderável, pois tudo foi mostrado pela tevê. Disse ele que deu a chance de os rubro-negros devolverem a bola , cuja posse seria do Palmeiras. Falou mais:
- A bola era de quem? Do Flamengo por que o Júnior César caiu? Se eles quisessem colocar para fora, chutariam. Não preciso devolver, eles que tinham de devolver. Continuei porque para mim a bola era nossa. Dei a chance de chutarem para fora, mas eles seguraram o jogo o tempo todo. A bola ia ficar no chão e ninguém faria nada. Peguei a bola e fui para o gol
- Foi nítida e clara minha reação quando a bola ficou no chão. Pedi para jogarem fora, por que não jogaram? Porque isso era bom para eles, ia acabar o tempo. Isso é fair play? O lance foi parado pelo jogador deles, o mínimo que deveriam fazer era chutar para fora - Claro, também, ficou: este é outro jogador que precisa urgente de tratamento da cabeça. Psiquiatra nele, Palmeiras.
Após o jogo, os jogadores do Flamengo criticaram Kléber por conta da atitude. O atacante respondeu e também fez críticas aos adversários.
Bem interessante o que Kleber avaliou ainda: - Se eu faço o gol, talvez estaríamos brigando lá até agora. Não é questão de ser legal ou não. É legal o árbitro falar que falta bate no apito e o cara não espera? É legal chutar com o lance parado por cima do Marcos para ganhar tempo?
Foi pênalti em mim e, se é fair play, ele tem de ir lá e falar que fez a falta. Mas não, foi pedir cartão para mim. Aí eu não tenho fair play? Não vi fair play deles. O árbitro deveria ter falado para alguém chutar a bola fora.Achei que precisávamos ganhar e fui para o gol. Eles fizeram cera o jogo inteiro - esbravejou. Kleber.
Nessa hora, quando ele começa a babar, o melhor que todos fazem é sair de perto. Ele se transforma no Gladiador.

CIELO VENCEU ATÉ A DESCONFIANÇA NACIONAL




Uma coisa incomoda mais o brasileiro. O sucesso alheio. Enquanto ele acontece nas competições a gente se emociona ao ouvir o locutor anunciar “Brasil”, com eco e tudo mais e chora na execução do Hino Nacional e quando a Bandeira sobe. Depois, qualquer escorregão do ídolo, pau nele.
É pinguço, cheirador, traficante, consumidor, usuário de doping. Vejam o caso de César Cielo, campeoníssimo nas piscinas, o homem mais rápido do mundo, mas foi pego num exame anti-doping porque usou sob recomendação médica uma pomada pra inflamação nos olhos. A imprense tupiniquim, sempre atenta à desgraça alheia, caiu em cima. Pré- julgou. A Justiça, a contragosto do pessoal, no entanto, absolveu Cielo.
O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, em inglês) confirmou que o César Cielo não será suspenso pelo seu doping por furosemida anunciado no início deste mês. Após o julgamento. a entidade confirmou apenas a advertência que já havia aplicado o Tribunal aquático tupiniquim. Assim, o principal nadador do elenco brasileiro tá liberado pra a disputa do Mundial de Xangai pra tristeza da turma “seca pimenteira”.
Cielo e os outros três nadadores flagrados no doping (Nicholas dos Santos, Henrique Barbosa e Vinícius Waked) tiveram a sanção mantida pelo TAS mesmo após o pedido da Federação Internacional de Natação (FINA) de uma nova análise da decisão da CBDA.
Os três primeiros atletas seguem, então, com a possibilidade de disputa do Mundial de em Xangai, além do Pan-americano de Guadalajara, em outubro, e podem disputar uma vaga nos Jogos Olímpicos de Londres-2012. Vinicius Waked, no entanto, é reincidente no doping e ficará suspenso por um ano.
Mesmo com a decisão, os nadadores perderam os resultados conquistados no Troféu Maria Lenk, em maio, quando foram testados no antidoping que os flagrou por Furosemida, substância que pode mascarar o uso de outras ilegais - fator pelo qual é proibida pela Agência Mundial Antidoping

quinta-feira, 21 de julho de 2011

PARAGUAI LARGO DECIDE COM URGUAI COPA AMÉRICA

Nos tempos do velho Hotel Anselmo, na rua Raul Soares, 241, em Caratinga, as rodadas de buraco, sem valer – diga-se de passagem por ordem da matriarca dona Geralda – vários hospedes assumiram as expressões criadas pelo meu pai Sodico. Uma delas, quando o sujeito estava coberto de sorte, ele dizia: “ô, cara, você tá largo. Dormiu com o jumento do Artur Corrêa?” Este era um fazendeiro da região famoso por seu jumento rombudo e reprodutor.
Esta Seleção do Paraguai, sem dúvida, dormiu com o jumento do Artur Corrêa! Como consegue um time chegar às finais de uma competição que mistura pontos corridos com mata-mata apenas empatando. O Paraguai empatou três vezes na fase de classificação – Venezuela, Equador e Brasil. Exceto no último, que arrancamos o empate no finalzinho – lembram-se o gol de Fred? – nos demais mereceu perder.
Voltamos a encontrar-nos nas quartas-de-final e foi aquele zebrona misturada com um show de incompetência nas cobranças dos penais. No tempo normal, o Brasil fez a melhor apresentação no comando de Mano Meneses, mas a bola bateu na trave, erramos gols incríveis. Nos penais, chutamos mal os quatro primeiros pênaltis. Paraguai ganhou da gente por 2 a 0. Isso mesmo: 2 a 0 numa decisão em pênaltis!
Enquanto o Uruguai liquidava a pretensa zebra Peru por 2 a 0 nas semifinais, o Paraguai tomava um banho e bola da Venezuela. Levou três bolas na trave e o goleiro Just Villar fez defesas sensacionais. Aos 29m do segundo tempo, os guaranis ainda tiveram um atleta expulso. Ficou fácil? Que nada! Seguraram o 0 a 0 até os penais.Aí a Venezuela perdeu um e eles marcaram todos.
Final da Copa América: o merecido Uruguaio contra o inexplicavelmente largo Paraguai.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Charge do Edra

www.chargesdoedra.blogspot.com

terça-feira, 19 de julho de 2011

APESAR DE SUSPENSO KALIL NÃO ESTÁ SURDO. FOI OUVIR A MASSA NA PORTA DA SEDE

o FATO, ALÉM DE INUSITADO, confirmou a importância da TV Alterosa no futebol mineiro. A sua cobertura diária bate de uns 30 a zero na global, dona dos direitos de transmissão, porém cega na cobertura completa dos times mineiros. O protesto de torcedores do Atlético na sede do clube, no começo desta noite, mostrou o Kalil de verdade. Suspensom pelo STJD nao quis anunciar a contratação de André, mas não ficou surdo e indiferente aos protestos da torcida. Justos por sinal.
Kalil desceu à porta da sede e deu explicações aos torcedores. A TV Alterosa acompanhou tudo, ao vivo. Belo trabalho de reportagem. Kalil falou à turma que não podia dar entrevista porque estava suspenso, mas nada o impedia de falar aos torcedores. “O que a gente pode fazer é arrumar o Atlético, entregar o Atlético melhor. Está muito no início. Temos de ter muito cuidado, porque enquanto os outros estão vendendo, nós estamos comprando”, afirmou.
Questionado sobre as contratações que não deram resultado e a queda do time na tabela do Brasileirão, Kalil disse: “Calma, gente. Há pouco tempo, isso aqui era uma baderna. Hoje não é mais.” (COBERTURA DO SUPERESPORTES E DA TV ALTEROSA)

KALIL SÓ FICA SABENDO DE ANDRÉ...



