terça-feira, 26 de julho de 2011

EM TRÊS FRENTES, MINEIROS ATACAM DE NOVO



E devem atacar no sentido literal da expressão. O Coelho de Antônio Lopes talvez com menor apetite, visto que tem o mais dramático dos compromissos: visita o Grêmio no Estádio Olímpico. O Galo recebe no Ipatingão outro carioca, o Fluminense, campeão brasileiro. A primeira visita carioca que teve na sua nova casa, Ipatingão, foi indigesta: a derrota para o Vasco e para a arbitragem.
Na boca do G-4 do Mal, a turma de Dorival Júnior não deve pensar em nenhum outro resultado que não seja a vitória sob pena de mergulhar, mais profundo, numa crise maior.
O objetivo do Cruzeiro é mais salutar: manter a boa fase de Joel Santana (seis jogos, cinco vitórias e uma derrota) e alcançar o G-4 do Bem. De moral alto, após vencer o líder Corinthians, no Pacaembu, a expectativa muda bastante: os azuis fazem seu segundo jogo seguido fora de casa, e contra adversário desesperado, o Atlético Goianiense.
A Trincheira lembra que este desesperado goiano esteve na última rodada no Morumbi e arrancou o empate de 2 a 2 na estreia de Adilson Batista como técnico do São Paulo. Ou seja, pra conseguir a sexta vitória no Brasileiro, o Cruzeiro terá que manter a rotação do seu motor lá em cima. Montillo, inclusive, numa entrevista alertou aos companheiros pra não deixarem a pegada diminuir.
Joel terá problema (sic) com a expulsão de Gilberto. Na sua posição de pitaqueiro, este filho do Sodico entende que não é problema algum. É solução. Gilberto atua na lateral esquerda com visível constrangimento, não rende nada e prejudica a equipe como aconteceu em São Paulo, com a sua expulsão num momento cruel do jogo.
Leandro Guerreiro, livre da suspensão do terceiro cartão, retorna. Ótimo! Ninguém como ele no elenco celeste faz melhor aquela função de terceiro zagueiro. Por enquanto, o técnico terá de resolver somente a possibilidade de não contar com Everton que foi excelente volante na última partida e seria mantido na equipe, mas como lateral esquerdo. Saiu lesionado contra o Corinthians.
Aliás, ainda sobre esta partida do Pacaembu, o comentarista de arbitragem da TV Globo Minas, Márcio Rezende de Freitas, caiu do cavalo: só ele não viu o pênalti em favor do Cruzeiro. A suspeita Comissão Nacional de Arbitragem viu e puniu o gauchão Leandro Vuaden com uma rodada fora da escala. Punição de araque, claro; contudo serve pra mostrar que o pênalti, realmente, foi escandaloso. Bem que o narrador Rogério Correia alertou ao seu comentarista de arbitragem que ele - Rogério - marcaria a penalidade.
Atlético-GO x Cruzeiro, desta quarta-feira, no Serra Dourada, em Goiânia, terá apito do paulista Cleber Welington Abade. Também, nada de extraordinário.
Se Ernesto Farias e seu procurador Gustavo Arribas pensam que estão mais perto do Independiente de Avellaneda tirem seus cavalinhos da chuva. Acertaram com o clube argentino, mas falta a palavra final do Senador. As opções de saída que oferecem ao Cruzeiro nenhuma agrada ao cartola celeste.
Senador declarou que esse foi o pior negócio que fez no Cruzeiro: trocar o jovem zagueiro Maicon pelo veterano atacante Farias. Um custava R$ 2 mil e o outro veio por R$ 200 mil mensais.
Farías jogou 16 partidas no Brasileirão do ano passado. Marcou apenas três gols e recebeu dois cartões amarelos. O primeiro semestre desse ano não mostrou nada de novo: disputou dez partidas, três como titular, marcou três gols, deu quatro assistências e recebeu dois cartões. No total, ele fez 26 jogos, marcou seis gols.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.