domingo, 11 de dezembro de 2011

TSUNAMI DE VERGONHA NO FUTEBOL

Em que pese os bons ventos soprados pelos lados de Juiz de Fora (Tupi campeão da Série D), de Ipatinga (Tigre de volta à Série B) e de Varginha (ótima campanha do Boa Esporte, quase subindo à elite), o futebol mineiro por seus maiores representantes apequenou-se.
América voltou à Segundona; Cruzeiro se safou na última rodada e o Atlético esteve perto de despencar também. Campanhas indignas e que encheram todos os torcedores das Geraes de vergonha.
Daí sobreveio a decepção maior que gerou ilações perigosas em todo Brasil: na última partida, o clássico, Cruzeiro x Atlético, apenas com torcedores azuis na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, gerou dúvidas na goleada celeste por 6 a 1.
Em casa, na frente das tevês, a apaixonada torcida alvinegra, desabou levada num tsunami de dúvidas, especulações e mentiras: o Atlético vendeu o jogo!
Não direi que é um fato novo. Já passei por tais circunstâncias diversas vezes nos meus 50 anos de crônica esportiva.
Lembro-me de certa decisão do campeonato mineiro que os atleticanos acusaram seu goleiro Hélio de vender-se ao Cruzeiro. A carreira do rapaz só não acabou porque ao ser dispensado, Felício Brandi decidiu contratá-lo. Aí as fofocas aumentaram.
Em 1978, na Copa da Argentina, a seleção peruana teria entregue o jogo aos hermanos e foi goleada, tirando do Brasil a chance de disputar a final.
Até a intocável Seleção Brasileira caiu na boca azeda do povo derrotada na final de 2008 pela França.
Foi motivo até de uma imbecil CPI na Câmara Federal.
Futebol não é nada disso. Nasceu como lazer, cresceu como paixão e sobrevive por amor.
No entanto, entre suas fases romântica e profissional de agora, o futebol foi invadido por súcias marginais na eterna busca da fortuna fácil e roubada. Os clubes, as federações, as confederações e a própria Fifa são tungadas de maneira vergonhosa, sob os olhares complacentes das autoridades.
Nem a Receita Federal dos países se interessa na origem das fortunas em dólares e euros que rolam nas transações ilícitas, ilegais, subterrâneas. Não questiona e nem investiga a riqueza rápida dos dirigentes; espera que eles se escondam atrás da imunidade parlamentar e fecha os olhos.
Todavia, este mundo podre e de negociata mantém-se distante dos campos de futebol. Por simples razão: cada jogo envolve centena de profissionais e tentar “comprar” resultado deles ou de alguns é risco que nenhum cartola gosta de correr. Ainda que isso possa ajudar seu time a conseguir a vitória salvadora...
No entanto, as provocações e as manchetes que agora mantêm vivas tais especulações de imoralidade, suborno e corrupção são salutares. Provocam as autoridades e não deixam que o assunto seja varrido pra debaixo do tapete.
O presidente do Atlético, Alexandre Kalil, exige que o Ministério Público e a Polícia investiguem o episódio; descubram quem no time do Atlético se vendeu, caso sejam verdadeiras as acusações. Ao contrário, nada se provando, que os caluniadores sejam levados à Justiça e punidos.
Desta forma, creio que a tendência do assunto é extinguir por ser calcada em especulação maldosa, despejada na sociedade por mentes doentias, dominadas por paixões inescrupulosas.
Tais transmissores da maldade não se importam que existam famílias decentes de atletas sofrendo do outro lado. E até outras envergonhadas, apesar de vitoriosas, posto que se duvidou de sua capacidade de entrega, de comprometimento, na busca do placar salvador.
Vivo do futebol, como jornalista esportivo, colunista e comentarista. Renego a podridão que ameaça sua beleza, onde o especulativo e o ganho fácil abominam a técnica e a sua pureza. Quero distância!!!

2 comentários:

  1. Seu coração cruzeirense, Flávio Anselmo, é daqueles tempos...quando havia beleza e raça no futebol! Hoje em dia,tanto faz que as massas de torcedores se arrebentem entre si! O bom e o belo não existem mais. Parece que todas as torcidas querem ver sangue!!!
    Coisa mais antiga (dos tempos de Roma e gladiadores!), futebol deixou de ser aquele jogo bom, gostoso de acompanhar e torcer...Parece hoje aquelas antigas arenas romanas...

    ResponderExcluir
  2. Flávio Anselmo, esse seu último blog tem que ser publicado, não se pode perder essa opinião honesta, madura e verdadeira! Parabéns...Opinião isenta, lúcida e perfeita sobre o futebol!!!

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.