Alexandre Kalil é tão irônico quanto este filho de Caratinga. Por estar suspenso pelo STJD não quis confirmar a contratação do atacante André, ex-Santos e atualmente no Dínamo de Kiev, é o novo reforço do Galo. Kalil driblou no Tapetão e botou no twitter: " Estou suspenso pelo STJD, mas fiquei sabendo que o André é do Galo".O Atlético teria comprado 20% dos direitos de André por dois milhões de euros. O contrato será de um ano. André nasceu no futebol jogando pela Cabofriense, mas se destacou no Santos com Dorival Júnior e formou no time dos Meninos da Vila campeão paulista e da Copa do Brasil Custou ao Dínamo de Kiev 8 milhões de euros mas não se adaptou ao futebol europeu. Teve emprestado, também, ao Bordeaux da França.
Interessante é que na porta da sede de Lourdes uma turma de torcedores fazia manifestação contra a diretoria e o Presidente. Mas qual? Kalil suspenso não podia ouvir os xingamentos. Seu vice? Quem, o gente fina Rodolfo Gropen?

TRÊS TIMES DO G-4 PARTICIPAM DO FECHAMENTO DA RODADA

A décima rodada do Campeonato Brasileiro terá fechamento de ouro nesta quarta-feira, data em que a Rede Globo havia reservado para a Seleção Brasileira nas semifinais da Copa América. Quebrou a cara! Ou coloca no ar ao vivo Paraguai e Venezuela, ou escolhe um dos jogos mais quentes do Brasileiro. E bota quente nisso!

Além do líder invicto Corinthians, que tem 25 pontos, a rodada envolve outros grandes do G-4. O Timão estará no Rio de Janeiro, e enfrenta o Botafogo, 6º, com 16 pontos, no Engenhão.

Dois outros frequentadores do G-4, Palmeiras, 4º, 18 pontos, e Flamengo, 3º, 19, cruzam os bigodes em São Paulo. Os rubro-negros defendem, também, a invencibilidade na competição.

Exceto Figueirense, 10º, 14 p. e Grêmio, 13º, 11, marcado pra Florianópolis, qualquer dos dois jogos restantes que a Poderosa decidir mandar aqui pro quintal, agradeço.

Caso contrário, eu recorrerei mesmo à Brasiltvs.com; afinal, tenho dito sempre: do meu bolso não sai o “pagar-pra-ver” de jeito nenhum.

Caiu Paulo Roberto Falcão! Os dois maiores ídolos na história moderna dos times gaúchos, não resistiram às pressões das derrotas. Outro dia, foi Renato Portaluppi, dispensado pelo Grêmio.

Renato empregou-se logo em seguida no Atlético Paranaense. Outra grande gelada. Lanterna do Brasileiro. Falcão perdeu o emprego após a derrota (3 a 0) do Inter para o São Paulo, na Beira Rio. Galvão Bueno o aceitará de volta à Rede Globo?

Entenda este futebol de malucos: na era Cuca o jovem Anselmo Ramon era uma esperança e Reis um encostado. Com Joel, o primeiro foi encostado e Reis entrou até no banco de reservas.

A goleada que o Coelho levou do Ceará, em Fortaleza (4 a 0) serviu apenas para Antônio Lopes, com aquela habitual franqueza, esculhambar tudo: o time é falho na defesa, nada criativo no meio-campo e lento nos contra-ataques. E selou de vez: não tem preparo físico. O Mauro Fernandes fez o que então?

Dorival Júnior tem fé na recuperação de Felippe Souto já para o jogo contra o Vasco, em Ipatinga. O risco é enorme. O jovem atleta esteve bom tempo entregue ao DM. Melhor mesmo é contentar-se apenas com a volta de Richarlyson.

Dudu veio aqui, entrou tarde contra o Bahia, mas deixou no campo seu recado para Joel Santana: tem lugar naquele time medroso. Sem Leandro Guerreiro, suspenso, Joel está ouriçado: como escalar o Cruzeiro, domingo, contra o líder Timão?

De volta ao assunto Dudu: ele se reapresentou à Seleção Brasileira Sub-20 , na Granja Comary, em Teresópolis-RJ, na preparação para o Mundial Sub-20, a ser disputado na Colômbia, entre 29 de julho e 20 de agosto. Infelizmente, Dudu não enfrentará o Corinthians, Atlético-GO, Botafogo, Flamengo, Internacional, Avaí, Atlético-PR, Ceará. Outro desfalque: o goleiro Gabriel, terceiro reserva do Cruzeiro, é titular da Seleção de Ney Franco. Douglas assumirá a condição de terceiro goleiro.

O Brasil sub-20 estará no Grupo E do Mundial, junto com a Áustria, Panamá e Egito.

Sobre a Seleção Sub-20, comandada pelo vitorioso caratinguense Ney Franco, fiquei feliz da vida ao ver uma foto de treino na Granja Comary onde apareciam Ney e o seu auxiliar Eder Bastos, o Eder Bombinha. Gente da melhor qualidade!

Eder foi revelado no Cruzeiro e surgiu como grande esperança no meio-campo. Bombinha por causa do apelido do famoso Eder Bomba Aleixo que estava à época no Cruzeiro. A falta de paciência eterna dos treinadores que passam pela Toca da Raposa desestimulou Bombinha que achou melhor tocar a vida fora de lá. Que bom que esteja com o mestre Ney!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

CNN CHAMA CORINTHIANS DE TIME PEQUENO


Não falem bem da CNN – a rede americana de notícias – perto de um corintiano qualquer. Li na coluna virtual Pombo sem Asa que a rede chamou o Corinthians de ‘pequeno clube de São Paulo’ ao abordar a negociação envolvendo muitas cifras para contratar Tevez, do Manchester City. Diz a reportagem: “Você ficará surpreso ao saber quem está tentando comprar Tevez. Não são sheiks ou oligarcas, mas um pequeno clube de São Paulo, Brasil – Corinthians. Eles estão oferecendo US $ 55 milhões para comprar esse superstar da bola. E isso é apenas a taxa de transferência”.

A reportagem aborda o caso Tevez ao falar sobre o crescimento econômico do Brasil, atribuindo a melhora nas estatísticas ao ex-presidente Lula. “Todo o continente olha para o Brasil como um modelo para o crescimento”, escreve a CNN, que ainda lembra a realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 no país.

Que me desculpe a torcida do Timão, a segunda maior do País, mas que é divertido é. Dá para o pessoa da mídia paulista saber bem como sofrem seus colegas aqui do quintal.

Paulo Roberto Falcão vestiu uma camisa vermelha pra se despedir do Inter. Ou para dizer “até mais”. Muito magoado, muito emocionado, lutando contras as lágrimas, sentindo na pele uma das maiores decepções de sua vida, o ex-treinador colorado deixa o Beira-Rio convicto de que um dia voltará. Até lá, tentará controlar o coração que, como disse ele, “está sangrando; o tamanho da frustração é maior do que a Beira-Rio. Esperava que as coisas fossem um pouquinho diferentes.) A frustração é enorme”. (Globo.com).

NOVO ADILSON NO SÃO PAULO


Se Adilson Batista garantiu à imprensa paulista que os seus últimos fracassos como treinador o levaram a rever antiquados conceitos, principalmente no trato com a mídia, não há porque duvidar dele.E torcer por ele. Por parte da Trincheira foi feito o que podia e não podia pelo sucesso dele nos últimos meses na Toca da Raposa. Adilson assume o São Paulo humilde em demasia.

Primeiro: seu contrato é até dezembro, bem menor que os dos antecessores Murici, Ricardo Gomes e Carpeggiani. Segundo: ganhará R$ 180 mil mensais, bem menos que os referidos treinadores que o antecederam.Terceiro: apenas se conseguir levar o São Paulo, no mínimo, à uma vaga na Libertadores, Adilson receberá contrato novo com aumento substancial, digno de sua competência.

