sexta-feira, 22 de julho de 2011

Kléber se defendeu



Defendeu o imponderável, pois tudo foi mostrado pela tevê. Disse ele que deu a chance de os rubro-negros devolverem a bola , cuja posse seria do Palmeiras. Falou mais:
- A bola era de quem? Do Flamengo por que o Júnior César caiu? Se eles quisessem colocar para fora, chutariam. Não preciso devolver, eles que tinham de devolver. Continuei porque para mim a bola era nossa. Dei a chance de chutarem para fora, mas eles seguraram o jogo o tempo todo. A bola ia ficar no chão e ninguém faria nada. Peguei a bola e fui para o gol
- Foi nítida e clara minha reação quando a bola ficou no chão. Pedi para jogarem fora, por que não jogaram? Porque isso era bom para eles, ia acabar o tempo. Isso é fair play? O lance foi parado pelo jogador deles, o mínimo que deveriam fazer era chutar para fora - Claro, também, ficou: este é outro jogador que precisa urgente de tratamento da cabeça. Psiquiatra nele, Palmeiras.
Após o jogo, os jogadores do Flamengo criticaram Kléber por conta da atitude. O atacante respondeu e também fez críticas aos adversários.
Bem interessante o que Kleber avaliou ainda: - Se eu faço o gol, talvez estaríamos brigando lá até agora. Não é questão de ser legal ou não. É legal o árbitro falar que falta bate no apito e o cara não espera? É legal chutar com o lance parado por cima do Marcos para ganhar tempo?
Foi pênalti em mim e, se é fair play, ele tem de ir lá e falar que fez a falta. Mas não, foi pedir cartão para mim. Aí eu não tenho fair play? Não vi fair play deles. O árbitro deveria ter falado para alguém chutar a bola fora.Achei que precisávamos ganhar e fui para o gol. Eles fizeram cera o jogo inteiro - esbravejou. Kleber.
Nessa hora, quando ele começa a babar, o melhor que todos fazem é sair de perto. Ele se transforma no Gladiador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.