terça-feira, 13 de dezembro de 2011

IRMAR AFIRMA TER OS 180 VOTOS DA ELEIÇÃO E KALIL PAGA PRA VER

A eleição presidencial no Atlético, de repente, pegou fogo. Fred Couto diz que a oposição é ele e que o desembargador Irmar Ferreira não tem apoio de 180 conselheiros como informa. Alexandre Kalil falou do acúmulo de trabalho no final do Brasileirão pra impedir a queda do time à Segunda Divisão que não sobrou tempo de ligar para os conselheiros e pedir votos. O máximo que fez foi enviar a cada um o relatório de sua administração.

Sobre o jantar de adesão promovido pela chapa do desembargador, com a presença de 180 conselheiros, Kalil ironizou. Mandou seus espiões ao jantar e eles contaram 30 pessoas. Porém, apenas a metade vota no Irmar.

Esta revelação de Kalil feita no Jogada de Classe, da TV Horizonte, foi respondida pelo desembargador no programa seguinte;

Curto e grosso, o candidato opositor afirmou que Kalil tinha razão porque estava presente ao evento. Levando isso a sério, existe algo de verdadeiro nas contas de Kalil, porém ele escondeu certa verdade: não registrou sua presença no evento, sim de espiões.

Irmar narrou seus encontros com Fred Couto, sem resultado positivo, na tentativa de unir as oposições. Fred não teria aceitado a vice e nem de abrir mão pra uma terceira via. Então, Irmar disse no programa Jogada de Classe:

“Melhor assim. Em vez de vencer um, vou vencer dois”.

No fim do mês de novembro, Irmar Ferreira afirmou que Alexandre Kalil havia adiantado R$ 42 milhões correspondentes às receitas de 2012 e acusou o atual presidente de não repassar ao Fisco os impostos oriundos dos salários dos funcionários do clube.

Por telefone, Kalil me disse que o Atlético tem sim problema com o Fisco como todos os clubes brasileiros e com a volta do Clube dos 13 negociará em conjunto com a receita uma solução para o problema: “Imbecil é quem tentar resolver o problema do fisco no futebol brasileiro sozinho. Os clubes necessitam e vão conseguir um acordo conjunto”.

“Além do mais expor mazelas fiscais do clube ao público na época de eleição não é política correta. Por que não falou nisso antes, no próprio Conselho, afinal ele só tomou conhecimento de tais dados porque era membro do Conselho Fiscal”.

Fred Couto, o primeiro entrevistado do Jogada de Classe, da TV Horizonte, esclareceu que sempre foi eleito de Alexandre Kalil. “Não sou mais, não voto nele mais”.

-Tem doze anos que a culpa é dos outros, a culpa agora é dos jogadores. Vai para casa Alexandre Kalil e deixa o Atlético em paz “afirmou Fred Couto no seu tuíter.

Alexandre Kalil, no Jogada de Classe de segunda-feira, rebateu as críticas recebidas por Fred Couto.

- Este candidato da oposição quando nossa alma estava sangrando, teve a frieza de ir para o computador e passar mensagem a todos os conselheiros, tentando virar a eleição em cima de uma tragédia que ele esperava ser muito maior : o nosso descenso para a Segunda Divisão. Esse rapaz não tem a menor condição de ser presidente do Atlético. Não conhece a alma do atleticano

A eleição presidencial no Atlético será nesta quinta-feira dia 15, a partir das 8h da manhã até às 17h. De imediato começará a apuração. Já acompanhei de longe outras eleições catimbadas, disputadas a muque e por gente brava.

Espero que esta de agora não resvale pra tal caminho, apesar do sangue quente dos três candidatos.

Me desculpem os demais candidatos. Não vou ficar em cima do muro. Não sou conselheiro do Galo, nem sócio e nem torcedor. Não tenho força pra mudar qualquer voto indeciso em qualquer eleição. Mas se pudesse votar, votaria no Alexandre Kalil.

Sou apenas um pitaqueiro, amigo dos amigos, que por sinal são poucos neste grotesco mundo da bola. Alexandre Kalil é um deles.

Daqueles que se estiverem morrendo no sol, puxo pra sombra. No qual não vejo defeito.

Também não me sinto à vontade pra colocar defeito nos outros, apesar de não serem meus amigos.

Prevejo uma disputa acirrada, voto a voto, e a vitória de Alexandre Kalil no final. Por que ele merece

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.