Adilson foi metralhado pelos repórteres e respondeu a todos sem perder a paciência. Afirmou que não está incomodado com a duração pequena do contrato. Disse que está maduro, consciente e tranquilo.

Eu melhorei e vocês vão perceber isso no dia a dia” frisou Adilson. Tomara!

Choveram perguntas sobre seus fracassos consecutivos no Corinthians, Santos e Atlético-PR. Adilson, sem perder a compostura, e mostrou serenidade, se defendeu, lembrando que foi o sucesso no Cruzeiro em jogos contra o São Paulo que o credenciou a ser bancado agora pela diretoria do Morumbi.

Afirmou: “Foram três trabalhos em nove meses. Antes era um excelente trabalho no Cruzeiro. Naquela época tinha grandes jogos contra o São Paulo e é por isso que aqui estou. São turbulências, provações da vida, mas às vezes Deus está reservando algo melhor ali na frente e eu estou acreditando nisso”.

domingo, 17 de julho de 2011

CRUZEIRO TEM QUE SER MAIOR CONTRA TIMÃO


O futebol de péssima qualidade que usou pra vencer o Bahia (2 a 1), sob enorme sufoco no segundo tempo, nem os erros do técnico Joel Santana na escalação e nas alterações podem se repetir no próximo compromisso diante do líder invicto Corinthians, no Pacaembu, no meio da semana. O pior é que Joel não terá tempo pra consultar sua prancheta e fazer a necessária auto-análise dos erros que cometeu.

A intenção no intervalo ao trocar Vitor por Roger foi boa na prancheta. Na prática, estava claro que a saída de Marquinhos Paraná do meio, sua passagem pra lateral direita, seria mau negócio. Pior fez ao tirar Ortigoza e colocar Everton. Provocou o Bahia pra abrir aos contra-ataques e por pouco não leva o empate final. Acertou ao tirar Gilberto e colocar Dudu. Em sua primeira jogada o garoto criou fuzê pela direita e assistiu Walyson que quase fez seu terceiro gol na partida.

Não sou fã de esquema com dois centroavantes, nem dois velocistas. Muito menos com excesso de meias armadores canhotos. Ou Gilberto ou Roger, os dois juntos não dá. Um deles com Montillo vai bem. Melhor ainda: um deles com Dudu e Montillo.

Com certeza, direis: não foi melhor vencer? A quarta vitória com Joel Santana. Sem dúvida, todavia o resultado positivo não elimina o fato de que o Cruzeiro esteve longe do caminho que busca, como um time grande, no Brasileiro.

Os azuis deram grande salta com os 2 a 1 sobre o Bahia: chegou aos 15 pontos e subiu de 10º para o 7º lugar.

O atacante Reis, outro dos afastados por Cuca pra treinar separado, foi perdoado por Joel Santana e ficou no banco. Por que não Ernesto Farias que ganha R$ 200 mil mensais, tem vários convites da Argentina – seu país – e do Uruguai, mas os interessados querem que o Cruzeiro banque 70% dos salários.
Visto que Brandão caiu em desgraça e será dispensado não seria melhor deixar o Joel aproveitar Ernesto Farias? Garanto que melhor do que o atrapalhado Ortigoza ele é.

A Trincheira alertou que a estreia de Antônio Lopes em Fortaleza poderia redundar num péssimo começo. Não adianta nada lamentar ou criticar o veterano técnico por fazer mudanças no time, implantando logo sua maneira de ver um time desesperado. Não existe tempo pra Lopes preparar nada. No meio de semana, o Coelho joga em casa contra o indigesto Figueirense. Na Arena do Jacaré.

Ainda chorando a derrota na Vila Belmiro (2 a 1) para o mistão do Peixe, no sábado, o Galo para pra pensar nas duas partidas seguidas que fará no Ipatingão: contra o Vasco e depois contra o Fluminense. Duas boas chances pra Dorival Junior colocar ordem na casa que caiu após a sensação de recuperação diante do América.

Que o Galo se cuide bem, arrume a casa dentro dos conformes, pois em seguida aos jogos de Ipatinga fará uma mini-excursão por São Paulo e Rio Grande do Sul. Enfrentará o Palmeiras e o Grêmio.

Até agora, em cinco jogos disputados em casa, o Atlético venceu dois, empatou um e perdeu outros dois. Tem um aproveitamento de 46,67%. Pouco pra quem investiu tanto no Campeonato Brasileiro.(Foto de Jorge Gontijo - EM DA Press)

URUGUAI, PERU, VENEZUELA E PARAGUAI FARÃO A FESTA DA COPA AMÉRICA





Queria estar em Buenos Aires só pra ver a alegria dos hermanos após a vexatória eliminação do Brasil pelo Paraguai. Claro que a saída deles, também, foi horrorosa. Era o mais forte candidato ao título da Copa América. Porém, eles têm a desculpa de que perderam um clássico contra a fortíssima seleção uruguaia, provável campeã do torneio.
O Brasil tem suas desculpas: jogou bem pela primeira vez na competição e teve os deuses do futebol contra ele. A bola não quis entrar. Por fim, os deuses nos castigaram daquela forma: nunca uma seleção nacional deu vexame igual de perder quatro pênaltis numa decisão. Mais feio: três chutados pra longe do gol e outro rolado de presente para o goleiro adversário.
A Trincheira tem a sua justificativa: o Paraguai jogou sujo. Enquanto o time de Mano tinha apenas um Ganso, e um Pato, os paraguaios no segundo tempo colocaram MARECOS em campo. Venceram pela quantidade.
Foi a copa de outro bicho, a Zebra. A Venezuela, também, despachou outra Seleção importante com a vitória por 2 a 1 em cima do Chile. Os venezuelanos enfrentarão os nossos carrascos paraguaios nesta quarta-feira em Mendoza. Na outra chave jogarão Uruguai e Peru, este tremenda zebra, também. Os vitoriosos farão a final da Copa América no domingo, em Buenos Aires.
Neste domingo consagrado aos quatro pênaltis cobrados por Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred, quero lembrar que em certa coluna, este filho do Sodico escreveu que ninguém havia visto a Seleção de Mano treinar cobranças de penais.
Entretanto, quero homenagear Awana Diab, dos Emirados Árabes, que bateu o pênalti de calcanhar na goleada que sua seleção aplicou por 6 a 2 no amistoso com o Líbano. Justo neste domingo e não houve tempo nem para os brasileiros aprenderem a lição.

