terça-feira, 30 de agosto de 2011

TEM MAIS GENTE ESCALANDO O TIME NA TOCA?

Foi a pergunta que o técnico Joel Santana fez após a entrevista coletiva de ontem na Toca da Raposa. O treinador também chio por entender que os o goleiro Rafael e o meia Everton, se escalaram ou foram escalados por alguém.
-"Eu estou sentindo que aqui no Cruzeiro existe a mania de escalar jogador antes do treinador. Escalaram o goleiro antes de eu falar. Eu não disse nada, não falei nada, não encontrei com ninguém. Nem a minha mulher sabia do time que eu ia escalar. Ninguém sabia. Aí já deram, jogador já fez entrevista, já falou, já disse, já aconteceu. Nosso preparador físico treina o jogador e eu escalo. Como todos aqui na função. Quem define quem vai jogar sou eu. Algumas coisas têm acontecido e nós sempre guardamos, esperamos a melhor ocasião. O jogador é bom? É. Mas se vai sair jogando ou não é outra história. Vamos ver o que é melhor para o grupo e aquilo que a gente vai tentar, diante de tantas dificuldades que nós temos, na hora de botar o jogador em campo.
A delegação foi com Todas as especulações levam a seguinte escalação, que me perdoe Papai Joel, pelo achômetro. Rafael, Marquinhos Paraná, Léo, Criibari e Everton; Fabrício, Leandro Guerreiro, Charles e Roger; Anselmo Ramon e Sebá. Se ele olhasse para os juniores acharia melhor formação. Inclusive pra lateral esquerda onde tem Gabriel, 20 anos, 1,80 e canhoto.

PROMESSAS CANSATIVAS E FILME REPETIDO

(foto de Alexandre Guzanshe-Superesportes/EM)


Fez bem o grupo do Atlético, incluindo a Comissão Técnica, adotar a lei da mordaça. Não é indisposição com a imprensa em razão dos insucessos seguidos do time. É o bom-senso estabelecido pelo treinador Cuca. Falar o quê? Mudanças na equipe, de comportamento dos atletas, de postura geral foram promessas feitas há tempos e nada aconteceu. Melhor, então, realmente, é fechar a bola. Que cada qual guarde sua boa pra comer seu quinhão de farinha.
Na partida desta quarta-feira, na Arena do Jacaré, contra o Atlético Paranaense, outro desesperado, primeiro na entrada do buraco negro, Cuca poderá escalar o Galo com três zagueiros – Rever, Léo Silva e Werley, ou Lima – e Mancini como falso ala da direita. Aqui Mancini começou sua trajetória no Atlético, fez muitos gols e foi parar na Itália onde jogou por todos os lados. Voltar à lateral/ala da direita pra ele é um desafio.
Para o técnico alvinegro é a única saída. Pode melhorar o passe do meio-campo e fazer a bola chegar mais certa ao ataque. Outras mudanças devem acontecer apesar de Cuca ter poucas opções.
A despeito de preferir o silêncio na discussão sobre a situação do time no Brasileiro – vice lanterna – Cuca mantém segredo absoluto, também, da formação que enfrentará o Furacão. Sua esperança é surpreender Renato Gaúcho que tem recuperado o Atlético-PR com um trabalho bem elogiado.
O Atlético tem uma campanha ruim sob o comando de Cuca: seis jogos e seis derrotas seguidas. Campanha suficiente pra que qualquer técnico fosse demitido em outros clubes. Eduardo Maluf, diretor de futebol do Galo, avalia que o treinador deve ser mantido. “Eu acho que é o tempo que ele precisa para conhecer o grupo. O Atlético tem que parar de achar que mudar é que está certo. Muitas vezes, manter é o que está certo. É tranquilo. O Cuca teve esse período para avaliar e vai começar o returno do zero. Tenho certeza que vai dar certo”.
Só uma dúvida a[í: antes do clássico diziam que o trunfo era Cuca. Conhecia bem o Cruzeiro e o Galo, também. Este por jogar contra. Depois, conforme afirmou Maluf, este é o tempo que Cuca precisou pra conhecer o grupo. Céus!
O portal Superesportes avalia que “curiosamente, o presidente Alexandre Kalil considerava que Cuca era o técnico que mais conhecida o Atlético depois de Dorival Júnior. A declaração foi dada na apresentação do atual treinador alvinegro”.

CABEÇA DO PAPAI JOEL VIRA TURBILHÃO


A cabeça do técnico Joel Santana está a mil. Um quebra-cabeça para escalar o Cruzeiro contra o Figueirense, em Ipatinga, e nas próximas rodadas do Brasileiro.Os resultados dos exames de Vítor e Wellington Paulista acusaram estiramento grau 2 na coxa e os atletas ficarão afastados por 3 ou 4 semanas. Outra ausência será o lateral Diego Renan, que vai ficar em tratamento, pelo menos por 7 dias, por causa de um edema.
Para complicar a vida de Joel, o time não terá nesta quarta Fábio, Naldo e Montillo suspensos pelo terceiro cartão e Ortigoza convocado pra Seleção paraguaia.
Na rodada do fim de semana, o time celeste enfrenta o Palmeiras, em São Paulo .Depois o Fluminense. Para o compromisso com os cariocas, Joel deverá ter Diego Renan à disposição. Vítor e Wellington Paulista são de recuperação mais lenta, e não jogam contra o Santos, América e Coritiba. A previsão é que eles retornem apenas na 27ª rodada, contra o Grêmio.
Não sei como Joel pretende utilizar Victorino. Sei apenas que ele não pode, também, ficar fora da equipe. Aos 31 anos, sem jogar há um bom tempo, apenas treinando, o zagueiro Cribari deve estrear na Série A do Campeonato Brasileiro. Ficou 13 anos na Itália. É a principal opção do técnico Joel Santana pra substituir Naldo, que cumprirá suspensão automática, em jogo contra o Figueirense. Victorino nem no banco?
Cribari admite que esteja ansioso para entrar em campo pelo Brasileirão e defender o Cruzeiro pela primeira vez. "Eu venho treinando ai já há uns 40 dias com o grupo e é um momento que eu esperava sinceramente há uns 13 anos na minha carreira, se houver mesmo a oportunidade nesta quarta-feira", afirmou.
Contratado junto ao Napoli, Cribari chegou ao Cruzeiro no princípio de julho. Revelado pelo Londrina-PR, o jogador, que nasceu em Cambará-PR, transferiu-se para o futebol italiano em 1998. Durante 13 anos no futebol italiano, o zagueiro passou por cinco clubes: Empoli (1998 e 2004), Udinese (2004 e 2005), Lazio (2005 e 2010), Siena (2010), além do Napoli, onde ficou entre 2010 e 2011.
Penso que o grande problema do time esteja no gol. Afinal, a ausência será de Fábio, o santo protetor da equipe no Brasileiro. Entra o menino Rafael, bom goleiro, mas nada ainda comparável a Fábio.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

CRUZEIRO SEM 5 CONTRA FIGUEIRA

O Cruzeiro terá desfalques importantes pra enfrentar o Figueirense na próxima quarta-feira, às 20h30, em Ipatinga, pela abertura do returno do Brasileirão. Cinco titulares estarão fora: Fábio, Naldo e Montillo receberam o terceiro cartão amarelo. Diego Renan e Wellington Paulista se lesionaram no clássico e estão vetados.
A torcida azul fez festa pela vitória, porém não deixou de manifestar seu repúdio ao Senador pela negociação de Dudu. Até porque sabe que mais dois nomes de respeito sairão no final do ano: Montillo e Fabrício.

GALO COM NOVA FORMAÇÃO NO SUL

Contra o seu xará Furacão, o Atlético Galo muda outra vez Cuca não poderá contar com o volante Serginho, suspenso. Uma opção é Mancini. Outra é formação com três zagueiros. A delegação embarca pra Curitiba cheia de beques. O jogo é nesta quarta-feira às 20h30.

Relacionados: Goleiros: Renan Ribeiro e Giovanni; Laterais: Eron e Triguinho; Zagueiros: Réver, Leonardo Silva, Werley e Lima; Volantes: Pierre, Fillipe Soutto e Richarlyson; Meias: Daniel Carvalho, Caio, Bernard e Mancini; Atacantes: André, Guilherme, Neto Berola e Magno Alves

domingo, 28 de agosto de 2011

MONTILLO FAZ A DIFERENÇA DO CLÁSSICO

COM CERTEZA OS DOIS GOLS de Walter Montillo não estiveram presentes na prancheta de Joel Santana nem nos seus treinamentos durante a semana. Foram obras do talento inato, puro, deste argentino. No primeiro, a presença na troca de passes com WP-9 e a chegada como ponta-direita audacioso; driblou Renan Ribeiro e só não entrou com bola e tudo pra não humilhar. No segundo,uma troca de postura com a defesa do Galo. Saiu driblando, passou por dois, e mandou ver, rasteirinho, no canto baixo direito de Renan, que colaborou na obra prima, saltando com atraso.
Até então o que se via era o Cruzeiro lá atrás, cobra venenosa preparando o golpe, enquanto seu adversário corria atrás da sorte e do apoio da torcida que enchia a Arena do Jacaré. Em certos momentos pareceu-me que o Galo teria essa sorte: Aos 21m do primeiro tempo perdeu WP-9 por lesão. Joel leu bem o jogo: botou Charles pra fechar o lado de Diego Renan e liberar mais Roger. Afinal, Montillo já havia marcado seu nono gol no Brasileiro, aos 12m.
Anselmo Ramon não aparecia, mas incomodava a zaga e devida a atenção. O Galo passou a pressionar, mas a dupla Guilherme e André não funcionava, bem anulada por Naldo e Léo. Pelo lado esquerdo, onde o Galo insistia com Richarlyson o lateral Vitor repetiu as atuações anteriores. Fechou o setor. O time de Cuca tinha maior posse de bola e a pontaria ruim. Aos 43m, nova baixa azul: Diego Renan sente e Joel arrisca. Coloca Gilberto.
Cuca botou Berola no segundo tempo, adiantou a marcação e só o Galo jogou. A bola batia no ataque do Cruzeiro e voltava. Roger e Montillo, bem vigiados, não cadenciavam o jogo. O empate não demorou. Aos 11m, Felipe Soutto, voltando à forma, soltou um balaço de perna esquerda, da intermediária. Fábio fez golpe de vista e a bola entrou no ângulo. Expectativa de virada. Com Gilberto, o Cruzeiro tinha 10 em campo. Ah, me esqueci: tinha Montillo. Então, na verdade, tinha 11 no gramado.
Joel pra sair do sufoco final mandou Ortigoza para o lugar de Roger e atrasou Montillo de novo. Aos 43m, o argentino marcou os 2 a 1 finais. De fora da área.

TIMÃO É CAMPEÃO SIMBÓLICO DO TURNO

O São Paulo de Adilson Batista pode afirmar que arrancou excelente resultado na Vila Belmiro. Teve Carlinhos Paraíba expulso aos 29m do primeiro tempo, fez l a 0 com l0 em campo, num golaço do garoto Lucas, aos 45m e só tomou o empate aos 36m da fase final num petardo de Ganso, que voltou a jogar bem. E destaco que os sãopaulinos tiveram mais chances no contra-ataque de ampliar o placar, já no primeiro tempo.
No Engenhão deu-se o contrário: o Flamengo teve um atleta expulso e recuou pra manter o placar de 0 a 0. Conseguiu evitar vitória do Vasco que o colocaria bem melhor na classificação geral.
O Palmeiras de Felipão derrotou o Corinthians por 2 a l, todavia não evitou que o Timão ficasse com o simbólico título de campeão do primeiro turno. Com a combinação dos demais resultados, o time paulista 37 pontos na liderança. O Flamengo, com o empate diante do Vasco, segurou a vice-liderança com 36. São Paulo e Vasco, com 35, ocupam as outras duas vagas do G-4.

