terça-feira, 2 de agosto de 2011

SÓ TOLOS CREEM NA RECUPERAÇÃO DOS SEUS TIMES

Não me permito nenhum momento de hipocrisia. Bater diariamente na nos argumentos baseados em “fé, esperança e paciência” quanto às participações de Atlético, Cruzeiro e América é pura hipocrisia. Enquanto acreditamos, os treinadores nos enganam, ou fazem como Antônio Lopes, que veio, prometeu reabilitação e quatro jogos depois pegou o boné e fugiu do barco, com sua experiência, credibilidade e honestidade.
Ou devemos acreditar nas maluquices que Dorival Júnior fez para escalar o Galo contra o Palmeiras, cheio de beques, volantes e atacantes inoperantes. Depois tentou corrigir todas as besteiras de uma só vez trocando três por três acintes. Do outro lado da Lagoa, o Papai Joel abraça as causas de Cuca. Mantém o preguiçoso Gilberto, desinteressado e lento, numa estúpida briga com Roger, outro que perdeu a motivação, exceto para cavar cartões e faltas violentas que o permitam correr aos braços da mulher Débora Secco.
Este é o menor dos pecados de Papai Joel. Destruiu o meio-campo do Cruzeiro. Constantemente tira Marquinhos Paraná de lá para colocá-lo na lateral direita, onde fica mais perdido que cachorro que cai do caminhão de mudança. Não apóia e nem faz cobertura, ao contrário do meio-campo, como volante. O tal de Everton é uma piada. Serve pra compor o grupo e ser reserva da lateral esquerda, mais nada do que isso. A torcida ficou livre de Brandão e Farias, mas Joel reviveu Reis. Não existe no Cruzeiro ou nos clubes onde estão alguns “emprestados” do clube, gente melhor? Tenho certeza que sim.
Existe uma diferença, claro, no que eu penso e no que o torcedor sente. Além da repulsa que sinto pelo quadro inexpressivo dos três times nossos no Brasileiro, respeito o sentimento do torcedor que é de paixão. No momento brigou com os times de seus corações, como se briga com a mulher amada. Basta, contudo, uma enganosa recuperação como já mostraram, e a chama se reacende.
Com 18 pontos, dez atrás do Corinthians, o Cruzeiro, caso vença o Flamengo neste sábado, e mais dois adversários à frente, a massa azul voltará aos gritos jurar-lhe amor eterno e fé na conquista do Brasileiro. Não trabalho com a probabilidade no futebol. Analiso o que estou vendo. Antes do fechamento da janela internacional, ainda acreditava na possibilidade de reforços que viessem resolver os problemas das laterais, para o lugar de Henrique, e para a camisa 9.
Visto que o Senador fechou os cofres, pois conquistou uma posição política que dispensa votos por oito anos – e vale lembrar que ele não teve nem o próprio voto pra tornar-se Senador da República – os azuis que se conformem com os buracos existentes atualmente e com o jogo de cintura do veterano Joel Santana pra tapá-los. Convém, também, ressaltar que a maior culpa de toda a situação é quase exclusiva do Presidente Senador. Mas que o seu companheiro, amigo e sócio Dimas Fonseca tem parcela no desastre perto de acontecer e que, hipocritamente, nega existir.
Elogiei a rapidez da ação da diretoria do América na contratação do experiente Antônio Lopes, a quem julgava capaz de recuperar e tirar o Coelho do buraco em que se enfiara. Que decepção! Qualquer desculpa dada pelo treinador ou pela diretoria não resgata a dignidade que julgava existir no negócio feito sob holofotes de esperança e transparência. Não me interessa saber quem virá, se veio, para o lugar de Antônio Lopes. Tudo farinha do mesmo saco. Jogue-se lá dentro os atletas também.