sábado, 16 de julho de 2011

ACONTECÊNCIAS DE BASTIDORES

Enquanto a bola rolava neste sábado em torno de Argentina 1 x 1 Uruguai (5 a 4 nos pênaltis), Colômbia 0 x 2 Peru,( na prorrogação) pela Copa América; e mais Coritiba 3 x 1 Fluminense; Vasco 2 x 1 Atlético Paranaense; Atlético Goianiense 0 x Avaí 1; e Santos x Galo, o mercado do futebol andava cheio de novidades. A começar pelas Geraes, onde o Cruzeiro perdeu Henrique para o Santos, negociado pelo “traíra” do seu parceiro investidor.
O goleiro Muslera, do Uruguai, ofuscou as duas estrelas do clássico sul-americano: o argentino Lionel Messi, melhor do mundo; e o uruguaio Diego Forlan, o melhor do Mundial da África. Pelo que pegou durante a partida e depois defender um pênalti na série decisiva, foi, sem dúvida, o herói da classificação celeste.
Pra ajudar o Cruzeiro minimizar a saída de Henrique, o Peixe liberou o volante Charles – lembra-se dele, jogou na Toca ao lado de Ramirez e Wagner? – por empréstimo até o final do ano. Não diminui nada! E o impacto será maior quando Fabrício, ao terminar seu contrato, mudar-se pra nova casa, do outro lado da lagoa.
O Galo foi derrotado pelo mistão do Peixe por 2 a 1 na Vila Belmiro. O comentarista Lélio Metralhadora Gustavo, no comentário final, disse que pelo menos o time não voltou pra zona do rebaixamento, ao que Roberto Abras retrucou, imediatamente, lá debaixo: “Lutar pra não entrar na zona do rebaixamento? Me ajuda aí, Lélio”. O Metralha lutou, enrolou e não ajudou ao Abras. Realmente não tem jeito de ajudar.
A diretoria celeste só desmentiu a anunciada o retorno do atacante Marcelo Moreno por questões salariais. Nem a primeira contratação confirmada, nem a segunda desmentida, me comovem. Só um jogador que saiu da Toca teria todas as minhas emoções: Alex Mágico que preferiu encerrar a vida na Turquia.
O Santos já gasta por conta da negociação de Neymar com o Real Madrid anunciada com pompa pela imprensa espanhola. Contratou Henrique e repatriou Ibson, ex-Flamengo além de Alan Kardec, ex-Vasco, que estava no Benfica de Lisboa.
São dois excelentes reforços de meio-campo. Henrique mais novo e mais cotado, e Ibson mais experiente e de excelente passe. Quanto Alan Kardec, o Peixe fica livre de Keirrison pra trazer Alan. Seis por meia dúzia.
Sem dinheiro, porém com incrível fome de investir, o Flamengo não conseguiu pegar Kleber, por desacordo na sua diretoria, e nem o centroavante André, ex-Santos. Não houve acordo com o time ucraniano dono de seus direitos. Acertou, contudo, a contratação de Alex Silva, becão do São Paulo, irmão de Luizão, ex-Cruzeiro, da Seleção e do Benfica.
O Atlético entrou na negociação de André e ofereceu 3 milhões por 50% dos direitos econômicos do atacante. Seria uma boa trazer este menino.
Outro que se reforçou: o Palmeiras. Segurou Kleber – fez bem ou mal? – e repatriou Henrique, zagueiro que foi seu até 2008, quando o vendeu para o Barcelona. Henrique não se firmou no time catalão e esteve emprestado em vários outros times pequenos da Espanha e da Itália. Não quis continuar na Europa e aceitou a proposta do Palmeiras.
O Palmeiras achou Henrique e o Cruzeiro descobriu
“Goleiro do Cruzeiro pego no antidoping”. Esta manchete de um dos jornais da Capital assustou todo mundo. O bom moço Fábio? Que nada. Era o garoto Rafael, reserva de Fábio e que foi titular no jogo contra o América de Teófilo Otoni, na fase semifinal do Mineiro. E nem doping foi. O rapaz estava com problema nos olhos e usou medicamento indicado pelo oftalmologista sob orientação do dr. Sérgio Freire. Este tipo de coisa só prejudica o rapaz. Ele irá a julgamento mesmo se sabendo que não tem culpa no cartório.
A droga encontrada foi a predinisona e um metabólico dessa droga também. É um corticoide. O uso dessa droga é permitido desde que seja em uso tópico, como pomada, colírio, até mesmo intrarticular. Ele em 18 de abril usou esse medicamento, por uma avaliação oftalmológica, e diagnosticada uma conjuntivite bacteriana, junto com uma blefarite, inflamação da pálpebra, e foi prescrito o medicamento, como o próprio controle de doping permite e autoriza esse uso, conforme informa o Superesportes.
Na última enquete do meu blog foi perguntado: “Você crê que Mano Meneses fica na Seleção até o Mundial?” A) SIM, zero; B) NÃO, 83%; C) TALVEZ – 16%. Santa Maria do Suaçui!
Wilson José – famoso repórter WJ, rei dos furos nos rádios – passa-me a informação: o ex-zagueiro do Atlético, Marcos, ganhou na 33ª Vara do Trabalho, numa ação contra o Galo, cerca R$ 3 milhões. O ex-atleta será aposentado por invalidez. Marcos teve fratura numa vértebra e jogou, ainda, por muito tempo com uma placa na coluna.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

TIMÃO NÃO PARA DE VENCER


Tite ainda não quer nem ouvir falar no assunto, mas o início arrasador abriu caminho para o Corinthians ser o grande favorito a ficar com o título do Campeonato Brasileiro de 2011. Apesar de a competição estar na nona rodada, o Timão precisa obter pouco mais da metade dos pontos das 29 partidas restantes pra ficar com o título. Desde que o Brasileirão passou a ter 20 clubes, em 2006, o campeão obtém em média 73 pontos. Para atingir tal marca. O Corinthians necessita somar 48 dos 87 pontos em disputa até a última rodada. Isso representa somente 55,1% do total. Tarefa não muito complicada para quem tem 92,6% de aproveitamento até o momento.
A pontuação final do campeão pode variar para cima ou para baixo. Em 2006, o São Paulo levantou o título com 78, quantia que vem caindo ano a ano. Nas duas edições seguintes, o Tricolor fez de 77 e 75, respectivamente. Já em 2009, o Flamengo acumulou somente 67, número que subiu um pouco em 2010, com o Fluminense, passando para 71.A quantidade de vitórias dá uma dimensão da campanha alvinegra e do que é necessário fazer até o fim. O Timão conseguiu oito triunfos e, assim, precisaria de mais 16 para atingir os 48 pontos que faltam. Nas edições com 20 clubes, o recorde de resultados positivos é do São Paulo de 2007, com 23. Entretanto, o Flamengo de 2009 foi campeão com somente 19.
Depois de vencer o Internacional por 1 a 0, no Pacaembu, o Corinthians chegou a seis pontos de vantagem sobre o Flamengo, segundo colocado. Até hoje, na era dos pontos corridos, nenhum líder conseguiu tamanha distância em nove rodadas. Na foto, o atacante William comemora seu gol em cima do Inter. (Globo.com)