No Grenal, o Grêmio fez valer o seu mando de campo, no Estádio Olímpico, e derrotou o Inter por 2 a l. E No clássico de Santa Catarina repetiu o placar da maioria doe clássicos: Figueirense 2 x Avaí l. Só o Ceará fez mais bonito, em casa: aplicou a goleada de 3 a 0 sobre o Bahia e levantou, de novo, o astral perante sua torcida.
Imagino que o clássico do Rio, debaixo de um calor danado, tenha feito muita gente passar mal. O técnico Ricardo Gomes passou. É a segunda vez que assusta a moçada durante uma partida. Quando comandava o São Paulo passou mal, também, e foi levado às pressas para um hospital próximo do estádio. Como aconteceu domingo no Rio.
O moço tem pressão alta, o que não é brincadeira, não!

Boa vai levando a vida na Segunda Divisão numa boa. Bateu no Duque de Caxias, lanterna da competição, por 2 a 0. Deu pro gasto. O jogo em Varginha levou público razoável ao Melão.

SENADOR BOTA CRUZEIRO À VENDA

CASO ME MANIFESTE como desejo abro minha guarda à Lei de Imprensa, ao desrespeito a um senador biônico - nem tão preocupante! - e perco a linha. O Cruzeiro sofre um processo de liquidação imediata pra tapar algum furo na contabilidade, em vista da recente anunciada saída do senador. Quem nem será UMA SAÍDA assim, verdadeira. O fato de não existir nem oposição no clube caminha tudo pra ficar do mesmo jeito. Peço licença pra deixar o JORNALISTA ANTÕNIO MELANE, do Superesportes/EM, contar a história da venda de DUDU, um desaforo com a torcida cruzeirense. A verdadeira e não aquelas que mantêm os palanques eleitorais do Senador e são mantidas por ele.

"O sucesso do armador Dudu, de 19 anos, no Campeonato Mundial Sub-20 rendeu de imediato mais retorno financeiro para o Cruzeiro: 5 milhões de euros (cerca de R$ 11,6 milhões). Foi quanto o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, pagou para levar a promessa celeste, revelada na categoria de base, à qual chegou em 2005 para jogar no mirim..o os dirigentes ucranianos passaram o dia na Toca, assinaram todos os documentos da negociação e no final da tarde a venda já estava concluída... há quase uma semana o jogador tinha conhecimento do interesse do Dínamo, mas preferiu seguir os treinamentos para manter a forma".

"Dudu não escondia a felicidade: “Proposta irrecusável para o Cruzeiro, e eu vou poder garantir parte do meu futuro. Mas quem me conhece sabe perfeitamente que desejo muito mais. Agora é mostrar o que sei na Ucrânia. Vou jogar bem lá e seguir os passos para disputar a Olimpíada e, quem sabe, em breve, estar também na Seleção principal. Gosto dos desafios”. O contrato será de cinco anos".
"Dudu, natural de Goiânia (GO), entra para a lista dos jogadores celestes que foram negociados neste ano. A diretoria descarta novas vendas. Entre os alvos de clubes russos e italianos estaria o armador Montillo".

"O atleta goiano disputou 26 jogos e marcou três gols pelo Cruzeiro. Foi lançado pelo técnico Adílson Batista. Sua estreia ocorreu na derrota por 3 a 1 para o Palmeiras, em 14 de junho de 2009, no Parque Antártica, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro. No ano passado foi emprestado ao Coritiba, a pedido do técnico Ney Franco, que o levou também para a Seleção Brasileira. Dudu parte com dois títulos: campeão Brasileiro da Série B 2010, pelo Coritiba, e Mineiro de 2011..."

"...através de seu site oficial, o clube anunciou que recebeu proposta do Dínamo de Kiev, de 5 milhões de euros (R$ 11,6 milhões)... o diretor de futebol Dimas Fonseca confirmou ao Superesportes que o negócio está fechado..."

Minha gratidão ao colega Melane. Mas quando entra o cartola se justificando, prefiro fazer logo minhas críticas. São bobagens atrás de besteiras. Inverdades. Por exemplo, posso até acreditar nessa história de que o clube detém 100% dos direitos econômicos de Dudu visto que o atleta começou sua carreira no mirim da Toca. Tem apenas 19 anos e o Cruzeiro não aproveitou nada de seu futebol. Claro que podia esperar mais e fazer mais dinheiro por ele. A projeção é de que Dudu do Dínamo vá para um grande clube da Europa pelo triplo do preço. Então mais dinheiro para os cofres azuis.

Segundo o cartola Dimas Fonseca," O Cruzeiro recebeu proposta duas vezes maior pelo Montillo e não vendemos. Achamos melhor, nesse momento, negociar o Dudu, que ainda é um jogador com idade de júnior e não é titular da equipe. Estamos fazendo o possível para manter um elenco forte, mas a proposta que recebemos era muito boa para ser recusada e tínhamos que pensar no futuro do clube”.

Aos 29 anos, o craque Montillo se fosse negociado agora provocaria mais revolta na torcida celeste por tratar-se de um ídolo. Contudo, não renderia mais nada ao Cruzeiro no futuro, nem aos envolvidos. Ou seja, negócio sem rebarbas. E Dudu só não é titular porque os incompetentes dos treinadores contratados por Dimas Fonseca só gostam de trabalhar com medalhões e ex-jogadores em atividade. Vide Gilberto.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

SOBRARÃO EMOÇÕES NESTE CLASSICO DO DESEPERO


nESTA ÚLTIMA RODADA do primeiro turno do Brasileiro nosso extinto super-clássico será apenas um jogo cercado de emoções, incertezas, indecisões e remissão de pecados. Pra alguns chamados grandes foi desastroso. Vários que pensavam no título ficaram no meio do caminho. Times campeões como Atlético, Atlético Paranaense, Grêmio, Cruzeiro e Santos já podem desistir e se focarem em outros objetivos menores. Dentre estes, a maioria corre enorme perigo de descer à Série B. Ou reage a partir de agora e entra no returno com moral lá em cima ou se prepara pra queda final. Serão mais 57 pontos em disputa; dá de sobra para uma recuperação legal. Todavia os desesperados ou acomodados precisavam melhorar – e bem – seus percentuais de rendimento.
Com as Geraes do doutor Antônio Anast-azia prematuramente descartada da disputa do título nacional, o fictício troféu de campeão do primeiro turno fica entre Corinthians, 37 pontos, e Flamengo, 34. Ambos tiveram pequenos escorregões nas últimas rodadas, não aproveitadas pelos demais concorrentes, São Paulo, Vasco e Botafogo. No entanto, estes prosseguem na carreira da reta final.
É uma rodada de clássicos estaduais. Já neste sábado serão disputados dois: Fluminense x Botafogo; e o famoso Atletiba – Atlético Paranaense, de Renato Gaúcho, e o Coritiba de Marcelo Oliveira.
Na Arena do Jacaré, o nosso Coelho tenta nova vitória contra um adversário que saiu lá de trás e vem que sobe: o Atlético Goianiense. Não será nada fácil, outra vez, a vida de Givanildo Oliveira.
No domingo, o horário global das quatro da tarde estará pleno de clássicos: Flamengo x Vasco; Palmeiras x Corinthians; Grêmio x Internacional; Santos x São Paulo. Como nossos dois times de maiores torcidas estão com água pelo pescoço, o horário que a Poderosa reservou pra eles foi o das seis horas, dentro do temível “pagar-pra-ver”.
E tem aquela história tonta de jogo de uma torcida só. O movimento dos atleticanos, no twitter é grande. Visa não deixar buraco na arquibancada que possa ser aproveitado por cruzeirenses disfarçados.
Se a Massa bobear o cachimbo cai mesmo. Além do clássico daqui neste horário haverá o jogão estadual de Santa Catarina, Figueirense x Avaí. O primeiro na zona intermediária, na frente do Cruzeiro, e o Avaí, time do genial Guga, em penúltimo lugar. O outro confronto é dérbi regional: Ceará x Bahia.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

FOTOS DE JORGE CONTIJO MOSTRAM O KALIL DA COLETIVA


(Peço licença pra mostrar a melhor obra da coletiva que é o trabalho fotográfico de Jorge Gontijo, publicado no Superesportes. Desculpe-me, mas penso que foi o que de melhor sobrou da coletiva. O trabalho de Gontijo, um mestre da fotografia, mostra as vicissitudes de Alexandre Kalil, em diversos ângulos de seu perfil).


URSO BRAVO SAIU DA TOCA; aí a montanha rugiu, rugiu, durante quase uma semana, e pariu um camundongo. Porém desviou o foco do clássico no qual o Galo é mandante; encheu a torcida de responsabilidade e quase todos os ingressos foram vendidos. Anunciou uma lista de dispensa de araque, com três nomes de ex-titulares – Toró, Guilherme Santos e Geovanni Augusto. E mandou recado à oposição que começava a se assanhar: será candidato à reeleição em dezembro.
Pela manhã tentei falar com Alexandre Kalil, antes da coletiva. Especulava-se muita coisa e fui atrás do verdadeiro motivo. Ele me atendeu, porém estava soturno, de pouca conversa, que decidi desejar-lhe apenas juízo. Pra dizer a verdade, da coletiva tirei de bom pouca coisa: a confissão do presidente de que errou no planejamento dos jogos de volta ao Ipatingão; o Galo retornará à Arena de Sete Lagoas. E a liberação de Obina, “meu grande erro”,
A coletiva de Kalil está em todos os sites, jornais, gravações e etc. Pesquei o trecho inicial, bem no seu estilo: “Eu vim aqui hoje depois de uma longa conversa com a minha família, que se resume nos meus filhos, porque não tenho mulher, nem namorada. Eles acharam por bem que eu deveria fazer uma declaração para a torcida do Atlético, e, logicamente, responder a todos pelo momento que nós passamos”
“A declaração que quero dizer é a seguinte: eu sou candidato à presidência do Atlético no final do ano. Meu nome estará na cédula e o Conselho poderá consagrá-lo ou tirá-lo. Se há algum movimento pensando em me desestabilizar como dirigente, esqueça. Quero dizer que é legítimo que qualquer atleticano, que esteja dentro da legalidade estatutária, seja candidato a presidente, até porque, estou dando a notícia para quem quer se candidatar. Está muito bom ser presidente. O cara vai pegar um clube organizado, bacana. É ótima oportunidade para os que querem ser presidente”.
Lembro-me que Kalil, certa vez, afirmou que o Atlético precisa de 10 anos de boa direção. Disse mais: “Não é o Alexandre Kalil. Tem muita gente aqui dentro capaz de tocar o Atlético. O Atlético precisa de dez anos de boa direção. Só não sei se o outro lado aguenta. O Atlético aguentou 10 anos. Se fizermos 10 de boa administração aqui, nós só vamos ter um time na cidade”.
Na coletiva Kalil explicou o motivo de tentar a permanência no comando do Galo: “Eu quero colher o que foi plantado aqui dentro, e eu vou colher, certamente. Isso aconteceu no Santos e no Internacional. O Marcelo Teixeira organizou o Santos e ele vem ganhando. O Atlético anda muito bem e o orçamento deste ano já está devidamente fechado. Não temos problema para levar o Atlético até dezembro. Eu, ou qualquer outro presidente, já pega o orçamento fechado”.

INTERNACIONAL CAMPEÃO


DEU MOLEZA O Dorival chega lá. Mal aportou no Gigante da Beira-Rio, o ex-atleticano Dorival Júnior abiscoitou o seu primeiro título com o Internacional. Salvo melhor juízo, comandou o time em três dois, sendo dois contra o Independiente de Buenos Aires; perdeu lá (2 a 1) e venceu cá (3 a 1) com nova atuação de gala do centroavante Leandro Damião, autor de dois belos gols.
O terceiro, de pênalti, no finalzinho da partida, cobrado por Cleber, assegurou o título da Recopa aos gaúchos.
Pra sua informação: A Recopa é disputa entre o campeão da Libertadores e o campeão da Sul-Americana.

