quinta-feira, 20 de outubro de 2011

ESTOU EM BRASILIA TAMBÉM

Os amigos leitores se perguntam: cadê a Trincheira democrática? Está aqui em Brasília. Eu vim fazer a noite de autógrafos do "Caraúna¨, no último dia 18, data escolhida de propósito, por se tratar do meu aniversário. Foi um encontro legal. Hospedado no apê do mano Fábio, promotor de outra noite de autógrafos de um livro meu no DF, acompanhei os jogos de quarta-feira, pensando nas batalhas que o futebol mineiro terá de enfrentar: o Galo no sábado contra o Fluminense, no Rio de Janeiro; o Coelho contra o Grêmio, que é dificilmente em qualquer lugar; e o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, contra o indigesto Atlético-GO. E o diabo: todos os três num desespero danado e cheio de problemas. O Cruzeiro, por exemplo, tem mais um. Charles fica sem jogar por uns 15 dias.
Assisti o show do Neymar e o golaço dele contra o Botafogo na vitória por 2 a 0, na Vila Belmiro. O segundo, também, foi muito bonito. Marcado pelo goleador da competição, Borges, o 22º gol dele. O lance ecológico de Neymar, que pra não atropelar um dos muitos "quero-quero" que infestam o gramado da Vila, desviou a rota. Permitiu com isso a chegada do goleiro Jefferson antes dele na bola.
O São Paulo, na reestreia do interino Milton Cruz, substituindo Adilson Batista, na sua décima quinta interinidade no Morumbi, derrotou o Libertad na fase internacional da Copa Sul Americana por l a 0 gol de Luiz Fabiano. Ufa, enfim! Pior foi o Flamengo: tomou de 4 a 0 do Universidad do Chile, no Engenhão. Vi o futebol de Eduardo Vargas, de La U, com dois gols. A chatice de Luiz Roberto narrador global na ânsia de apitar tudo em favor do Flamengo. Por fim, a falta de educação de RG-10 xingando um adversário. Na leitura labial ficou claro: filho de uma p...Mas o Luiz Roberto não viu e nem leu nada, ele que é um especialista em leitura deste tipo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.