quarta-feira, 3 de agosto de 2011

QUEREM QUE A GENTE ACREDITE. MAS EM QUEM?

Após curtir alguns dias maravilhosos no apê dos sobrinhos Fausto Júnior (cruzeirense) e Adriana pra acompanhar ao vivo a festa dos cinco aninhos de Lucas, filhinho do casal, em Vila Velha-ES, retorno ao centro das discussões do futebol mineiro. Escrevo, portanto, antes dos jogos da 14ª rodada sobre os quais opinei ontem. Cheio de descrença.
Querem forçar a gente acreditar em nossos times, porém não nos dão motivos pra tanto.
Olhaí o América! Rodou, rodou e caiu na mesmice de sempre: Givanildo de Oliveira. Arre!
O mais estranho é que o cara é contratado, mas não estréia. Deixou o abacaxi do confronto contra o Corinthians para o pobre do ex-goleiro Milagres, técnico do time júnior.
Que diabo é isso? Antônio Lopes que ficou 18 dias no clube e correu da raia, chegou, foi apresentado e dirigiu a equipe diante do Ceará. Levou um sapeca-iaiá de 3 a 0. Não gostou do que viu e mudou tudo. Se mandou três partidas depois – dois empates e mais uma derrota.
Aí o chefe do Conselho de Administração, Marcus Salum, revela que na saída de Mauro Fernandes, a intenção era contratar Givanildo. Todavia, o técnico deixara o clube em 2010 pelas portas do fundo, atrás de uma proposta melhor do Sport do Recife.
Não é suficiente pra descredenciá-lo. O que não o torna credenciado é a sua competência preparada tão-somente pra times das Séries B e C.
Antônio Lopes tinha mais crédito, só que eu desconhecia esta falta de valentia do ex-delegado. Não sabia que era “pato fujão”.
Ainda no campo das contradições, especulações, incompetência, etc, etc, etc, vejo como bom exemplo o jogo que realizaram em Porto Alegre Grêmio x Galo cujo resultado só virei a comentar após descer intacto da caixa de sardinha que a Azul bota na rota Vitória/Beagá e vice-versa.
Entrementes, prevejo a qualidade do jogo já realizado; que pelada deve ter sido!
O que se pode esperar de dois times que têm 32% de aproveitamento, o Grêmio, 16° colocado, time que já foi campeão do mundo e coisa tal; mais o Galo de tantas glórias, de Elias Kalil, de Reinaldo, Cerezo, campeão brasileiro em 71, atualmente com 36% de aproveitamento, em 14°.
Ambos lutam contra o descenso de novo.
Pasmem, o Grêmio espera concluir hoje ou amanhã a contratação de Brandão, o centroavante encostado na Toca da Raposa por falta de qualidade.
E olhem que o Cruzeiro nem centroavante tem!
Por falar nos azuis que enfrentaram os rubros negros, sensação da competição, invictos – pelo menos estavam – a descrença, também, aumenta em razão dos objetivos prometidos à China Azul.
Mentira pura! Ficará na batida de sempre: campeonato mineiro e olhe lá. Que me perdoe o craque Montillo, cuja fase puxa o time mais pra baixo.
Humildade no momento é querer abaixar demais. Quando isso acontece, a bunda aparece.
Sem o jogo contra o Flamengo, o Cruzeiro fez 5 partidas na Arena do Jacaré, chamado de reduto da Raposa, e teve três vitórias – Grêmio, Coritiba e Bahia – dois empates (Palmeiras e Santos) e uma derrota (Botafogo).
Convenhamos: uma campanha na base de empurrar bêbado ladeira abaixo.
Na tevê vejo e ouço críticos dizerem que se a diretoria do Flamengo tivesse contratado um centroavante em nível do resto do grupo seria uma equipe igual ou superior aquela de Raul, Leandro, Júnior, Zico, Nunes e companhia. Sei não!
O Flamengo acertou na mosca ao juntar Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves. Talvez nem Vanderlei Luxemburgo sonhasse que a coisa daria tão certo. A ausência do centroavante não diminui em nada a intensidade do ataque flamenguista. RG e Thiago Neves fazem o resto todo.
Na temporada, Gaúcho marcou 14 gols e Thiago compareceu com 13.
O camisa 9 ali entre eles pode parecer figurante, que só é lembrado pelos gols que perde. Deivid, de fama de matador, no Flamengo é a referência de RG e Thiago nos espaços que os dois devem ocupar. Quem briga com os becões adversários, leva porradas deles, chama-os para as beiradas do gramado, é Deivid.
Os craques aparecem na frente dos goleiros e exercitam toda a arte que Deus lhes deu.
Se não bastassem os números que confirmam a capacidade da dupla vejam as declarações de Thiago Neves: “ Com Ronaldinho eu tenho a convicção de que a bola que lhe passei será devolvida redondinha, redondinha...”
Enquanto os juros no Brasil não escorregam na “Manteiga”, pelo contrário, sobem a toque de caixa, o Santos dá-se ao luxo de perder qualquer coisa em termos de 2 milhões de euros – sem falar nos altos salários do craque - pra liberar Neymar antes do final de seu contrato, em janeiro de 2012.
No próximo ano, a multa rescisória dele descerá de 45 pra 43 milhões. O presidente Luiz Álvaro de Oliveira, o único cartola elogiado hoje em dia no Brasil, disse ao Real Madrid que não liberará o atacante agora.
E tem suas razões: além de estar na zona do rebaixamento, o Santos tem o Mundial inter Clubes no final do ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.