NEGOCIAÇÕES E FUTEBOL AGITAM FINAL DE SEMANA



Tome logo seu comprimidinho de Rivotril. Bote um copa de chá de camomila por perto. De preferência tira seu cochilo após o almoço. Deixa de lado a costumeira leitura do livro preferido, visto que não terá como se concentrar nele. Neste sábado, às quatro da tarde, escolha pra quem torcer no clássico sul-americano: ou o futebol clássico da Argentina de Lionel Messi ou a raça do Uruguai de Diego Forlan nas quartas de final da Copa América.
Reserva pra noite, a partir das nove horas, as emoções que sua verdadeira paixão promove: o Galo em busca da plena reabilitação e a reconquista do astral elevado visita o Peixe em Neymar, Elano e Ganso no alçapão da Vila Belmiro. Se as suas cores diferem dessas, o Brasileiro ainda reserva neste sábado Coritiba x Fluminense, Vasco x Atlético Paranaense e Atlético Goianiense x Avaí. A CBF resolveu colocar todos os Atléticos jogando no mesmo dia. Que festa!
Ah, na Copa América , como afirmou Lionel Messi depois da goleada sobre Costa Rica:
“Começou uma nova Copa América”. Verdade: os três gigantes acordaram. Espera-se disso que o torneio ganhe a verdadeira expressão. Hoje tem, também, Colômbia x Peru, abrindo as quartas-de-final. Os jogos desta fase são decisivos como numa Copa do Mundo: se houver empate, prorrogação e pênaltis.
Fizeram então, uma pergunta ao técnico Mano Meneses: “Quem cobra pênaltis na Seleção?” Ouviram a seguinte e assustadora resposta: “Não sei, só sei quem não cobra: Neymar”. Que diabo, gente! É o atestado de que se o Paraguai, neste domingo, conseguirem segurar o Brasil até os penais, voltamos pra casa.
Como é do conhecimento geral, goleamos o Equador (4 a 2)e ficamos com o primeiro lugar do Grupo B. Qual foi a vantagem? Nenhuma. O primeiro lugar nos deu de presente o indigesto time guarani. Se houver uma repetição da fase de classificação não sobrará torcedor tupiniquim pra acompanhar a prorrogação e pênaltis. Lembra-se que perdíamos por 2 a l e só empatamos no finalzinho com gol de Fred?
Se passarmos das quartas, espera-nos o vencedor de Chile x Venezuela. O primeiro a gente não enfrentou nesta Copa América. O segundo, antigamente, era conhecido como velho freguês. Atualmente, já nem sei se é ...ou se somos?
A décima rodada do Campeonato Brasileiro está desmembrada. Jogos sábado, domingo e quarta-feira que vem. A mineirada joga no final de semana. Além de Galo x Peixe, neste sábado, a rodada marca Cruzeiro x Bahia, na Arena do Jacaré; Internacional x São Paulo; Ceará x América. Todos às seis e meia, horário de tevê a cabo ou do execrável “pagar pra ver”. Neste domingo, o horário global de futebol, quatro da tarde, será ocupado pelas televisões abertas com Brasil x Paraguai.

TORCIDA CELESTE REVOLTADA, SAI HENRIQUE E FABRÍCIO VAI ATRÁS JÁ,JÁ



Rapaz, eu descobri só agora o lado misterioso de Joel Santana! Não sabia – é a primeira vez que o folclórico treinador trabalha nas Geraes – que também ele é dado às besteiras de treinos secretos. Tudo bem que fosse igual aos outros. Mas não é não. Santana exagera mais. Deixa os repórteres à espera, com os portões da Toca fechados, por quase quatro horas. Uma tremenda sacanagem! Coisa que agrada muito o diretor de comunicação do clube e o Senador presidente. Os dois adoram submeter os profissionais da cobertura diária. Conforme a reação do grupo das informações, os cartolas sabem que mantém submisso ou quem é contra, inimigo então.
Visto que os treinos secretos do Joel Santana esconderam o time, não vou especular. Até porque as notícias fora do time estão mais interessantes. Bastou eu perguntar pelo argentino Ernesto Farías pra ser informado que ele terá o contrato rescindido em breve. Sua permanência não interessa à diretoria e nem à Comissão Técnica. Existe algo estranho aí, sem dúvida!

Sobre Fabrício no Galo, a informação em primeira mão da coluna explodiu na Imprensa feito bomba H. Só o Jogada de Classe e a Turma da 98 deram crédito. Os demais fingiram ignorar a mando do Senador. E estourou, também, a informação da venda de Henrique, coisa que eu anunciei aqui há meses. Ricardo Guimarães faz a festa com o elenco celeste.
Dimas Fonseca informou que o Cruzeiro teve uma proposta indecorosa de um clube uruguaio prontamente recusada. Pela lei, o clube tem que pagar 50% do restante do contrato caso queira sua rescisão. Farias tem R$ 7 milhões a receber que o Cruzeiro não topa pagar. Seu contrato termina em agosto de 2014. Pela metade, o argentino sai.

BMG NEGOCIA HENRIQUE SEM AVISAR CRUZEIRO




Henrique terá igual destino de Jonathan. Foi negociado com o Santos e o Cruzeiro leva uma merreca no negócio, como barriga de aluguel. Os direitos do atleta pertencem ao atleticano Ricardo Guimarães, presidente do grupo BMG. Tal transação esta Trincheira já havia anunciado há meses. Também o zagueiro Gil pertence apenas 20% ao Cruzeiro. O resto é do BMG. Ou seja, o Galo manda e desmanda na Toca.
Por isso, eu passei a informação que alguém ligado ao Atlético me deu: Fabrício está perto de pular para o outro lado da lagoa. A notícia causou reboliço e ninguém que a repercutiu deu crédito a Trincheira. É a falta de ética da imprensa esportiva. Interessante que não houve desmentido, também, a não ser os porta-vozes que o Senador dispõe na Imprensa. Nem Fabrício desmentiu. Apenas sorriu...
Essa é pra rir. Toró ganhou a disputa com Dudu Cearense pela vaga de Richarlyson. Até aí tudo bem. Mas na entrevista coletiva, Toró saiu com essa: “em grande parte, a fase ruim vivida pelo Atlético era fruto da amizade excessiva entre os jogadores. Segundo ele, o fato dos atletas serem muito amigos, impedia cobranças mais acentuadas”.
Já não entendo mais nada. Quando a coisa vai mal, o normal é justificar por meio da falta de liderança do treinador e a desunião do grupo. Esta é nova na praça.
Nos planejamentos feitos por Dorival Júnior, o Galo torna-se mais ofensivo contra o Santos, que terá vários desfalques importantes. O treinador pensa como este filho do Sodico: todo risco compensa uma vitória na Vila Belmiro.
Não adianta nada ao Galo nesse momento ser cauteloso contra o Peixe sem Elano, Ganso e Neymar. Com o devido respeito ao Murici Ramalho, porém o Galo tem de partir pra cima do Peixe como se ele fosse uma apetitosa galinha. Mas sem rodeios...
Outra grande expectativa neste final de semana é a estreia do professor Antônio Lopes como técnico do Coelho. Enfrenta adversário difícil, complicado. Caso vença o Ceará lá em Fortaleza, o América resgatará a auto-confiança necessária pra buscar melhor colocação no Brasileiro. Como disse Lopes: quem sabe até uma vaga na Sul-Americana. Tomara.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

BRASIL REPETE PARAGUAI APÓS GOLEAR EQUADOR

Mano miniminiza as falhas de Júlio Cesar

Vêm aí de novo os indigestos e terríveis paraguaios de Roque Santa Cruz, Waldês e Barrios. Mal nos curamos do susto que nos deram na primeira fase: o Brasil empatou em 2 a 2 com gol de Fred no finalzinho da partida. A goleada de 4 a 2 sobre os equatorianos nos deu o primeiro lugar do grupo B, graças, também, ao empate (3 a 3) entre paraguaios e venezuelanos. Este um confronto de arrepiar!
Aos 40m do segundo tempo, o time guarani fez 3 a l e imaginou que havia liquidado a fatura. Qual o quê! Em três minutos, a Venezuela recuperou o fôlego e marcou duas vezes. Final sensacional, cheio de dramaticidade.
No nosso jogo, Neymar e Pato brilharam, marcaram dois gols cada, mas a noite foi mesmo de Maicon. Voltou em alto estilo à lateral direita. Produtivo e sério, ao contrário de Daniel Alves que é cheio de firulas e de estilo. Robinho negou fogo, de novo, porém como peixe de Mano Meneses foi até o final do jogo.
O ponto fraco foi a defesa e, principalmente, o excelente Júlio César, seguido por outra fera Thiago Silva. O beque marcava mal e não acompanhava o atacante Caicedo. E este chutava de fora da área e Júlio César segurava o peru pelas penas. Com certeza, o goleiro da Internazionale de Milão jamais esquecerá esta triste noite de Córdoba. Não foi mais triste porque Pato esteve infernal e Neymar acordou.
As quartas de final começam no sábado com o clássico Argentina x Uruguai, acompanhado de Colômbia x Peru. No domingo, tem Brasil x Paraguai e mais Chile e Venezuela. Se houver empate, prorrogação e penais. Só existe a chance do Brasil cruzar com Los Hermanos na final.