VISTO ESTARMOS na pouco prestigiada Copa Sul Americana, convém destacar ao menos a nova vitória do Flamengo, na partida de volta, sobre o Atlético Paranaense. Ambos entraram com times mistos e foram se reforçando com o andar da carruagem.
O Mengão deixou pra colocar William no segundo tempo. Desde o início escalado, o campeão mundial sub-20 Negueba infernizava a vida do Furacão. Com a entrada de William, o técnico Renato Gaúcho começou a sentir que a vaca iria pro brejo com chifre e tudo. O empate classificava o Fla que venceu na ida por l a 0, gol de RG-10.


Então, Vanderlei Luxemburgo decidiu lançar sua arma mortal. Trocou Fael por Ronaldinho e mandou o time parar de cruzar bola na área para o seu tanque desajeitado. Só não contava que RG-10 faria exatamente o que Fael não fez: um gol de cabeça.
Minutos antes de sair, Fael perdeu daquele gol Inacreditável, estilo Deivid. Já RG-10 estava no pé da trave, sozinho, apenas encostou a cabeça na bola e a empurrou para as redes. A primeira vitória do Flamengo na Arena da Baixada: l a 0, gol de RG-10. Que fase o moço vive!
NAS OUTRAS partidas da fase nacional da Copa Sul-Americana, o São Paulo atropelou o Ceará no Morumbi por 3 a 0, gols de Cícero, Lucas e Dagoberto, juntando-se ao Botafogo, que eliminou o Galo, e Flamengo. O quarto time sairá do confronto entre Palmeiras x Vasco.
O PEIXE, já com vaga garantida na Libertadores do ano que vem, como atual campeão da competição continental, tem mostrado plena recuperação no Brasileiro, onde frequentou por várias rodadas a zona do rebaixamento em função de partidas adiadas. No jogo atrasado da oitava rodada, passou pelo Fluminense, na Vila Belmiro. Atingiu 21 anos, mais longe do buraco negro. Além disso, tem agora o artilheiro do campeonato: Borges fez os dois gols da vitória sobre o tricolor carioca. São 12 gols em 15 partidas e a artilharia do Campeonato Brasileiro. O gol do Flu foi marcado por Rafael Moura, outro destaque na competição.
OS ARTILHEIROS principais do Brasileiro são os seguintes: Borges, com 12 gols; Ronaldinho Gaúcho, com 10; Deivid, Leandro Damião, Montillo e Rafael Moura, com 8: Alessandro, do América, com 7. Vejam que Montillo, como meia-atacante, está em ótima companhia. Ao lado de grandes artilheiros do Brasil.
(Foto: Editoria de Arte Globoesporte.com)

Palmeiras e Vasco têm clássicos importantes pelo Campeonato Brasileiro, mas antes precisam se encontrar pela terceira vez em duas semanas para decidir uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana. Nesta quinta-feira, às 20h15m (de Brasília), no Pacaembu, os rivais se enfrentam com situações e espíritos bem diferentes. Pressionado e em desvantagem, o Verdão pede casa cheia e vai com força total para buscar a classificação. Por outro lado, um tranquilo Vasco poupa jogadores em função do desgaste e vai a São Paulo tentar administrar a vantagem que já possui.
Como venceu o primeiro jogo por 2 a 0, em São Januário, o time de Ricardo Gomes pode perder por um gol de diferença que avança mesmo assim. Ao Palmeiras só cabe a vitória, e no mínimo por dois gols de vantagem – novo 2 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Se o Vasco conseguir fazer um golzinho no Pacaembu, o Verdão terá de vencer por diferença de três para não ser eliminado pelo primeiro critério de desempate – o gol marcado fora de casa.
Ricardo Gomes e Felipão fazem terceiro duelo
em apenas duas semanas. (Foto: Editoria de Arte Globoesporte.com)

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

DESABAFO DE UM ATLETICANO PRA LÁ DE DOENTE

VOU FUGIR À REGRA QUE estabeleci para o meu blog de publicar mensagens longas demais. Porém, por tratar-se de meu primo, jornalista Iraq Rodrigues, que multiplica a Trincheira no seu blog particular e no site da familia Pontes de Assis, abro exceção. Escreva então Iraq Rodrigues "do Menino Jésus:

"A coisa tá feia demais da conta. Não é "apenas a ausência de títulos importantes", o que estamos presenciando é a morte lenta e silenciosa de um dos últimos bastiões da paixão incondicional por um clube de futebol. É uma pena, mas o que era pra ser o nosso ideal - vencer, vencer, vencer - passou a ser o sentido mesmo de tudo, a qualquer preço. A qualquer preço! Desta forma, ganhar um brasileiro ou uma libertadores virou a única saída, a única forma de recuperar esse sentimento de pertencimento, de amor incondicional e de orgulho. Houve uma época em que se tinha valores mais elevados como referência, mas esse tempo passou. Acabou. Misericórdia...
Ao invés de preservarmos, valorizarmos e usarmos a Força que tem o Clube Atlético Mineiro pra ganhar os títulos, agora temos que ganhar um título pra fortalecermos o Clube Atlético Mineiro? Então é isso?
Se sim, então... inverteu-se a lógica, o sentido, os valores. Viramos um clube qualquer.
Porque qualquer clube vive de títulos. Esta é a regra. A exceção são os clubes que vivem de coisas maiores, de coisas raras e só produzidas de dentro pra fora - como paixão incondicional, auto-estima, identidade, a importância medida em amizade... Entretanto, é óbvio que as vitórias do time-que-representa-em-campo-um-clube tem que vir, os troféus tem que vir. É essa busca, esse tesão pela vitória, que move o esporte. Mas é só isso: o troféu é um alimento, um combustível, aquilo que tira da inércia esse gigante de listras alvinegras que tem em sua história o que de mais honroso pode ter uma instituição esportiva: é filha da amizade. Nascido num espaço público, o Clube Atlético Mineiro é a maior contribuição que os mineiros já deram pro mundo do esporte. Diante disso, ser atleticano vai além de ser ou não o primeiro numa dada competição - e eu já disse isso aqui, não quero ser redundante, de ficar repetindo metáforas já gastas, obsoletas, em desuso. O momento não é propício para ficar circulando em utopias.
Mas também não esperem que eu fale com o conhecimento de causa que vocês tem. Eu não sei analisar um esquema tático, não sei dizer se o treinador mexeu certo ou errado. Até mesmo porque eu não vejo treinamento do time do Galo, aliás, com exceção dos 3 anos em que participei dos campeonatos de futsal do bairro Floresta, eu nunca tive treinamento pra prática do futebol. Não estudei o esporte, não cursei Educação Física, enfim, não tenho conhecimento pra tanto. Fui peladeiro apaixonado. E encerrei precocemente minha carreira de peladeiro por acertar uma cabeçada numa trave e chegar à conclusão que não sei mesmo jogar bola.
Enfim... voltando ao Galo...
Quando assisto a um jogo como o de ontem, fico fulo da vida. Não porque o time do Galo perdeu mais uma, ou porque fomos mais uma vez desclassificados dessa merda de Sulamericana. Que se danem as sulamericanas, panamericanas e demais competições americanas, mundiais ou intergaláticas. Independentemente se for campeonato ou copa, a única coisa pra que servem é colocar o meu Galo pra jogar - e ponto final. Pra mim, é simples assim. Mesmo.
Entretanto, por outro lado, porém...
Se é pra jogar, então é pra vencer. Eu fico possesso quando vejo essa indiferença com que estão tratando essa instituição tradicional e ímpar, esse orgulho do esporte nacional. Não entendo essa falta de sangue nos olhos que caracteriza essa turma que está vestindo o santo sudário alvinegro... o juiz comete um erro crucial daqueles e ninguém, nem que seja pra botar uma pressão, põe o dedo no nariz dele? É só um tal de conversa pra cá, pose pras câmeras de TV, reclamações contidas... Nenhum quebra-pau, nenhum cartão por reclamação exagerada, nenhuma expulsão por indisciplina! Que merda é essa? Perder, a derrota faz parte. Mas aceitá-la não! E não é pra ficar dizendo que falta um "algo mais", que "nós merecíamos melhor sorte" ou que o juiz do jogo influenciou no resultado. E muito menos pra ficar trocando camisas e amabilidades depois do jogo, numa anemia desgraçada. Foda-se o fair play, foda-se o espírito de competição, eu quero ver é sangue! Pro inferno com esse profissionalismo-azul-calcinha que tomou conta do futebol profissional (do profissional, que fique bem claro) do meu clube.
O Clube Atlético Mineiro é uma teocracia presidencialista. Não tem vocação pra monarquia plutocrática nem pra clube-empresa. A não ser que eu seja um delirão, um imbecil completo, estamos perdidos e sem-pai-nem-mãe nesse mundo do futebol-fetiche justamente porque internalizamos esses modelos da bem-aventurança alheia. Pra mim, isso é de uma clareza solar. Fizemos tudo certinho, igualzinho, idêntico, tal e qual determinado na Cartilha do Sucesso Calabrês, mas não funcionou - e estava escrito na tábua de Moisés que não funcionaria. Eu só não vi porque, reconheço, fraquejei na minha fé. Acreditei no Bezerro de Ouro.
E não funcionou também porque futebol não é receita de bolo. O melhor "projeto" que existe tende a fracassar se for implantado a fórceps, como se fosse uma prótese de silicone em forma de troféu. O Clube Atlético Mineiro tem suas particularidades, suas especificidades, sua tradição e identidade própria. Não serve pra nós o modelo carioca, por exemplo. Lá, os clubes devem mais que nós, não tem a estrutura e nem dão as condições de trabalho que damos, nem estão num patamar de qualidade técnica acima do nosso. Alguns, como Botafogo e Vasco, a meu ver, estão num patamar abaixo. Mas o Fluzão é campeão brasileiro, o Bonde do Mengão é o anterior, o Vascão é o atual campeão da Copa do Brasil. Por que? Porque lutam com as armas deles, aproveitam ao máximo o fato de estarem no Rio, de pertencerem ao Eixo. Os clubes paulistas, mesmo os do interior, tiram proveito do fato de pertencerem ao estado mais populoso e mais rico da federação, com os maiores mercados publicitários da América do Sul. O que é aquele uniforme do Corinthians, minha gente? Parece abadá de micareta, parece uniforme de time do interior do Mato Grosso, financiado por alguma irmandade de empresários e políticos da cidade, de tão poluído! Mas, o que importa isso? Nada. O que importa é que eles estão na liderança do campeonato, só isso.
Existem bons exemplos pra nós, dentro e fora do Brasil, como Barcelona e Internacional de Porto Alegre. Exemplos que passam pela valorização do clube, de sua gente, de sua memória. É plantar nossa própria colheita. Os jogadores formados nesses clubes tem algo que nenhum outro possui, mesmo que tecnicamente inferiores aos "importados": orgulho. Tem a raça, a genética. Mais ainda: eles acreditam, tem fé. Porque sem fé é impossível acreditar na vitória sobre o improvável. Notem quantos jogadores saíram das divisões de base do Barcelona e que estão no atual time deles. Começando por Pato e chegando em Damião, quantos jogadores revelou pro mundo o Inter? E não preciso ficar chovendo no molhado, citando pra vocês os frutos colhidos desse plantio...
Peço, mais uma vez, que me perdoem o longo desabafo. Mas é porque quem tem leitores como nós aqui do grupo temos, é impossível resistir, segurar essa torrente de pensamentos e sentimentos que assolam um atleticano - principalmente, e infelizmente, em tempos difíceis como estes.
Um abraço. E dá-lhe Galo, carajo".

terça-feira, 23 de agosto de 2011

BOTA NÃO PARA DE VENCER O GALO, PÔ!

O gol dos cariocas foi de pênalti. Outra vez pênalti duvidoso. Foi falta de Léo Silva? Foi dentro ou fora da área? Tais dúvidas não existem nas cabeças racionais: não houve a falta de Léo e foi fora da área. Contudo, como a fase é daquelas, na dúvida: apita contra o Galo, juiz!
É o que manda a lei das entrelinhas na CBF. Ou de quem, realmente, comanda o futebol tupiniquim. Na verdade, o jogo do Engenhão, o segundo entre Atlético x Botafogo pela Copa Sul Americana, era o tipo de morte anunciada. O Fogão havia feito 2 a l, em Ipatinga, na ida. O Galo virou freguês dele. Então, a vitória agora por l a 0, gol de Herrera na cobrança do pênalti duvidoso foi mais que justa. Fim de papo.

