sábado, 28 de janeiro de 2012

NÃO É QUE AINDA EXISTE QUEM PENSA EM LEVAR GRANA NA VENDA DE MONTILLO AO CORINTHIANS.

   
BOA PARTE DA IMPRENSA PAULISTA, de tantos nomes famosos e saudosos, joga seu prestígio na lama com a arrogância e a prepotência dos novos e dos salvados do incêndio. O episódio da venda de Walter Montillo para o Corinthians expõe certos interesses inconfessáveis, no instante que alguns blogs, sites e colunistas insistem que conversações entre o clube paulista e o jogador, ou seu representante, ou inventam viagem do craque a São Paulo pra tratar do assunto pessoalmente com o clube de lá.
Montillo e seu representante desmentem, e o Cruzeiro repete a ladainha de que o jogador só irá embora se pagarem 15 milhões de euros da multa contratual. Os dirigentes corintianos já deram a transação por encerrada. Contudo, certa parte da imprensa paulistana insiste em criar factóides, inventar histórias e colocar Montillo no Parque São Jorge. Não pode ser apenas porque gosta este segmento de especular: existe algo de podre nesse empadão, ou seja, alguém correndo atrás do seu percentual de venda.
NOTICIARAM QUE Montillo esteve em São Paulo durante esta semana para negociar diretamente com o Corinthians. O jogador negou: "Colocam coisas que eu não faço ou não falo. Quarta-feira treinei no Cruzeiro. Nunca faria alguma coisa como assinar contrato com o Corinthians, tendo um contrato com o Cruzeiro. É falta de respeito falar que eu assinei com o Corinthians. Tenho uma família e uma casa. Fui para o treino e voltei para a casa".
Tratam o atleta, cujos exemplos profissionais são inatacáveis, como moleque. A posição de Montillo no episódio tem sido mais que elogiada. Como profissional, balançou com a proposta do Corinthians, porém nunca foi alé disso.
A CRISE FINANCEIRA do clube celeste, porém, ainda deixa nos corintianos a esperança de contar com o jogador para a temporada 2012. Nesta sexta-feira, a imprensa paulista chegou a especular uma possível retomada de negociação do empresário do jogador, Sergio Irigoitia, com o Timão, além do suposto interesse da diretoria celeste em liberar o atleta por menos de 15 milhões de euros.
Até prova ao contrário, prefiro acreditar no presidente Gilvan Tavares e no craque Montillo, ainda que no futebol a verdade tenha pernas curtas.
AMISTOSO RUIM DO CRUZEIRO:
Encarei como coletivo de luxo o amistoso insosso do Cruzeiro em Patos de Minas.
No primeiro tempo, o time quase abriu goleada não fosse a falta de apetite de Anselmo Ramon.
Fez 2 a 0, gols de pênaltis cobrados por Wellington Paulista e isso não passou boa impressão. Aquela história de dois gols em bola parada.
No segundo tempo, desinteressou-se e mereceu levar o empate.
O gol de Jonatas, escalado no intervalo, foi obra de jogada trabalhada, num belo passe do meia Joubert, o melhor do amistoso. O autor do gol do Mamoré mostrou também qualidades. Jonatas, 22 anos, Botou fogo no jogo e levou Léo ao desespero.
Canhoto, Jonatas atuou mais pelo lado esquerdo, em cima do estreante Jackson que substituiu Diego Renan no intervalo.
OUTRA VEZ ficou patente que o Cruzeiro anda mal nas laterais. Ninguém me agradou. Nem na direita, nem Gilson na esquerda. Não gostei de Amaral, nem do meio-campo com ele, Leandro Guerreiro e Marcelo Oliveira. Fraco na marcação e na saída de bola.
VOU DAR NOTAS- de um a cinco - pelas atuações, porque assim o leitor se informa melhor, caso não tenha assistido o jogo no Sportv: Rafael (4), Diego Renan (2) (Jackson (2), intervalo), Leo (3), Victorino (4) e Gilson (2); Leandro Guerreiro (2), Amaral (2) (Wallyson, (fora de forma) 29min/2ºT), Marcelo Oliveira (2) (Everton,(1) 34min/2ºT) e Montillo(4); Wellington Paulista(4) (Élber,( sem nota, entrou no final 40min/2ºT) e
Anselmo Ramon (2) (Bobo, sem nota, entrou aos 37m do 2ºt)




