quinta-feira, 21 de julho de 2011

PARAGUAI LARGO DECIDE COM URGUAI COPA AMÉRICA

Nos tempos do velho Hotel Anselmo, na rua Raul Soares, 241, em Caratinga, as rodadas de buraco, sem valer – diga-se de passagem por ordem da matriarca dona Geralda – vários hospedes assumiram as expressões criadas pelo meu pai Sodico. Uma delas, quando o sujeito estava coberto de sorte, ele dizia: “ô, cara, você tá largo. Dormiu com o jumento do Artur Corrêa?” Este era um fazendeiro da região famoso por seu jumento rombudo e reprodutor.
Esta Seleção do Paraguai, sem dúvida, dormiu com o jumento do Artur Corrêa! Como consegue um time chegar às finais de uma competição que mistura pontos corridos com mata-mata apenas empatando. O Paraguai empatou três vezes na fase de classificação – Venezuela, Equador e Brasil. Exceto no último, que arrancamos o empate no finalzinho – lembram-se o gol de Fred? – nos demais mereceu perder.
Voltamos a encontrar-nos nas quartas-de-final e foi aquele zebrona misturada com um show de incompetência nas cobranças dos penais. No tempo normal, o Brasil fez a melhor apresentação no comando de Mano Meneses, mas a bola bateu na trave, erramos gols incríveis. Nos penais, chutamos mal os quatro primeiros pênaltis. Paraguai ganhou da gente por 2 a 0. Isso mesmo: 2 a 0 numa decisão em pênaltis!
Enquanto o Uruguai liquidava a pretensa zebra Peru por 2 a 0 nas semifinais, o Paraguai tomava um banho e bola da Venezuela. Levou três bolas na trave e o goleiro Just Villar fez defesas sensacionais. Aos 29m do segundo tempo, os guaranis ainda tiveram um atleta expulso. Ficou fácil? Que nada! Seguraram o 0 a 0 até os penais.Aí a Venezuela perdeu um e eles marcaram todos.
Final da Copa América: o merecido Uruguaio contra o inexplicavelmente largo Paraguai.

Um comentário:

  1. Sucesso, todo mundo, a colonia Caratinguense principalmente tem que comparecer...O livro é ótimo, cheio de humor, e muito bem escrito...
    Parabéns, Flávio Anselmo!

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.