Falamos ao telefone; Ney Franco, campeão do mundo sub-20, o melhor treinador da jovem geração brasileira, e este filho do Sodico. Nós deixamos combinado possível encontro em Vargem Alegre, dia 11 de setembro, por ocasião do batizado de sua filhinha Isabela, de um ano. Como existe ali por perto um feriado dia 7, quem sabe faço aquela parada em Caratinga, eu revejo as netinhas Luana e Sophia e minha querida Juliana.
E por falar em Ney Franco penso em Dudu personagem de dois fatos esses dias. O sequestro de sua filha de quatro meses, em Goiânia, que melou meia hora depois, com os bandidos abandonando a criancinha atrás de uma igreja; e a declaração marota do técnico Joel Santana.

Após declarar amor eterno ao Gilberto, o que ratifica a previsão da Trincheira de que Papai Joel acabará por morrer abraçado ao mau humorado amigo, o técnico saiu com essa pérola:
"O Dudu é uma pedra preciosa, um jogador que, a cada dia que passa, está crescendo, e faz parte do nosso grupo É um jogador que, quando saiu daqui, entrou bem em alguns jogo da Seleção, contribuiu até para alguns resultados. É um jogador que despontou bem na Seleção Brasileira, é um jovem promissor que, claro, faz parte do nosso grupo".
Ou seja, Dudu no entendimento de Joel será bom reserva. Todo treinador que renega trabalhar com atleta da base sempre possui uma desculpa na ponta da língua pra não deixar os repórteres sem resposta. Uns dizem que não gostam de queimar etapas; outros que é preciso muito cuidado pra não prejudicar o jovem talento.
Chiiii, vem confusão por aí! O paulista Sálvio Spinola Fagundes Filho apita Atlético x Cruzeiro, domingo, às 18h, na Arena do Jacaré, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ele será auxiliado por Guilherme Dias Camilo e Helbert Costa Andrade, ambos das Geraes do doutor Tonico Anast-azia

GALO DE CRISTA ARRIADA TENTA APAGAR O FOGO


Numa fase como esta que passa o Galo quando nada dá certo, o pão cai sempre com a manteiga pra baixo, o urubu de baixo “cospe” no de cima, o apoio de terceiros é bem vindo. Sejam terrenos, extraterrestres, espirituais, e ou oriundos de despachos de terreiros bons e dos zodíacos. Do interminável Galinho do Quintino, Zico, então nem se fala. Este famoso camisa 10 da Gávea, pelo Flamengo, travou enormes batalhas tanto com o Galo como contra o Botafogo. As rivalidades afloravam nessas épocas.
O Atlético foi treinar no CFZ no Rio de Janeiro e o anfitrião desejou sucesso aos mineiros na Copa Sul-Americana e, principalmente, numa reação dentro do Brasileiro. Zico é menino de ouro. Faz parte de uma geração que não foi abençoada na Seleção, porém ganhou tudo nos times.
Sem dúvida, na vida pessoal do Galinho nunca alguém de sua família deixou de meter o pau no Botafogo. Algoz dos rubro-negros desde Garrincha, Didi, Quarentinha, Nilton Santos, Zagallo, Amarildo e outros. Assim, Zico tem lá seus motivos, além da solidariedade a um clube que nunca deixou de recebê-lo bem, através do doutor Neylor Lasmar, e que vive situação desesperadora.
O apoio de Zico, o drama de Cuca que em duas semanas escalou equipes diferentes a cada partida, a mágoa de Richarlyson e palavra incisiva de Réver fazem parte do conjunto de matérias numa reportagem espetacular, neutra, apenas informativa, que Daniela Mineiro apresenta no Superesportes/EM ao lado do fotógrafo Marcelo Jordy/ TV Alterosa.
Não sei se a jovem repórter é filha (ah, sobrinha!) de Sônia Mineiro, neta de Rodrigo, meu mestre; sei que é de uma escola onde o que é bom vem do ovo, diria Fernando Vanucci, meu amigo sumido. Depois desta rasgação de seda peço licença ao Superesportes, aos repórteres Daniela Mineiro e Marcelo Jordy/ TV Alterosa, pela ousadia em usar parte dos textos de tal reportagem nesta Trincheira.
“Se o técnico Cuca trata a Copa Sul-Americana com bons olhos, os jogadores do Atlético também não desdenham a competição. Em situação complicada no Campeonato Brasileiro, avançar no torneio internacional poderá ser importante para recuperar a confiança.
“A gente precisa reverter esse placar o quanto antes e procurar minimizar as derrotas que tivemos no Brasileirão”, afirma o zagueiro Réver.
Cuca deve escalar força máxima contra o Botafogo, nesta terça-feira, para tentar a classificação para a segunda fase. Réver destaca que ninguém pediu para ficar fora da partida, preservando-se para o Campeonato Brasileiro.
“A gente também não quer ser poupado e quer jogar. Vamos buscar o resultado positivo, que estamos devendo. Nosso saldo está negativo com o Atlético e o torcedor. Esperamos reverter isso na terça-feira para dar continuidade na Sul Americana”, afirmou.
A partida de volta será no Engenhão. O primeiro jogo terminou em 2 a 1 para o Botafogo, na semana passada, em Ipatinga.
Apesar de estar no Atlético há apenas oito meses, o volante Richarlyson garante que o tabu atleticano diante do Botafogo o incomoda muito. Nas últimas 21 vezes em que as equipes se enfrentaram, o Galo venceu apenas uma vez, tendo empatado seis e perdido 14.
Dessas 21 partidas, Richarlyson esteve em campo em duas oportunidades e foram duas derrotas. O volante destacou que o fato de entrar em campo e ouvir o torcedor chamando o time de 'freguês' é muito ruim para o elenco.
“Nós, jogadores, não estivemos em todas as partidas que o Botafogo ganhou do Atlético, mas, de um certo modo, a gente fica chateado, se cobrando quando vê a torcida, com 20 minutos, gritando ‘é freguês, é freguês’. Acima de tudo, a gente tem que ter um aditivo a mais e mostrar para ele que
esse retrospecto tem um momento que vai acabar. Espero que nesta terça-feira a gente faça isso”
Nesta terça-feira, as duas equipes se reencontram pelo jogo de volta da segunda fase da Copa Sul-Americana. Na partida de ida, no Ipatingão, o time carioca venceu o Galo por 2 a 1. Apesar de já entrar em campo em desvantagem no placar, Richarlyson está confiante de que o Atlético pode sair de campo classificado à próxima fase.

“Do mesmo modo que eles foram lá e fizeram dois, a gente pode ganhar de 2 a 0 ou até de 3 a 2. É um jogo super normal, como outros, mas que a gente tem que buscar forças”.
O jogo entre Botafogo e Atlético será às 20h15, no Engenhão. Para avançar à próxima fase, o Galo precisa vencer por dois gols de diferença ou por um, desde que marque três gols ou mais.
Sem tempo para treinar a equipe, Cuca tem dedicado boa parte do pouco tempo que tem entre os jogos para orientar os atletas com muita conversa. E as reuniões ganham cara de ‘divã’. O treinador, há menos de duas semanas no Atlético, já detectou que o emocional é um dos pontos a serem trabalhados. A péssima campanha no Campeonato Brasileiro, com a equipe na zona de rebaixamento e sem demonstrar reação, faz a cobrança sobre os atletas aumentar cada vez mais.
Na derrota para o Botafogo, por 2 a 1, sábado passado, o volante Richarlyson teria dito que a pressão é muito grande. Na entrevista coletiva, Cuca comentou:
“Se o Richarlyson falou que o lado emocional atrapalha e não consegue jogar, é o sentimento que ele tem, e temos que entender. Outros devem ter o mesmo sentimento e não estão expondo. Temos que trabalhar esse lado também. Às vezes, o jogador não consegue ter um desempenho não só uma condição de perna e pulmão. É também cabeça. Temos que melhorar nisso também”, disse.
O Atlético não vence há sete jogos, sendo um pela Copa Sul-Americana. É o time que mais perdeu no Campeonato Brasileiro, com 11 derrotas. Tem a segunda defesa mais vazada, com 36 gols em 18 partidas. Desde que Cuca assumiu, no lugar de Dorival Júnior, foram quatro derrotas em quatro jogos.
A falta de tempo para treinar é um dos fatores apontados por Cuca pelos maus resultados da equipe sob seu comando. “A gente está atrasado numa série de fatores. Tem de correr contra o tempo”, ressaltou o treinador.
Mas antes o Atlético se concentra na Sul-Americana. Nesta terça-feira, no Engenhão, onde nunca venceu uma partida, o Galo precisa derrotar o Botafogo por dois ou mais gols de diferença, ou por um gol, desde que marque três ou mais, para avançar à próxima fase. Se ganhar por 2 a 1, placar aplicado pelo Botafogo no jogo de ida, o Atlético leva a definição para os pênaltis.

ANDRÉ DIAS DESABAFA


Contratado no final de julho, André Dias estreou no América neste domingo. Entrou aos 23 minutos do segundo tempo e, quatro minutos depois, marcou o gol que garantiu o empate por 2 a 2 contra o Atlético Paranaense.

O atacante desabafou sobre os questionamentos sofridos nos últimos anos:

“Os dois últimos anos foram complicados para mim, vindo de cirurgia e jogando fora. Chega-se no Brasil e dá a impressão que você nunca jogou bola, como se tivesse começado agora, ou como se não jogasse há muito tempo, um questionamento danado. Falo isso mais por um desabafo, mas fico feliz por ter entrado e conseguir fazer o gol de empate e ter contribuído com a equipe. Considero esse empate com uma vitória diante da situação”, disse.

André Dias espera contribuir para tirar o América da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro: “Apesar de ter chegado há pouco tempo, me incluo no grupo e acho que também vou fazer parte dele para a gente tentar manter o América na primeira divisão”, concluiu.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

POSITIVO. FOI ESSE MESMO

(no centro da Foto, Vitor Moran que fez a Copa de 82 comigo
na Rede Capital, ambos como comentaristas e Haroldo Fernandes.
o camisa 10 da Tupi (de óculos).

O COMENTARISTA E "PARAQUEDISTA" do Sportv, Dida, ex-lateral do Coritiba,portou-se como imenso "traíra" do seu narrador no jogo Atlético-PR 2 x América 2. O locutor do "pagar-pra-ver", como a maioria nesses casos, perdeu o rumo ao ver o Furacão levar o gol de empate de André Dias. Estava todo serelepe com o time da casa vencendo por 2 a 0 e saindo da zona do rebaixamento. Perdeu-se totalmente. Narrou gol de Léo, camisa 17, que permaneceu no banco. No meio daquele bolo antes do toque fatal seu íntimo torcia pra bola não entrar. E entrou. Enquanto ele saiu... de órbitra.
A garota da reportagem num apoio bem comum jogou a culpa na comissão técnica americana que teria trocado a numeração dos reservas. Tentou amenizar a atrapalhada do narrador sem colocar o braço dela na seringa. Aí entrou o comentarista Dida. Fez pior ainda. Afirmou que viu André Dias no aquecimento e sabia que ele estava em campo. Porém guardou a informação para si, pois a menina lá de baixo informou camisa 17. Também falta ao Dida, após tanto tempo, o essencial: no jornalismo a informação é de todo mundo.
Lembrei-me, então, da história que me contaram há vários anos atrás. Naquele tempo de rádio bom, turma brasileira sempre unida em diversas promoções e jogos da Seleção. Havia sempre uma resenha legal nos botecos. Diziam que o Santos jogava (contra um time qualquer do interior, não importa) com o ataque de Dorival, Mengálvil, Coutinho, Pelé e Abel, este pai do repórter esportivo Abel Júnior da Globo.
De repente, um salseiro tremendo na área adversária e a bola sobra pra um desses escurinhos espertos e bons de bola que a manda às redes. Gol do Santos, grita Haroldo Fernandes, um narrador da Tupi-SP do tamanho do Brasil. Um gigante com quem tive a honra de trabalhar em vários eventos. "Mas de quem?" pensou consigo. Olhou para o lado e o seu comentarista rezingueiro, Mário Morais, com quem estava estremecido, não deu ar de sua graça. Haroldo chutou o nome de quem sempre fazia os gols do Peixe: "Pelé!" Imediatamente, o indicador de Mário Morais saiu do balcão e tremeu no ar, com o característico gesto negativo. Haroldo não perdeu o rebolado: "Mengálvio". O dedo manteve-se no ar, também não. "Coutinho, Coutinho" - só podia ser o xerox do Rei. Também não era, afirmava o indicador de Mário Morais.
Com apenas uma opção, o interminável Haroldo Fernandes abriu os pulmões: "Abel, foi ele sim, torcida santista" e olhou bravo para o impagável Mário Morais que fazia o sinal de positivo.
Haroldo Fernandes então deu a pincelada dos maiores narradores do rádio tupiniquim: "Dorval, Mengávil, Coutinho, Pelé e ...finalmente Abel, todo ataque do Santos mexeu na bola até o toque final, magistral, espetacular, genial da jovem revelação do Peixe, o ponteiro Abel".

