domingo, 31 de julho de 2011

LUA DE MEL ACABOU PARA OS DOIS TÉCNICOS

As atrapalhadas de Dorival Júnior ao escalar o time que perdeu para o Palmeiras (3 a 2), no Canindé, é que agitaram o ambiente na Cidade do Galo. As manifestações pela saída do técnico, ainda que fora de propósito, devem-se exatamente às tais maluquices: três zagueiros, dois volantes e dois alas fracos, sem nenhum meia armador; e três atacantes. O que ele pretendia com este esquema?
Da mesma forma, Joel Santana meteu os pés pelas mãos na escalação do time derrotado pelo Botafogo (l a 0) na Arena do Jacaré. Insistiu com Gilberto sem função, Marquinhos Paraná na lateral esquerda. Roger no banco, Everton como falso volante e revezando com Gilberto na lateral.
O seu crédito inicial esgota-se com a insistência em manter Ortigoza titular, escalar o time com dois velocistas e sem centroavante. Ao pressentir a vaca indo pro brejo, com os bezerros e tudo mais, Joel enche o time de atacantes. Eles batem cabeças na entrada da área adversária, sem solução.
Duas situações na Toca da Raposa são indiscutíveis: o elenco não dá pra disputar o título, por falta de jogadores de ofício em posições cruciais como as laterais e a de centroavante. Portanto, inventar soluções é pior ainda. Também é definitivo: o Senador avisou que não contratará ninguém, pelo contrário alguns serão negociados no final do ano.
Tirar leite da pedra usando apenas Montillo e Fábio só com mágicas. Nunca haverá esforço ou vontade de Gilberto; este atravessa aquela fase de desinteresse total e vontade de sair. Roger perdeu a alegria de jogar, ao aceitar a reserva do sisudo Gilberto. Everton é fraco e Montillo cansou de carregar o piano sozinho. Quem nem Fábio. O gol de Loco Abreu veio num chute forte, mas defensável. Fábio já fez milhares de defesas deste porte.
Ou Joel passa a ver os juniores treinarem e jogarem e de lá tira a solução de seus problemas ou cai abraçado neles. Penso na tremenda sacanagem que faz ao colocar uma camisa de força tática em Montillo, além de cercá-lo de canhotos que comem seu espaço de campo e tornam seu jogo lento, sem arrancadas. Gostaria de ver se Joel Santana trabalharia Sebá como deve e como trabalhou, por exemplo, Caio no Botafogo.
TIMÃO QUEIMA GORDURA
Depois de uma disparada nas doze primeiras rodadas, nas quais manteve-se invicto, o Corinthians já passa a incomodar-se com a presença inconveniente do Flamengo – o único invicto da competição. O Fla venceu o Grêmio (2 a 0, outro golaço de Ronaldinho Gaúcho) e subiu pra 27, um ponto atrás do Timão, que permaneceu nos 28 pontos.
O Avaí tocou fogo no Brasileirão ao derrotar (3 a 2) o Coringão. A segunda derrota de Tite na competição e exibiu a verdadeira face corintiana. Nada tão feio quanto a Imprensa paulista pintava e que o Cruzeiro começou a desmascarar no Pacaembu. Porém, o time de Joel Santana, também, deixou a máscara cair e prendeu-se em nono lugar. Dez atrás do líder.
Outro que sobe feito elevador é o Vasco. Ganhou do São Paulo de Adilson Batista no Morumbi por 2 a 0 e chegou ao quinto lugar com 24 pontos. Acima dele, no G-4, estão os já citados Timão e Flamengo, mais São Paulo, em franca queda, 25 e Palmeiras, num ritmo lento, com os mesmos 25, mas com saldo de gols menor.
O Atlético saiu da zona da Copa Sul-Americana e se aproxima da mortal G-4 do Mal. Tem outro compromisso complicado fora de casa: nesta quarta-feira vai a Porto Alegre enfrentar o Grêmio, também desesperado, no Estádio Olímpico.
Não menos complicada é a tarefa do Cruzeiro, depois de duas derrotas seguidas: pega o invicto Flamengo na Arena do Jacaré. Nem é preciso dizer o quanto é fundamental que para o emprego de ambos os treinadores vencer seus próximos compromissos.
O que falar ao técnico Antônio Lopes sobre a situação do América? Como se não bastassem as derrotas ou empates fora de casa, o Coelho perde também na Arena do Jacaré. É verdade que pegou time melhor, o Coritiba, que não teve dificuldade em abrir 2 a 0 e fechar em 3 a 1. O América está mais atolado do que nunca no buraco negro.
Nada pior do que uma notícia ruim atrás da outra: o próximo adversário do América é o Corinthians em São Paulo. Quem sabe os deuses do futebol não tenham pena dele como tiveram do Cruzeiro e façam o milagre de uma vitória acontecer?
O Santos de Neymar e Ganso atola-se cada vez mais. Coisa própria dos campeões da Libertadores no Brasileiro seguinte. Não levam a sério a competição e quando acordam estão na boca do lobo.

Um comentário:

  1. Flávio, o pior é que o Dorival ainda vem reclamar de arbitragem na entrevista, depois de escalar mal e trocar ainda pior. Com o time perdendo na metade do segundo tempo, qualquer treinador de várzea sacaria um zagueiro e colocaria um meia ofensivo ou um atacante.

    Minha paciência com ele se esgotou há muito tempo, um treinador que coloca o Renan Oliveira de lateral (no segundo tempo contra o Ceará, e tomamos 2 gols nas costas dele) tem que ser demitido no vestiário.

    Abs.

    Marcio.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.