sábado, 9 de julho de 2011

MANO ESTÁ MAIS PERDIDO QUE A SELEÇÃO

Larissa comportada e Jadson autor do primeiro gol.



























Ainda bem que Fred entrou no lugar de Neymar e fez em poucos minutos o que a "jóia" santista deixou de fazer os 65 minutos que ficou em campo. O Brasil tirou o empate no fim e estava perto de ficar numa situação mais complicada que a da Argentina. O Paraguai soube aproveitar os erros do nosso time e virou o injusto placar de l a 0 para 2 a 1 em seu favor. Injusto sim, pois no primeiro tempo, quando levou o gol de Jadson, mandava na partida. No gol de empate deles Neymar acabara de jogar fora uma chance enorme de fazer o segundo. Os paraguaios bateram rápido o tiro de meta, com a bola rolando e puxaram o contra-ataque nas costas de Daniel Alves - péssima atuação. A bola terminou cruzada rasteira na área e Roque Santa Cruz, sem a cobertura de André Santos - outra piabinha, empatou. No segundo deles, Daniel Alves tinha a bola dominada, quis driblar e perdeu para Roque que passou para Waldês fazer 2 a l. O nosso gol de empate num toque de Ganso - outro omisso - para Fred, que girou o corpo e marcou. Faltavam poucos minutos para o jogo acabar.





Penso que este gol salvará o Brasil na competição. Tem que vencer, no entanto, o Equador e chegar aos cinco pontos que nos permitirá seguir em frente. O Paraguai jogará sua sorte contra a Bolívia. Esteve a três minutos da vaga.





Mano Meneses avacalhou tudo. Fez mistério sobre as mudanças e apenas tirou Robinho e colocou Jadson. Deixou Ramirez. No intervalo, com Jadson e Lucas Leiva amarelados, Mano preferiu trocar o meia-atacante que havia feito o gol de abertura e melhorava no jogo, por Elano e manter o burocrático Lucas Leiva cuja chance de ser expulso era infinitamente maior. É verdade que o árbitro deu uma colher de chá ao Jadson. Logo após ser amarelado, fez outra falta de cartão e o juiz preferiu ignorar.





Sem jogadas pelas pontas, com os dois alas muito mal, e com o meio-campo sem apenas a metade da inspiração de Ganso e sem nada do talento de Neymar, além de Pato inexpressivo, o time guarani virou e estava quase na vitória. Então Mano tirou (certo) Neymar e colocou Fred: trocou (errado) Ramirez por Lucas paulista. Eu teria colocado Maycon no lugar de Daniel Alves. Funcionou a estrela do treinador e do artilheiro Fred para tristeza de Larissa Riquelme, atriz paraguai, e da torcida deles - em maior número -, que esperava o arranca-roupa de bela maria-chuteira, prometida em caso de vitórias deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.