O blog de Milton Neves, que "Fim Levou" registra Haroldo Fernandes. Eis ex-narrador esportivo Haroldo Fernandes, "o homem da camisa 10" da equipe 1.040 da Rádio Tupi de São Paulo, está aposentado - também como advogado-, e alterna sua vida mansa em dois endereços: no bairro do Campo Belo em São Paulo e na bela São Lourenço em Minas Gerais. "Quem ganhou, ganhou, quem não ganhou, não ganha mais". Quem não se lembra?

Haroldo Fernandes, brilhante, defendeu também os prefixos das rádios Bandeirantes, Difusora, Record, Panamericana e, na galeria dos grandes locutores esportivos do rádio brasileiro, joga no mesmo time de gênios da história como Jorge Cury, Oduvaldo Cozzi, Osmar Santos, Pedro Luiz, Edson Leite, Fiori Giglioti, José Silvério, Flávio Araújo e Joseval Peixoto.A equipe l.040 da Tupi tinha o comando de Milton Camargo e eu era o chefe da equipe de Belo Horizontes. Uma audiência do tamanho do Brasil, realmente.



domingo, 21 de agosto de 2011

PRECISAVA DE TANTO, NEY FRANCO?


NEY FRANCO, meu conterrâneo e amigo, meu ídolo, o melhor treinador da nova geração que anda neste País tão aloprado, teve a sorte que sempre o perseguiu por merecimento. É campeão mundial na categoria sub-20, segmento que ele domina melhor do que qualquer outro no Brasil. Não duvido que em breve seja campeão mundial na categoria principal, por onde ele voa, também, com sucesso em vários clubes. Sua rapaziada fez bonito tão grande na Colômbia, depois do vexame da Seleção de Mano na Copa América que encheu todo brasileiro de emoção. Consegui segurar o sono sem coragem, entretanto de seguir o jogo na TV. O coração novo me fez conhecer outra sensação que não sentia antes: ansiedade. Quando veio o clima de festa, aí acompanhei tudo e perdi o sono. O moço de Vargem Alegre, ex-distrito de Caratinga, com registro de nascimento nas mesmas terras sagradas onde nasci, acompanhado do seu fiel escudeiro, outro amigo meu que prezo bastante, gente final, da melhor qualidade, Eder Alves, o Bombinha, são abençoados como aqueles do bem e predestinados. Aleluia, Ney.



TORCI TAMBÉM pelo sucesso de Dudu, desprezado pelo Cruzeiro na era Adilson Batista, recuperado por Ney no Coritiba, visto que este menino vai longe. Em breve será sucesso na Europa, O caminho do goleiro Gabriel, quem sabe, não será diferente. Mostrou que Fábio, além de tudo que representa para o clube, tem ensinado muito aos jovens de lá. Resta que os treinadores de fora saibam aproveitá-los, coisa que outros não fizeram.

FESTIVAL DAS FERAS NA BEIRA RIO

Ronaldinho Gaúcho e Leandro Damião que estarão juntos na Seleção de Mano Meneses estiveram inspiradíssimos no clássico Internacional 2 x Flamengo 2, na Beira Rio. Ronaldinho, numa cobrança de falta magistral, fez l a 0. Aos 46m, do primeiro tempo, o Inter perdeu o volante argentino Guiñazu expulso. Já tinha o amarelo e levou o segundo, bobamente. Com 10 em campo, o Colorado empatou no início da fase final: Leandro Damião fez genial passe de calcanhar para o zagueiro Indío marcar de bico. Aos 16m, Jael fez 2 a l, num lance que começou com RG10, passou pelo certeiro cruzamento de Júnior César e acabou no chutaço de Jael que acabara de entrar.
Aos 39m, Deivid perdeu outro gol "inacreditável", sozinho na área. O passe foi de RG-10 e ele cabeceou pra fora, com o canto vazio. A TV prometeu que a turma do Globo Esporte irá procurá-lo pela terceira vez pra vestir a camisa do quadro "Inacreditável". Deivid fica pê da vida, para de dar entrevistas e não aceita a brincadeira.
O gol de empate foi obra de arte. Andrézinho achou o garoto Delatorre - este também promete - cria do Inter, que levantou a bola pra marca de pênalti, Leandro Damião girou no ar e aplicou a verdadeira "bicicleta". Golaço. Grande jogo: 2 a 2.

TODOS OS RESULTADOS DA DÉCIMA OITAVA RODADA VOCÊS CONFEREM NA COLUNA DA ESQUERDA DESTE BLOG. BEM COMO A CLASSIFICAÇÃO GERAL.

COELHO TRAZ UM PONTO BOM DE CURITIBA

Dentro do planejamento proposto por Givanildo de Oliveira, que é de salvar o América do rebaixamento, a equipe deu um passinho curto, porém importante, no empate (2 a 2) que trouxe de Curitiba contra o Furacão. Não saiu da lanterna, em compensação jogou a equipe de Renato Gaúcho de volta ao buraco negro. Sem falar que mostrou grande personalidade. Levou um gol logo da primeira volta do relógio, numa falha coletiva: o meio-campo e a defesa que olharam o meia Marcinho, na saída do jogo, trazer a bola até dentro da área sem ser molestado. E, por fim, do goleiro Neneca que pulou atrasado e deixou a bola passar-lhe por baixo do corpo.
Ainda zonzo em campo, o América conseguiu evitar novos gols do Atlético Paranaense,porém levou o segundo aos 24m. O lateral Paulinho desceu pela esquerda, cruzou e o garoto Edigar completou para as redes: 2 a 0. Cheirava goleada.
Que nada! Quatro minutos depois, Kempes pegou o rebote do goleiro Renan que não segurou o chute de Rodriguinho de fora da área e diminuiu. Primeiro tempo: 2 a 1.
No segundo tempo, Givanildo fez várias mexidas e numa delas colocou André Dias no lugar de Fábio Júnior. Deu certo. aos 28m, numa cobrança de escanteio, André Dias, na sua especialidade, de cabeça, empatou. Placar final: Furacão 2 x Coelho 2.

sábado, 20 de agosto de 2011

CRUZEIRO JOGA MAL, FEIO, MAS VENCE CEARÁ.

Gil que aparece na foto ( Célio Messias- AE) duelando com
Marcelo Nicácio, do Ceará, será negociado com o Valencienne
da França. Outro que sai.
Pelos 45m minutos iniciais, os quase 7 mil torcedores que pagaram ingresso no Parque do Sabiá pra assistir Cruzeiro x Ceará, pela 18ª rodada do Brasileiro ficaram pessimistas com relação ao resultado final. Os cearenses mandaram no jogo, com a trinca Osvaldo, Boiadeiro e Zé Humberto envolvendo constantemente a defesa azul. Logo aos 7m, Osvaldo driblou Diego Renan e fez o passe pra Thiago Humberto. Da entrada da área, este soltou uma bomba de perna esquerda e acertou o travessão. Roger e Montillo bem marcados não criavam nada. O ataque de WP-9 e Ortigoza não funcionavam. No segundo tempo, o Vovô voltou animado mais ainda. Logo no início, Egídio fez Fábio trabalhar em grande defesa. O técnico acordou após o Ceará perder um gol incrível. Nicácio driblou Fábio e chutou pro gol vazio. Vitor salvou em cima da linha. Aí Joel resolveu mexer: sem maiores opções pra melhorar o ataque, prender mais a bola na frente, tirou Ortigoza e colocou Reis.
Aos 25 minutos, veio o desafogo: Fabrício ligou rápido contra-ataque, com Montillo, que acionou Wellington Paulista. O atacante foi derrubado por Anderson Luís e o juiz marcou o pênalti. Montillo cobrou: 1 a 0 para o Cruzeiro.
Logo após o gol, Roger sentindo cãibras deixou o gramado, e Joel agiu certo: colocou o terceiro volante Charles, que fez sua reestréia com a camisa azul. Antes do apito final, o técnico Joel Santana ainda foi expulso por atirar sua prancheta no chão. Porém, sua manifestação foi de revolta com uma bola perdida por Montillo, num bom contra-ataque. O juiz entendeu que ele reclamava de uma provável falta sobre o meia.


(Foto Celso Lupo - Arena/AE)

GALO MANTÉM A SINA DE DERROTAS. Não adiantou nada o técnico Cuca fugir do convencional e quer antecipar as estréias de Pierre e Triguinho, vindos de contusões sérias. Toda essa combinação, mais o desespero do Galo na zona do rebaixamento, a força do Botafogo no Engenhão, levaram o time à quarta derrota sob o comando de Cuca e a 11ª do time no Brasileiro, que se atolou mais no buraco negro. Os cariocas venceram por 3 a 1 sem muito esforço, a não ser nos minutos iniciais quando Bernard teve duas oportunidades e não concluiu bem.Ainda que marcasse, a impressão que ficou foi de uma provável repetição do jogo anterior: o Galo fez 2 a 0 e apanhou de 3 a 2.Com apenas 15 pontos ganhos em 54 disputados, resta no Brasileiro, neste primeiro turno, o clássico contra o Cruzeiro. O Galo tem aproveitamento ridículo de 27% e antes do clássico enfrenta de novo o Botafogo no Engenhão, nesta quarta-feira, pela Copa Sul Americana. A vantagem neste jogo é toda do Fogão que venceu a partida de ida no Ipatingão.Mais uma vez o time mostrou surpresas na escalação. A maior foi a presença de Mancini. Na semana passada, Cuca informou que o meia iria treinar à parte para “melhorar uma série de fatores”. Quatro dias depois, o atleta entrou em campo como titular. Pierre não teve tempo nem de para treinar. Contratado esta semana, foi regularizado na sexta-feira e estreou no sábado.
O Fogão abriu o placar aos 16m com Elkeson. Em outra bobeira, aos 34m, Felipe Menezes bateu de fora da área: 2 a 0.
O Galo voltou para o segundo tempo com outro estreante, que teve menos tempo ainda de conhecer os companheiros. Na verdade nem treinou. O lateral-esquerdo Triguinho fez os exames na sexta-feira e, em seguida, viajou com a delegação para o Rio de Janeiro. Entrou no lugar de Richarlyson. A outra alteração de Cuca foi a entrada de André no lugar de Mancini.
O Botafogo marcou 3 a 0, aos nove minutos, de novo com Felipe Menezes. Aos 46m André marcou o gol de honra. Ou desonra?
O FIGUEIRENSE não permitiu que o Corinthians disparasse na liderança do Brasileiro. Venceu o Timão por 2 a 0 no Pacaembu e abriu novas chances para que o Flamengo, 34 pontos, vice líder, encoste de novo no primeiro lugar. O Mengo tem uma parada torta contra o Internacional na Beira- Rio. (quadro de jogos e classificação na margem esquerda).

