segunda-feira, 26 de setembro de 2011

APENAS O BOA FEZ A ALEGRIA DOS MINEIROS

Quatro pontos separam o Cruzeiro do primeiro colocado na Z-4 do Mal, o arquirrival Galo: 29 x 25. Mas não custa nada lembrar que na próxima rodada os azuis enfrentam o Grêmio, no Olímpico de Porto Alegre, e os alvinegros voltam pra casa, a Arena do Jacaré, para um confronto teoricamente mais fácil contra o Ceará. Lá na lanterna permanece o Coelho e, com certeza, por lá permanecerá outro bom tempo, visto que seu próximo adversário é o Palmeiras, em São Paulo.
Seria fácil pra este filho de dona Geralda, num momento de puro otimismo, afirmar que se trata de uma rodada excelente para os mineiros começarem dar a volta por cima: o Grêmio vai mal, o Ceará anda de elevador – sobe e desce – e o Palmeiras vem de empate com o Atlético-GO que tinha apenas 9 atletas, por causa de duas expulsões. Todavia como ser otimista numa fase como esta que passa o futebol mineiro?
Tirante o Boa que venceu o Criciúma no sábado (2 a 0) e está em 7° lugar, a três pontos do Sport do Recife, quarto colocado da G-4 da Segundona, nenhum outro time mineiro venceu no último final de semana. O Villa Nova levou de 3 a 1 do Itumbiara lá em Goiás e precisa reverter a vantagem no jogo de volta, em Nova Lima, pela Série D. O Tupi, outro mineiro da mesma série, perdeu do Volta Redonda( l a 0) no estado do Rio. Mais fácil de virar. Na Série C, o Ipatinga foi derrotado pelo Joinville ( l a 0) em Santa Catarina. Tem de fazer melhor saldo na volta, no Ipatingão.
Lá no Olimpo, os deuses do futebol esqueceram de nós!
Ou castigam nossa arrogância. Não há cartola aí que até desafiou: “muda de nome se seu time cair?” Falta pouco pra entrar na zona da degola.
Outra coisa: o Galo mostrou, realmente, uma melhora aceitável diante do Internacional. Outra vez se pode afirmar que não merecia perder. Mas perdeu por 2 a 1. Agora, os apressados apontam pra provável saída do Galo da Z-4 do Mal porque faz duas partidas seguidas – Ceará e América – na Arena do Jacaré. Já colocam seis pontos no aproveitamento horrível dos atleticanos. Quem garante isso? O Ceará, às duras penas, passou pelo Coritiba (3 a 2) na rodada de domingo, em Fortaleza, somou 30 pontos e subiu pra 14º. O caso do América é diferente. Trata-se de um velho freguês, um clássico local. Mas quantos tabus favoráveis o Galo tem deixado cair?
Chance de sair do buraco da degola o Galo tem em todos os confrontos que fizer daqui pra frente. Uma obrigação de ele vencer ao menos 7 jogos entre os 13 que lhe faltam. Ceará e América são apenas duas oportunidades que ele não pode deixar passar em branco. Caso contrário suas chances diminuem mais: ganhar 21 em 33 pontos possíveis.
Com Richarlyson aberto na esquerda e Bernard na direita, nenhum fixo, contudo, e Magno Alves de centroavante encaixado entre os zagueiros adversários, o Galo assustou o Internacional no princípio. O primeiro bom lance foi de Bernard e passou perto da meta de Muriel. Mas a marcação no meio era falha sobre D’Alessandro, Andrézinho e Oscar. Dudu Cearense e Daniel Carvalho não acompanhavam ninguém. Aí facilitou para o Inter fazer l a 0 com Bolatti, aos 26m. Belo gol. Tabelou com D’Alessandro, driblou Réver e apareceu na cara de Geovani – uma bomba sem defesa:
O Galo sentiu o golpe e então só o Inter jogou. Sorte de não levar o segundo gol.
Na fase final, Cuca tirou Richarlyson e colocou Renan Oliveira. Porém, o Galo só melhorou mesmo quando ele mexeu de novo e fez entrar o estreante Carlos César, ex-Boa Esporte. O cruzamento dele saiu na medida pra Renan Oliveira empatar aos 24m.
Pensei comigo: “hoje o Galo sai do buraco. O Inter encolheu e o Galo não foi com apetite ao pote, apesar de André entrar no lugar de Magno Alves. Resultado: o Colorado fez 2 a 1 aos 31m D’Alessandro cobrou uma falta para a área, Léo Silva cabeceou pra trás e Fabrício, que acabara de entrar no lugar de Oscar, no pé da trave direita, empurrou a bola pra rede. O assistente acusou impedimento, o juiz foi falar com ele e ambos validaram o gol. Cuca chiou pacas lembrando a falta de critério> no jogo contra o Atlético-GO o juiz Paulo César Oliveira anulou o gol de Guilherme, alegando impedimento, num lance bem igual. Pra complicar Réver foi expulso logo depois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.