Dorival Júnior já teve, também, o tempo necessário pra justificar sua contratação. Com o aval de Eduardo Maluf recebeu bons (ou maus?) reforços, nomes famosos que renegou, lançou mão dos jovens do clube, conseguiu armar uma boa equipe e, posteriormente, também, a descartou, queimou os rapazes cheios de esperança. Por fim, resolveu voltar com os medalhões e eles negaram fogo. Então pra rachar o ambiente do seu quintal, Dorival encostou os veteranos também e inventou as maluquices de um sistema sem pé nem cabeça. Contem aí: se o Galo mantiver o mesmo risco já, já, estará no grupo dos prováveis rebaixados.
Sei que o meu amigo Urso Bravo não tá disposto a viver tal cruzada. Ao descer de seu gabinete pra enfrentar os torcedores revoltados na porta da sede urbana, mostrou que não haverá de enfrentar nenhum tsunami. Antes que a maré suba em definitivo, na fase de marola, cabeças importantes rolarão em nome do exercício pleno de seu papel de presidente.
JOGÃO para o pessoal do sul de Minas neste sábado às quatro e vinte: Boa x Sport, no Melão. As trancos e barrancos o time de Nedo Xavier mantém-se fora da zona de rebaixamento., com 18 pontos.
O que tem acontecido com Walter Montillo: anda mal das pernas,sem aquele pique inicial, quando chegou do futebol chileno? Fez seis gols, passou a impressão que se recuperaria e, de repente, afundou junto com os preguiçosos do meio-campo.
O momento é dos ex-vaiados: Ronaldinho Gaúcho, artilheiro da competição com 8 gols, e Borges, que se reencontrou no Santos, com 7.
O apitador Sílvio Spínola foi tão mal, mas tão mal, no jogo Flamengo x Grêmio (Fla 2 a 0) que antes mesmo de apitar o início do jogo, a imprensa carioca já reclamava dois pênaltis pro Mengão. (sic)
Meu ceticismo é tão grande que não creio na vitória de nenhum time mineiro na 14ª rodada: Grêmio x Galo, Cruzeiro x Flamengo; Corinthians x América. Fui óbvio demais, não?
No Vasco da Gama, o técnico Ricardo Gomes conseguiu o considerado impossível: domar vaidades pessoais. A briga pela titularidade entre os medalhões é feita sem confusão.
Contra o São Paulo, Felipe estava no banco e entrou o jovem Jumar: no segundo tempo, saiu Juninho Pernambucano e Felipe entrou pra bagunçar o coreto de Adilson Batista.
Fez assistência no primeiro gol, após receber um passe de calcanhar de Diego Souza, e marcou o segundo gol (2 a 0, placar final) com extrema competência.
A seleção de Ney Franco, no Mundial sub-20, depois de bisonho empate com o Egito (1 a 1) pegou de jeito a Áustria. Meu conterrâneo fez mudanças no time e o rendimento técnico e individual cresceu bastante. Gostei da movimentação que Dudu passou ao time no segundo tempo, quando entrou. O marcador já estava nos 3 a 0 finais, mas o menino cruzeirense agitou bastante.

Um comentário:

  1. Caro Flávio, tá dificil aguentar os times mineiros.No Galo, depois que o pagto sai em dia
    parece que os caras estão satisfeitos, e não querem mais de jogar futebol. Se eu fosse o presidente, jogador do galo ganharia por produção, deu lucro recebe, caso contrário será
    um salario minimo fixado em contrato, se quiser. Chega desta falta de vergonha na cara
    desta turma, querem ganhar bem, receber em dia, mas correr em campo nada.
    Quanto ao time da toca, o exemplo vem de cima,
    o comandante e senador (não merece maiusculo)
    é investigado pelo MP. pela PF, ou seja, a bagunça na casa está instalada, virou casa de mãe joana da pesada. Por onde anda o Alvimar, pulou do barco antes de afundar, porque se o
    senador pensa que não vai dar em nada, ele terá
    de vender a tal fazenda de 60mi, que ninguem sabe de onde ele tirou dinheiro para comprar, só para pagto de advogados, pois, onde existe fumaça, tem fogo, é só procurar com boa vontade, que vem a tona. Como diz o Adilson, vamos aguardar!!!!!!!!!!!
    campo

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.