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

CBF ameaça divulgar gravações contra diretor da Globo


Não queria entrar nessa briga de cachorro grande entre a TV Globo e a CBF, até porque não me simpatizo com nenhuma das partes. Mas o vizinho e leitor Gegê Angelino me mandou este e-mail bem interessante que, salvo engano, garimpou no orkut. Diz lá a mensagem saltando a parte do Gegê e indo direto ao que interessa:

“ Em conversas reservadas esta semana, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, se disse perplexo e "revoltado" com o que considerou "cacetada da Globo". Para o dirigente, a reportagem do "JN" exibida no último sábado foi "uma porrada" e "pesada demais", nas palavras de Teixeira. O F5 teve acesso ao desabafo do dirigente por meio de pessoa próxima, que fez o relato sob a condição de anonimato.

No último dia 13, o "JN" utilizou três minutos para falar das investigações sobre supostas irregularidades em contrato da seleção brasileira para a realização de um amistoso ( Brasil 6 x 2 Portugal, em 2008). Foi a primeira vez que o telejornal da Globo entrou nas denúncias contra o comandante da CBF e até então um aliado histórico da emissora.

Aos amigos, Teixeira se disse traído por Marcelo Campos Pinto, diretor da Globo Esportes. Segundo informação exclusiva publicada no F5 , aliados de Teixeira ameaçam retaliar divulgando gravações de diálogos supostamente comprometedores de Campos Pinto, durante negociações feitas quando a Globo ainda tinha portas abertas na CBF.

"Eles soltam esse tal princípio editorial para me dar a cacetada?", desabafou Teixeira, vinculando o "ataque" sofrido à carta de princípios divulgada por todos os veículos das Organizações Globo, no último dia 6. O documento reafirma posições da Globo a respeito de isenção, correção jornalística etc. Sete dias depois do manifesto, veio a reportagem do "JN". Nesse mesmo dia também houve protesto na av. Paulista pedindo investigações sobre as denúncias e a saída de Teixeira da CBF.

Procurada, a Confederação não se manifestou. A emissora não quis manifestar por considerar que "só há suposição" (das gravações)

Para Teixeira, a "traição" é maior porque Campos Pinto lhe pediu pessoalmente ajuda para a Globo solapar as pretensões da Record, que tentava lhe tirar a exclusividade de transmissão do Campeonato Brasileiro. A Globo derrotou a Record, mas graças ao apoio da CBF.

Bola da Fortuna

Só em publicidade e outros contratos relacionados ao futebol, na Globo movimenta cerca de R$ 1 bilhão por ano. Como manobrou para implodir o Clube dos 13, a emissora teve de negociar individualmente com os times a realização dos próximos campeonatos. Estima-se que, só para cobrir o que gastou nessa guerra, a Globo Esportes terá de faturar cerca de R$ 840 milhões em 2012. O contrato dá direito à Globo de explorar o futebol também em outras mídias, como internet, tablets e celulares.

No ano passado, a Globo faturou com o futebol, tirando jogos da seleção, R$ 616 milhões em cotas de patrocínio, segundo informação da coluna Radar On-line, de Lauro Jardim.

Apesar do grande faturamento, o futebol não é mais lucrativo como no passado para a Globo.

Histórico de guerras

Além da briga com a Globo, Teixeira vem sendo alvo da TV Record, empresa que o detesta e lhe declarou guerra por causa do "imbróglio" do Clube dos 13. C13 e a Record estavam associados e a emissora já dava como certa a vitória na licitação pelo Brasileiro. Só que a Globo conspirou nos bastidores com auxílio da CBF e acabou com as pretensões da TV de Edir Macedo.

Quando o processo licitatório foi finalmente aberto pelo C13, Corinthians e Flamengo já estavam fechados com Globo, a Record teve de desistir sem apresentar proposta. Aproveitando uma brecha, a RedeTV! então surgiu (do nada) e ofereceu R$ 1,5 bilhão pelos direitos. Só que a proposta da RedeTV! estava vinculada a uma série de outras "condições", de forma que, dinheiro propriamente dito, concreto, quase não havia nessa proposta. Acabou descartada por todos os clubes.

O fato é que Ricardo Terra Teixeira, 64, aparentemente não contava com a reação da Globo, após sua entrevista à revista "Piauí" --entrevista que agora ele considera "um erro". Na entrevista, o dirigente humilhou emissora, portais e jornalistas, e chegou a dizer "Caguei um montão", a respeito das denúncias que vinha sendo alvo, uma vez que era poupado de ataques na Globo e, em especial, no "Jornal Nacional". Dias depois, a Globo divulgou a lista de "princípios editoriais".



O técnico Luiz Felipe Scolari fez questão de colocar um ponto final nas especulações que agitaram o Palmeiras antes do empate em 1 a 1 com o Bahia, nesta quinta-feira, no Canindé. Bastante paciente e com jogo de cintura, Felipão respondeu claramente sobre a conversa com Paulo César Carpegiani, a relação com o vice-presidente Roberto Frizzo e a possibilidade de deixar o comando do clube. Categórico, ele afirmou:
- Nada me tira do Palmeiras.
Coitado do Palmeiras, coitada da torcida do Verdão, coitada da Imprensa paulista, ter que aguentar esse baú sem alça é duro!

FLA CAI DE GOLEADA, O ÚLTIMO INVCTO




Ainda bem que Ronaldinho Gaúcho não estava em campo e nem a massa rubro-negra, nas arquibancadas. O Flamengo perdeu a invencibilidade no Brasileiro de forma inesperada e de goleada para o Atlético-GO, em recuperação agora sob o comando de Hélio dos Anjos. O Dragão goiano enfiou 4 a 1 no Mengo de Luxemburgo e ficou mais longe da zona do rebaixamento. O público pequeno foi de apenas 7.649 pagantes (10.278 presentes), no Engenhão.
O Flamengo sofreu sua segunda derrota na temporada (a outra foi para o Ceará, também no Engenhão, pela Copa do Brasil), ficou nos 34, três atrás do líder Corinthians, que ainda soma duas vitórias a mais (11 contra nove). A próxima partida do Flamengo será contra o Inter, domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio. O time terá os retornos de Ronaldinho Gaúcho e Renato, que cumpriram suspensão automática. Já o Atlético-GO recebe no mesmo horário, no Serra Dourada, o outro gaúcho, o Grêmio. Thiago Neves, ajoelhado e desolado, foi o quadro final da partida ( foto de Alexandre Cassiano//globo)

GOLS DE PLACA NÃO TIRAM COELHO DA LANTERNA

O COELHO TEM FEITO gols que são verdadeiras obras de arte. Em compensação, perde outros que “até a vovó de Givanildo faria”. Vem sendo assim desde o início do Brasileiro e o time completa a quinta rodada na lanterna da competição. Não foi diferente diante do São Paulo. No primeiro tempo, chutou mais, teve mais posse de bola, e perdeu boas oportunidades, mas levou tremendo susto quando Rivaldo chutou uma bola na trave.. Na segunda fase, o São Paulo dominou e no finalzinho da partida, Marlos abriu a contagem. Pronto, outra derrota em casa!
Dos males o menor! Marcos Rocha cobrou uma lateral, William desviou e cabeça e Kempes, de bicicleta, marcou outro belo gol americano.Final, Coelho l x São Paulo l.
O resultado deixa o América na lanterna com 12 pontos. O São Paulo permanece em terceiro, com 33, e segue na luta para alcançar o topo da tabela. Na próxima rodada, o Coelho enfrenta o Atlético-PR briga dentro da zona de rebaixamento. domingo, às 18h, na Arena da Baixada. O Furacão é o primeiro time fora da zona de rebaixamento, com 16 pontos. Já o São Paulo terá o clássico contra o Palmeiras também no domingo, às 16h, no Morumbi.



quinta-feira, 18 de agosto de 2011

CONTRA GANA MANO LEMBRA DE FÁBIO. TÁ BOM!



Fábio foi chmado por Mano Menezes pra fazer Seleção Brasileira que fará amistoso contra a De Gana, dia 05 de setembro, em Londres, no estádio Craven Cottage. A apresentação será dia 30 próximo. Fábio desfalcará o Cruzeiro nas rodadas 20 e 21 do Campeonato Brasileiro, contra Figueirense (casa) e Palmeiras (fora). É a terceira convocação de Fábio fora de mão nessa temporada. O goleiro fez parte do grupo de Mano Menezes nos amistosos contra Holanda e Romênia, em junho, antes da Copa América. No entanto, Fábio ficou fora da lista de Mano Menezes para a competição.

ERRO DE GAROTO DERRUBA CRUZEIRO NA ARENA DA BAIXADA.

A impressão que me deixou a besteira infantil que o garoto Anselmo Ramon fez na Baixada da Arena decretou o fim de sua carreira na Toca da Raposa. Lamentável. Ramon ganhou a titularidade e caía no gosto da China Azul com gols importantes. Sua expulsão provocou a derrota do Cruzeiro (2 a 1) para o Atlético Paranaense. Estava amarelado e abusou de uma jogada individual; perdeu a bola e matou o contra-ataque adversário com uma falta por trás no zagueiro que lhe tomou a bola.
Tudo que Renato Gaúcho pediu de presente. Desmanchou o esquema de três volantes, botou mais atacantes no Furacão e marcou o gol da vitória aos 44m pra desespero de Joel Santana. O técnico celeste cometeu um deslize, também, de avaliação: entrou com Gilberto no lugar de Roger e o Cruzeiro que já tinha 10 passou a jogar com nove. Naquele instante, Leandro Guerreiro seria a solução correta.
De qualquer forma, Joel teve suas estratégias da partida derrubadas pela infantilidade de Anselmo Ramon, aos 22m do segundo tempo. Aí a gente que defende a renovação toma pela fuça: “dá nisso confiar em jogador jovem, sem experiência”. Como se o experiente Gilberto não fizesse coisas piores. Em Curitiba entrou e passeou em campo.
Além do motivo acima, Anselmo Ramon passa a ter contra sua presença entre os titulares as contratações de Bobô e Keirrison. Sem falar que Wellington Paulista reencontrou o caminho do gol e precisa apenas de mais ritmo de jogo.
CONFESSO MINHA DECEPÇÃO com o fracasso do Galo diante do Corinthians. Se não estivesse de coração reformado por duas pontes de safena e um stend, não sei se aguentaria as pancadas que o futebol mineiro tem levado. O Galo por pouco não repetia o América do Engenhão que fez 2 a 0 em poucos minutos no Botafogo e depois apanhou de quatro. Só não foi repetido o placar no Ipatingão por causa de Renan Ribeiro que se redimiu do pênalti que fez em Emerson, numa defesa espetacular.
O primeiro tempo do Galo renovava a esperança que antecipei na Trincheira do dia anterior ao jogo. Acreditava realmente, que daquele jogo a angústia dos atleticanos não passaria. Esteve perto, não fosse aquele segundo tempo inexplicável: em menos de nove minutos o Atlético tomou o empate e perdeu Rever expulso no lance do pênalti que Alex converteu no gol de empate.
Bom, eu chovo no molhado. O andamento da partida foi mais que informado e visto. Dudu Cearense fez l a 0 e Guilherme, de pênalti, ampliou. Na fase final, Emerson desequilibrou: diminuiu para o Timão (2 a 1); logo depois sofreu o pênalti de Réver, que foi expulso e Alex marcou o empate. No terceiro gol, marcado por Liedson, o passe foi de Emerson. Por fim, sofreu o pênalti de Renan que Alex cobrou e o goleiro atleticano defendeu.
A torcida de 11.167 pagantes descontou no lateral Patrick. Ele deixou o gramado substituído sob intensa vaia. Maldade de Cuca. Sabia que o jogador seria hostilizado e deveria mantê-lo até o fim. No primeiro tempo, Patrick foi um dos melhores. Ninguém precisa de passar por uma humilhação tão grande. E na realidade ele não é o maior culpado.
O BRASIL SUB-20 está na final do Mundial da categoria na Colômbia. O time de Ney Franco atropelou o México por 2 a 0, com gols de Henrique e enfrentará Portugal. Uma final dessa já aconteceu e os portugueses...ó na gente! Agora, o buraco é mais em baixo.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

