quinta-feira, 17 de novembro de 2011

GALO DESPACHA DE VEZ O FANTASMA DO REBAIXAMENTO

Flávio Anselmo – 18/11/11


Enquanto os guerreiros botavam de vez pra correr os fantasmas do rebaixamento, vencendo o Coritiba por 2 a 0, gols de Berola e Léo Silva, na Arena do Jacaré lotada com mais de 16 mil pagantes, meu email lotava-se, também, com mensagens de revolta e solidariedade ao ex-craque Reinaldo, agredido covardemente por um vizinho no condomínio Miguelão.
Com 42 pontos, o Galo distanciou-se da Z-4 e colocou o Bahia atrás dele, acima do Cruzeiro. Matemáticos garantem que com 42 o time se salva. Então, Bahia e Galo estariam livres. O Cruzeiro agora briga com o Atlético-PR seu próximo adversário na Arena do Jacaré e com o Ceará do qual se separa por dois pontos. A torcida alvinegra comemorou a vitória noite adentro e a do Cruzeiro, assustada, escondeu-se.
Sobre as manifestações de solidariedade ao Rei, o mano Fábio Paceli me encaminhou esta abaixo que roda em Brasília criada por Paulinho, conterrâneo do Rei, Leiam aí:


“Flavio, eu não sabia disso. Veja ai o que me mandaram. A polícia e a Justiça, como sempre, não darão aos responsáveis o tratamento que se dá nos países minimamente civilizados. Bração, Paceli” Aí vem o texto de Paulinho:
“Eu também assustei com a notícia da briga ocorrida no último final de semana/feriadão: a mídia divulgou. - É preciso informar para inteirarmos melhor a esse respeito dando todo o crédito e total apoio ao nosso Amigo conterrâneo, puts, até qualquer prova de culpa em contrário: - se o cachorro dele, tão somente, ter-se-ía(á) provocado toda essa ira/fúria desses vizinhos de seu Sítio no Miguelão, município de Nova Lima, na saída para o RJ - BR 040.
Parece ter algo estranho no ar, pelo presente relato ora encaminhado do autor Cacá Moreno. - Afinal de contas 3x1, no meu entendimento é a mais pura e simples atitude de covardia e truculência não? - A Turma de BH certamente, dada as proximidades, inclusive, deve estar no link atenta já que possui melhor oportunidade de acompanhar e, se devido, ainda, prestar toda assistência jurídica e/ou colaboração requerida, por consequência, ao REI - grande ilustre Reinaldo José de Lima, o nosso eterno lembrado boa gente e cracaço, apelidado de Caburé na infância, lá na boa terra Ponte Nova - MG.
Até mais, desejando toda a sorte e superação de mais essa ao REI. Fui, certo de que algo está e poderá ser feito para que os esclarecimentos desejados venham mesmo à tona felizmente; e na oportunidade nosso modesto e sincero desejo”
Também devo registrar a preocupação da torcida cruzeirense: seu time é forte candidato ao descenso com o futebol mostrado quarta-feira. Se não vencer o Atlético-PR no final desta semana, pode dar adeus à elite do futebol brasileiro ano que vem.
O conterrâneo e vizinho, Aloizio Grossi, diz na sua mensagem:
“A coisa realmente está feia. Afe Maria! é muito pouco pelo que vi ontem. Se tivesse jogado contra o Fluminense da Rua do Sal, teria tomado de goleada. Não que o Fluminense seja ruim, é que coisa tá feia, horrível. Um amontoado, sem esquema, mal treinado, jogadores não conseguem dar um passe de 2 metros, um entrando na jogada do outro, como aconteceu na expulsão, ridículo, simplesmente, ridículo. Não estou acreditando no que eu estou vendo. Marquinhos Paraná de camisa 10, que ultraje!!!
Outro conterrâneo, o advogado/escritor/poeta Wagner Martins, hoje morando em Sabará: “Meu caro amigo, vi o jogo do Cruzeiro ontem e te confesso que tive saudades daquele Cruzeiro de Tobi, Bendelaque, Dedê de Dora, etc. Fiquei imaginando, que se o time de Mancine e do Senador ficasse jogando com o Avaí até sábado, não conseguiria chegar ao gol... outra coisa que me deixa assustado é saber que falam em salários ali de duzentos mil reais. O time do Galo Velho lá de Entre Folhas, em troca de uma caixa de cerveja no final da tarde, é bem capaz de superar o que vi ontem e o que temos visto nos últimos jogos desse time que já se formou com Raul, Dirceu Lopes, Tostão, Piazza e tantos outros.Bração. Vem aí UM BICHINHO À TOA...
Pô até parece que dediquei a coluna dos conterrâneos. Mais um, Mario Sérgio Carraro, residente em Brasília, torcedor do Fluminense, chorando as mágoas: “Flávio, não cheguei a ir ao Rio como vc "contou", mas confesso que antes da derrota pro América eu já estava olhando as passagens para o último jogo do Flu, contra o Botafogo. Que seria o jogo do tetracampeonato! Mas perdemos o título nas quatro derrotas para América e Atlético/MG.
Infelizmente não poderei comemorar o título no Bar do Piniquim lá "nu" Caratinga! Mas estaremos lá no fim do ano”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.