quarta-feira, 14 de setembro de 2011

FÁBIO DESABAFA















“QUEM NÃO TEM IDENTIFICAÇÃO COM O CRUZEIRO MELHOR IR EMBORA”.

Bem que a direção de comunicação e o diretor de futebol do Cruzeiro tentaram apagar o incêndio na Toca da Raposa amordaçando atletas e proibindo-os de ir às coletivas. Com sua personalidade de “capitão” do time, o goleiro Fábio ( foto de Jackson Romanelli - EM/DA Press), passou por cima das absurdas ordens e abriu o verbo.”Não tive a possibilidade de conversar com o Gilberto. Se ele citou meu nome, foi um pouco infeliz. Para mim, não tem problema nenhum, nunca teve. Estou aqui há sete anos e a responsabilidade sempre assumo, não é de hoje. Não é por isso que vou citar ou deixar de citar alguém. A responsabilidade, tanto na vitória quanto na derrota, é dos jogadores que têm personalidade e responsabilidade e chamam essa responsabilidade. Eu nunca fugi disso. A responsabilidade é para quem tem personalidade e é vencedor. Para mim, a responsabilidade é minha e vou fazer de tudo para o Cruzeiro voltar a vencer”.Bem enfático, porém delicado e sem ranço, como sempre agiu, Fábio falou que “como torcedor cruzeirense, estou mais chateado ainda, porque o Cruzeiro não pode estar nessa situação. A gente vai se cobrar. Estou me cobrando cada vez mais, tentando cobrar o grupo, incentivar também, porque queremos o mesmo objetivo de estar sempre à frente, independente de quem vai jogar”.Para Fábio, “atletas que não tiverem identificação com o Cruzeiro e atitude dentro de campo devem deixar o clube”.Chii, esta foi uma divida na canela; sopapo no pé da orelha. Quem tiver vergonha na cara e o capuz servir - pensa este filho do Sodico - o melhor é , realmente, enfiar a viola no saco e procurar outro lugar pra fazer serenata.Endosso o que Fábio disse na coletiva. Dez pra ele, com louvor. Aliás, do goleirão acusado de liderar um grupo de evangélicos na Toca da Raposa, como se isso fosse crime hediondo, esperava-se essa atitude firme.Também penso que a equipe celeste, como afirmou Fábio, “não está tendo prazer de jogar, gana de entrar em campo. Isso é fundamental. Isso faz com que a gente não consiga vitórias, como está acontecendo. Temos de ter atitude de homem, de quem quer fazer o melhor, independente de idade e de nome. Tem de estar aqui quem quer jogar, quer vestir a camisa, quem estiver com vontade de ir para o jogo independentemente do adversário. Tem de estar aqui quem tem identificação com o clube, quem não tem (identificação), tem que pedir para ir embora, se motivar de outra forma”, disparou.Fábio avaliou que não há racha no grupo cruzeirense, mesmo depois das declarações de Gilberto. “Cada um tem amizades fora de campo, amigos mais íntimos, isso é normal em todas as profissões. Dentro de campo, a gente não aceita isso. Tem sempre de fazer o melhor para o Cruzeiro, ainda que fora de campo não tenha amizade”. (copilado do site Superesportes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.