BRIGA DO MAR COM O ROCHEDO

COMO FRANCO ATIRADOR, sem simpatia pra nenhum dos lados, reproduzo o texto encaminhado anexo ao e-mail do meu amigo, doutor Antônio P. Souza, o famoso Tunico, figura de proa em Ibirité-MG:
“Na CBF, a reportagem do Jornal Nacional no último sábado, envolvendo Ricardo Teixeira, foi classificada como uma tentativa de mostrar independência. A tese é de que a emissora precisava contrariar as palavras do presidente da CBF à revista Piauí e demonstrar não estar sobre o controle do cartola. Tinha que dar uma resposta à sociedade”.
“Porém, na confederação brasileira, a matéria foi considerada boba, com poder de fogo inofensivo, e chegou a ser comparada à série feita recentemente pela Record, ironizada na entidade. Os aliados do cartola sustentam que ele não é o alvo da investigação sobre o uso de dinheiro público no amistoso entre Brasil e Portugal. E, já que o manda-chuva da CBF foi citado na reportagem, o mesmo deveria ter sido feito com o presidente da Federação Portuguesa”.
“Ao mesmo tempo em que a turma da CBF nega haver estremecimento com a Globo, a emissora agora é alvo de comentários jocosos. Um deles é o seguinte: “É fácil mostrar independência quando a Globo não está negociando nenhum contrato com a CBF. Por que não mostra independência no meio de uma negociação?”
“Fora da CBF, aliados do presidente do COL (Comitê Organizador Local da Copa) também avaliam que a emissora escolheu um tema lateral, que não atinge o Mundial, para fingir que bateu no dirigente”.
ISSO É QUE É briga de cachorro grande, o resto é fichinha. Como diria minha saudosa Dona Geralda, do alto de sua sabedoria como matriarca dos Anselmo e de resto do pessoal da numerosa família Pontes de Assis: “na briga do mar com o rochedo quem só apanha é o bobo do carangueiro, bicho lerdo; não nasceu em Vermelho Novo”. Sábia, muito sábia, minha querida mãezinha.

OLHAÍ QUE NOTÍCIA PRA LÁ DE BOA

Tupi é um dos quatro invictos do CampeonatoTerminado o primeiro turno da Série D do Campeonato Brasileiro, apenas quatro (dos 40) times permanecem invictos. E o Tupi é uma dessas equipes que ainda não perdeu. As outras são Santa Cruz-PE (grupo 3), Villa Nova –MG (6) e Cianorte-PR (chave 8). Em número de pontos conquistados, o Galo, com oito (duas vitórias e dois empates) é o oitavo mais eficiente, ao lado do Santa Cruz e atrás de Villa Nova (12 pontos – única equipe 100%), Cianorte (10) e Cuiabá-MT (grupo 1), Sampaio Corrêa-MA (chave 2), Treze-PB (grupo 4), Coruripe-AL (também do 4) e Juventude (chave 8) – todos com nove pontos conquistados.
O ataque do Sampaio Corrêa marcou doze gols e é o melhor do campeonato. Nesse quesito, o Tupi, com sete, ocupa a nona posição geral. Já a defesa do Galo, que só levou três gols, é a quinta mais eficiente da Série D – as menos vazadas são as do Guarani-CE (grupo 3), Formosa e Volta Redonda (ambos, chave 6), que só levaram um gol; e Villa Nova, dois tentos sofridos.
O artilheiro desse primeiro turno da Série D é Marcinho Beija-Flor, do Oeste, que já balançou as redes adversárias sete vezes. Pelo Galo marcaram Luciano Ratinho (2), Cassiano, Augusto, Vitinho, Ademilson e Dennis.
Nos 80 jogos da Série D foram marcados 196 gols, uma média de 2,45 por partida. Já a média de público é de 2.572 pessoas por jogo. O Tupi levou aos estádios, até agora, 15.402 torcedores – porém, nos jogos em Juiz de Fora (contra Tocantinópolis e Anapolina) foram apenas 2.506.bEM PEQUENA, O PESSOAL DE JUIZ DE FORA PRECISA PRESTIGIAR MAIS O GALINHO DE RICARDO DRUBSKY.

A NOITE DE ONTEM, contudo, não foi das melhores para o Boa, em Varginha. Empatou com a Ponte Preta, vice-líder da Segunda Divisão,a um ponto atrás da Lusa, por 1 a 1. Venceu ate aos 39m do segundo tempo quando levou o empate. O Boa está numa situação intermediária na classificação geral.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

PIERRE VEM FECHAR A DEFESA DO GALO



O técnico Cuca foi atendido pela diretoria do Atlético depois da derrota por 3 a 0 para o Coritiba, na capital paranaense.
Pierre já está em Belo Horizonte e realizou os primeiros exames médicos numa clínica particular da cidade. O jogador conversou com o Superesportes após os exames e disse que está muito feliz pela possibilidade de voltar a trabalhar com o técnico Cuca, que o dirigiu no Paraná. "Tenho um carinho enorme pelo Cuca. Estou bem fisicamente e vou me sentir em casa em Belo Horizonte, pois já conheço alguns jogadores do grupo do Atlético".
O volante, de 29 anos, estava insatisfeito no Palmeiras. Pouco aproveitado por Luiz Felipe Scolari, ele não escondia seu desejo de deixar o Verdão. Sua última partida pelo time paulista foi no dia 10 de julho, contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Com Felipão, o volante, às vezes, não era relacionado nem para o banco. (Superesportes-EM)

THIAGO RIBEIRO NEGOCIADO

EU CHEGUEI A LAMENTAR AQUI a falta de interesse do Cruzeiro em manter Thiago Ribeiro, visto não ter o time outro jogador com as suas características. Mudei meu pensamento. A atitude do atleta, fazendo birrinha, batendo os pés, e pedindo pra não ir a Curitiba justifica minha mudança. Além da informação que ouvi sobre a proposta do clube em comprar os outros 50% dos direitos dele, pertencentes a um empresário uruguaio. O próprio TR não quis. Aos 25 anos, entende que jogará num time pequeno agora, mas com chances de se transferir depois para um grande na Itália. Não foi assim que ocorreu na sua passagem pela França. Teve efeito iôiô. Bateu lá e voltou. No entanto, melhor que seja ele, do que Walter Montillo, outro que está na prateleira de negócios. A torcida haverá mesmo de lastimar a perda de Fabrício - e justo para o grande rival - no final do ano, quando se encerra o contrato dele.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

CUCA FICA APENAS NAS AMEAÇAS

(foto Glaydson Rodrigues - EM/ DA Press)

A despeito da entrevista pós-jogo quando se mostrou, como sempre, sorumbático, sombrio e reticente, o técnico Cuca não deverá promover alterações profundas no Atlético para o jogo contra o Corinthians, nesta quarta-feira, no Ipatingão. Ficou o dito pelo não dito. As mudanças previstas são aquelas provocadas pelos cartões amarelo e vermelho.
Torcedores estiveram no portão da Cidade do Galo e cobraram desempenho dos jogadores. O presidente Alexandre Kalil almoçou com o técnico e nada mais foi revelado, nem o cardápio.
Segundo a turma da derrota em Curitiba, Cuca preferiu conversar. Segundo alguns torcedores que conseguiram falar com o técnico ouviram dele a sugestão da contratação de Pierre, volante do Palmeiras. No entanto, acreditam os torcedores que Cuca não pediu nada ao presidente; espera que a torcida faça tal cobrança.
A Massa tem razões de sobra pra estar assustada em razão da nona derrota em 16 rodadas e que colocou o time no buraco negro. No meu blog, Thales Rosa insere um vídeo “onde Cuca manda a torcida exigir que Kalil contrate Pierre”. Ele afirma, também, que o vídeo mostra o diretor de futebol, Eduardo Maluf, mandar uma torcedora “se f...”. Triste e doído momento. O leitor Thales que me enviou o vídeo ( tá no meu blog – www.flavioanselmodepeitoaberto.blogspot.com ) disse que “Cuca nao foi homem para pedir isto ao Kalil, ele quer que a torcida pressione” . Com o devido respeito, não é questão de ser homem, ou não. É o que sempre falo sobre Cuca: por ser tão dissimulado, desgasta-se rapidamente.
Melhor é colocar as coisas em seus devidos lugares pra que injustiças não sejam cometidas. No time escalado em Curitiba, nenhum jogador deixou de se esforçar, ao contrário do que declarou Werley, intempestivamente. Não existe esse negócio de “futebol é coisa de homem”, que não pode haver “meiguice”.
A Marta, cinco vezes eleita a melhor jogadora do mundo, está aí pra não deixar os bobos acreditarem na tolice acima. Futebol precisa de qualidade e falta isso ao time principal do Atlético.
Existe um diretor de futebol, grande conhecedor do assunto, Eduardo Maluf, responsável pelas contratações, como ele próprio já disse várias vezes.
Quem veio, chegou com aval de algum treinador. O presidente Alexandre Kalil só foi atrás buscar. Quando sentiu que a barca fazia água, mandou embora os ondeiros e os treinadores que não conseguiram afivelar o cinto.
A torcida está assustada, porém não mais que Kalil, Groppen, Lásaro e outros dirigentes apaixonados pelo Galo. E porque confio nesses homens nos quais não duvido nem um segundo da competência de cada é que confio na volta por cima. E vai começar em cima de um grande time, o líder Corinthians, Tenham fé!

GLOBO BRIGA DE MENTIRINHA COM A CBF

BEM QUE A GENTE tem visto os apresentadores dos jornais da TV Globo lendo editoriais bem sem sentido e cheios de mágicas. Tudo por causa da declaração do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, à revista Piauí. Disse que só ficaria preocupado se um dia o Jornal Nacional desse alguma coisa contra ele. E deu. Leiam o que publicou o jornalista Ricardo Perrone no seu site:

"Na CBF, a reportagem do Jornal Nacional no último sábado, envolvendo Ricardo Teixeira, foi classificada como uma tentativa de mostrar independência. A tese é de que a emissora precisava contrariar as palavras do presidente da CBF à revista Piauí e demonstrar não estar sobre o controle do cartola. Tinha que dar uma resposta à sociedade.
Porém, na confederação brasileira, a matéria foi considerada boba, com poder de fogo inofensivo, e chegou a ser comparada à série feita recentemente pela Record, ironizada na entidade. Os aliados do cartola sustentam que ele não é o alvo da investigação sobre o uso de dinheiro público no amistoso entre Brasil e Portugal. E, já que o manda-chuva da CBF foi citado na reportagem, o mesmo deveria ter sido feito com o presidente da Federação Portuguesa.
Ao mesmo tempo em que a turma da CBF nega haver estremecimento com a Globo, a emissora agora é alvo de comentários jocosos. Um deles é o seguinte: “É fácil mostrar independência quando a Globo não está negociando nenhum contrato com a CBF. Por que não mostram independência no meio de uma negociação?”
Fora da CBF, aliados do presidente do COL (Comitê Organizador Local da Copa) também avaliam que a emissora escolheu um tema lateral, que não atinge o Mundial, para fingir que bateu no dirigente".

DUDU E GABRIEL BRILHAM NA SUB-20

NÃO EXISTE NADA de novo no desempenho destacado desses dois cruzeirenses na Seleção Sub-20 de Ney Franco. Já fazem isso há mais tempo sob a orientação do treinador que é o maior revelador de talentos neste País. Enchedor dos cofres dos clubes como o Cruzeiro, onde atuou vários anos e nunca teve a devida consideração por parte do Senador. Só passou a ser cotado, após fazer sucesso no Rio de Janeiro e em Curitiba. Antes, o Senador dizia que Ney voltaria quando ganhasse experiência. Dudu, Bernardo, Thiaguinho e outros sumidos por aí são os resultados de treinadores que trabalham apenas com medalhões. Ainda bem que Dudu voltou com Cuca. Quase fica de vez no Coritiba.Ele e Bernardo, brilhando no Vasco, já interessam a clubes europeus pra alegria do Senador. O goleiro Gabriel, quem sabe, também vá atrás depois do Mundial na Colômbia. O próximo adversario do Brasil, ja nas semifinais, será o México.

domingo, 14 de agosto de 2011

PITACOS DO LEITOR

Fiz opção conforme já avisei pela Trincheira em responder os e-mails aqui no blog. Então relacionei alguns possíveis de publicar e responder. Direto no blog o leitor continua liberado pra pitacar direto e, por responsabilidade exclusiva dele, escrever o que quiser. Claro, se for educado, sem palavrão.

