domingo, 20 de novembro de 2011

TUPI É CAMPEÃO DA SÉRIE D

Pode ser que a Imprensa mineira prefira ignorar esta conquista do Tupi para o nosso futebol, lamentando apenas a anunciada queda do América na derrota (3 a 1) para o São Paulo; ou o resultado negativo do Cruzeiro diante do Atlético PR (1 a 1) dentro da Arena do Jacaré que o mantém, ainda, com a corda do descenso no pescoço. Ou desgostosa com a virada que o Galo levou do Corinthians em São Paulo.
Pouco importa: o Galinho da Manchester é campeão brasileiro da Série D com todos os méritos, porque bateu no Santa Cruz em Juiz de Fora ( l a 0) e sapecou 2 a 0 lá no Recife. O título emblemático, por ser difícil, numa jornada de guerreiros, sem apoio financeiro, e sem televisão pra mostrar suas qualidades ou deficiências. Sem falar nas jogadas de bastidores. Tudo foi superado pelo Tupi de Ricardo Drubsky, já de minha parte escolhido o técnico mineiro do ano. Que não lhe falte o Troféu Guará, normalmente entregue aos medalhões.
O Tupi definiu o confronto do Arruda como “O jogo do Século”. Afinal trata-se do primeiro título de expressão do Tupi Football Club, que até então havia conseguido a taça do Módulo II do Campeonato Mineiro e de outros torneios menores. Os gols que definiram o título foram de Allan, aos 35min do segundo tempo, aproveitando cruzamento na segunda trave para escorar de cabeça, e Henrique, em contra-ataque.
Juntos com Cuiabá e Oeste, os dois times da decisão disputarão a Série C ano que vem. Outra pedreira, que espero ver o Tupi na mesma determinação pra chegar à conquista de outro título nacional.
CONFRONTO DA MORTE ANUNCIADA. Sem nenhuma pretensão de Profeta do Acontecido, escrevi nesta Trincheira que não minha infalível intuição avisava que o Cruzeiro não venceria o Atlético-PR com aquele time que Vagner Mancini tirou do embornal. Surpreendeu-me porque a zaga deu conta em parte do negócio, mas os laterais – Diego Renan, principalmente, - abriram-se de novo. O gol do Furacão foi do fundo para o fundo e ninguém se antecipou ao Marcinho.
O jogo era dos paranaenses e o Cruzeiro achou aquele gol esquisito de Charles. Tenho lá minhas dúvidas quanto ao gol anulado do Furacão aos 38m do segundo tempo. Branquinho cruzou e Paulo Baier desviou sem chance pra Fábio. A arbitragem deu impedimento. Será?
Vagner Mancini botou e tirou um monte de centroavantes sem nenhum resultado prático. E cadê o Ebert? Nem no banco estava. E o Gabriel Araújo? Nem no banco. Interessante é que vi gente comemorando o empate como salvador. Como? O Cruzeiro sonha em ganhar do Ceará com esta perebada toda em Fortaleza?
O que acontece com Fabrício? Tornou-se um jogador comum, sem alma, sem determinação, longe daquele líder que a China Azul tinha de ídolo. Não tenho dúvida que se trata de estratégia pra sair, porém sem dignidade. No meio do ano eu afirmava que ele não ficaria na Toca e que o seu destino seria o Galo. Houve um desmentido dele e agora, pelo que sei, nem pela Cidade do Kalil o ex-capitão do Cruzeiro teria passagem.
VIRADA NO PACAEMBU. O Galo aguentou em quanto pode aquela panela de pressão. Fez l a 0, aos 9m do segundo tempo, numa bela jogada. Iniciou-se com Bernard – outra vez destaque da equipe – cobrando uma falta rapidamente pra Serginho. Num toque perfeito, encontrou Daniel Carvalho na esquerda. Seu cruzamento foi medido na cabeça de Léo Silva, por dentro da zaga.
Aos 22m, o Corinthians botou em campo o Imperador Adriano. A torcida se inflamou e um minuto depois, Renan Ribeiro teve que fazer duas defesas milagrosas seguidas. Aos 32m, Liedson, sempre oportunista, empatou.
E aos 44m, gol da realeza: arrancada do Sheik Emerson após tomar a bola de Berola; na entrada da intermediária serviu o Imperador pela esquerda. Chute forte, cruzado, sem chance pra Renan.
Não creio que o Galo corra perigo com esta nova virada. Já se garantiu. Cruzeiro, Ceará e Atlético-PR e que brigam contra o rebaixamento.

7 comentários:

  1. Atleticano como vc quer fabricio no patetico mineiro.. pode levar chinelinho.. leva assim como leonardo silva vai ganhar mais de 100 mil para entregar a rapadura...

    ResponderExcluir
  2. Flavio, apesar de vc ser cruzeirense e eu atleticano, só tenho a elogiar o discernimento e a pouca beligerância que vc faz suas observações. Rapaz, é duro ver "comentaristas", "jornalistas" e "isentos" que não falam o nome de Atlético e Cruzeiro, só dizem "rival". E jogadores bestas, como o Fabrício, que acham que têm o patrimônio da macheza que disseminam a imbecilidade. Tostão, Joãozinho, Palhinha e Raul não precisaram ser idotas para serem cruzeirenses respeitados ou grandes jogadores. E volto a insiitir: não há nada mais nocivo do que jornalistas "chapa branca".

    ResponderExcluir
  3. Flávio,

    Na rodada passada tinha um jogo que ningúem falava nada e que poderia decidir muita coisa e decidiu. A volta do moribundo Ceará pra disputar a permanencia na série A.

    Nesta tem um jogo importantíssimo pra Z4, AMÈRICA X ATLÈTICO-PR, denovo não etrá o destaque da mídia, mas acho que pode encaminhar o próximo rebaixado e caso de vitória do Atl-PR.

    ResponderExcluir
  4. Cuca tem que parar de inventar nas escalações. Serginho entrega todo jogo, perdemos esse por cauda de duas vacas estouradas, o Neto Berola e ele. Um tenta driblar quando deveria prender a bola e o outro nem aparece na cena quando lançam o adriano. 44 minutos e o idiota arranca com o berola.

    Escalar serginho com o Carlos Cesar no meio foi mais uma burrice do cuca.

    Acabando o campeonato, temos que mandar Cuca, serginho, richarlisson, renan oliveira, guilherme, leandro para a rua, só pra começar, senão vai ser mais um ano na rabeira.

    Saudações,

    Ed.

    ResponderExcluir
  5. Cuidado com o coração heim pode nao aguentar de algria ao ver meu cruzeiro rebaixado.. meu caro serir B é para times pateticos como seu atletico.. o Marcos rocha acima deve ser burro pois vc revelou em post anterior que jogou com reinaldo no atletico ou seja voce é atleticano.. e o burro falando quie voce é cruzeirense.. é foda viver num pais onde as pessoas nem ao menos sabem interpretar o que leem.

    ResponderExcluir
  6. Õ VIOLEIRO. Burro és tu, que não interpreta o que lê. Quando o Rei começou eu tinha 30 anos. Posso ser pai dele, como joguei com ele no Atlético? Quem disse que jogou com ele no Galo foi o Cacá Moreno. Eu apenas transcrevi o que Cacá escreveu. Já experimentou sentar no pirulito da praça 7?

    ResponderExcluir
  7. Se esse violeiro cair de 4 não levanta nunca mais...

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.