ANSELMO RAMON SUMIU NA TOCA...



De repente, a luz do garoto Anselmo Ramon apagou-se. Justo no momento que ela começava a brilhar e ele deixava o casulo e se preparava pra alçar voo. Cuca já confiava no futebol do rapaz ao pedir demissão. Veio Joel Santana que, com certeza, não o conhece bem e preferiu apostar nos medalhões Brandão, Thiago Ribeiro, Wallyson e Ortigoza.
O experiente Papai Joel esqueceu-se da metáfora árabe: “cavalo ganhou uma vez, sorte; ganhou duas vezes, olho no cavalo; ganhou três vezes, aposte no cavalo”.
Ah, direis: quantas vezes Anselmo Ramon ganhou ou quantos gols fez pra Joel apostar nele? Por isso que se trata, ainda, de uma metáfora. Caso fosse realidade, o Senador já o teria passado nos cobres pro futebol europeu.
O que não pode é ser ignorado e encostado como outros tantos garotos foram. Brandão e Ortigoza, por exemplo, têm tanta moral com os treinadores que vêm e que vão que basta qualquer um deles fazer um lance perigoso, uma assistência, numa partida inteira e ganha a camisa titular ou um lugar no banco de reserva.
Anselmo Ramon já fez tudo isso, fez gol, caiu nas graças da torcida e no esquecimento da Comissão Técnica.
Que nem escrevi sobre o argentino Farias. Cuca perdeu a paciência com ele e o mandou treinar à parte. Ganha sem trabalhar duro. O novo treinador já testou Ernesto Farias? Vou lembrar ao Joel Santana, na época jogador doVasco da Gama, um episódio promovido pelo técnico Orlando Fantoni e o zagueiro Abel, hoje técnico Abel Braga, do Fluminense. Fantoni deixou o América daqui, após uma campanha brilhante no Brasileiro, e foi para São Januário. No primeiro dia de trabalho viu Abel sentado na arquibancada, desconsolado. Havia brigado com a diretoria e fora afastado do elenco. Tio Orlando foi até ele, fingindo que ignorava o assunto. “Que houve, meu filho? Porque você não trocou de roupa pra treinar?” Abel respondeu: “A diretoria me afastou, falei demais”. Fantoni colocou o braço no ombro do zagueiro e falou incisivo: “No time mando eu, e você será meu capitão e homem da minha confiança. Poderá falar à vontade que vou ouvir sempre”.
Abel trocou de roupa, foi treinar, virou capitão do Vasco, gritou e esbravejou o quanto quis como líder da equipe. Quando veio treinar o Cruzeiro, Abel sempre lembrava deste fato. Orlando Fantoni, o Tio Orlando, que Deus o tenha. Ótimo caráter! Meu amigo. Fantoni trabalhou comigo na Rádio Guarani como comentarista. Relatou-me o fato diversas vezes. Tantas que até decorei as palavras. (sic)
Quero dizer: às vezes a solução que se busca está ali de lado, ignorada. Joel Santana é quase da minha idade. Quando chegar no meu patamar terá mais experiência ainda.

FABRÍCIO DO OUTRO LADO DA LAGOA?

Onde há fumaça, há fogo. Que me perdoem o lugar-comum. Não especulo e nem dou fé. Apenas comento o que um amigo meu, ligado à diretoria do Atlético, me disse: faltam apenas seis meses para Fabrício pular para o outro lado da Lagoa. Já confessou várias vezes o seu amor pelo Cruzeiro, e o Senador nem se coçou. Amor reprimido e esnobado vira sorvete de jiló com cobertura de boldo. Amargo paca! Com ironia, Fabrício revelou: “Agora depende da diretoria. Não posso ficar toda hora também implorando”. Tá certo!
Existem carpideiras que, ainda, choram a saída de Jonathan. O Senador cai na risada. O Cruzeiro ganhou boa grana na venda do atleta ao Santos e agora pega mais 2,5 milhões de euros com a sua ida pra Internazionale de Milão. Então, o Cruzeiro lucrou com Jonathan cerca 4,5 milhões de euros ou R$ 10,05 milhões.
O Santos pagou por ele 1,2 milhão de euros, equivalente a 30% dos direitos. Já a Teisa (Terceira Estrela Investimentos S/A) – sei lá que bicho é esse! - investiu 800 mil euros em 20% do passe.

GALO VAI DE TORÓ NA VILA FAMOSA

Os papagaios da cobertura diária na Cidade do Galo botaram os olhos em Fábio Costa e logo imaginaram a melhor manchete. Talvez essa: “Fábio Costa volta em paz com Dorival”. Longe disso. Nem se cumprimentaram. Fábio foi autorizado a treinar na Cidade do Galo nos horários ociosos. Afinal, ele tem contrato com o Atlético até 31 de dezembro e nenhum outro clube se interessou por ele.
O dono real de seus direitos econômicos é o Santos. No Galo, Fábio Costa deixou uma triste memória: jogou 20 partidas e levou 28 gols. No Santos tem contrato até 2013. Até lá ganha sem trabalhar.
Quem apostava em Dudu Cearense como substituto de Richarlyson suspenso enganou-se. Toró parece encaixar-se melhor na função de terceiro zagueiro pretendida por Dorival Júnior. Nos dois últimos treinos da semana foi ele quem ficou na posição. Porém, Dorival prefere afirmar que levará a dúvida até antes da partida contra o Santos neste sábado à noite na Vila Belmiro. Segredinhos do futebol moderno.

LOPES É O HÉRCULES DO COELHO?

Trabalho de Hércules a começar contra o Ceará, domingo, às seis e meia em Fortaleza, que o experiente Antônio Lopes terá de executar pra levantar o Coelho, tirá-lo da 18ª posição e do perigo do rebaixamento. Os estatísticos prevêem que pra tanto o América terá de dobrar o seu aproveitamento atual que é de 25%. Segundo ele, o time pra não cair precisa de aproveitamento de 40%.
Dos 15 pontos disputados fora de casa, apenas um foi conquistado, o que representa aproximadamente 6%. Entretanto, como o seu rendimento de mandante, apesar de não estar entre os melhores do Brasileiro, é mais animador, Lopes tem grandes esperanças. Em casa, são cinco pontos em quatro jogos. Aproveitamento superior ao de seus adversários diretos na briga contra o descenso, como o Bahia, Avaí, Atlético-PR e o Atlético-GO.

terça-feira, 12 de julho de 2011

SEM RICHARLYSSON, suspenso, o treinador Dorival Júnior terá de escolher entre Gilberto, Dudu Cearense e Toró pra manter o mesmo esquema 3-5-2 que usou na vitória sobre o América. Dou logo a dica: só pode ser Toró tão leve quanto Rick. Gilberto e Dudu são lentos. Não teriam recuperação de ir à frente e voltar para jogar ao lado de Rever e Léo Silva.
A boa informação é que o garoto Fellipe Soutto voltará aos treinos com bola na próxima semana. Não se pode nem avaliar a falta que o futebol refinado de Soutto tem feito ao meio-campo atleticano. Na volta dele, em plena forma claro, os torcedores terão condições de tirar suas próprias conclusões. O Galo volta a jogar sábado à noite na Vila Belmiro contra o Santos. Com certeza o Peixe ainda não terá Ganso, Neymar e Elano servindo à Seleção e, com o Brasil se classificando - o que haverá de acontecer - ficarão lá na Argentina.

