terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Não me iludo com estrelas cadentes. Prefiro jovens em busca do futuro

O professor Kleber Cavalcante, graduado em Física, da equipe Brasil Escola, ensina o seguinte: “Quem nunca fez um pedido ao ver uma “estrela cadente”? É muito comum vermos, em noites estreladas, as chamadas “estrelas cadentes”, assim como é comum lembrarmos, que ao vermos estes corpos cruzando os céus, temos que fazer um pedido”.
“Mas, o que são estrelas cadentes?”
“Estrelas cadentes não passam de um fenômeno luminoso que acontece na atmosfera terrestre ocasionada pelo atrito entre corpos sólidos vindos do espaço, os chamados meteoritos.
Os meteoritos são pedras espaciais entram na atmosfera a uma velocidade de 250 000 km/h e se incandescem devido ao atrito. Isso ocorre a uma altura de aproximadamente 50km, da superfície da Terra, e dura apenas alguns segundos. Alguns desses corpos se desintegram e ionizar o ar dando origem a um rastro luminoso”.
“Outros, porém, atingem a superfície, algumas vezes causando estragos em casas e automóveis, esses são chamados de meteoritos, e são de grande importância astronômica.
Em uma noite escura e sem nuvens, podemos observar, cerca de dez estrelas cadentes no intervalo de uma hora, algumas com um estrondo parecido ao de um trovão bem distante”.
“Então se lembre, ao fazer um pedido para uma estrela cadente você estará fazendo um pedido para uma pedra vinda do espaço que fatalmente se desintegrará”.

Que belo exemplo. Façam a analogia com as “estrelas cadentes” do futebol e apurem como estas também fazem estragos terríveis quando se transformam em “meteoritos”. E não são poucos, certo? Alguns permanecem – ainda na comparação da Trincheira – mesmo “estrelas cadentes” aqui na terra. Brilham de dia, de noite. Elas enchem de paixão o coração dos torcedores.
É...estas, todavia, são em pequeno número. Os meteoritos têm sido em número bem maior e assombrando mais esses mortais, apaixonados pelo futebol.
Daí, enquanto guardo minha boca pra comer minha farinha, matuto sobre as besteiras que os treinadores fazem deslumbrados com as “estrelas cadentes, ou decadentes?” em detrimento aos meninos da base, apressados atrás de um futuro que os torne “estrelas” por longo tempo antes que a fase de meteorito os abrace.

OUTRO QUE SE VAI E NÃO VOLTARÁ JAMAIS

Vagner Mancini afirmou que Thiaguinho não teria espaço no Cruzeiro sem vê-lo ao menos treinar. Aí como apoio do pessoal da diretoria que detesta a base – inclusive Dimas Fonseca, que estava lá - o atacante foi jogar a temporada 2012 no Villa Nova. Fica por empréstimo até o fim do Campeonato Mineiro, com possibilidade de continuar na Série D, caso o Leão consiga a vaga. E outro que sai pelo ralo maior do futebol brasileiro. Coisa armada, sem dúvida.
Thiaguinho, de 20 anos, foi revelado pela base celeste e se destacou na conquista do Brasileiro Sub-20, eleito melhor jogador do torneio e artilheiro da competição, com sete gols.
Em 2011, Thiaguinho esteve emprestado ao Goiás. Já falei sobre isso. Teve bons e maus momentos, como de resto todo time goiano que acabou na Segundona.
Cuidado, presidente! Jogam-lhe bolas nas costas!

GALO SONHA COM UMA ESTRELA QUE NÃO TEM NADA DE CADENTE

O Atlético ainda sonha em contratar o volante Wesley, destaque do Santos em 2010. Neste mesmo ano foi jogar no Werder Bremen, da Alemanha. O jornal Bild divulgou que o alvinegro fez uma oferta de 4,5 milhões de euros pelo jogador.
A informação consta na seção de transferências do site do Bild. Diz, ainda, que existe grande possibilidade de o negócio sair. Wesley chegou ao Werder Bremen no segundo semestre de 2010, depois de participar das conquistas do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil. Ele tem contrato em vigor na Alemanha até junho de 2014. O jornal alemão citou outros clubes brasileiros interessados: Santos e Internacional.
PITAQUEIROS DO MEU BLOG ME PUXAM AS ORELHAS E COM RAZÃO:

Anônimo - Como assim o Galo está a 11 anos sem ganhar o Campeonato Mineiro? Pirou o cabeção?
Resposta: Pirei mesmo, Você tem razão. Caduquice ou informação mal interpreta. Obrigado pelo puxão de orelha. Ainda bem que minha Trincheira tem vigilantes leitores.

Ricardo - Nunca vi uma visão tão preconceituosa e sem profundidade sobre liberdade de expressão e imprensa quanto a sua: "Não contesto a força que detêm como veículos de mídia impressa, com absurda aceitação nesse país de analfabetos... Afinal, quem lê Abril, jornais e demais revistas é da elite abonada, acostumado aos grandes negócios, subtraindo o dinheiro do País em nebulosas transações".
Então, se a pessoa é rica e lê Veja, é, consequentemente, analfabeta e subtrai dinheiro do país? Lamentável este tipo de visão vir de um profissional de imprensa. Ah, imprensa mineira, né? Essa sim é um poço de credibilidade e imparcialidade.
É por essas e outras que dois certos senadores cruzeirenses mandam e desmandam por aqui.
Resposta. Valeu o puxão de orelhas porque pequei pela generalização. Mas não é um fato que se lê pouco no País e que é grande o número de analfabetos? Não é fato que as revistas Abril são prepotentes e elitizadas?

Anônimo: - Sou cruzeirense, não gosto do Perrella, mas seu comentário foi excelente. Se tem uma coisa que a editora Abril nunca será, é ser imparcial. O que ela denuncia tem sempre relação com algum interesse da editora, e todo mundo aceita isso goela abaixo sem nem contestar.
Resposta: o leitor acima não aceita isso, não!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.