sexta-feira, 1 de julho de 2011

MAIS NOVOS NÃO SABEM E OS VELHOS ESQUECERAM-SE


Os brasileiros mais novos não sabem, os de média idade preferem não se lembrar e os mais velhos esqueceram-se de como foi a Copa do Mundo de 1978, na Argentina. Por ser a minha primeira Copa - a primeira vez não se esquece; não é verdade? A seleção favorita era a Holanda que vinha de excelente Copa na Alemanha em 74.
O Brasil tinha uma boa seleção, apesar de a teimosia do nosso jovem e hoje já falecido – num acidente de pesca submarina no Rio - técnico Cláudio Coutinho ter deixado pra trás o melhor jogador do País, Paulo Roberto Falcão.
Mas o time que foi era bom. Tanto que ficou em terceiro lugar, invicto. Campeão moral da competição, título inventado pela imprensa na época. A Copa foi promovida pela ditadura militar da Argentina, responsável pela morte de milhares de opositores, pra mostrar um país mentirosamente em paz e em progresso. Como o Brasil de 1970.
Por isso, o título não poderia jamais sair do solo argentino. Quando o Brasil se encaminhou invicto para fazer a final com a Holanda - após empatar num triangular semifinal com os donos da casa em 0 a 0 e vencer o Peru por 3 a 1 – deixou a turma dos generais em péssima situação. A Argentina tinha de vencer o Peru – um bom time – de goleada. E venceu por 6 a 0. De sobra.
Na final, com sorte e muita raça venceu os holandeses por 3 a 2, na prorrogação, enquanto o Brasil vencia a Itália (2 a 1) na disputa do terceiro lugar. Foi a Copa da Vergonha, que eu assisti e acompanhei Buenos Aires ao delírio, em furiosa carreta pela Avenida Nove de julho, e se rendendo aos pés dos assassinos do poder.
Querem o quê agora que a Argentina não vence uma Copa América desde 1993, de novo joga em casa? Tem o melhor jogador do mundo – Lionel Messi – e, se está livre de uma ditadura militar, pousa nos braços de um peronismo, onde o poder passa do marido – Nestor Kirchner - à mulher Cristina, agora viúva. Esta quer perpetuar-se na Casa Rosada.
Atenção, Ademg informa: “A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, anunciou nesta terça-feira última, em rede nacional de rádio e TV, que será candidata à reeleição no pleito do dia 23 de outubro: Vamos nos submeter, uma vez mais, à vontade popular”, afirmou ela.
Notícia ruim para Mano Meneses e seus comandados. E pra nós, brasileiros, claro. Nada melhor que uma conquista no futebol pra melhorar o prestígio do candidato do governo junto da população. Este é o reforço que a Argentina conta, além do bom time e de Lionel Messi, pra ganhar a Copa América.
Afora as previsões conceituadas deste filho do Sodico, penso que a Seleção de Mano Meneses tem mais pra Sonrisal jogado num copo dágua, em plena efervescência nos primeiros momentos e depois retorna à calma. Ferveu na estreia contra os Estados Unidos e depois voltou à rotineira caminhada dos últimos anos.
O esquema de três atacantes – Neymar, Pato e Robinho – mais um meio-campo técnico (Ganso) e apenas dois volantes, Lucas Leiva e Ramires, sem falar nos laterais de características apenas ofensivas - cheira-me a suicídio.
Se passar bem pela Venezuela, na estreia, enganará mais ainda aos incautos. Nesse meio-campo há lugar para outro volante de marcação tipo Sandro ou Elano com a saída de Pato ou Robinho. Caberia a Ganso, cabeça pensante da equipe, adiantar-se mais, ficar livre pra exibir seu talento.
O trio de marcadores do meio-campo permitiria a escalação dos dois alas atacantes, Daniel Alves e André Santos. Caso não seja assim, o melhor é que se tenha Maicon na lateral direita em vez de Daniel Alves.
Com esta escalação divulgada em todos os canais de informação, o técnico Mano Meneses ainda faz treino fechado à Imprensa. Pô, que medo os treinadores atuais têm da reportagem, que nem os ditadores militares que citei acima!
Só falta agora, os técnicos pedirem aos assessores (?) de imprensa que façam censura do material produzido pela garotada saliente que roda pelo centro de treinamento atrás de furos.
Mano Menezes quer total sigilo para comandar uma atividade de bola parada com a equipe. Olhaí que beleza de informação! Mano escala o time com três atacantes, um meia ofensivo talentoso, e quer treino secreto de bola parada. É desvalorizar demais o excelente material humano que tem nas mãos.
Bola parada é recurso de cabeçudos, incompetentes, brucutus, que não sabem lidar com talentos. O treinamento da cobrança de faltas na entrada da área é fundamento e este sim precisa de muito treino, porque depende de arte, de talento. Como treinar escanteio e pênalti. Os gols não sairão por acaso. Tais treinos não precisam ser secretos.
Cansei de ver Telê Santana treinando a Seleção, fechado à Imprensa estrangeira e nacional, nos coletivos, quando ele ensaiava as jogadas táticas. Aberto nos bate-bolas, treinamentos de chutes a gol, que nada têm de sigilosos.
O Brasil estreia na Copa América domingo, às quatro da tarde, contra a Venezuela, em La Plata. Cravo Brasil seco no bolão da minha rua. Bidu! rosnarão alguns e completarão: quero ver você cravo Brasil seco contra o Uruguai e a Argentina. Cravo, também, se Mano mexer na estrutura tática do time. E se dona Cristina Kirchner não interferir.
Na numeração oficial da nossa Seleção para a Copa América Paulo Henrique Ganso ganhou a famosa camisa 10. Um mito que caiu no lugar certo. Outro que herdou uma camisa famosa foi Neymar, a de número 7 que Mané Garrincha carregou nas costas na Copa de 1962, no Chile.
Robinho ficou com a 11, do ponta-esquerda, normalmente o primeiro a sair nas substituições pra recompor a defesa. Menos quando Romário a vestiu.

Um comentário:

  1. SÓ OS VELHOS CADUCOS COMO VOCE LEMBRA DESSE CARAS. EXISTE UMA GERAÇÃO NOVA QUE LEMBRA SÓ DE MESSI, NEYMAR NOSSO ÍDOLO GANSO MONTILLO, E...SEI LÁ MAIS QUEM.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.