LANGLEBERT DRUMOND, Governador Valadares: Flávio, eu lhe encaminho email recebido do Chico Sampaio, desejando ouvir sua quase "impossível" opinião.

“Langlebert, você que é amigo do Flávio Anselmo, favor pedir a ele, mesmo que seja uma tarefa quase impossível; sua opinião do por quê do galo ter jogadores que notoriamente e por opinião unânime de vários torcedores, não terem futebol para jogar num time da série A, estão no Galo. É por causa de patrocinadores, empresários etc. Langlebert, nós não merecemos esse sofrimento todo. Tem jogador no Galo que não serve nem para o nosso DEMOCRATA (PANTERA). Não vou citar nomes, por questão de respeito (apesar que a eles não têm respeito com os torcedores). Deveriam se envergonhar dos altos salários que recebem em relação ao futebol fraquíssimo que estão jogando.

Resposta: Caro Chico, o Langlebert passou por isso tudo e sabe melhor do que eu. A responsabilidade de uma diretoria ou do presidente cessa no instante em que ele entrega a direção ao diretor de futebol remunerado e ao técnico. Eles indicam e o presidente contrata ou não dependendo do valor da transação. No caso do Atlético, acreditou-se nos técnicos importantes como Luxemburgo e Dorival. São vitoriosos, também. Contudo, as contratações em excesso, talvez até algumas forçadas por empresários no esquema de “levam este, mas têm que aceitar este contra-peso”. Coisa normal no futebol há tempos e até nos negócios das cervejas de antigamente. Leva a Brahma cerveja, porém junto vai o Guaraná, uma porcaria. Lembra-se? Acertar este elenco de 34 jogadores é que é o problema agora do Cuca. Sei lá se vai conseguir!

JOSÉ ANTÔNIO M. DE S. E SILVA - BH

”Amigo, eu me pergunto diariamente, quando vejo os programas esportivos pela televisão, e aparece a figura do Joel Santana, se um treinador de futebol, ostentando seis air bags no abdome, tem realmente condições de treinar e exigir fundamento de um atleta. Amigo, este Joel, tá igual museu, vive do passado. Tentei lembrar de algum título importante, exceto o rural fluminense que o Joel, tenha conquistado e não encontrei nada. Será mais um ano que o Perrela engana o torcedor cruzeirense. Primeiro bancou o Adilson, como aprendiz de treinador, durante três temporadas, não ganhou nada. Contratou o Cuca e nada, agora vem esse dinossauro. Até quando??

Resposta: Clique no Google ou entre no site do Cruzeiro e você verá a relação de títulos ganhos pelo Joel Santana. Engano seu: ele ganhou mais títulos do que o citado por você. Gosto do trabalho do Joel e penso que, se não existem tantas variações táticas no seu trabalho, ou na sua prancheta como gostam de goza-lo, posso afirmar que as poucas existentes são de bons fluídos. O problema normal é a teimosia com certos medalhões, no caso, Gilberto e Everton, por exemplo. Joel acaba afogando-se abraçados a eles. Com o elenco que tem, herança maldita dos treinadores anteriores, sem nenhuma responsabilidade com a renovação de base, prevejo que o Cruzeiro chegará, através de Joel mais longe que se imagina. Se o Senador deixar, claro.

IRAQ RODRIGUES “DO MENINO JESUS” - Lagoa Santa “Flávio - para alguns jogadores do Galo, sugiro o banho de afogamento. É um banho de imersão com mãos e pés amarrados e com uma pedra de 100 kg presa ao corpo do distinto que é para ele não voltar”.

Resposta: Senhor Bom Jesus do Galho, Iraq! Onde está a humanidade gravada na sua certidão de batismo? “Menino Jesus” jamais o perdoará.

MARIO SÉRGIO – Brasília/Caratinga

Este rapaz que vi de calças curtas em Caratinga, filho de Eva e do saudoso amigo Mário Careca, tem grave defeito: como o pai é Fluminense, doente. Se ao menos fosse igual ao tio, Carlos Carraro, que é Galo doido, vá lá. Seu email é respondido com atraso, após a ferrada que o Coelho aplicou no tricolor carioca:
“Flávio, Muito feio mesmo. Mas o time atual já está muito longe daquele que foi campeão! Pelo menos espero que o Coelho tire pontos de outros times também e fique na primeira divisão. Sobre o pênalti, seus colegas da Globo, Sportv, jornal Lance e site Globo esporte disseram que não foi! Sei que você gosta muito deles, especialmente do PPV! Rsrsrs”.

Resposta: pessoalmente gosto mesmo, Mário Sérgio, de alguns deles, principalmente do Sportv onde trabalhei por cinco anos. Porém, entre acreditar na versão deles e na minha, que também acompanhei o lance, o pênalti foi escandaloso. Rodriguinho – parece – foi calçado por trás. Faz mal não. O certo é que o Coelho triturou o Flu por 3 a 0. Pena que não fez o mesmo contra o Botafogo, no Engenhão!!

PAULO HALMACEK – BH

“Caro analista, depois de tantas idas e retornos, tudo continua na mesma no nosso futebol. Volta Cuca, com seu esquema ousado, marcando pressão na linha do meio de campo, tomando a bola no campo adversário, etc. Como sempre, depois de alguns meses, será defenestrado por maus resultados. Preste atenção no lateral esquerdo Bruno Cortez, 24 anos, bom porte físico, jogador para ser titular da atual seleção brasileira”.

Resposta: Está cedo, no caso de Cuca, pra ele implantar qualquer esquema novo. Tentou alterar alguma coisa contra o Coritiba e piorou o time. Não teve tempo de treinamento e de ajustar os novos atletas no esquema. Se é que houve algum! Quanto ao Cortez tenho visto ele jogar é me impressiona. Porém, penso ser cedo pra qualquer avaliação. O entusiasmo dele, que jogou este ano por uma equipe pequena, é enorme. Tem domínio de bola, porém é preciso avaliar melhor seu QI. Caso contrário, é outro Guilherme Santos que vem por aí. Abs

GALO LEVA NOVA GOLEADA E ENTRA NO G-4 DO MAL

QUALQUER TORCEDOR EXACERBADO diria que o Galo foi, mais uma vez, espoliado pela arbitragem nacional e. notadamente, pelo gaúcho Leandro Vuaden sempre cheio de má vontade com os mineiros. Isso se for levado em conta o primeiro gol do Coritiba, em flagrante impedimento do autor Bill. Ou se for colocada alguma dúvida no segundo gol, de pênalti, cometido ( ou não?) por Toró em Rafinha; ou até mesmo no terceiro, também de pênalti, cometido (ou não?) por Serginho - expulso no lance - aos 44m do segundo tempo sobre Leonardo. São opiniões que podem ser discutidas, exceto o lance do gol impedido, porque são dadas em cima de lances discutíveis.
Uma coisa, contudo, não se discute. O Coritiba esteve o tempo todo melhor do que o Atlético. Nada proposto por Cuca funcionou. Vamos tirar do bolo o goleiro Renan que não teve nenhuma culpa. As duas laterais falharam demais; a zaga, idem, idem com a mesma data; no meio de campo ninguém jogou nada. A entrada de Felipe Soutto não acrescentou o esperado e Bernard valeu apenas pelo esforço; Toró, ridículo. Richarlyson nadou, nadou e morreu na praia. As mudanças não resolveram coisa alguma. Guilherme esteve no mesmo nível do seu xará da lateral.
NO PRIMEIRO GOL, anotado pelo centroavante Bill em completo impedimento, a jogada nasceu do lado direito da defesa atleticana. Tcheco chutou, a bola resvalou em Réver e chegou a Bill, totalmente adiantado. Aos 31m, o time de Marcelo Oliveira mandava na partida e fez l a 0. O segundo gol veio aos 31m do segundo tempo. Rafinha saiu driblando pela direita e teria sido derrubado por Toró, segundo a arbitragem. Há controvérsias. Rafinha cobrou, Renan Ribeiro defendeu, mas a bola sobrou pro cobrador, livre. A defesa do Galo olhando. Com calma, Rafinha colocou no canto oposto: 2 a 0.
NO TERCEIRO GOL, o domínio do Coxa era total. Desesperado, o Galo dava chutões e fazia faltas. Serginho foi amarelado. Num lance seguinte, derrubou Leonardo na área. Pênalti. Houve reclamação mais pra pressionar o juiz e evitar novo amarelo e o vermelho. Não aconteceu. Leonardo cobrou e fez 3 a 0. A nova derrota do Atlético no Brasileiro.
A última vitória do Galo como visitante foi contra o Avaí (3 a 1) na Ressacada. Esta é a sétima derrota fora de casa. Na realidade, nesse período o Atlético ganhou apenas dois pontos em empates com o Bahia ( l a l ) e o Grêmio (2 a 2).
Há esperança de que a era Cuca comece, realmente, nesta quarta-feira contra o Corinthians - um dos líderes, ao lado do Flamengo, ambos com 34 pontos - no Vale do Aço. O Timão ainda negando fogo. Nesta rodada empatou no Pacaembu em 2 a 2 com o Ceará.
COM ESTE resultado e combinado com os do final de domingo ( Bahia l x Internacional l; Grêmio 2 x Fluminense l) o Galo entrou na zona do rebaixamento. Com 15 pontos, empatou com o Santos, porém perde no saldo de gols menos ruim: -6 contra -10. Cruzes!!

sábado, 13 de agosto de 2011

CRUZEIRO FAZ AS PAZES COM A TORCIDA

O TIME FOI ESCALADO BEM OFENSIVO: dois volantes, dois alas, dois meias e dois atacantes. O adversário, desesperado, não saía lá de trás e sofria marcação cerrada em seu próprio campo. O Cruzeiro abriu o marcador rapidamente com Fabrício, em belo lançamento de Roger. Logo depois, marcou o segundo: Anselmo Ramon escorando de carrinho o cruzamento de Vitor pelo lado direito. A fome era tanta que não demorou quase nada e o beque Welton Felipe, aquele revelado no Atlético, perdeu a bola na pressão de Wellington Paulista que arrancou livre área adentro. Foi derrubado por trás pelo grandalhão e desajeitado zagueiro agora no Avaí. Pênalti: Montillo cobrou e fez 3 a 0. Welton Felipe como determina a lei foi expulso.
Os azuis não estavam satisfeitos: antes do final do primeiro tempo Vitor foi derrubado na área em outra penalidade. O argentino Walter Montillo, artilheiro do time e um dos que brigam pela artilharia da competição, perdeu a chance de fazer seu oitavo gol. Bateu fraco e mal. O goleiro Felipe pegou.
No segundo tempo, o time de Joel Santana esfriou e caiu de produção. A torcida passou a pedir mais um, mais um, mais um. E Papai Joel atendeu: botou Thiago Ribeiro no lugar de Roger e alguns minutos em seguida entrou com Ortigoza no posto de WP9. As mudanças deram certo. Thiago Ribeiro fez 4 a 0 pelo lado esquerdo e Ortigoza marcou um golaço, driblando com a direita e colocando com a esquerda no ângulo de Felipe: Cruzeiro 5 a 0. Subiu pra 21 pontos e melhorou, por enquanto sua posição na classificação geral.
NOS OUTROS RESULTADOS deste sábado, além da goleada do Cruzeiro e da derrota do Coelho, o Atlético-PR quase atropelou o São Paulo no Morumbi. O time de Adilson foi salvo por um gol de Rivaldo, aos 47m do segundo tempo e empatou em 2 a 2. O outro Atlético, o goiano, em casa, não tomou conhecimento de Neymar, Ganson e cia: derrotou o Santos por 2 a 0 com o Serra Dourada lotado de santistas.