quarta-feira, 17 de agosto de 2011

BRIGA DO MAR COM O ROCHEDO

COMO FRANCO ATIRADOR, sem simpatia pra nenhum dos lados, reproduzo o texto encaminhado anexo ao e-mail do meu amigo, doutor Antônio P. Souza, o famoso Tunico, figura de proa em Ibirité-MG:
“Na CBF, a reportagem do Jornal Nacional no último sábado, envolvendo Ricardo Teixeira, foi classificada como uma tentativa de mostrar independência. A tese é de que a emissora precisava contrariar as palavras do presidente da CBF à revista Piauí e demonstrar não estar sobre o controle do cartola. Tinha que dar uma resposta à sociedade”.
“Porém, na confederação brasileira, a matéria foi considerada boba, com poder de fogo inofensivo, e chegou a ser comparada à série feita recentemente pela Record, ironizada na entidade. Os aliados do cartola sustentam que ele não é o alvo da investigação sobre o uso de dinheiro público no amistoso entre Brasil e Portugal. E, já que o manda-chuva da CBF foi citado na reportagem, o mesmo deveria ter sido feito com o presidente da Federação Portuguesa”.
“Ao mesmo tempo em que a turma da CBF nega haver estremecimento com a Globo, a emissora agora é alvo de comentários jocosos. Um deles é o seguinte: “É fácil mostrar independência quando a Globo não está negociando nenhum contrato com a CBF. Por que não mostra independência no meio de uma negociação?”
“Fora da CBF, aliados do presidente do COL (Comitê Organizador Local da Copa) também avaliam que a emissora escolheu um tema lateral, que não atinge o Mundial, para fingir que bateu no dirigente”.
ISSO É QUE É briga de cachorro grande, o resto é fichinha. Como diria minha saudosa Dona Geralda, do alto de sua sabedoria como matriarca dos Anselmo e de resto do pessoal da numerosa família Pontes de Assis: “na briga do mar com o rochedo quem só apanha é o bobo do carangueiro, bicho lerdo; não nasceu em Vermelho Novo”. Sábia, muito sábia, minha querida mãezinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.