Um comentário:

  1. A IMPRENSA BRASILEIRA É COMO O POVO, NÃO SABE A FORÇA QUE TEM.
    Costumo dizer que a IMPRENSA é o quarto poder, mas é mais forte e manda mais que o LEGISLATIVO, JUDICIÁRIO E EXECUTIVO.
    Temos ilhas de resistência em jornais de bairro e na internet, mas fica a quilômetros luz da força da grande imprensa. Essa grande imprensa parece que dorme em berço nem tão esplêndido assim. Nossa imprensa atrelada a valores que não são seus. Na medida que não exerce da função de incomodar os confortáveis e confortar os aflitos na nobre arte de informar.
    Uma imprensa limitada, surda muda e caolha, fica cada vez mais longe de uma imprensa livre.
    Uma imprensa livre é tudo que um país precisa para ser democrático, justo, rico poderoso e respeitável.
    A Educação é a pasta que mais recebe impostos no Brasil onde se arrecada os maiores impostos do mundo. A corrupção come tudo, antes de chegar no seu legítimo dono que é o aluno.
    A imprensa não reconhece o aluno como dono da escola. Compra e repassa o discurso da Elite Dominante e Gananciosa que não tem interesse que a escola melhore e o povo fique na ignorância.
    Exemplos foi o do Portal Ig. Divulga um fato que todo mundo sabe, mas precisou a coragem do IG para denunciar as fraudes dos exames que determinam o bônus que os professores recebem.
    No primeiro momento a Secretaria de Educação de São Paulo, tenta peitar o IG. Disse que estava tudo certo. Ledo engano. A repercussão foi maior que a SEE esperava e teve que voltar atrás.
    Assim como a imprensa acertou desta vez, erra sempre na medida que fica do lado dos fortes, poderosos incentivando a PEDOFOBIA E ALUNOFOBIA. Responsabiliza o mais fraco pelo fracasso da escola. O aluno, é o elo mais frágil dessa corrente.
    Um exemplo é o caso da Escola Adelaide Ferraz de Oliveira onde a imprensa deu o destaque que era normal professor chamar aluno de bicha e o professor agressor foi promovido.
    Para não dizer que só acontece em São Paulo, Porto Alegre dá a sua contribuição.
    O aluno negro reagiu a uma agressão e injustiça, se recusou a assinar um documento de desistência.Segundo o aluno a Coordenadora do Curso dizia que alí não se formaria negro.
    Trouxe dois homens enormes e houve o confronto onde ela a CP ter os braços e alguns dentes quebrados.
    O proprio delegado de policia na época declarou para a Recorde de Televisão que ele não prenderia o aluno, que apenas se defendia.
    A imprensa demonizou o aluno que era a vítima.
    Ele foi condenado a 10 anos e seis meses em prisão de segurança máxima. Foi bárbaramente torturado e numa dessas sessões de tortura teria sido castrado. Para um jovem estudante de um curso de Técnico de Enfermagem foi o fim da linha. Ele enlouqueceu e foi para um hospital psiquiatrico, insano e com a pena de morte mais imoral. Morte em vida.
    Voltar atrás nem pensar. Corrigir o erro brutal e covarde impossível, tem coisa que não tem volta.
    Será que esse caso, pelo menos não serviria de exemplos para as próximas vêzes ?
    De qualquer maneira quero terminar parabenizando o Portal Ig de Notícias, quem sabe é uma luz no fundo do poço.
    cremildadentrodaescola.wordpress.com

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.