Nada contra a decisão do Conselho Administrativo do América em dispensar o técnico Mauro Fernandes (na foto de Jorge Gontijo/EM DA Press). O ideal seria que a cultura do futebol brasileiro fosse outra. Mas não é. Treinador passa nove jogos sem vitórias, no Campeonato Brasileiro, freqüentando a zona do rebaixamento, não há o que se fazer. Antes que seja tarde, o remédio é trocar de comandante.
O descrédito é tanto que nem o elenco sente-se à vontade com o treinador perdedor. Surgem as fofocas, os grupinhos, os descontentes ganham força e por aí vai.
Demitir é fácil. Manda lá o supervisor ou o diretor de futebol, “muito obrigado, as portas ficarão abertas”, diz o manda-chuva por telefone, não há multa contratual. Pronto, esse problema está resolvido.
Contratar outro é que é o problema! Quem? Os rotulados treinadores de ponta disponíveis custam uma boa nota. O salário base desse pessoal hoje roda na casa dos R$ 500 mil. Até porquê correm por conta deles salários e obrigações sociais dos demais membros da Comissão Técnica. Chegam com a barca de apadrinhados lotada.
Treinador na faixa do América pode vir sem arrastar muita gente – talvez o auxiliar-técnico, o preparador físico, treinador de goleiros, pessoas de sua confiança. De qualquer maneira, esbarra aí na casa dos R$ 100 mil mensais. Ou estou fora da realidade? Só espero que o pessoal do América não dê aquele salto aos tempos de antanho e traga Givanildo, Hélio dos Anjos e outros nomes que nem habitam mais minha curta memória. Renovar é preciso


Quando a atenta cobertura de imprensa do Cruzeiro anunciou que Gil levara o terceiro cartão amarelo, com certeza diversos torcedores azuis suspiraram apreensivos: e agora, como fazer? Victorino está na seleção uruguaia; Léo machucado; os outros reservas a imprevidente diretoria dispensou e o Cruzeiro há tempos não acredita mais que zagueiro se faz em casa. Justo ele que tantos famosos beques buscou nas suas bases.
Os meninos Rodrigo e Simões treinam entre os profissionais à espera. De repente, aparece o desconhecido Cribari,(na foto de Alexandre Guzanche/EM DA Press) paranaense vindo da Itália e já chegou com aval de Joel Santana – me engana que eu gosto – e de Sorín, este sim porque jogou anos no futebol italiano. Os meninos Rodrigo e Simões, conforme eu frisei, estão lá.
A mídia azul que adora falar de reforços e que cobra mais que qualquer torcedor novas contratações, em detrimento do apoio ao pessoal da base, inventa até mesmo improvisações que nem o treinador imagina. Especula. Por exemplo: contra o Bahia basta ao Cruzeiro colocar Leandro Guerreiro na zaga, dois volantes – Fabrício e Marquinhos Paraná – e voltar com Roger. Além de Gilberto, claro, que seria lateral esquerdo. É o não é um esquema bem típico de Cuca? Não seria mais fácil escalar Simões ao lado de Naldo e não mexer em mais nada?
Na lateral esquerda, caso haja empecilho pra escalar Everton, que entre Gilberto, apesar de ele detestar a posição. Aí seriam mantidos os três volantes e Roger no banco. A estrela de Joel Santana, contudo, brilhou. Léo se recuperou após 20 dias de DM e colocou-se à disposição pra enfrentar o Bahia.
Opa, não seria perigoso?
O ítaloparanaense Cribari também disse que topa estrear. Pior ainda. Não é melhor olhar para os olhos dos meninos Rodrigo e Simões?
Bom, afora os elogios de Joel Santana e do ídolo Juan Pablo Sorín, o zagueiro Cribari, de 31 anos, novo reforço do Cruzeiro, mostrou na sua apresentação na Toca da Raposa II nesta que se tratar de uma pessoa de forte personalidade e bem falante. Numa auto-avaliação se considerou um defensor completo, bom no jogo aéreo e com a bola nos pés. Só não disse se era fazedor de gols. Disse Cribari:
”Eu me considero um zagueiro moderno, que joga limpo. Gosto de jogar na antecipação, muito forte no jogo aéreo, ótima qualidade na saída de bola e com certeza atento na marcação. Mas só em campo vamos demonstrar para a torcida, porque sei que meu nome ainda é desconhecido por aqui”. É o que a gente espera.
Afinal, desde que saiu de Londrina, em 1998, Cribari só atuou na Itália. Ele passou por Empoli, Udinese, Lazio e, por último, Napoli.
Nem aqueles apaixonados colegas que acompanham até as terceiras divisões italiana, espanhola ou inglesa falavam do Cribari.
Nas poucas vezes que assisti partidas do campeonato italiano, nenhum narrador me apresentou ao Cribari.
O “oriundi” Senador Perrella adquiriu para o Cruzeiro 50% dos seus direitos do atleta de 31 anos. Mais estranho ainda: seu contrato é de apenas um ano.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

FOTOS DO REAL E DO ATLETICO DE MADRID



Meu primogênito Alexandre( o professor Santelmo) como faz quase todos os anos, nesse período num convênio do Colégio Santo Agostinho, onde leciona, leva uma delegação de alunos e alunas para intercâmbio na Espanha. De lá me mandou esta mensagem, com um fato interesse.Sigam:
Olá Papai,to te enviando algumas fotos de Madrid. Na verdade sao fotos do Estádio Santiago Bernabeu, to no campo e no banco de reservas. E outras do Vicente Calderon, Estádio do Atlético de Madrid.
Nos Dois fiz um passeio pelo museu dos clubes e fica claro como o Real sabe ganhar dinheiro com marketing. Eu já conhecia o estádio e o passeio por lá. Tudo perfeito com muitas fotos vídeos de gols, o som da torcida na arquibancada, fotos de todos jogadores que passaram por lá ( tem até Rodrigo Fabri, César Prates e Petkovic).
Já no Atlético de Madrid, olhei um dia antes para saber dos horários de visitas, valores e etc. Chegando lá o estádio estava fechado para visitas desde junho, mas fomos ao museu.
O lugar todo mal cuidado com as escadas quebradas, o carpete da entrada soltando e a pintura descascando.
Mas o pior nao é isso, dentro têm fotos de jogos e ídolos, os troféus, camisas de outras época e atuais. Numa parte, há umas seis camisas de times que jogaram contra a equipe da casa. Uma delas do Cruzeiro de 1985, só que a placa dizia que era de um jogador russo do Dínamo de Kiev de um jogo da Recopa daquele ano.
Ao sair do museu caímos em uma loja do time, encontramos um vendedor brasileiro e falamos com ele sobre a camisa. Ele nos disse que outro dia um mineiro havia falado a mesma coisa e levaria o ocorrido à direção do museu. Nao consegui tirar a foto da placa e da camisa juntos. Mas presta atenção no detalhe à esquerda da foto da plaquinha, que tem a estrela do Cruzeiro. No lugar a gente consegue ver que o patrocínio é do BMG. (Não consegui adicionaar esta foto para que os leitores pudessem tomar conhecimento, infelizmente).
Por isso um ganha BURROS DE DINHEIRO COM MARKETING E O OUTRO NAO.

domingo, 10 de julho de 2011

GALO QUEBRA SEQUÊNCIA DE DERROTAS E AFUNDA COELHO

Se os jogadores do Atlético acreditam que aquela atitude de dar um gelo na imprensa na saída do intervalo teve peso significativo na vitória sobre o América por 2 a 0 – um gol em cada tempo – tirem logo seus cavalinhos da chuva. Bateram num velho freguês, sem nenhuma força. A péssima qualidade do espetáculo justifica campanha ruim dos dois no Brasileiro.
O Galo melhorou alguma coisa, claro, e até Dorival Júnior esteve melhor nas alterações da partida. Nada de entusiasmar, contudo. Valeu pela vitória que fez o time dar um bom pulo na classificação geral, chegar aos 11 pontos e sair da zona do rebaixamento.
Já o Coelho completa seu oitavo jogo sem vitória (venceu apenas o Bahia, na estreia, por 2 a 1) e vê a situação se complicar ainda mais. Com apenas seis pontos, o time não sai da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, na 18ª posição.
O primeiro gol marcado por Jonathas Obina foi fruto de excelente jogada. O time tocou a bola por todo campo até o passe final ao filho de Sete Lagoas. O chute de perna esquerda saiu forte e o goleiro Flávio colaborou. Obina parece que ganhou a posição de centroavante.
No segundo, ele participou do contra-ataque com Neto Berola que acabara de entrar aos 20m. Berola marcou seu segundo gol no Brasileiro.
Apenas 7.300 torcedores pagaram ingresso pra ver o clássico. O próximo jogo do Galo é que definirá a possibilidade do time entrar nos trilhos: enfrenta o Vasco da Gama, em Ipatinga.
O Corinthians teve sua quinta vitória seguida e manteve-se na liderança invicto com 22 pontos. Derrotou o Atlético-GO, no Serra Dourada, por l a 0, gol de William. O Flamengo, também, invicto, mas com quatro empates, continua na vice-liderança com 19 pontos. Ganhou o clássico com o Fluminense por l a 0. São Paulo em terceiro e Palmeiras, em quarto, ambos com 18 pontos completam o G-4 atual.
No próximo domingo, o Cruzeiro receberá o Bahia, às seis e meia, na Arena do Jacaré, atrás da quarta vitória na competição. A despeito de jogar em casa, junto de sua torcida, os azuis não esperem moleza. Quem viu o empate (1 a 1) entre Botafogo e Bahia, no Pituaçu, sabe do que falo. Os baianos armaram bom time.
Mentira ou jogo de estratégia? São explicações que os repórteres exigem de Mano Meneses. Isso não aconteceria com Dunga, Luxemburgo ou Felipão. A questão surgiu por causa da presença surpresa de Jadson no time contra o Paraguai. Mano fez três testes na Seleção e dois foram revelados pela diretoria de comunicação da CBF: a saída de Ramirez e Robinho e as entradas de Elano e Lucas. A terceira opção não foi informada e aconteceu. Ramirez no time e Jadson no lugar de Robinho.
E o que querem cobrar de Mano? Outros treinadores – Dunga, por exemplo – só anunciava a equipe dentro do prazo estabelecido pela Fifa, 45 minutos antes do início da partida. Tal atitude não cobro do nosso treinador. Cobro melhor leitura da partida e dos adversários pra que possa mudar certo e promover as melhores escalações.
No treino da última quarta-feira, Mano Menezes fez três testes na Seleção Brasileira. Dois deles foram revelados pela diretoria de comunicação da CBF: saídas de Ramires e Robinho para as entradas de Elano e Lucas. Porém, a terceira alternativa não foi informada de forma oficial, com Jadson no meio-campo, ajudando Paulo Henrique Ganso na criação das jogadas.
A bela Hope Solo já havia anunciado que não lhe interessava o título de musa da Copa do Mundo. Estava focada na partida contra o Brasil. Dispensava os elogios à sua beleza loura de olhos verdes e que vissem tão-somente seu talento em campo. Mostrou isso na eliminação do Brasil neste domingo.
O jogo válido pelas quartas de final da Copa do Mundo de futebol feminino na Alemanha terminou empatado em 2 a 2. O Brasil vencia por 2 a l, abalado com um gol contra de Daiane e levou o empate bem no final. Na cobrança de penais, Hope Solo defendeu a cobrança da mesma Daiana e classificou os Estados Unidos.
Os Estados Unidos, agora, fazem a primeira semifinal do Mundial contra a França, na cidade de Mönchengladbach, quarta-feira, às 13h (de Brasília). O Brasil volta para a casa. Na outra chave, a Suécia pega o Japão.
Nesta terça-feira, Uruguai e México se enfrentam em La Plata, na última rodada da fase de classificação da Copa América. A partida é muito importante para a Celeste, que, com dois pontos, precisa vencer por dois gols de diferença para garantir a vaga nas quartas de final. Chile e Peru jogam mais cedo e estão empatados com 4 pontos. Se houver empate no jogo, só um milagre salva os uruguaios.
No grupo do Brasil a decisão será na próxima quarta-feira. A líder Venezuela, com quatro pontos, precisa apenas do empate contra o Paraguai, que tem dois pontos e joga só pela vitória. O mesmo acontece com o Brasil diante do Equador, que tem um ponto e grandes esperanças de chegar a quatro. Só a vitória interessa aos brasileiros que, ainda, não venceram na competição.
A Colômbia derrotou a Bolívia (2 a 0) no grupo A e se classificou. Deixou apenas uma vaga que deverá ficar com a Argentina desde que vença a Costa Rica.

sábado, 9 de julho de 2011

TEM JEITO NÃO: SP MANTÉM TABU E CRUZEIRO CAI NA TABELA



0 São Paulo com Rivaldo de titular e aos 40 anos com fôlego de menino de 20 manteve o tabu de não perder no Brasileiro para o Cruzeiro no Morumbi; derrubou os azuis na classificação geral e quebrou o ritmo de entusiasmo de Joel Santana pelas três vitórias seguidas. Tem nada errado, não. O problema é que Papai Joel recebeu um bagaço danado e até teve méritos em colocar a casa em ordem tão rapidamente. Contudo, a era Cuca deixou estragos que Joel precisará de tempo pra corrigir.
O Cruzeiro não resistiu ao São Paulo no Morumbi foi derrotado por 2 a 1. Caiu para o 10º lugar,por enquanto. Até o final da rodada, neste domingo, poderá ser ultrapassado por Coritiba, Ceará e Bahia e terminar em 13ª colocação, com 12 pontos.
Já o São Paulo retomou a vice-liderança do campeonato com 18 pontos. Neste domingo, o Tricolor torcerá contra o Flamengo para manter a posição.
No próximo domingo, o Cruzeiro recebe o Bahia, às 18h30, na Arena do Jacaré, mirando a quarta vitória na competição. Na mesma data e horário, o São Paulo vai a Porto Alegre enfrentar o Internacional.
Aos 20m, Rivaldo envolveu a defesa azul numa tabela com Marlos, que encontrou Dagoberto livre na pequena área para abrir o placar. Aos 39 minutos, Dagoberto penetrou na área e foi derrubado por Fábio. O time tricolor pediu o pênalti, mas o árbitro Marcelo de Lima Henrique não marcou. Curiosamente, o juiz também não aplicou cartão amarelo ao atleta por simulação. Se o tivesse feito, Dagoberto seria expulso, pois já estava amarelado.
O São Paulo começou o segundo tempo arrasador para cima do Cruzeiro. Rivaldo carregou a bola, com cinco defensores celestes e apenas um companheiro são-paulino. Mesmo assim, encontrou Marlos na entrada da área. Ele chutou no ângulo superior direito de Fábio,fazendo 2 a 0, aos 50 segundos de jogo.
Aos 11 minutos Joel Santana tirou Vitor que estava mal na partida, e colocou Roger, deslocando Marquinhos Paraná para a lateral direita. O Cruzeiro seguiu sem objetividade. Mas a alteração seguinte de Joel surtiu efeito. Ortigoza entrou no lugar de Thiago Ribeiro e em seu primeiro toque na bola deixou Wallyson na cara do gol, em cruzamento da direita. O atacante acabou com o jejum de oito jogos sem marcar. O time celeste terminou a partida com cinco jogadores amarelados. Gil levou o terceiro e não joga contra o Bahia. Problema sério.